“Pinceladas” sobre a História do Rock no Brasil

O cantor George Freedman, ao ser perguntado sobre como eram os estúdios de gravação, o sistema de gravação e como se obtinha já na época aquela boa qualidade de som, e quais eram os equipamentos à disposição dos artistas nos anos 50/60, quando ele iniciou sua carreira no Brasil, em exclusividade para seu grupo no Facebook, George respondeu que “na era do Rock o Brasil só dispunha de equipamentos com dois canais. A orquestra era gavada em um canal e a voz do cantor em outro. A gravação ia para uma fita fina e, após gravar a orquestra ou banda (chamada de conjunto, na época) o cantor colocava a voz até que ficasse bom. Claro que, quanto mais se repetia, pior ficava a qualidade do som. Depois vieram os 4 canais. Uma revolução em matéria de gravação. Na RCA, onde gravava, já tinhamos 8 canais. Claro que a mixagem se tornava melhor, eliminando eventuais erros ou ruídos. Se tivéssemos a tecnologia americana, na época, outros cantores, provavelmente, teriam feito sucesso também no exterior.”

George Freedman está escrevendo um livro onde contará detalhes de sua carreira e fatos que se passaram na época pré e durante a Jovem Guarda no Brasil.

George tem muitas estórias e fatos para narrar, como por exemplo, vai falar em seu livro sobre o conjunto chamado “Os Paladinos”, e também da época em que a Revista do Rock foi fazer uma foto dele com a cantora Cleide Alves, e um colega deles pediu para sair junto na foto. Eles, claro, permitiram, e a revista publicou a foto com a legenda: “Cleide Alves e George Freedman – dois intérpretes do Rock`n´Roll – um amigo completa o trio”.
O amigo era o ilustre e desconhecido Roberto Carlos, em início de carreira…

Cleide Alves George Freedman e o amigo Roberto Carlos - Cópia

Ele pode ser encontrado no Facebook e também no Grupo George Freedman, criado por uma fã em sua homenagem. 😉

Neste video, George Freedman fala sobre as canções que cantava no início de sua carreira:

Ele também compunha músicas de carnaval, como “Levanta o Copo”, uma das mais populares. Neste video podemos ouvir um trechinho, na voz de George:

George também foi convidado a dar depoimento sobre a História do Rock, quando do aniversário de 40 anos do Rock no Brasil:

Recordando alguns de seus maiores sucessos na época da Jovem Guarda.

“Good Luck Charm

Eu a Amo (And I Love Her) – Versão de George Freedman

“Quando me Enamoro / Coisinha Estúpida / Eu te Amo… tu me Amas”

E num histórico encontro entre George e Lilian Knapp, a dupla se une para cantar o maior sucesso dos dois: “Coisinha Estúpida”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s