Os Beatles e Elvis Presley

Dia 27 de agosto de 1965 ficou marcado na história por ser a data em que os Beatles se encontraram com Elvis Presley!

O Encontro

Em 27 de Agosto de 1965, os Beatles se encontraram com Elvis Presley na residência deste, em Bel Air, Los Angeles, na Califórnia. Foi numa sexta-feira, durante a segunda excursão americana dos Beatles, sob apertadas medidas de segurança. Para os jovens Beatles foi um sonho tornado realidade. No livro “The Beatles Anthology” John Lennon recorda o impacto que a música de Elvis teve na sua vida: “Quando ouvi pela primeira vez “Heartbreak Hotel”, mal conseguia perceber o que ele dizia. O que contava era a experiência de ouvi-lo e sentir os meus cabelos em pé no final. Paul McCartney recorda o encontro como um dos mais importantes da sua vida. “Acho que ele gostou de nós. Penso que, naquela altura, ele pode ter se sentido um pouco ameaçado, mas não disse nada”.

No encontro, os quatro Beatles e Elvis fizeram uma sessão musical informal recorrendo a um piano e a guitarras. Na biografia de Peter Guralnick, “Elvis Day by Day: The Definitive Record of His Life and Music” (1999), Marty Lacker, um dos guarda-costas de Elvis, lembra o episódio: “Começaram a cantar canções do Elvis, dos Beatles, de Chuck Berry. O Elvis tocou a parte do baixo do Paul McCartney da canção dos Beatles “I Feel Fine” e o Paul disse algo como “É um baixista promissor, Elvis”. O encontro durou cerca de quatro horas. Segundo algumas fontes, de início o encontro foi constrangedor. O espanto dos Fab Four foi tão grande que eles mal conseguiam falar e em virtude do constrangedor silêncio o Rei do Rock se viu obrigado a dizer: “Se vocês vão ficar só me olhando, eu vou dormir.”

Imperdoável que este histórico encontro entre Elvis e Beatles em 1965 não tenha tido nenhum registro fotográfico, porém a retratação abaixo cobre perfeitamente esta lacuna.

Encontro entre The Beatles e Elvis Presley – 27 de agosto de 1965

Alguém poderia pensar que se os Beatles fossem mesmo fãs de Elvis Presley, então por que  nunca gravaram um sucesso dele, como fizeram com músicas de Little Richards e Chuck Berry?
Ao contrário, Elvis sim, gravou sucessos dos Beatles, como Yesterday, Hey Jude e Something.

Mas, se pensarmos que Elvis nunca compôs uma canção, talvez esteja neste fato a explicação…

Porém, os Beatles usavam bottoms de Elvis nos anos 60 e há esta foto de John Lennon fantasiado de Elvis:

Portanto, embora não tivessem feito nenhum cover de Elvis, a presença do “Rei  do Rock” influenciando os Beatles pode ser captada em todas as fazes da banda.

The Beatles também se tornaram fãs de Bob Dylan e nem por isso gravaram alguma canção dele.

As bandas inglesas, no geral, naquela época andavam buscando músicas pouco conhecidas para fazer covers, e não havia nada de Elvis que fosse pouco conhecido, pois tudo que ele cantava era sucesso!

“Espero que não nos confundam com uma banda de rock´n´roll”. Com esta frase, Mick Jagger apresentou seu recém-formado grupo de rhythm’n’blues, The Rollin´ Stones.

Uma curiosidade: O termo “Rhythm and Blues” foi usado pela primeira vez pela Revista Billboard, em 1949.

Os blues ritmados eram uma realidade e faziam sucesso entre o público negro através de gravadoras  exclusivas como a Ebony, Sépia e Modern. Foi então que em 1949 a Revista Billboard cunhou a expressão “rhythm and blues”.

“Há três motivos pelos quais os astros americanos de R&B não fazem sucesso com os adolescentes britânicos: primeiro eles são velhos; segundo, são negros e, terceiro, são feios”, disse Keith Richards em 1964.

Estas frases espelham a situação de decadência do rock`n roll no inicio dos anos 60, quando os jovens da época estavam buscando algo de original e diferente. E para os ingleses, a descoberta do blues foi a como a redescoberta da roda.

No inicio dos anos 60, os USA também começam a onda da Surf Music, e o rock´n´roll é substituído por um derivado, o Twist. E em matéria de sucesso, o Twist fez mais pelos Beatles do que o que eles gravaram de Chuck Berry e outros.

Enfim, pode-se dizer que só é possível uma comparação entre Elvis e Beatles em termos de popularidade, e isso nos anos 60.

As bandas da British Invasion foram beneficiadas com a expansão do mercado de música para adolescentes, via presença no palco, sendo as turnês americanas vitais para a sobrevivência delas. Uma turnê americana garantia a venda dos discos conhecidos e criavam a expectativa para o próximo.

The Beatles puderam dar-se ao luxo de fazer o que Elvis já estava fazendo há tempos, ou seja, investir na TV e no cinema, amparados pela grande popularidade conseguida em suas turnês pela América.

Se Elvis cantava para a burguesia de plantão, os Beatles se tornaram VIPs da
“Swinguin London”, dos empresários e por aí afora…

E como seria Elvis e The Beatles se apresentando juntos?

Segue um vídeo onde Paul McCartney fala do baixo (bass) de Elvis Presley

6 respostas em “Os Beatles e Elvis Presley

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s