Onze anos sem George Harrison – Homenagem ao “Quiet Beatle”!

Em 29 de novembro de 2001 o mundo perdia George Harrison, o lendário guitarrista dos Beatles, que fazia a guitarra chorar, como diz sua canção mais famosa.

Como forma de homenageá-lo, segue um texto  sobre o Guitarrista que ele foi, e suas primeiras guitarras.

O Guitarrista

É justo dizer que George Harrison não foi o guitarrista lider dos Beatles simplesmente por acaso, mas sim pelo seu talento e tenacidade, e foi com isso que ele conquistou seu lugar dentro da banda.

Harrison tinha uma aparência engraçada, era um menino muito magro, a quem Paul McCartney costumava encontrar no ônibus indo para a escola.

Ele tinha um fraco por roupas coloridas e, acima de tudo, um amor por violão, que ele compartilhava com o amigo McCartney, um pouco mais velho que ele. Em 1958, com nada mais significativo em seu currículo que um show no Clube da Legião Britânica com seu irmão Peter e um casal de colegas, o jovem de 15 anos começou a sentar-se na companhia de um grupo em que McCartney havia acabado de se juntar – The Quarry Men – ele preenchia o quadro quando um ou outro dos guitarristas do grupo não aparecia. Em pouco tempo, já bem afinado depois de praticar arduamente e dedicar-se com afinco aos sucessos americanos de Rhythm & Blue, Country e Western, ele ganhou posição permanente como membro da banda.

Durante um período de pouco trabalho em 1959, Harrison tocou com o Quarteto “Les Stewart”, mas em agosto ele estava de volta com os Beatles para abrir o Casbah Club, e após cada show, o grupo ia tocar lá.

No decorrer daquela jornada George passou do uso de sua primeira guitarra, que havia sido confeccionada em casa, para uma que ele tinha somente sonhado em possuir, que foi a sua ’57 Les Paul da Guitarras Gibson.

Com uma carreira solo povoada tanto por muito sucesso no mundo todo como por grandes perdas, Harrison ganhou o respeito de fãs, músicos e críticos com sua paleta única de humor único, devoção, ironia e habilidade. “Eu acredito que eu amo a minha guitarra mais do que os outros amam as suas”, disse uma vez Harrison à Beatles Monthly. “Para John e Paul, escrever canções é muito importante e tocar guitarra é um meio para finalizá-las. Enquanto eles estavam compondo novas músicas eu podia me divertir completamente apenas dedilhando ali por perto com meu violão a noite inteira. Sou fascinado por novos sons que eu possa obter de diferentes instrumentos que eu experimentar. Não estou certo de que isso me faça particularmente um músico. Apenas me chamem de fanático por uma guitarra e eu ficarei satisfeito.”

As Guitarras

Qual teria sido a primeira guitarra de Harrison? De acordo com Paul McCartney em uma entrevista (Bacon interview) foi mesmo um caso de faça você mesmo. “Começamos a conversar no ônibus e ele tinha interesse em guitarras e em música, assim como eu. Resultou que ele ia tentar fazer uma guitarra, e faria o corpinho sólido estilo havaiano, que era tipo um bom jeito para começar. Você não tinha que entrar no corpo oco nem nada, o que foi muito difícil. E ele fez isso, e nós nos tornamos bons amigos. Ele fez aquela coisa havaiana e não era ruim, uma ação verdadeiramente difícil, eu diria. ” Não há registro de que esta guitarra ainda exista”.

1956: Egmond steel-strung Spanish style (sunburst, vintage unknown):

Harrison comprou esta “Guitarra de Principiante,” fabricada na Holanda por Egmond e distribuída pela Rosetti, do colega de escola Raymond Hughes, por 3 £ (libras), dinheiro que ele recebeu de sua mãe. Em outra conta, seu pai pagou por ela o preço de £2.50. O anúncio desta guitarra dizia ser “o modelo mais barato da série”, por 4 libras, sete shillings e seis pences. Enquanto estava tentando acertar a negociação, o rapaz acidentalmente retirou o pescoço do corpo da guitarra, mas após algumas semanas guardada no armário, a Egmond foi resgatada pelo colega de guitarra Peter Harrison, que emendou o instrumento de seu irmão. Harrison fez sua estréia no show business com esta guitarra no ano seguinte, no Speke British Legion Club, onde “The Rebels”, um grupo de skiffle formado pelos Harrisons e três companheiros, tocaram em seu primeiro e único show. A guitarra – exceto a parte da cabeça – foi leiloada em Londres durante os anos 80, e graças a seu anônimo proprietário britânico, foi emprestada para o Rock and Roll Hall of Fame em Cleveland, de 1995 a 2002.

Em 2003 esta pequena Egmond – agora valendo cerca de US$ 800 mil – foi para uma exposição no Museu dos Beatles em Liverpool.

A Egmond exposta no Museu dos Beatles em Liverpool

1958: Hofner President f-hole acoustic (vintage unknown):

Num enorme salto desde seu primeiro instrumento e com uma pequena ajuda de sua mãe, Harrison comprou este simpático Hofner, um top de linha, single-cutaway “estilo cello “, um modelo com um acabamento “sunburst” e um “tailpiece” para compensar, por £ 30. Ele tocou com o Hofner President até trocá-lo no ano seguinte por um Hofner Club 40, com um membro do Swinging Blue Jeans.

Boas vibrações: Antes de montar um pequeno captador, Harrison obteve volume extra tocando esta guitarra com sua cabeça contra um guarda-roupa.

1959: Hofner Club 40 model 244 (vintage unknown)

The Faces celebrate their Star Club award: George’s Club 40?

1959: Resonet Futurama

1959:  Resonet Futurama

FONTE: As Guitarras de George Harrison

Anúncios

Uma resposta em “Onze anos sem George Harrison – Homenagem ao “Quiet Beatle”!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s