Relíquias históricas do acervo de Antonio Aguillar

Este mês de janeiro a cidade de São Paulo aniversaria, são 459 anos de existência, e sempre é bom publicar fatos que fazem parte da história, como estes textos e fotos que recebi hoje, enviados a mim por E.mail pelo radialista, jornalista e apresentador Antonio Aguillar! As fotos foram tiradas por ele na ocasião dos 400 anos da cidade de São Paulo em 1954.

“Sempre que encontro algo de interessante mando para você. Achei essas também. O mastro é no Pateo do Colégio onde nasceu a cidade de S.Paulo em 25 de janeiro. Devo expor nas dependências do Mercado Municipal de S.Paulo, que estará aniversariando também. Vai ser uma grande festa. Depois passo os detalhes. Eu falando foi em 1954, por ocasião do 4o. centenário de S.Paulo, quando ainda era reporter fotográfico do jornal O Estado de S.Paulo, e queria ser radialista, porisso treinava num gravador do tamanho de um “bonde” zrzrzr
(Por Antonio Aguillar, em 10 de janeiro de 2013)

Mastro no Pateo do Colégio onde nasceu a cidade de S.Paulo em 25 de janeiro.

Mastro no Pateo do Colégio onde nasceu a cidade de S.Paulo em 25 de janeiro.

São Paulo dos anos 50

São Paulo dos anos 50

Aguillar em 1954, por ocasião do 4o. centenário da cidade de São Paulo

Aguillar em 1954, por ocasião do 4o. centenário da cidade de São Paulo

“As fotos a seguir são do Mercado Municipal, onde você além de adquirir produtos de primeira qualidade, come o famoso sanduiche de mortadela e o pastel de camarão.

Mercado Municipal de São Paulo Foto: Antonio Aguillar para o Jornal O Estadão

Mercado Municipal de São Paulo
Foto: Antonio Aguillar para o Jornal O Estadão

Vale do Anhangabau em 1954, quando a Câmara Municipal ainda não existia e no local era estacionamento de automóveis, cujo local era chamado de cemitério dos automoveis e vemos à esquerda o famoso Teatro de Aluminio, construído naquele local central da cidade. Quem dirigia esse Teatro era a atriz Nicete Bruno, por ocasião em que se casou com o Paulo Goulart.

Vale do Anhangabaú / SP Foto: Antonio Aguillar para o Jornal O Estadão

Vale do Anhangabaú / SP “Esta imagem é de um terreno baldio, onde havia um estacionamento de automóveis denominado Cemitério dos Automóveis – Rua Jaceguai em direção ao Vale do Anhangabaú – 1954. Depois no local foi construído o majestoso prédio da Camara Municipal de São. Paulo. A cidade se transforma e a gente nem percebe. Bons tempos. A esquerda da foto é a Rua Sto Antônio, onde existia a sede da Associação Cristã de Moços. Ao fundo o Viaduto do Chá e lateralmente os Edifícios existentes até os dias de hoje.” (Antônio Aguillar, repórter fotográfico do jornal O Estado de S.Paulo de 1950 a 1960)

Esta outra é a Avenida São João na altura do largo do Paissandu, em frente ao Cine Paissandu em direção ao centro. Naquela época existiam os bondes e eles passavam pela Av. São João (observe os trilhos onde o rapaz passa com sua bicicleta).
Essas fotos tirei para o jornal o Estadão.” (Antonio Aguillar em 10 de janeiro de 2013)

Avenida São João em 1954 Foto: Antonio Aguillar, para o Jornal O Estadão

Avenida São João em 1954
Foto: Antonio Aguillar, para o Jornal O Estadão “Em 1954 por ocasião do 4o. Centenário de São Paulo Aguillar fotografou a Av São João para o jornal O Estado de S.Paulo. Veja como ela era desde o Largo do Paisandu em direção ao centro onde se vê um ciclista trafegando tranquilamente no meio dos carros e havia a linha de bonde no asfalto. Ao fundo os prédios do Banco do Brasil, Banco do Esgtado e o Martinelli. A Armour também pode ser vista à esquerda. São Paulo ainda era uma cidade da garoa.” (Antonio Aguillar)

São Paulo é considerada a maior cidade do Brasil e não tem tido muito motivo para comemorar. Há 461 anos (25/01/2015) chegavam os primeiros padres jesuítas que fundaram um colégio no alto da colina na então povoação de São Paulo de Piratininga em 1554 (vejam nesta imagem retratada pelo A. Aguillar a demolição da Igreja de Anchieta no Pátio do Colégio. Desde então a cidade nunca mais parou de crescer. É considerada o maior centro financeiro da América do Sul, a mais populosa do Brasil e dona de um dos PIBs mais altos do mundo. Principal destino de negócios do Brasil, São Paulo é a cidade que mais recebe turistas no Pais e também o maior emissor de visitantes para outros estados. Mais da metade (56,7%) dos estrangeiros estiveram aqui para eventos, convenções e compromissos de trabalho, de acordo com estudo do Ministério do Turismo. São Paulo também é a cidade com a maior capacidade hoteleira do Brasil. Segundo o Observatório de Turismo de São Paulo (SPTuris) são cerca de 42 mil apartamentos disponíveis, além de 62 hotéis com capacidade de receber 2.200 pessoas. A capacidade gastronômica é outro destaque da cidade, onde há 1'5 mil restaurantes e 20 mil bares, segundo a SPTuris - e 52 tipos diferentes de culinárias além de 4.500 pizzarias. (Por Antonio Aguillar)

São Paulo é considerada a maior cidade do Brasil e não tem tido muito motivo para comemorar. Há 461 anos (25/01/2015) chegavam os primeiros padres jesuítas que fundaram um colégio no alto da colina na então povoação de São Paulo de Piratininga em 1554 (vejam nesta imagem retratada pelo A. Aguillar a demolição da Igreja de Anchieta no Pátio do Colégio.
Desde então a cidade nunca mais parou de crescer. É considerada o maior centro financeiro da América do Sul, a mais populosa do Brasil e dona de um dos PIBs mais altos do mundo.
Principal destino de negócios do Brasil, São Paulo é a cidade que mais recebe turistas no Pais e também o maior emissor de visitantes para outros estados. Mais da metade (56,7%) dos estrangeiros estiveram aqui para eventos, convenções e compromissos de trabalho, de acordo com estudo do Ministério do Turismo.
São Paulo também é a cidade com a maior capacidade hoteleira do Brasil. Segundo o Observatório de Turismo de São Paulo (SPTuris) são cerca de 42 mil apartamentos disponíveis, além de 62 hotéis com capacidade de receber 2.200 pessoas.
A capacidade gastronômica é outro destaque da cidade, onde há 1’5 mil restaurantes e 20 mil bares, segundo a SPTuris – e 52 tipos diferentes de culinárias além de 4.500 pizzarias. (Por Antonio Aguillar)

"Fotografei o Edifício Sta Helena, em 1954 cujo projeto foi do escritório do Engo. Ramos de Azevedo. Foi demolido para dar lugar ao Metrô Sé e ampliar a Praça da Sé logo ao lado da Catedral Metropolitana. Nele funcionava o Cine Sta Helena e o Cine Mundi que era mais popular. A Prefeitura tinha suas instalações nesse prédio e depois mudou para o Ibirapuera. Uma pena a demolição de um edifício histórico que marcou muito a cidade de S.Paulo." (Antonio Aguillar)

“Fotografei o Edifício Sta Helena, em 1954 cujo projeto foi do escritório do Engo. Ramos de Azevedo. Foi demolido para dar lugar ao Metrô Sé e ampliar a Praça da Sé logo ao lado da Catedral Metropolitana. Nele funcionava o Cine Sta Helena e o Cine Mundi que era mais popular. A Prefeitura tinha suas instalações nesse prédio e depois mudou para o Ibirapuera. Uma pena a demolição de um edifício histórico que marcou muito a cidade de S.Paulo.” (Antonio Aguillar)

Aguillar teve algumas de suas fotos publicadas no livro “Paulistânia Eleitoral Ensaios, Memórias, Imagens”, organizado por José D`Amico Bauab e lançado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, por ocasião dos 80 anos de criação da Justiça Eleitoral Brasileira, como estas a seguir, extraídas das páginas 242 e 243 do livro:

Aguillar com o  Governador Laudo Natel, prefeito Faria Lima e prefeito Olavo Setúbal

Aguillar com o Governador Laudo Natel, prefeito Faria Lima e prefeito Olavo Setúbal

Aguillar gravando declaração de Carvalho Pinto

Aguillar gravando declaração de Carvalho Pinto. Jânio Quadros é entrevistado pelo repórter Newton Carlos em 1954, quando foi eleito Governador.

Isso é a nossa história! E eu agradeço a você, Antonio Aguillar, por contá-la pra gente de maneira tão simples e natural!

4 respostas em “Relíquias históricas do acervo de Antonio Aguillar

  1. Antonio Aguillar é uma das principais figuras da 2ª metade do séc.XX, até hoje, jan-2016. Criminosamente, a “grande mídia”, não lhe dá mais espaço, para este grande homem, que além de extraordinário repórter fotográfico das décadas de 50 e 60,, lançou, em São Paulo, o famoso cantor Roberto Carlos. Quando ele veio no seu programa “Reino da Juventude” em 1962, cantava músicas lentas. O Aguillar lhe aconselhou a partir para o rock, que ele seria sucesso nacional. Ele, ouviu-o, e deu no que deu. Só que ninguém divulga isso. Sacanagem !!

  2. Antonio Aguillar foi uma das maiores personalidades artísticas da 2ª metade do século XX, no Brasil. Tirou centenas de belas fotos da cidade e do estado, publicadas no Jornal Estadão, e, de quebra,lançou o Roberto Carlos em São Paulo. Infelizmente.ou criminosamente, a GRANDE MÍDIA não divulga isso. Sacanagem !!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s