Os artistas pop espanhóis preferem Lennon!

Em agosto de 2012, por ocasião dos 50 anos dos Beatles, a banda que mudou o mundo, o Jornal El Pais publicou os comentários de mais de uma dezena de músicos que elegeram sua canção favorita dos Beatles!

1476

Havia uma curiosidade de se saber com quem mais se identificam os músicos espanhóis, se com a lenda de Lennon ou com a eficácia pop de McCartney. Ou se haveria espaço para uma terceira opção chamada George Harrison. Não são todos, mas pelo resultado da contagem, o mundo da música, e principalmente os artistas independentes, em maioria esmagadora, são a favor de Lennon.

Vou manter o texto original publicado no jornal El Pais, com a equivalente tradução feita por mim, para que fique o registro do original.

Estas são algumas das canções favoritas dos artistas espanhóis.

El pop español prefiere a Lennon

Más de una decena de músicos eligen su canción favorita de los Beatles

El morbo esta servido. ¿Con qué se quedan los músicos españoles? ¿La leyenda de Lennon o la efectividad pop de McCartney? ¿Hay hueco para esa tercera vía llamada George Harrison? No están todos los que son, pero visto el recuento, el mundo de la música, y especialmente el indie es apabullantemente pro-Lennon.

Estás son algunas de las canciones favoritas de los artistas españoles.

Isa Cea (Triángulo de amor bizarro) – Back in the U.S.R.R. Mi favorita es Back in the U.S.S.R. ya que se puede bailar, me recuerda a Chuck Berry en la estrofa y a los Beach Boys en el estribillo y escandalizó un poco a la ultraderecha.

O povo espanhol prefere Lennon

Em agosto de 2012, por ocasião dos 50 anos dos Beatles, a banda que mudou o mundo, o Jornal El Pais publicou os comentários de mais de uma dezena de músicos que elegeram sua canção favorita dos Beatles!

Havia uma curiosidade de se saber com quem mais se identificam os músicos espanhóis, se com a lenda de Lennon ou com a eficácia pop de McCartney. Ou se haveria espaço para uma terceira opção chamada George Harrison. Não são todos, mas pelo resultado da contagem, o mundo da música, e principalmente os artistas independentes, em maioria esmagadora, são a favor de Lennon.

Vou manter o texto original publicado no jornal El Pais, com a equivalente tradução feita por mim, para que fique o registro do original.

Estas são algumas das canções favoritas dos artistas espanhóis.

Estás son algunas de las canciones favoritas de los artistas españoles.

Isa Cea (Triángulo de amor bizarro) – Back in the U.S.R.R. Mi favorita es Back in the U.S.S.R. ya que se puede bailar, me recuerda a Chuck Berry en la estrofa y a los Beach Boys en el estribillo y escandalizó un poco a la ultraderecha.

Isa Cea (Triângulo de Amor Bizarro) – Back in the U.S.S.R.
Minha favorita é Back in the U.S.S.R., já que se pode dançar, me lembra Chuck Berry na letra e os Beach Boys no estribilho, e escandalizou um pouco a extrema direita.”

Pau Roca (La habitación roja) – Tomorrow never knows. Para cualquier fan de los Beatles (o sea, fan de la música) resulta imposible elegir una sola canción de los Beatles, pero allá voy. Elijo Tomorrow never knows porque demuestra una de las cosas más alucinantes de los Beatles, su enorme evolución musical y personal en muy poco tiempo. Cuesta creer que grabaran esta canción justo dos años después de A hard day’s night. Tomorrow never knows abre muchas puertas, es una canción que no cambia de acorde, basada en un enorme ritmo de batería que daría pie a todo un estilo de canción, con una voz flotando, pasada por un Leslie, doblada y muy influenciada por sus viajes a la India, y ahora leo que es la primera en la historia en usarse un Flanger. Y encima es un temazo. Muchas veces innovación riñe con la calidad musical, en los Beatles, no.

Pau Roca (La habitación roja) – Tomorrow Never Knows.
“Para qualquer fã dos Beatles (ou seja, fã da música) é impossível eleger apenas uma canção dos Beatles, mas vamos lá. Escolho Tomorrow Never Knows por que demonstra uma das coisas mais alucinantes dos Beatles, sua enorme evolução musical e pessoal em muito pouco tempo. Custa crer que gravaram esta canção justamente dois anos depois de A Hard Day`s Night. Tomorrow Never Knows abre muitas portas, é uma canção que não muda de acorde, baseada em umenorme ritmo de bateria que daria suporte a todo um estilo de canção, com uma voz à tona, passada por um “Leslie”, dobrada e muito influenciada pelas viagens deles à India, e agora soube que é a primeira na história em que usaram um Flanger. E em cima disso tem um grande tema. Muitas vezes a inovação não combina com a qualidade musical, mas com os Beatles isso não acontece.

Antonio Luque (Sr. Chinarro) – Strawberry fields forever. Una antigua novia se ponía tierna con Yesterday porque le recordaba a un antiguo novio que ella tuvo (novio/a y antiguo/a son dos palabras que encierran ideas molestas). El hermano de un colega sabía arpegiar perfectamente Across the Universe cuando yo ponía a duras penas el acorde de Mi mayor. Por estas dos razones no me gustan los Beatles, creo, pero cada vez que escucho Strawberry Fields Forever me dan ganas de meter un teclista en mi grupo -esa entelequia- e incluso de tocar el órgano yo. Todos los músicos me dicen que alucinaré cuando descubra bien la obra de los Beatles; es por eso que me reservo el gusto para cuando me considere del todo un carroza incapaz de sorprenderme con lo nuevo. Prefiero con mucho a Tame Impala, es decir, el mensaje actualizado. ¿Por qué no comportarse siempre como un mero usuario de software?

Antonio Luque (Sr. Chinarro) – Strawberry fields forever.
Uma noiva antiga tornava-se terna com Yesterday por que lhe recordava um antigo noivo que ela teve (noivo/a e antigo/a são duas palavras que contém idéias problemáticas). O irmão de um colega sabia arpejar perfeitamente Across the Universe quando eu colocava a duras penas o acorde de Mi maior. Por estas duas razões não gosto dos Beatles, creio, mas cada vez que escuto Strawberry Fields Forever me dá muita vontade de colocar um tecladista em meu grupo – Isso é uma fantasia – e me incluo ao tocar órgão. Todos os músicos me dizem que ficaram alucinados quando descobriram bem a obra dos Beatles; é por isso que me reservo o gosto para quando considero a obra toda incapaz de me surpreender com o novo. Prefiro mais a Tame Impala, melhor dizendo, a mensagem atualizada. Por que não se comportar sempre como um mero usuário de software?

Jordi Navarro (Cyan) – Here comes the sun. De pequeño, cuando simplemente escuchaba música de manera ociosa, tenía en la mente dos caras en esta banda, Paul McCartney y John Lennon. Mi sorpresa al crecer e interesarme más en serio por ellos fue descubrir que muchos de los temas que más me emocionaban eran canciones de un tipo semidesconocido para mí (yo era pequeño e ignorante) llamado George Harrison. Parece ser que en 1969 el señor Harrison pasó una muy mala etapa personal y decidió pasar unos días en casa de su buen amigo Eric Clapton. Allí dicen que empezó a salir de ese agujero en el que estaba metido y el resultado de esa desconexión fue una canción titulada Here comes the sun. Es un tema que he escuchado miles de veces a lo largo de mi vida y siempre me remueve algo por dentro. No tengo dudas de que ese retiro junto a su colega fue un punto y a parte ya que el resultado musical es esta canción positiva, con un riff de guitarra sublime, unos arreglos preciosos, en los que hay cabida hasta para el uso de sintetizadores, y una letra que claramente indica que quería dejar atrás los malos rollos. Here comes the sun es lo que yo catalogaría como TEMAZO.

Jordi Navarro (Cyan) – Here comes the sun.
“Quando era pequeno, quando apenas escutava música de maneira ociosa, tinha em mente dois caras nesta banda, Paul McCartney e John Lennon. Minha surpresa ao crescer e me interessar seriamente por eles foi descobrir que muitos dos temas que mais me emocionavam eram canções de um tipo meio desconhecido pra mim (eu era pequeno e ignorante) chamado George Harrison. Parece que em 1969 o senhor Harrison passou por uma fase pessoal muito ruim e decidiu passar uns dias na casa de seu bom amigo Eric Clapton. Alí dizem que ele pensou em sair deste buraco em que estava metido e o resultado dessa desconexão foi uma canção entitulada Here Comes The Sun. É um tema que tenho escutado milhares de vezes ao longo de minha vida e sempre me remexe algo por dentro. Não tenho dúvidas de que esse retiro junto com seu colega foi um ponto à parte já que o resultado musical é esta canção positiva, com um riff de guitarra sublime, alguns belos arranjos, em que há espaço para até mesmo o uso de sintetizadores, e uma letra que indica claramente que ele queria deixar para trás os sentimentos ruins. Here Comes the Sun é o que eu classificaria como uma grande canção.

Second – Dear Prudence. Prudence Farrow debió sentirse muy afortunada al escuchar a John y Paul cantando esta preciosa canción bajo la ventana de su Bungalow en la India. Es una letra muy optimista que invita a salir y jugar. Me gusta el concepto de ayuda desinteresada a una persona que quieres y que se encuentra inmovilizada; qué mejor manera que con una buena melodía. Es curioso porque descubrí esta canción gracias a Robert Smith, por la versión que grabó con Siouxsie and the Banshees en 1983. El vínculo que necesitaba entre The Cure (Robert Smith) y The Beatles (John Lennon).

Segunda – Dear Prudence
Prudence Farrow deve ter se sentido muito afortunada ao escutar John e Paul cantando esta preciosa canção debaixo da janela de seu quarto na India. É uma letra muito otimista que convida a sair e brincar. Me agrada o conceito de ajuda desinteressada a um pessoa que se quer bem e que se encontra isolada; qual a melhor maneira senão com uma bela melodia? É curioso por que descobri esta canção graças a Robert Smith, pela versão que gravou com Siouxsie and the Banshees em 1983. É o vínculo que necessitava entre The Cure (Robert Smith) e os Beatles (John Lennon).

The Noises – Revolution. Musicalmente nos encanta por lo punzantes que pueden llegar a ser las guitarras, pero sobre todo elegimos esta canción por su letra, ya que marcó un antes y un después en los Beatles. Por primera vez hablan abiertamente de política. El mensaje es increíblemente actual y asombrosamente sutil porque Lennon no pide una revolución en masa y a lo grande, sino, más bien, una revolución en el interior de cada persona. Quizá ésta sea la solución para los problemas tan profundos que está sufriendo el capitalismo. La verdadera revolución comienza con una revuelta en uno mismo, en la forma de vivir. Al final “it is gonna be alright” y con mucho ruido.

The Noises – Revolution.
Musicalmente nós nos encantamos com o pulsante som que podem atingir as guitarras, mas principalmente escolhemos esta canção pela sua letra, já que marcou o antes e o depois dos Beatles. Pela primeira vez falam abertametne em política. A mensagem é incrivelmente atual e assombrosamente sutil por que Lennon não pede uma revolução em massa, mas sim uma revolução no interior de cada pessoa. Quem sabe esta não seria a solução para os problemas tão profundos que está passando o Capitalismo. A verdadeira revolução começa com uma revolta dentro de si próprio, na forma de viver. No final “it is gonna be alright” e com muito barulho.

Xoel López – A day in the life. Yo descubrí a los Beatles en casa de mis padres. Ellos tenían el “Disco Rojo”, el de la primera etapa, que me apasionaba. Unos años después un amigo me prestó el “Disco azul” y reconozco que me gustó menos en un principio porque me parecía más serio, menos asequible para un niño de mi edad. El caso es que finalmente me enganché a la canción Lucy in the sky with diamonds porque tenía un estribillo muy pop que sí me atrapaba pero cada vez que se pasaba la aguja del tocadiscos y sonaba, la siguiente, A day in the life, sentía escalofríos. Era una canción que me daba casi miedo. Esa parte tenebrosa, la de Lennon, era un verdadero misterio para mí y probablemente fue precisamente eso lo que hizo que terminara por engancharme a ella. Hoy en día es una canción que me sigue emocionando y aún me hace estremecer cuando la escucho.

Xoel López – A day in the life.
Descobri os Beatles na casa de meus pais. Eles tinham o “Disco Vermelho”, aquele da primeira fase, que me apaixonava. Alguns anos depois um amigo me emprestou o “Disco Azul” e reconheço que gostei menos a princípio por que me parecia mais sério, menos acessível para um menino da minha idade. O caso é que finalmente me interessei pela canção Lucy in the Sky with Diamonds por que tinha um estribilho muito popular que me pegava mas cada vez que a agulha do toca-discos mudava para a música seguinte, A Day in the Life, eu sentia calafrios. Era uma canção que me dava quase medo. Essa parte tenebrosa, a de Lennon, era um verdadeiro mistério para mim e provavelmente foi exatamente isso o que fez com que eu me afeiçoasse a ela. Hoje em dia é uma canção que me acompanha emocionalmente e ainda me faz estremecer quando a escuto.

Magnética – A day in the life. Es increíble la sensibilidad con la que Lennon y McCartney consiguen empastar dos composiciones totalmente opuestas. Mientras Lennon se recrea en una melodía y ambientes que hacen que dejes volar la imaginación, McCartney te hace bajar a la tierra con el buen gusto típico de un gentleman inglés, para acabar fusionándose en un in crescendo que camina sobre la delgada línea de la locura y la psicodelia. A todo esto, además, hay que sumarle las cuerdas de una orquesta adicional para acabe siendo ¡una obra maestra!

Magnética – A day in the life.
É incrível a sensibilidade com a qual Lennon e McCartney conseguem colar duas composições totalmente opostas. Enquanto Lennon se recria em uma melodia e ambientes que fazem com que você deixe voar a imaginação, McCartney te faz descer à terra com o bom gosto típico de um cavalheiro inglês, para acabar fundindo-se em um crescendo que caminha sobre a fina linha da loucura e da psicodelia. A tudo isso, também, temos que somar as cordas de uma orquestra adicional que acaba sendo uma obra magistral!

Nacho Casado (La familia del árbol) – Because. Mi vida musical va ligada a los Beatles. Con ellos he crecido, y sí, he aprendido. En mi caso es algo casi patológico ya que he dedicado mucho tiempo en escucharlos, leerlos, verlos y devorar cualquier cosa que tenga su sello. Recuerdo un viaje que hicimos Pilar y yo a Liverpool con guía incluido donde visitamos sus casas, sus colegios, sus bares… Lo bueno de esto es que he descubierto muchísima música a través de ellos: rock´n´roll, folk, soul, music-hall, swing, psicodelia… He pasado épocas muy Lennon, McCartney o Harrison. Lo mejor es que su música posee esa magia que solo tienen muy pocos, está intacta como el primer día, es moderna (Tomorrow never Knows), emotiva (In my life ó Blackbird), directa (Helter Skelter), lisergica (I am the walrus), que sé yo… Para este especial voy a escoger algo diferente a los típicos éxitos. Me parece una canción enorme: Because por sus armonías, su melodía. ¡Masterpiece!

Nacho Casado (La familia del árbol) – Because.
Minha vida musical segue ligada aos Beatles. Com eles eu cresci, e sim, tenho aprendido. No meu caso é algo quase patológico já que tenho me dedicado muito tempo em escutá-los, ler sobre eles, assisti-los e devorar qualquer coisa que tenha o seu selo. Recordo-me de uma viagem que fizemos, Pilar e eu a Liverpool com um guia incluído, onde visitamos suas casas, seus colégios, seus bares… O bom disso é que descobrimos muitas músicas através deles: rock´n´roll, folk, soul, music-hall, swing, psicodelia…
Já se passaram muitas épocas desde Lennon, McCartney ou Harrison. Mas o melhor é que sua música tem essa magia que somente têm muito poucos, está intacta como no primeiro dia, é moderna (Tomorrow Never Knows), emotiva (In My Life ou Blackbird), direta (Helter Skelter), lisérgica (I am the walrus), que sei que eu… Para este especial vou escolher algo diferente aos sucessos típicos. Me parece uma canção enorme: Because, pelas suas harmonias, sua melodia. Obra-prima!

Argentina – Across the universe. Yo escuché ese tema viendo una película. Son grandes y lo seguirán siendo aunque cada uno hiciera su vida y nunca pudieran volver a juntarse. Es una música de calidad que hoy en día echamos de menos.

Argentina – Across the Universe.
Eu escutei esse tema assistindo a um filme. São grandes e seguiram sendo, ainda que cada um deles fizeram sua vida e nunca puderam voltar a juntar-se. É uma música de qualidade que hoje em dia não encontramos mais.

Shuarma – Across the universe. Mantiene perfectamente la esencia de una canción pop y abre la puerta a mezclarse con músicas nuevas como puede ser la hindú creando un perfecto puente. Y además porque me la ponían mucho de pequeñito y lo de Jay guru day va om me parecía súper misterioso.

Shuarma – Across the universe.

Mantem perfeitamente a essência de uma canção pop e abre a porta a mesclar-se com músicas novas como pode ser a música indiana, criando uma perfeita ponte. E além disso por que me faziam escutá-la muito quando eu era pequeno e a frase Jay guru Day va om me parecia super misteriosa.

Fonte: Jornal El País

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s