Uma entrevista com Luís Vagner Lopes, o Guitarreiro

Assim como muitos músicos e grupos musicais dos anos 60, Luís Vagner Dutra Lopes também descobriu o Rock ao assistir o filme “Ao balanço das horas” (Rock Around the Clock), exibido no Brasil em 1956, estrelado por Bill Halley e seus Cometas e The Platters, entre outros.

Luis Vagner nasceu em Bagé e em 1963 mudou-se com a família para Porto Alegre e lá formou um conjunto com mais quatro companheiros, que recebeu o nome de The Jetsons.

Luis Vagner Guitarreiro

O grupo acompanhava alguns cantores que por lá se apresentavam e em 1966, “The Jetsons” e Luís Vagner se mudaram para São Paulo, mudando o nome para “Os Brasas”, com a seguinte formação:
_ Luís Vagner (vocal e guitarra)
_ Anyres Rodrigues (guitarra)
_ Franco Scornavacca (baixo)
_ Eddy (bateria).

Da formação original dos Jetsons ficaram apenas Edson da Rosa e Luís Vagner, contando com mais dois integrantes: Anires Marcos e Franco Scornovacca .

A banda trabalhava um repertório próprio, tendo Luís Vagner e Tom Gomes (seu mais constante parceiro nessa época) como principais compositores. Nesse período, o cantor e compositor carioca Demétrius, que havia feito grande sucesso com a canção “Ritmos da Chuva”, gravou a canção “Magoei seu coração”, composta por Luis Vagner, e este foi o primeiro registro em disco de uma música sua.
Em 1968 Os Brasas gravaram seu único disco com composições próprias e neste mesmo ano, o cantor Ronnie Von gravou a música Sílvia, 20 horas domingo, de autoria de Luís Vagner e Tom Gomes.
Em 1966, já em São Paulo, gravaram seu primeiro registro, que foi um compacto com as músicas “Vivo a Sofrer / Lutamos para Viver” já com o nome de “Os Brasas”. Durante esse período participaram de programas de televisão, além de terem integrado a Banda Jovem do Maestro Peruzzi.

Em 1968 lançaram seu único LP.

Tiveram seu fim no ano de 1969, um ano após o lançamento do disco, quando a popularidade da Jovem Guarda já estava em baixa.
Em 1969, com o fim dos Brasas, Luís Vagner começou então a trabalhar em estúdios como músico e produtor.
Em 1971, participou do disco Vida e Obra de Johnny McCartney, do cantor, compositor e guitarrista potiguar, Leno Azevedo, disco que viria a ser o primeiro gravado em 8 canais no Brasil.

Nesta entrevista concedida ao músico Raul de Barros, o Tremendão, ele fala de sua composição “Eu quero um amor do Espírito Santo” (Oxalá povo capixaba), que fez em 1969, quando esteve em Vitória no Espírito Santo, conheceu o bairro de Camburi e se apaixonou tanto pelo lugar, que fez a música declarando seu amor pela terra capixaba.

Segue a entrevista, em três partes:

Festa de Arromba – Entrevista com Luis Vagner – Parte 1
Durante o Programa Festa de Arromba, do Raul, ele fala de como se tornou músico, e entre outras coisas,conta sobre o conjunto Os Jetsons que se tornaram Os Brasas e de sua música “Fusão das Raças”.

Festa de Arromba – Entrevista com Luis Vagner – Parte 2
De como participou da Jovem Guarda e o relacionamento com outros cantores da Jovem Guarda, como a dupla Deny e Dino, Ronnie Von e Demétrius, que foi o primeiro cantor a gravar uma música dele…

Luis Vagenr 2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s