“Uma Conversa de Bar”, ainda sobre The Jet Black`s!

Recentemente o músico Raul de Barros esteve visitando um dos únicos músicos remanescentes dos autênticos Jet Black’s no Estado da Califórnia, que é Sérgio “Canhoto” Vigilato, e recebeu de presente do amigo uma camiseta, tornando-o um autêntico membro dos Jet Black`s!

Raul de Barros com camiseta do The Jet BlacksA camiseta chamou atenção pela beleza e autenticidade, surgindo comentários dos amigos num bate papo informal, porém com informações preciosas para quem gosta de pesquisar, e eu não poderia deixar de registrar aqui, pois trata-se da história do Rock no Brasil!

Eduardo Reis, autor do livro The Jet Black`s, também mostrou a sua…
Edu Reis com a camiseta do CanhotoWaldemar Botelho Jr, o Foguinho, disse: ANTES DO SERGINHO, O BASE ERA O ORESTES, QUE ESTÁ VIVO E APOSENTADO COMO ADVOGADO; EU E O EDU TOMAMOS CAFÉ COM ELE E BATEMOS UM BOM PAPO UM TEMPO ATRÁS E TAMBÉM FIZEMOS UM ENSAIO PRA MATAR SAUDADES DOS BONS TEMPOS E LEVEI ATÉ O NESTICO NESSA.

Eduardo Reis disse: Epa esta também tenho… Olha eu ai ao lado do Foguinho no Caricas Bar. Alias o Dr. Orestes está bem vivo e saudável e o Nestico quase, mas ainda respira. Ou seja o Serginho não é o único vivo das primeiras formações…

Edu Reis e FoguinhoRaul DE Barros: Waldemar Botelho Jr Foguinho, Eduardo Reis, só quem conhece o Orestes são os músicos, popularmente o Canhoto se destacou. Vocês têm certeza de que não estavam no Céu tomando esse cafezinho com o Orestes? Tinha nuvens em volta? Nestico praticamente participava nas gravações do conjunto, apareceu mais no RC7 (pim pam pum, 1 2 3 to fora) palavras dele ao se despedir do Roberto, em seguida foi lavar o piano de sua irmã no quintal de sua casa.10 de julho às 07:57

Eduardo Reis Epa, não esqueça que na gravação de destaque do Ronnie Cord, Rua Augusta, o sax de Nestico se faz notar com toda a força nas duas faixas. Este foi um dos maiores sucessos de Ronnie Cord. Em Roberto Carlos em ritmo de aventura, a abertura do filme foi produzida pelo Nestico, os acordes na música “Eu sou Terrível” mostram a fantástica competência musical deste grande músico. O Nestico foi convidado em 1980 pelo Peter Wooley (contrabaixista) para formar o Syncro Jazz e ai andaram tocando por vários barzinhos.10 de julho às 08:03

Raul DE Barros: É como falei acima, Nestico tem seu mérito, toca muito mas nos Jet Black`s pouco se destacou, apareceu mais em gravações, talvez voce desconheça as gravações que ele fez com Eduardo Araujo, eu estava perto e vi tudo.10 de julho às 08:07

Luis Vagner Lopes: conversa de gente grande, saudade!!!10 de julho às 11:41

Luiz Antonio Silveira: Ninguém falou do José Paulo, e então? Eu acompanhei o trajeto dos Jet Black`s até outro dia. Estava bem perto deles quando entrou o “Alemão ” ainda na Jovem Guarda, e depois quando saiu o Gato e entrou Emilio.10 de julho às 13:19

Raul DE Barros: O Zé Paulo já faleceu10 de julho às 13:26

Luiz Antonio Silveira: Que pena, claro que já imaginava. Inclusive vi que o Alemão que foi amigo meu (ex Dangers) também já foi, né? Abraços10 de julho às 14:26

Roberto Loyola: Aphonso Villano, dos 2 ultimos discos The Jet Blacks, ainda esta vivo.11 de julho às 11:27

Eduardo Reis: Conheço a gravação que ele fez com Eduardo Araújo. Alias tenho o LP em minha coleção.

Capa discoEduardo Reis: O disco foi lançado em 1975. O Nestico participou da gravação das músicas: Construção (Chico Buarque), Pelos caminhos do rock (Norival Ricardo – Tony Osanah – Cláudio Morgado), Na Baixa do Sapateiro (Ary Barroso) e Deus lhe pague (Chico Buarque).

  • Além do Nestico, este disco teve a participação especial do Bolão com sax soprano e do guitarrista Tony Osanah. E Silvinha participou do back vocal (Silvinha, Silvia Goes, Beto, Lula e Diana). (vejam a contra capa abaixo).

Disco de 1975

  • Eduardo Reis : Quanto ao Zé Paulo, depois que saiu dos The Jet Black´s (dezembro de 1968), em 1973, gravou o seu primeiro compacto com música da terra, Pingo d’água (Raul Torres e João Pacifico e As Pombas (José Paulo – Álvaro Queiroz).

    O coordenador artístico do disco foi Waldir Santos e arranjador o maestro Élcio Alvarez. Eles pretendiam lançar um compacto duplo. Chegaram a se apresentar em vários programas na TV. Mas o projeto não foi avante.

    Disco RCA

    Eduardo Reis: Afonso Villano Neto – Grande mestre da guitarra. Instrumentista muito respeitado. Participou da gravação do Remember the Shadows e The Ventures, em Junho de 1988, e em 1995 da regravação de Apache, na coletânea da Gravadora Poligram, “Trinta Anos de Jovem Guarda”.

Afonso Villano NetoEduardo Reis: Ser chamado de ídolo pelo Guitarreiro (Luis Vagner) é uma honra que o Afonso merece com todas as letras. Sou fã do Guitarreiro. Alias, ele é citado no meu livro por ter participado, junto com meu grande amigo Carlos Nabar (ex-The Jet Black´s), na gravação do CD DENY E DINO – ESSENCIAL.

O guitarreiro Luis Vagner

  • Eduardo Reis: Sergio Canhoto, foi o primeiro a fabricar uma guitarra “hand made” canhota de 12 cordas no Brasil. Toda a sua criatividade foi colocada à prova nessa que foi uma verdadeira obra de arte. Sergio deixou sua marca registrada aonde podemos ouvir o som dessa guitarra bem destacado na faixa em Suspicion do disco Top, Top, Top.

    Sérgio "Canhoto" Vigilato, criador da camiseta e desta guitarra "handmake"

    Sérgio “Canhoto” Vigilato, criador da camiseta e desta guitarra “handmade”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s