Histórias do Rock no Brasil, contadas pelo Raul Tremendão

Hoje estávamos ouvindo a canção “Os Cães Ladram e a Caravana Passa”, que é uma musica que faz parte do LP “Pelos Caminhos do Rock”, de Eduardo Araújo, lançado em 1975 pela RCA, quando o Raul de Barros me contou o que segue…

A música é de autoria de Raul de Barros (Tremendão) em parceria com Fernando Monteiro.
Raul Tremendão fez a melodia e Fernando Monteiro, que ele considerava como se fosse seu irmão, fez a letra, e Raul entregou para Eduardo Araújo gravar.

Isso aconteceu na época em que Raul Tremendão viajou pela primeira vez para os Estados Unidos, quando foram comprar o equipamento de som do Eduardo Araújo.
O Baixinho citado entre os músicos que participaram do disco e que tocou a percussão, era o Waldego, que na abertura dos shows do Eduardo e Silvinha, ficava em cima da tumbadora de cabeça prá baixo e dançava muito.
O Serginho Sá era o tecladista que viajava com a banda do Eduardo; ele era deficiente visual, o baixista era o Zé (José Alves), nas tumbadoras, Waldego, e o baterista, Chicão.
Eles viajavam num ônibus especial que o Eduardo Araújo havia comprado e durante as viagens aconteciam estorias engraçadas, como esta contada pelo Raul de Barros:

_Estando na estrada, eles paravam para almoçar e sentavam-se todos na mesma mesa, se serviam e já armavam uma “sacanagem” com Serginho. O Chicão era responsável pelo Serginho e sentava-se sempre ao lado dele, como no dia em que depois dos pratos prontos, eles pegaram a pimenta, colocaram um pouquinho na comida e um já elogiava: que molhinho gostoso!!! O Serginho perguntava: que molho é esse? Eles falavam: “não vai sobrar prá você”, e o Serginho reclamava dizendo que eles estavam judiando dele… O Chicão então pegou a pimenta e dizendo que ia dividir a parte dele com Serginho, virou toda ela na comida dele (do Serginho), que enchia o garfo e colocava de uma vez só na boca… A pimenta queimava e ele gritava que era pimenta pura!! O Chicão pegava logo um copo americano com cachaça pela metade e falava: tome Serginho, beba água, o Serginho virava o copo de uma vez e gritava prá valer… e era então que a turma toda caia na risada! rsrs

Outra judiação que faziam com o Serginho, era que nas viagens ele ficava no mesmo quarto que o Chicão (que era casado com a cantora Claudia).
Chicão ia tomar seu banho e falava pro Serginho se preparar que ele o levaria em seguida ao banheiro… (lembrando que Serginho era cego).
Eles estavam em um hotel que tinha aquela varanda interna, as pessoas do saguão embaixo, podiam ver as portas dos apartamentos do andar de cima.
A mureta era baixinha, o Chicão terminava de tomar seu banho, se vestia e pegava o Serginho que já estava pelado com o sabonete na mão e a toalha pendurada no braço.
Chicão abria a porta do quarto e falava pro Serginho ir se guiando pela parede até o fim do corredor, o Serginho coitado ia andando pela passarela e todos lá embaixo, vendo o Serginho pelado lá em cima… 😀

Eduardo Araújo e Raul Tremendão

Os músicos que participaram da gravação do LP “Pelos Caminhos do Rock” foram:

Guitarra: Tony Osanah/Antenor/Aristeu
Baixo: José Álvaro/Paulo César Barros/Willy
Bateria: Chicão
Piano: Silvia Góes
Orgão e Piano: Sérgio Sá
Orgão E melotron: Eduardo Assad
Harpa: Tony Osanah
Clarinete: Emílio
Trombone: Renato
Pistom: Dagmar
Sax: Nestico
Sax Soprano: Bolão
Percussão: Dirceu/Rubão/Baixinho(Waldego)
Banking Vocais: Silvinha Araújo/Sílvia Góes/Beto/Lula/Diana

Faixas do LP “Pelos Caminhos do Rock”
Eduardo Araújo
(RCA 1975)

1. Construção (Chico Buarque)
2. Pelos caminhos do rock (Norival Ricardo – Tony Osanah – Cláudio Morgado)
3. San Juan de Puerto Rico (Tony Osanah)
4. Era um ídolo (Norival Ricardo – Tony Osanah – Cláudio Morgado)
5. Alergia de viver (Tony Osanah)
6. Na Baixa do Sapateiro (Ary Barroso)
7. Amor escuro (Tony Osanah)
8. Abracadabra (Tony Osanah)
9. Os cães ladram e a caravana passa (Fernando Monteiro)
10. Deus lhe pague (Chico Buarque)

Produzido por Tony Osanah
Direção Artística:Osmar Zan
Coordenação: Marcelo Duran
Arranjos: Eduardo Araújo/Silvia Góes/Tony Osanah/Djalma Melin/Aristeu

Obs: Arranjos das faixas “Construção” e “Deus lhe Pague” são de Tony Osanah.

Anúncios

3 respostas em “Histórias do Rock no Brasil, contadas pelo Raul Tremendão

  1. É bom lembrar que minha mãe queria sempre que alguem gravasse alguma música desse irmão e quando foram registrar a música, pedi que não colocassem meu nome e sim sòmente o nome dele pois sendo eu compadre e amigo do Eduardo e Silvinha poderia parecer que era armação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s