Jovem Guarda 50 anos: artistas que pertenceram ao movimento.

Neste ano de 2015 a “Eterna Jovem Guarda” estará completando 50 anos!
Foi em 22 de agosto de 1965 que a TV Record Canal 7 de São Paulo levava ao ar o primeiro programa que recebeu o nome de Jovem Guarda, comandado por Roberto Carlos, sob a direção de Carlos Manga.

Em homenagem a este programa que mudou o comportamento de uma geração nos anos 60, dando origem ao ritmo que imperou no Brasil nos anos 60 influenciado pela música dos Beatles e de outros cantores e conjuntos da Invasão Britânica, estou relacionando abaixo alguns nomes de muitos artistas que de uma forma ou de outra fizeram parte daquela época, uns como pioneiros, outros participando do programa e outros ainda que tocavam o gênero pop rock ou música jovem daquele movimento originado do programa Jovem Guarda.

Esta lista de artistas que pertenceram à pré Jovem Guarda ou início do Rock no Brasil e que fizeram sucesso na Jovem Guarda, tendo ou não participado do programa da TV Record, mas que cantavam música jovem nos anos 60 até meados dos anos 70, foi preparada por alguns membros do grupo do Facebook, Eterna Jovem Guarda.

Adilson Ramos (Os Cometas)
Adriana
Albert Pavão (Pré JG)
Almir Duarte (depois Almir Ricardi)
Ana Maria
Analfabitles
Angelita
Antonio Marcos
Arturzinho
Ary Sanches
As Clebs (?)
As Oncinhas
Beat Boys
Betinho (?)
Blow Up
Bob Lin
Bobby de Carlo
Bubby
Carlos Ely
Carlos Gonzaga
Celia Villela
Chiquita (?)
Cidinha Santos (Cintia)
Cláudio Fontana
Cleide Alves
Colt 45
Cyro Aguiar
Darcilene
De Kalafe e a Turma (Programa Ronnie Von) (Cantava descalça musicas de protesto da época e era a única que assim o fazia).
Defenders (Roberto Rizzo)
Demétrius
Denise Barreto
Deny & Dino
Dick Danello
Dori Edison
Ed Carlos
Ed Wilson
Edcarlos
Edson Gray
Eduardo Araújo
Eduardo e Seus Menestréis
Elizabeth
Ellen & Luiz
Embalo R
Enza Flori
Aladim (The Jordans)
Erasmo Carlos
Bruno Pascoal (RC7)
Fernando Ribeiro
The Fevers
Foguinho (The Jordans)
Prini Lorez (Galli Jr.)
George Freedman
Giane
Gilbert
Gilberto Lima
The Golden Boys
Hamilton di Giorgio
Horácio Ramasine
Hugo Santana
Idalina de Oliveira
Inês Jordan
Jean Carlo
Jerry Adriani
Jerry Jefferson
João Luiz (depois Wildner)
Joe Primo (Pré e JG => The Jet Black´s)
Joelma
Netinho (Os Incríveis)
Jorge Ben
José Ricardo
Risonho (Os Incríveis)
José Roberto (Sá Costa)
Katia
Katia Cilene
Lafayette
Leno
Almir Bezerra (The Fevers)
Leno e Lílian
Lilian
Luis Fabiano
Luiz Aguiar
Luiz Carlos Clay
Luiz Carlos Ismail
Luiz Carlos Magno
Luiz Keller
Luizinho e Seus Dinamites
Mamães e Papais
Marcio Greyck
Marcos Roberto
Maria Regina (irmã do Ronnie Cord)
Mario Augusto
Mário César
Mario Marcos (irmão de Antonio Marcos)
Maritza Fabiani
Marlene Cavalcante
Martinha
Meire Pavão
Nalva Aguiar
Nick Savóia (pré JG)
Nilton César (Pré JG – conviveu com a Jovem Guarda)
Norma Kelly (?)
O’Seis (Rita Lee)
Op-Art
Orlando Alvarado (?)
OS Apaches
Os Aranhas
Os Baobás (Programa Ronnie Von)
Os Cords
Os Diagonais
Os Mutantes
Os Brasas
Os Caçulas
Os Canibais
Os Carbonos
Os Carecas
Os Cleans (Porto Alegre)
Os Cometas (Adilson Ramos)
Os Cords
Os Corsários
Os Corsos
Os Diagonais (?)
Os Diferentes
Os Espiões
Os Freedmans
Os Gianinis
Os Iguais (Antonio Marcos)
Os Incógnitos (Eduardo Reis)
Os Incríveis
Os Inocentes
Os Jovens
Os Labaredas
Os Lords
Os Maracajás (Baixada Fluminense)
Os Megatons
Os Metralhas (?)
Os Minos (Pepeu Gomes)
Os Moscas
Os Mugs
Os Mugstones
Os Nucleares
Os Panteras
Os Populares
Os Primitivos
Os Tremendões
Os Românticos (?)
Os Ingênuos
Os Santos
Os Tártaros
Os Versáteis
Os Vips
Os Wandecos
Papa Guzy (?)
Paulo e Mary
Paulo Sérgio
Pedro Paulo
Pedro Wilson (?)
Pholhas
Playings (Titulares do Ritmo – cantores cegos)
RC7
Regianne
Regina Celia
Reginaldo Rossi
Renato e Seus Blue Caps
Renê Dantas
Reynaldo Rayol
Ricardo Alan
Robert Livi
Roberta
Roberto Carlos
Roberto Rei (Autor da versão História de Um Homem Mau)
Ronnie Cord (Pré JG)
Ronnie Von
Rosemary
Rosely
Rossini Pinto
Sandra
Selmita
Sergio Murilo (Pré JG)
Sérgio Reis
Silvinha
Som Beat
The Snakes (Erasmo Carlos)
Sonia Delfino
Sônia Guarani (?)
Suely Rangel
Suzy Darlen
Ted Lee
The Angels
The Beatnicks
The Bells
The Beverly’s
The Brazilian Bitles
The Brazilian Tigers
The Bubbles / A Bolha / Erva Doce (um deles pertence ao Roupa Nova)
The Clevers
The Fellows (Os Impossíveis)
The Fevers
The Flemings (Paulo Mendes, Paulo Ribeiro)
The Flyers
The Jet Black`s
The Jets (?)
The Jones
The Jordans
The Lions
The Mustangs
The Outcasts
The Phuntos
The Pop’s
The Rebels
Theresinha Curtis
The Sailors
The Shakers (Conjunto argentino/uruguaio que tocou na Jovem Guarda por dois Programas)
The Silvery Boys
The Sunshines
The Supersonics (Fevers)
The Angels/The Youngsters
Thereza Khury
Tim Maia
Tom e Jerry (?)
Tommy e Adams (?)
Tommy Standen (Terry Winter)
Tony Angeli
Top Five (?*)
Trio Esperança
Trio Melodia
Trio Ternura
Vanusa
Waldireni
Wanderléa
Wanderley Cardoso

* Onde há o sinal “?” é por que não tenho nenhum registro da participação do artista, porém constam os nomes nos acervos de alguns membros do grupo.
– Sobre a banda “Top Five”, o Blog recebeu a seguinte informação:

“Você citou a banda que toquei (e criei). Era Top Five. Como curiosidade, quem tocava era Tommy Standen (que depois passou a se chamar Terry Winter, um grande amigo) nos vocais, Frank, que depois teve a dupla Tony e Frank, Adilson na guitarra, Orelha no Baixo e eu, Percy Castanho Jr. na bateria e vocal. Tocamos na Jovem Guarda e por um ano no Show do Meio Dia de Hugo Santana, além de todos os programas da Excelsior, Almoço com as estrelas, etc. Gravamos dois discos pela Continental e Chantecler.”
.

Alguns cantores e conjuntos foram retratados pelo artista Chico Silva

Vanusa

Vanusa

Wanderley Cardoso

Wanderley Cardoso

Wanderléa

Wanderléa

Waldireni

Waldireni

Trio Esperança

Trio Esperança

The Youngsters

The Youngsters

The Vikings

The Vikings

The Pop´s

The Pop´s

The Jordans

The Jordans

The Jet Black`s

The Jet Black`s

The Golden Boys

The Golden Boys

The Fevers

The Fevers

The Brazilian Bitles

The Brazilian Bitles

The Bells

The Bells

Sonia Delfino

Sonia Delfino

Silvinha

Silvinha

Sérgio Reis

Sérgio Reis

Sérgio Murilo

Sérgio Murilo

RSBC Renato Barros, Toni, Cid, Carlinhos e Paulo César

Renato e Seus Blue Caps: Renato Barros, Toni, Cid, Carlinhos e Paulo César

Rossini Pinto

Rossini Pinto

Rosemary

Rosemary

Ronnie Von

Ronnie Von

Roberto Carlos

Roberto Carlos

Roberto Carlos e Antonio Aguillar

Roberto Carlos e Antonio Aguillar

Roberto Carlos 2

Roberto Carlos

Robert Livi

Robert Livi

Reginaldo Rossi

Reginaldo Rossi

Prini Lorez

Prini Lorez

Paulo Sérgio

Paulo Sérgio (conviveu com a época mas não foi Jovem Guarda)

Os Vips

Os Vips

Os Jovens

Os Jovens

Os Incríveis - NENÊ, RISONHO, MANITO, NETINHO E MINGO

Os Incríveis – NENÊ, RISONHO, MANITO, NETINHO E MINGO

Os Caçulas

Os Caçulas

Orlando Alvarado

Orlando Alvarado

Nalva Aguiar

Nalva Aguiar

Meire Pavão

Meire Pavão

Martinha

Martinha

Mário César 2

Mário César

Marcos Roberto

Marcos Roberto

Márcio Greyck

Márcio Greyck

Luizinho

Luizinho

Leno e Lílian

Leno e Lílian

Lafayette

Lafayette

Katia Cilene

Katia Cilene

José Roberto

José Roberto

José Ricardo

José Ricardo

Joelma

Joelma

Jerry Adriani

Jerry Adriani

Jean Carlo

Jean Carlo

Giane

Giane

George Freedman

George Freedman

Fred Jorge

Fred Jorge

Erasmo Carlos

Erasmo Carlos

Erasmo Carlos 2

Erasmo Carlos

Enza Flori

Enza Flori

Os Jovens

Os Jovens

Paulo e Mary

Paulo e Mary

Elisabeth

Elisabeth

Eduardo Araújo

Eduardo Araújo

Ed Wilson

Ed Wilson

Ed Carlos

Ed Carlos

Dory Edson

Dory Edson

Dick Danelo

Dick Danelo

Deny e Dino

Deny e Dino

Demétrius

Demétrius

Cláudio Fontana

Cláudio Fontana

Chacrinha

Chacrinha

Carlos Gonzaga

Carlos Gonzaga (Pré JG)

Bobby de Carlo

Bobby de Carlo

Tony Campelo

Tony Campelo (Pré JG)

Ary Sanches

Ary Sanches

Antonio Marcos

Antonio Marcos

Agnaldo Rayol

Agnaldo Rayol (não foi da Jovem Guarda mas conviveu com os artistas)

Adriana

Adriana

Antonio Aguillar

Antonio Aguillar, o precursor da Jovem Guarda

Cely Campelo (Pré JG)

Cely Campelo (Pré JG)

Roberto Carlos, Wanderléa e Erasmo Calos

Roberto Carlos, Wanderléa e Erasmo Calos, os apresentadores do Programa iniciado em 22 de agosto de 1965.

Albert Pavão

Albert Pavão (Pré JG)

Carlos Imperial

Carlos Imperial

E tantos outros músicos e cantores fizeram parte da história da Jovem Guarda, por exemplo, a Família Rayol, muito embora Agnaldo não tenha sido um cantor da Jovem Guarda, ele convivia com a “turma” e seus irmãos Reynaldo e Ronaldo fizeram parte…

Reynaldo Rayol

Ronaldo Rayol 1

Ronaldo Rayol

E o cantor Mario César Diniz Horta, na foto com Roberto Carlos em 1968, que durante a época da Jovem Guarda gravou um LP (1966) contendo músicas como Ternura, gravada também por Wanderléa. Mario César pertencia à gravadora RCA, esteve no programa do Chacrinha e também no de Roberto Carlos.

Mário César na Discoteca do chacrinha

Mário César na Discoteca do chacrinha

Mário César com Roberto Carlos

Mário César com Roberto Carlos

Gravou um LP pela Mocambo e 3 compactos entre 1964 e 65, sendo que no segundo disco havia uma versão de “And I love her”, dos Beatles. No seu compacto de 65, Mário César gravou “Eu não sei”, versão que Rossini Pinto fez de “Yesteday” dos Beatles. O outro lado era “Brincadeira de Esconder”, música que Joelma cantava em São Paulo nessa mesma época. Outro fato interessante é que no repertório do Mário César tinha uma balada que ele cantava mas não chegou a gravar… Era a música “Nossa canção”, que tempos depois Roberto Carlos gravou e fez muito sucesso!

Mário César

Este painel foi criado por FCarlos Silva e retrata alguns dos principais nomes da Jovem Guarda.

Desenho de Chico Silva

Desenho de Chico Silva

18 respostas em “Jovem Guarda 50 anos: artistas que pertenceram ao movimento.

  1. O ano de 1965 esta na esquina do pensamento, e tudo é uma questão de tempo, de envolvimento. Versos soltos no ar e a arte de amar é como uma canção de amor a revelar algo de valor. Eramos em 1965 um Brasil de jovens mobilizados e engajados na arte de compor canções. O País respirava amor, poesia e luz e havia um caos imposto que ressoava a beira do cais. Um sentimento de orfandade, abandono e clausura provocado pela revolução de 1964 e a classe de artistas no Brasil deram cor e sabor as nossas vidas. Paralelo a bossa nova de Tom Jobim haviam flores, rosas e jasmins. Em lar um quintal, em cada quintal um jardim, e ai de você e de mim se desprezar estas ondas vivas de amor presente nos acordes dos instrumentos de nossos Músicos e Poetas. Todos concordam que a década de sessenta foi a década das grandes revoluções. As revoluções dos anos sessenta produziram grandes transformações nos anos setenta e o fenômeno Beatles, Roling Stones, Elvis, Bee Gees, Jackson Five ressoaram no Brasil nos diversos movimentos que aqui brotou. Bossa Nova, Jovem Guarda, Tropicália, Clube da Esquina e ‘ Clube das outras esquinas ‘. Gosto desta expressão do compositor Guido que foi pioneiro no seguimento Gospel nos anos 80. No Rock in Rio ele tinha apenas um violão. O violão e voz deste poeta permitiu que muitos migrassem para o seguimento gospel, mas o que fica de tudo isto, é a alegria de saber que nestes 50 anos temos bons motivos para comemorar um surto de conquistas em todas as áreas. Termina este ciclo de ouro de 50 anos e começa uma vasto campo de oportunidades para que as gerações vindouras possam inspirar nestas belas historias que escrevemos juntos. A arte é algo de rara beleza, e a brasa ainda esta acesa, visto que as canções de amor e paz faz parte das trilhas sonoras do filme de nossas vidas.

    • Ola! Carlos, com todo o meu respeito pelo belíssimo texto, cheio de palavras com fortes mantras e por assim dizer com verdades incontestes. No entanto, gostaria de que, se me permitir, trocar a palavra “revolução de 1964, por Golpe de 64, que foi realmente o que aconteceu.
      Repito, novamente, creia-me foi um belíssimo texto!
      Bottary

  2. Gostaria de saber se os artistas que ainda estão na midia se reunirão para gravar um DVD em homenagem aos 50 anos da Jovem Guarda como o fizeram nos 30 e 40 anos ?

      • Ola! Lúcia Zanetti,
        Acabo de conhecer o seu trabalho maravilhoso acerca de um tempo em que vivi no tempo em que aconteceu.
        Ao mesmo tempo que ouvia no rádio as músicas dos Beatles, assistia ainda em preto e branco os vídeos-tapes deste inesquecível e inigualável programa.
        A propósito, por um acaso já leu o livro: Noites Tropicais de Nelson Motta?

        Deixo aqui uma inspiração minha a 6 anos atrás, quando fiz uma pequena homenagem ao nosso querido Rei: Roberto Carlos.

        Abraços de um novo navegador deste site,
        Bottary
        ———————————————

        Jovens Tardes de Domingo!
        Que saudades!

        Como foi bom e como é bom lembrar daquelas tardes de domingo!

        Ah! Bom! Se se trata de 50 anos de carreira do Rei, para mim parece que a Jovem Guarda acabou há 5 anos.

        Não consigo, não quero e na verdade nem posso esquecer de sempre lembrar daquelas tardes. Ficávamos esperando chegar o domingo.

        Lembrar aquelas tardes é como ainda nos alimentarmos daquilo que seria o que de mais sublime poderia existir aos jovens daquela época e do que seria de mais romântico nos anais da Música Popular Brasileira, bem como do Rock Brasileiro. É sorver-se ainda do aroma agradável que existia no éter daquelas tardes. Inalavam-se aromas diferentes e eternizantes, todos os que participaram direta e indiretamente daquele movimento romântico jovemguardista.

        Em minha casa, na cidade de João Monlevade/MG, sentava-me na cadeira com almofada para assistir, em preto e branco, o show do Roberto, Erasmo, Wanderléia, Ronnie Von, Renato e seus Blue Caps, Martinha e outros mais. Era tudo o que poderíamos absorver de melhor no âmago do ser, acerca do que seria uma boa música.

        ” – Bicho! Tudo aquilo era uma brasa, mora!”

        As canções românticas indicavam que a moda era conquistar o “broto legal”.

        COMO É GRANDE O MEU AMOR POR VOCÊ!.

        COMO poderíamos esquecer aqueles dias? É claro que não faz sentido.

        GRANDE era o público jovem espectador e telespectadores. O Brasil inteiro “plugado” naquele movimento que tinha um Calhambeque como co-protagonista.

        O MEU passatempo, quiçá também o seu, o nosso tempo, naquelas tardes.

        AMOR era e sempre foi a palavra de ordem do Rei Roberto.

        POR todos os seus “súditos”, nunca mediu esforços, para lançar sua nova mensagem musical de Amor e Paz.

        VOCÊ(s) pode ou podem não acreditar, mas sinto-me ainda num clima de Jovem Guarda, guardando até os dias de hoje, no meu coração, as eternas canções que ele fez pra nós.

        Ao nosso Rei Roberto Carlos, eu gostaria de expressar aqui os meus sinceros desejos de que viva por muitos anos, cantando sempre seu brilhante e romântico repertório, com toda essa energia positiva, de uma eterna juventude.

        Um brilho intenso e diferente de todos os artistas daquela época e movimento, ainda permanece na egrégora mental de muitos daquela época jovem, do romântico anos 60.

        Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderleia, bem como toda aquela romântica juventude, são para mim, pra você e penso que para todos nós, o símbolo máximo do romantismo moderno, agradável de se ouvir. Fui, naquela época, nos anos 70, 80 e um pouco do 90, um cantor romântico, prático, amador e, não obstante não ter aprendido tocar sequer um instrumento, tinha e tenho até hoje, nas minhas cordas vocais, o talento de que precisei, para interpretar aquelas músicas que marcaram épocas.

        Deus emprestou-me somente estas cordas e inspirou-me numa vontade enorme de estar sempre cantando para o meu seleto público.

        Como é grande o meu amor por você; Detalhes e Sentado à beira do caminho, foram as que mais cantei para um público que sempre amou o Roberto Carlos.

        Um Rei na voz e no exemplo de vida, haja vista o seu diferenciado comportamento íntegro e idôneo, numa relação sempre carinhosa e cheia de amor pelo seu estimado público.

        Que Deus o ilumine agora e sempre!

        Ao Roberto Carlos aquele abraço do fã, cidadão e cantor.

        Bottary
        22/03/2010

  3. Boa noite. Seu blog é ótimo. Parabéns . Poderia me informar se tem notícias do cantor mirim Rene Dantas que cantava a música de sucesso da época chamada Soninha composição de Marcos Roberto? Forte abaço.

  4. Aprendi a amar a boa música com meus pais,desde a minha infância ouvindo música da jovem guarda, décadas de 60 – 70 e daí pra cá procuro ouvir músicas com letra e melodia que não agridam meus ouvidos. Tenho um programa de rádio fm ENQUANTO HOUVER SAUDADE com músicas que marcaram época e a jovem guarda é muito solicitada pelos ouvintes. A rádio é Canudos FM 106,7 na cidade de Quixeramobim/CE. De 11:30 às 14:00 hs de segunda a sábado. Nossa página é canudosfmquixeramobim . Parabéns pelo chek-list dos artistas da jovem guarda, como também pelos desenhos de Chico Silva. Amei!!!!

  5. Prezada Lúcia,
    Fiz um comentário em seu blog, mas ainda não o vi publicado e gostaria de entrar em contato por email com vc, se for possivel, ok?
    Bottary

  6. Ola
    Preciso da ajuda de alguém, minha mae quer saber como chama uma música e já procurei de todos os jeitos e não acho se alguem puder me ajudar fico agradecida, a música é assim : “De manha quando eu acordo, te procuro pelo quarto, só encontro a saudade desse amor…”

    Se alguem souber por favor deixe o nome e muito obrigada pela atençao

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s