Manito e seu “Incrível” Sax!

Vasculhando seu vasto acervo musical, Antonio Aguillar encontrou essas duas entrevistas com o saudoso Manito, o Antonio Rosas Sanches, saxofonista da banda The Clevers e depois Os Incríveis.

Manito e Aguillar

Aguillar e Manito na Rádio Capital

 

Neno e Antonio Aguillar

Neno e Antonio Aguillar

É um material de primeira linha para ser mostrado nesta ocasião em que fazemos nossas homenagens aos 50 anos da Jovem Guarda.

Nesta primeira gravação podemos ouvir Manito, em conversa com Neno e Aguillar, tocar Maria Cristina e explicar como foi que The Clevers/Os Incríveis gravaram O Relicário.

O Manito era de uma família de músicos e seus pais sempre o incentivaram a entrar para a vida artística. Para ganhar o pão no dia-a-dia, Manito trabalhava com o pai consertando sapatos. Aguillar conta que se lembra que a sapataria funcionava no andar térreo de um prédio na Av. São João esquina com a Duque de Caxias… “Quantas vezes fui buscar o Manito lá para ensaios, shows, programas de rádio e televisão. Depois que passou a integrar a banda The Clevers, Manito ficou mais independente com os cachês que recebia e assim podia ajudar a família, podendo também se livrar do trabalho de sapateiro.”

Em 1964 a cantora Rita Pavone esteve no Brasil, com apresentações especiais no Teatro Record e nesse mesmo teatro Antonio Aguillar mantinha o seu programa Reino da Juventude, onde os Clevers se apresentavam. Conseguiu levar a Rita Pavone em seu programa para receber uma guitarra elétrica de fabricação Giannini e nesse contato os Clevers estavam lá também e tocaram o grande sucesso da italianinha, a canção “Dateme um Martello”.
Embora ela só tivesse ido para receber a guitarra, que era a novidade da época (tipo Fender), percebendo a euforia do auditório cantando o sucesso dela, não deu outra, acabou cantando e foi uma emoção muito grande no auditório e entre os presentes no palco.
Aguillar conta que… “pra mim, como comunicador, não deixou de ser um grande acontecimento, uma coisa inusitada. Dai nasceu a amizade entre a Rita e The Clevers, que finalmente acabaram indo para a Itália para uma turnê com o maior ídolo internacional de 1964, que era Rita Pavone.”
Como na época o programa na TV Record era ao vivo e se deixasse de fazer, teria que sair do ar, Aguillar preferiu ficar e cedeu seu lugar, assim uma outra pessoa foi contratada para acompanhar Os Clevers, pessoa esta que mais tarde se tornou injusta e criou alguns impasses com a banda The Clevers, para que rompessem relacionamento artístico com Antonio Aguillar. Como essa pessoa estava lá na Itália com eles, que dependiam muito dela, acabaram rompendo relacionamento artístico com Aguillar e passaram a se chamar OS INCRÍVEIS.
Dai pra frente a história continua e consta nas paginas sociais para quem quiser maiores detalhes. Essas duas gravações que estamos apresentando aqui se trata da presença pessoal do Manito no programa Jovens Tardes de Domingo na Radio Capital, que é levado ao ar aos domingos, das 12h às 13h. Manito estava com o seu instrumento musical debaixo do braço (saxofone) e Aguillar acabou fazendo com que ele relembrasse esses sucessos gravados pela banda The Cleves, que são Maria Cristina e El Relicário.

A outra gravação é sobre um CD que o Manito fez mas não teve grande sucesso, porque não deu tempo para que fosse feita divulgação.
Manito esteve muito doente, fez cirurgia das cordas vocais e antes de falecer foi convidado por Antonio Aguillar para estar na Casa de Portugal, onde realizaria um grande Show.
Ele compareceu em cadeira de rodas ao lado de sua companheira Lucinha para receber justas homenagens e ao receber o TROFEU JOVENS TARDES DE DOMINGO, ficou emocionado, mas não podia falar porque estava entubado e faleceu quatro dias depois disso.
Em 09 de setembro de 2011 perdemos um dos maiores músicos e dos mais queridos em nosso Brasil.
Ele lutava contra um câncer na laringe desde 2006 e morreu dormindo em sua casa numa sexta-feira, em São Paulo.
O Saxofonista tinha apenas 68 anos e era considerado um dos músicos mais virtuosos do “iê-iê-iê”. Era chamado de o “homem dos mil instrumentos”, pois tocava, além do saxofone, também guitarra, baixo, bateria, diversos instrumentos de sopro, teclado, enfim, era um multi-instrumentista!
Ele começou tocando bateria, depois aprendeu acordeom, violino, trompete, clarinete, sax alto, sax tenor, flauta, teclados, enfim, e tocava tudo com perfeição!

manito1

Foi um dos mais importantes músicos da Jovem Guarda, e aqui podemos matar a saudade dele, ouvindo a conversa que foi ao ar em um dos programas de Aguillar pela Rádio Capital de São Paulo.

Uma resposta em “Manito e seu “Incrível” Sax!

  1. TENHO O SAX QUE MANITO TOCOU POR MITOS ANOS ELE VENDEU SEU SAX TENOR YANAGUISAWA EM BELÉM DO PARÁ ,PARA UMA BANDA , DEPOIS DE ANOS EU COMPREI ESTE SAX ONDE SO FIQUEI SABENDO QUE ERA DO MANITO A RELÍQUIA PORQUE UM MÚSICO DA CASA DE SHOW LAPINHA ME CONTOU TODA HISTÓRIA .SEU CASE ORIGINAL E VERMELHO SE ALGUEM LEMBRAR

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s