Renato Barros fala sobre sua banda “Renato e Seus Blue Caps” e a Jovem Guarda e faz um pedido!

Conversando via E.mail com Renato Barros, fiz algumas perguntas que ele gentilmente respondeu, como segue:

Renato Barros 2

Pergunta: Você gostaria de ser homenageado nos 50 anos da Jovem Guarda?

Resposta: Lucinha, não fazemos questão de ser homenageados, principalmente porque temos total consciência da nossa competência musical e artística, escondida pela Jovem Guarda, pois o Renato e Seus Blue Caps não é oriundo dela e sim do Rock. Quando o programa Jovem Guarda nasceu, a banda já existia há 5 anos, portanto, a Jovem Guarda não tem a menor obrigação de nos homenagear aliás, o Renato e seus Blue Caps, dificilmente foi citado pelos artistas, e pelo jornalismo musical do país, como um artista importante e participativo, o que sempre ficou muito claro, é que a Jovem Guarda não passou de um “TRIO”: Roberto, Erasmo e Wanderléa, ou não?
O que mais me intriga, é que o Renato e Seus Blue Caps foi preponderante nas carreiras dos 3 colegas. Estou a sua disposição para esclarecimentos sobre a verdadeira história da Jovem Guarda.

Pergunta: E qual seria então a verdadeira historia da Jovem Guarda?

Resposta: A realidade é que nos acostumamos com a “omissão”. Criamos assim, uma espécie de anticorpos nesta situação de “chega pra lá”… rsrsrs
Aliás, é bom que saiba que o Renato e seus Blue Caps só chegou ao programa Jovem Guarda graças ao “Sr: Marcos Lázaro”, pelo simples motivo de que a música “MENINA LINDA” estava em segundo lugar em São Paulo, motivo de estranheza para Marcos Lázaro. Não fosse isso, tenha certeza que não teríamos participado do importante programa. O meu querido colega “chefe”, só levou com ele daqui do Rio para o programa em São Paulo, os seguintes colegas: ERASMO CARLOS (recém EX- Renato e seus Blue Caps ), “WANDERLÉA”, “GOLDEN BOYS” E “TRIO ESPERANÇA”. A JOVEM GUARDA, (repito), foi um “TRIO”, o resto foi o resto até os dias de hoje, ou não?
O Renato e seus Blue Caps não assistiu o final melancólico do programa Jovem Guarda, pois muito antes, já havíamos pedido rescisão de contrato à TV RECORD Canal 7 de São Paulo. Motivos: Vários, e o meu pessoal foi que eu adorava praia e Maracanã aos domingos, mas obviamente cada componente tinha os seus.
Mas ainda bem que o reconhecimento veio e ainda vem de quem é mais importante (pra mim), que é o reconhecimento popular, tanto é verdade que a banda RSBC é o artista (do seguimento) que mais faz shows por este país.

Pergunta: Você parece ter uma grande mágoa da época da Jovem Guarda…

Resposta: Bem, se eu tenho alguma magoa da jovem guarda? Difícil resposta. Tenho algumas lamentações sim! Há pouco tempo atrás, conheci uma psicóloga e tivemos até um relacionamento amoroso, ainda somos grandes amigos. Nas horas vagas rs.rs.rs, conversávamos e ainda conversamos muito sobre vários assuntos, mas o seu tema preferido é música. Ela tem uma formação de violino clássico, paralelo a sua principal atividade. Depois de dois anos de papos furados diários, ouvindo as minhas críticas dirigidas a jovem guarda… Obs: Quando eu me refiro a jovem guarda, me refiro à verdadeira, aquela do TEATRO RECORD… A minha amiga me entregou o meu laudo, disse ela: “Ninguém ama tanto a jovem guarda quanto você”. Eu acho que a jovem guarda foi o maior movimento musical deste pais, só que a ficha da rapaziada, cantores, músicos etc, não caiu. Sempre se comportou de uma maneira muito simplória, nada compatível com a importância que tinha, tanto no mercado do show business como perante as gravadoras. (Neste último exemplo eu também me incluo). Os artistas se apresentavam de qualquer maneira, com qualquer som, com qualquer luz em lugares nem sempre recomendados etc. A grande maioria se comporta assim até os dias de hoje. Enquanto isso, no outro lado da rua, chegavam os cantores de músicas de protestos contra o regime militar, a famosa esquerda que não conseguiu destruir o país naquela época, mas agora parece que estão e vão conseguir, carregados de muito ódio e revanchismos. Mas este é um outro assunto.
Além disso, me dói ainda o fato de o mentor da jovem guarda, o meu querido rei, não ter nos incluído na sua turma, depois de algum tempo de ralação, acompanhando-o como músicos em pequenos shows de circos, cinemas de bairros etc. Ele sabia que estávamos,( assim como ele e seus príncipes) , procurando um lugar ao sol. Mas Deus foi tão justo, que estávamos em segundo lugar na parada de compactos em São Paulo e não sabíamos. Este foi o motivo pelo qual acabamos por participar do programa, mesmo que alguns já tivessem ido ao ar, com muito sucesso. Vale a pena lembrar que entramos no programa jovem guarda a convite do senhor Marcos Lázaro, que na época não entendeu muito bem o porque de não termos sido convidados pelo nosso amigo de fé irmão camarada. Para ficar mais confuso ainda, um dos seus príncipes havia recém saído da banda. Estranho, né ? Pois é…… Quando eu digo que a verdadeira historia da jovem guarda que já estão deixando e que deixarão para as gerações futuras, está mal contada, sei por que digo……. A CBS era gravadora que monopolizava a jovem guarda…… Analise comigo: Se a CBS monopolizava a jovem guarda, o maior vendedor era o rei, seguido as vezes muito próximo pelo RSBC em segundo e o terceiro aparecia muito distante, imagine os artistas das gravadoras concorrentes ? Alô Daisymar….. Estou faltando com a verdade? Estou exagerando? Sei que não. Mas e daí? Isto não foi e nem será contado. (para quem não sabe, a Daisymar é uma pessoa muito querida por mim. Ela, como todos sabem, é filha de um homem importantíssimo na nossa carreira e especialmente nas carreiras de todos os artistas que pertenciam à CBS nas décadas de 60 e 70, que foi Elmar Tocafundo).

Pergunta: Vejo que você considera o Cid o seu braço direito na banda… Viu a homenagem que fiz pra ele no meu Blog?

Resposta: Achei muito justa a homenagem feita ao Cid e me somo às pessoas que o homenageiam, pois reconheço nele entre outras coisas a permanência ininterrupta na banda a partir de 1964. O Cid passou por várias fases distintas ao longo da sua historia no RSBC, chegou como saxofonista, substituindo a Roberto Simonal, que a exemplo de vários outros e por diversos motivos, abandonou o barco, reaparecendo após um bom tempo. Como pode notar, a coisa era meio ou totalmente irresponsável, não havia o menor comprometimento. Por diversas vezes, um verdadeiro “C da mãe Joana”, (como dizem). Eu me senti isolado por diversas vezes, por ser o único que sabia o que estava fazendo e o único que tinha uma meta a ser atingida, e consegui atingir. Falei tudo isto para enaltecer a carreira do Cid, pois nunca pulou do barco, nem nas mais bravias tempestades, (tivemos muitas, eu mais do que todos). rs rs rs
Se um cirurgião qualquer hoje abrir com um bisturi o meu abdômen, tenha a certeza de que sairão dezenas ou até centenas de sapos engolidos aqui. Não é fácil trabalhar com várias cabeças, várias personalidades e vários caracteres. Enfim, não é fácil manter uma banda. O Paul, o Ringo, os Stones e tantos outros estão aí pra confirmar ou não o que afirmo.

Pergunta: E como você sente o público nas apresentações da banda nos dias de hoje? Qual a faixa etária do seu público?

Renato Barros

Resposta: A banda vive hoje o seu melhor momento profissional, nossos shows (graças a Deus) são um sucesso, conseguimos o carinho de todas as faixas etárias, notadamente o carinho dos jovens, meninos. Foi tudo construído com muita seriedade, trabalho, organização, verdade, dignidade e um curso intenso de anti flechadas.

Final

Renato, você gostaria de dizer mais alguma coisa para os fãs de “Renato e Seus Blue Caps”?

Lucinha, espero que você e todos os amigos que lerão estas minhas palavras estejam bem.
Você abordou diversos assuntos, eu tentei resumir as minhas respostas. Olha querida amiga: Eu sou um profissional sério da música, assim como existem vários outros profissionais de diversas áreas assim como eu, (pelo menos) alguns. Eu aproveito o meu tempo com coisas produtivas e proveitosas que acabam beneficiando não só a mim, mas principalmente a terceiros, quartos, quintos, sextos etc…..
Dou-lhe como exemplo a própria banda RSBC. Falo dos idos de 1959, parida, amamentada, alimentada por mim. (perdoem-me a aparente falta de modéstia, mas a verdade é esta, haja vista que eu inscrevi a banda no “Hoje é dia de Rock” primeiro e só depois saí perguntando aos amigos, entre eles (dois irmãos) se estavam interessados em participar. Alguns toparam, porém sem nenhum comprometimento. Já em 1961 consegui a nossa primeira gravação na Copacabana Discos, um LP chamado TWIST com RSBC e mais dois artistas: Reinaldo Rayol e Cleide Alves. Interessante destacar que não tínhamos um baterista oficial, o cargo ficava alternando entre Claudio Caribé e Gelson Morais. As datas das gravações foram marcadas mas o baterista com o qual contávamos, sumiu, simplesmente preferiu tocar com o Eduardo Araújo no interior de Minas e por lá ficou durante um longo tempo. Tanto que quando voltou, já encontrou o Tony em seu lugar, há um bom tempo. “Vá somando os obstáculos”. O Tony, (salvo engano) fez essa gravação. Me lembro do desespero do meu pai e de todos nós a procura de um baterista. (Agradecimentos a cantora Célia Vilela), que tinha uma irmã, Marlene Vilela, que era namorada do irmão do Tony, ela (Célia) resolveu o nosso problema o trazendo para a banda e por isso, se tornou o baterista que mais participou das gravações da CBS no período da Jovem Guarda. O baterista em questão, é o mesmo que diz aí num depoimento publicado por você, ser quem colocou o Cid na banda. Acho incríveis, certos fatos ligados a esta publicação e de onde tiraram tais fatos. (No mínimo mal contados). 1- Como pode uma pessoa colocar alguém na casa de outra, ou outras, sem a devida concordância ou autorização? Seria o mesmo que um vizinho seu, colocar um estranho dentro da sua casa e não lhe dar a menor satisfação, principalmente pelo fato de nem fazer parte da banda, banda que foi desprezada pelo próprio, na troca pelo “então” rico fazendeiro Eduardo Araújo. Não é estranho? O Cid me foi apresentado pelo meu irmão Paulo Cezar (este sim integrante). Me estranhará muito mais se o Cid tenha tido conhecimento deste “arrogante depoimento”. Notem que os nomes Renato e Paulo Cezar não são citados por ele. Mais engraçado ainda é que o que o mesmo baterista em questão, foi trazido para a banda pelas mãos do Paulo Cezar, no início dos anos 70. Quando se iniciou um grande, porém incompetente “PLANO DE PODER”. Paulo Cezar (que já não se dava comigo), foi sendo minado até resolver sair da banda. Muito olho grande e muita ausência de talento. Os únicos integrantes da banda que entraram pelas minhas mãos, foram respectivamente: Erasmo Carlos 1962 e Michael Sullivan 1974. Imagino ter contribuído de uma forma substancial.
Outra equivoco que já está se tornando verdade é a tal da “voz principal”. O RSBC a partir de 1964 adquiriu o esquema Beatles, onde todos cantavam individualmente ou em vocais, ora Paul, ora John, ora George e até o Ringo. Dependíamos muito do timbre que se encaixava melhor nas melodias escolhidas. Eu era o produtor, em comum acordo com o Evandro Ribeiro. Eu cansei de escolher o Paulo Cezar na grande maioria dos solos vocais inclusive nas minhas composições. Eu também cantei alguns dos grandes sucessos, mas reconheço que o Paulo Cezar em maior número. O Cid teve uma participação mais efetiva a partir de Play Boy, já nos anos 70……

Um pedido: Não permita que a história dessa banda tão importante e de tanto sucesso em todo o país até os dias de hoje, seja contada por qualquer um, na maioria das vezes objetivando os seus próprios interesses e frustrações. Muitos podem contar esta historia da forma que quiserem, porém lembre-se de que estou aqui ainda para preservar a verdade. Qual é o meu interesse?

AMOR PELO QUE FIZ, PELO QUE FAÇO E PELO QUE AINDA PRETENDO FAZER.

OBS: O artista que se preza tem um departamento só para cuidar, responder aos amigos e fãs, eu talvez não preze tanto, mas prezo muito a minha historia e a minha breve passagem pelo planeta terra.
Sei que ficou faltando muita coisa e por isso, pretendo continuar a satisfazer a curiosidade de vocês.
Eu teria muito mais a dizer, querida Lucinha, aliás, coisa que estou fazendo agora ao escrever o meu livro, no qual me nego a falar mal de quem quer que seja, faço apenas constatações acompanhadas de comprovações.

Querida Lucinha, o sono está batendo……Espero estar trazendo verdades inimagináveis, porém reais. CHEGAMOS NA HORA DA ONÇA BEBER ÁGUA. Continuarei a minha historia em breve.
Um grande beijo e abraços a todos.

RENATO BARROS
17/06/2015

Renato Barros tem uma legião de fãs pelo Brasil, e um deles é Sergio Moraes, de Recife, que por ser muito fã até idealizou um DVD ao vivo de Renato e Seus Blue Caps…

Seguem as fotos da capa e contracapa criadas por ele.

DVD RSBC 1
DVD RSBC 2

“NÃO GOSTARIA DE SER LEMBRADO COMO ROQUEIRO OU COMO UM SIMPLES ARTISTA DA JOVEM GUARDA…… FORAM APENAS PORTAS QUE SE ABRIRAM…… FORAM IMPORTANTES, POREM NÃO REFLETEM A MINHA VERDADE……GOSTARIA DE SER LEMBRADO COMO “HOMEM DA MÚSICA”. INDEPENDENTEMENTE DE GÊNEROS.”

48 respostas em “Renato Barros fala sobre sua banda “Renato e Seus Blue Caps” e a Jovem Guarda e faz um pedido!

  1. Quando o Carlos Imperial ajudou alavancar o sucesso da banda, as primeiras guitarras nacionais tipo fender, foram requisitadas por mim na fabrica de instrumentos musicais Giannini em São Paulo. Isso não deveria ficar no esquecimento do Renato, mas é história e por isso contei aqui

    • Prezado Antonio Aguillar, com todo o respeito que você me merece, devo informa-lo do meu total desconhecimento a esse respeito. Na época, o Carlos Imperial jamais falou no seu nome e eu também não o conhecia. De qualquer maneira fica aqui o meu agradecimento a sua inestimável ajuda. Não há porque omiti-lo da nossa historia, por menor que tenha sido a participação, mesmo porque você se notabilizou realmente como incentivador da carreira THE CLEVERS em São Paulo. Um abraço querido amigo.
      RENATO BARROS.

    • Acho que posso elucidar o comentário do Antonio
      Aguillar em relação às supostas guitarras” forneci-
      das” pelo Imperial à Renato e os Blue Caps.
      Quando tocava com os Flemings c o Imperial, ao deixar minha gui-
      tarra no chão enquanto discaregávamos os instru –
      mentos para o palco da TV Continental, a Kombi q
      nos transportava passou por cima dela !
      Imperial ficou com pena pois afinal era “acidente de
      trabalho” e me ofereceu uma” guitarra e amplificador
      que ele tinha. ” A primeira estava com Euclides e o se
      gundo com Roberto .
      Pegar o amplificador com Roberto foi fácil ( um lan-
      cheira IPAME de 10 wtz) pois passei na casa dele
      no Edifício Augusta 5 andar na R Gomes Freire
      apanhar a guitarra com o Euclides foi mais
      difícil, tive e ir na casa do Luizinho ( dos Dinamites)
      em dia de ensaio para falar com o Euclides.
      Antes dele chegar porém, Luizinho me contou que
      o empresário que patrocinava o Imperial em ” OS
      BROTOS COMANDAM” o BEDRAN , havia DADO
      duas guitarras, dois IPAMES e uma batera para
      o RCSB de quem . Euclides era o guitarrista na época.
      O Imperial anunciou mesmo no ar isso. Após o pro-
      grama os músicos foram se rejubilar com Imperial
      mas esse temente em ser abandonado , disse que a
      anunciada doação era” onda” dele Imperial para agra-
      dar ao anunciante BEDRAN, pois na verdade os ins
      trumentos eram DELE IMPERIAL !
      Todos acreditaram. O tempo se passou e um dia Eu-
      clides estaria na casa de REiNALDO RAYOL e viu
      “sua guitarra” e se lamentou que não a tivesse ga-
      nho de fato. Reinaldo então, desprendido, reconhe-
      ceu o “caô” do Imperial e disse para Euclides
      levar a guitarra pois realmente o sr Bedran havia
      DADO os instrumentos aos músicos de RSBC e não !
      a Carlos Imperial.
      Acho que aí então esta destrinchado o papo do Aguillar.
      Imperial conhecia e até frequentava o programa do
      Antonio , ´pois chegou até a ser divulgador da Grava-
      dora ODEON e como vcs sabem os divulgadores pre-
      cisam muito dos grandes” disc jókeis” nome na época
      dado à pessoas como o Antonio. Assim é bem possível
      que sejam essas mesmas guitarras e amplificadores q
      Aguillar se refere, pois no Rio de Janeiro não havia
      guitarras nacionais, só em São Paulo.
      Deste modo ,Renato e Aguillar , espero ter contribui
      do como um HISTORIADOR amador para destrinchar
      o episódio. O Reinaldo o Euclides e o Roberto ainda
      estão ai para se manifestarem à respeito.
      Nota. Aguillar não se esqueça pf. de responder aos meus
      e mails com Sim ou não.
      Abraços do Paulo de (Paulo e Mary e OS Jovens)

  2. LÍ COM ATENÇÃO TODAS AS RESPOSTAS DO RENATO E CONCORDO PLENAMENTE, QUANDO ELE SE REFERE AO “TRÍO DA SANTÍSSIMA TRINDADE” DA JOVEM GUARDA. MUITOS FÃS DE DETERMINADOS CANTORES,QUEREM INCLUI-LOS, NO RESTRITO “GRUPINHO” DA JG, POR AMOR AOS MESMOS, O QUE É COMPREENSSÍVEL, MAS NÃO É ASSIM. RENATO BARROS É UM EXEMPLO DE PROFISSIONAL,ÉTICO E GUERREIRO. TOQUEI ALGUNS BAILES(ESTOU SENDO REPETITIVO) AQUI EM FORTALEZA COM O RSBC, O RENATO (MENOS O CID,QUE NESTE DIA SE SENTÍA MAIS ESTRELA,DO QUE É) , O PAULO CÉSAR E OS DEMAIS BLUE CAPS, GENTILMENTE AUTOGRAFARAM A MINHA COLEÇÃO DE VINÍS, DO “TWIST AO “PRA SEMPRE” .ADORO ESSE ARTISTA E FIGURA HUMANA, DE NOME RENATO BARROS.

  3. Lucinha Zanetti, parabéns pela entrevista, por sua objetividade e clareza do entrevistado.
    Sou muito fã do Renato e Seus Blue Caps e os vejo em lugar de destaque não só no período d Jovem Guarda.
    Abraços e até a próxima, João Costa.

    • Falar de Renato & Seus Blue Caps é muito dificil, principalmente quando participamos deste banda. Só estou admirado é Renato não comentar sobre o Divino Moraes que tocou tanto tempo com a banda e fazia belos backvocais. mesmo assim espero que ele fale de todos os componentes que participaram da banda, e contribuíram para o suecesso da mesma. Um abraço a todos os nossos fás do Divino Moraes Guitarrista-Solo e vóz da banda

      • Olá Divino Moraes, você tocava qual instrumento e em que período você tocou na banda Renato e Seus Blue Caps?
        Por acaso usava outro nome?
        Desculpe mas não me recordo pelo nome…

      • Para quem passou ou passar por aqui e ler este comentário de Divino Moraes, quero informar que nem Renato, nem Paulo César, jamais ouviram falar dele, portanto do conjunto Renato e Seus Blue Caps ele nunca participou.
        Muitos gostariam de ter feito ou ainda fazer parte desta banda famosa e carismática, porém poucos tiveram ou terão tal privilégio. E mesmo aqueles que tiveram breve participação mas que até chegaram a prejudicar o andamento do grupo, acredito que vocês concordarão comigo: nem merecem ser citados!

  4. Sou fã do “Renato e seus blue caps” desde o inicio, eu acho que eles representam a Jovem Guarda mais do que todos,,. esta na memória de toda garotada da época que curtiam um som Legal,..suas musicas não podiam faltar nos bailinhos caseiros de festas e aniversários.
    Abs, a todos, Duda Marques.(Santos, SP)

    • Adorei a entrevista. Sou fã de Renato Barros. Grande compositor e músico. Merece todo respeito e admiração pela sua arte e importância pra nossa música.

  5. Todos sabem o quanto amo e admiro Renato Barros,
    quer seja como artista quer seja por homem bom e
    inteligente que é.

    Convivi com ele como adolescente no Hoje É Dia de
    Rock e TVs, como jovem na CBS, como homem feito
    na Gema sua gravadora e agora quando já somos
    senhores.

    Até uns poucos anos atrás ele não comentava seu
    desgosto com Roberto , Erasmo e o Programa Jovem
    Guarda.
    Acho ,amigo Renato, que vc está vendo com ótica de
    senhor o que foi feito por praticamente garotos.
    Procure fazer um retrospecto e se imagine em 1965
    Faça um esforço e se lembre como pensávamos ,agi-
    amos e as alternativas que tínhamos.
    Nossos horizontes eram limitados e não programávamos a vida como hoje.
    De outro lado tínhamos pouco poder de autonomia
    sobre produtores, estes sempre mais velhos que
    nós.
    Lembro isso apenas no intuito de fazer justiça e
    apaziguar o seu espírito a fim de que vc não tenha mais que frequentar o divã de psicóloga, a
    menos que seja para levá-la para ele tb ,como
    vc mesmo disse ( eh eh !)
    Roberto e Erasmo certamente estavam deslumbrados com a eclosão do programa e com certeza não” quebraram lanças” para a sua contratação imediata, a meu ver por avoamento.
    De outro lado estavam interessados, primeira-
    mente, em se estabilizar, contratando inclusive,
    conjuntos musicais que os acompanhassem pois
    era tudo ao vivo.
    Conjuntos como Blue Jeans Rock, Flemings e Fenders( Fevers) até gostavam de acompanhar colegas cantores.
    Mas Jet Blacks ,Clevers e ………Renato e Seus Blue
    Caps que já eram ASTROS consagrados era muito
    difícil conseguir este acompanhamento musical.
    Renato gravava e acompanhava na CBS pq o Diretor Evandro mandava e pagava a hora extra.
    Fora disso só mesmo por amizade. Vi inúmeras
    vezes o Roberto atrás de vc indo até ao banheiro
    da CBS pedindo para você continuar as gravações
    até mais tarde . Chamava-o até de “Renatinho” a fim
    de te enternecer e atende-lo. Lembra-se?
    Dai achar que o “Rei e o Príncipe” ( nomeada sua)
    se sentiam um pouco constrangidos com fazerem
    pedidos para vcs acompanhá-los ao vivo.
    Não acredito que eles não quisessem que vocês
    partilhassem com eles o programa. Qual o jogador
    que não quer ter companheiros “bons de bola ” na
    mesma equipe ? E vcs sempre foram queridos e com
    potencial incrível esse foi um fator do sucesso da JG
    diversos talentos participando de um mesmo show.
    Acho que o amigo deve atenuar sua mágoa e manter
    a paz “intra muros” pois vc lembra o quanto fomos
    perseguidos por produtores e mesmo colegas que
    nos tachavam de entreguistas só porque o ritmo de
    nossa preferência tinha raízes em outro país. Não
    fosse o considerado ritmo pátrio, o samba, também
    de origem fora da nossa terra Nós, Roqueiros nacionais ,não fazemos restrições a ritmos pois o que apreciamos é A MÚSICA !
    Claro que Roberto e até Erasmo não nos dão mais a mesma atenção como outrora , como vc mesmo dá a todos,
    sempre humilde, embora tão talentoso quanto eles, atendento aos fãs após os shows ,que fazem fila para vc e Cid
    pacientemente ,atenderem um por um !
    Mas envelhecemos amigos, tivemos nossos desgostos e
    eles ,convenhamos ,tiveram até mais que nós……………..
    “Perdoai -nos as nossas dívidas assim como perdoamos à
    nossos devedores” essa é a frase do antigo “Pai Nosso”
    a oração mais bela e proveitosa que já existiu Coloquemo-la em ação.
    UM ABRAÇÃO do
    PAULO ( DE PAULO E MARY E OS JOVENS )

  6. Tenho o privilégio de acompanhar e conhecer RSBC, como radialista mesmo no interior de Minas, estão sempre em evidência, não deixo de colocar suas músicas em meus programas.Aproveito a oportunidade para parabenizá-la pela entrevista, pela forma como ele foi enfático nas suas respostas,pelo que conheço, refletem a verdade sobre a banda, continuo fã e divulgando suas músicas. Lucinha, dependemos muito de sua página para conhecermos a realidade muitas vezes deturpadas ou omitidas.

  7. concordo com tudo ,que o Renato Barros escreveu aí sou fã do conjunto desde os anos 60. na extinta TV RIO progama a festa do Bolinha com JAIR DE TALMARTUGO .aos sabados a tarde era muito bom sou de Campo Grande e ate conheço o cid ele morava ali perto da esquina do pecado em Campo Grande . na quela época ajente todos garotos saiamos juntos para procurar festas ou HIF HIF e sem querer batemos na casa do CID o Renato estava mostrando a todos o seu carro que éra VEMAGUETE e afesta era o aniversário da irmã do Cid . bem por causa deles RENATO E SEUS BLUE CAPS conheço todas as músicas do grupo e gostaria muito de tocar com eles também guitarra ou baixo participando do ensaio deles e hoje estarei com eles no baile em Pedra de Guaratiba sou fã deles um abraço.

  8. SAUDOSO ELMAR PASSOS TOCAFUNDO, PRIMEIRO DIVULGADOR DA CBS, FOI O PRIMEIRO RADIALISTA NO BRASIL, A PROGRAMAR NAS RADIOS MINEIRA E GUARANI, DO GRUPO DOS DIARIOS ASSOCIADOS, OS DISCOS DA CBS POIS RECEBIA OS DISCOS EM PRIMEIRA MÃO,PRA DPS LEVAVA AS OUTRAS RADIOS. .. COMO RENATO E MUITOS DA CBS DIZERAM :, ELMAR FOI UM DOS PILARES DA CBS. COM SEU CARISMA ALÉM DAS RADIOS QUE TRABALHAVA, COLOCAVA NAS OUTRAS RADIOS DE BELO HORIZONTE. PARA TOCAREM OS DISCOS DA CBS, NA QUAL ERA O RESPONSAVEL!!!, NESSA ÉPOCA AS PRAÇAS MAIS IMPORTANTES ERAM SP- RJ-BH. ELMAR PASSOS TOCAFUNDO, ALEM DE DIVULGADOR DA CBS NOS ANOS 60, ENTROU PROS DIARIOS ASSOCIADOS EM 1956.

  9. Caro Renato Barros
    Parabenizo-o pela sua espontaneidade e sinceridade ao comentar de como se deu a participação da banda RSBC no programa Jovem Guarda. É evidente que a omissão não ocorreu por um mero descuido, mas, sim, por um livre arbítrio intencional. Já havia lido uma sua entrevista, há anos atrás (1999), quando fizera uma breve digressão a respeito. Folgo em vê-lo, já septuagenário ( também o sou) com a lucidez e clareza com que respondeu às perguntas, por e-mail. Devo informá-lo que o conheço desde os tempos do bairro da Piedade, quando ainda adolescentes, tendo frequentado, por um curto tempo, alguns ensaios, onde tudo começou, no apartamento da antiga Avenida Suburbana. Eu sou aquele que ficou com a gravação feita no banheiro do apartamento ( por razões acústicas- rs. rs.), sob a orientação do saudoso Sr. Barros, e nunca o devolvi, já que, involuntariamente, causei nele danos irreversíveis. Nele foram gravados alguns rocks do Elvis, tendo o Edinho como protagonista. VC , com certeza, ladeado pelos irmãos (Paulo Cesar e Edinho), foram vanguarda daquele movimento. Assisti à sua apresentação, com o Getúlio Cortês, no Teatro Rival, Há, aproximadamente, dois anos.
    VC é um virtuoso. PARABÉNS !!!
    Um fraterno abraço.
    Natan Loyola.

    • Olá Natan, enviei seu comentário ao Renato, que respondeu assim:

      “Obrigado amigo Natan. Não as minhas palavras como revolta ou coisa parecida, apenas resolvi falar certas verdades que foram omitidas. Não quero nada, mesmo porque, é um pouco tarde. Quero apenas que daqui a cem anos, as gerações da época falem do meu trabalho de uma forma verdadeira e justa. Não estou preocupado com o presente. Um grande abraço, querido Natan.” (Renato Barros)

  10. Renato e seus blue caps são icones de uma geração por tanto merecem um reconhecimento justo da midia deste país. Louvo aqui o carlos massa que vez por outra ainda leva esses artistas
    inesqueciveis e serginho groisman que também sempre apresenta essa turma maravilhosa no altas horas.

    • Talvez por que ele teve uma passagem meteórica, ou seja, rápida, além de ter prejudicado a banda levando consigo o baterista para tocar em outras plagas… rsrs Penso que seja por isso, é só a minha opinião.

  11. A quem não gosta de ouvir Renato e Seus Blue Caps, vivo isto desde a minha infancia e até hoje acompanho suas apresentações, como em Salvador, Aracaju etc, vamos fazer uma festa em Salvador Renato.Um Abraço

  12. Renato e seus Blue Caps….sou fã desse conjuntaço (quando era jovem pensava que o conjunto utilizava bonés azuis….rsrsrsrs. Apreciei muitíssimo ao revê-los nos The Originals dos quais tenho os 3 DVDs incríveis. Lamento profundamente a perda de grandes músicos após tais gravações, como Manito, Mingo, Nenê dos Incríveis, o Ed Wilson e tantos outros músicos geniais. Abraço fraterno e se vierem fazer algum show em Londrina, me avisem para curtir com outros amigos dos bons tempos (tenho 69 anos). Mário Jorge Tavares

  13. Renato Barros, vc é um ícone e comanda ( usando aqui as palavras da amiga NICE CAPIN) a maior e melhor banda do mundo. Curto vcs desde os Anos 60. Coleciono todos seus LPs que pra mim não tem preço. Que DEUS te dê muita saúde e muito tempo de vida, pra vc continuar nós brindando com suas lindas músicas. José Saulo, 66 Anos, SP.

  14. RENATO BARROS:SOU SEU FÃ E DA SUA BANDA DESDE 1964.SEMPRE OS ACOMPANHEI DESDE ESTA ÉPOCA E TODAS AS SUAS GRAVAÇÕES.SEMELHANTE AO RSBC ATÉ OS DIAS DE HOJE NÃO EXISTE.MUITA SAUDADE.ABRAÇO .

  15. Sempre estranhei a ausência de RSBC nos especiais de Roberto Carlos, mesmo com várias homenagens à Jovem Guarda, resumida a um trio. Qualquer lixo musical que esteja fazendo sucesso momentâneo, impulsionado pela gigantesca máquina midiática, tem espaço no programa. Já Renato Barros, que ajudou a definir o som daquele período com sua guitarra, fica de fora, assim como outros músicos. Fica ruim para o poderoso…

  16. Renato é muito maior que esse trio Jovem guarda, pois é um grande musico e ajudou muita gente, embora muitos não tenham a coragem de assumir. O Renato Barros é um cara super correto parabéns Renato……

  17. Grande Renato Barros, em 2008 aqui em Campo Grande MS, estive em seu camarim na União dos Sargentos onde RSBC fez um grande baile, voçe na época autografou um caixa de todos os CDs que eu tinha pois infelismente foi roubada e eu não consigo achar outra, inclusive tenho foto com o Renato, voçe Renato sempre será meu idolo que eu aos 65 anos jamais esquecerei, pois aprendi tocar bateria com seus discos. Abraçoes Luiz Carlos

  18. Renato Barros, não concordo com a resposta que o Roberto Carlos, deu sobre voces da JOVEM GUARDA, nao participarem do programa da Globo, , porque se não a propria Globo, nao iria contratar atores e atrizes que fizeram parte da antiga RECORD. Pra mim isso e papo furado. Tenho em minhas mãos cartas, onde seu amigo Saudoso Elmar Passos Tocafundo, sempre enviava cartas ao Chefe de Divulgação no Brasil da GRAVADORA CBS, Como Elmar Tocafundo, tb era produtor de programas,programador de 2 Radios dos Diarios Associados e Disk Jokey , sabia perfeitamente o quanto voces RENATO E SEUS BLUE CAPS, vendiam demais e todas as musicas estouravam nas paradas de sucesso.. Isso sem falar que ELMAR PASSOS TOCAFUNDO, foi o primeiro Radialista a programar no rad os artistas da JOVEM GUARDA, Afinal era do interesse dele. divulgar e estourar os discos de todos voces ,isso sem contar do Carinho que Elmar, sempre teve por voce, sempre tocando suas musicas ate pouco tempo , antes de sua partida em 2001. Tem um depoimento do Jerry Adriani, que quando ele começou e ia pra BH, fazer trabalho de divulgação e ninguem das outras radios,não o conhecia e, so tocavam devido o prestígio e o carinho que os colegas do Elmar ,tinha por ele. Como ate hoje em 2016, e querido por seus colegas de Radio. Eu faço parte há 30 anos , da maior Radio de Minas em Belo Horizonte.e, tenho muito orgulho em fazer parte desse time da RADIO ITATIAIA,,que trasmite sua programação pra quase toda MINAS GERAIS , Via satélite, internet e canal 411 da sky. Desejo a voce Renato, Cid e demais integrantes da Banda muita saude,pois voces sao muito queridos ate hoje. .

  19. Esse assunto por certo rendera muito pano pra manga. Respeitando as razões de todo mundo e sua verdade singular. Acho que todos teem seus motivos, acertam e erram, só o ruim da historia eh quando se erra propositalmente, ai deixa feridas e cicatrizes. Eu particularmente sempre achei o Roberto meio esquecedor da JG, mas enfim sao coisas que nos mortais a distancia nunca saberemos. Abração a Lucinha pela bela entrevista, espero que hajam outras…especialmente ao entrevistado

  20. Sou fã da banda desde 1965 quando nasci. Fico chateado com a rivalidade entre os dois Barros, mas isso aconteceu com os Beatles também. Foi um para cada lado… Gostaria ao menos de velos reunidos em um mega DVD. Mas fazer o que ? Espero um novo show da bada aqui em SP, pois parece ser o lugar aonde eles menos se apresentam, por falta de convites das casas de show…

  21. Olá Lucia Zanetti, como está? A sua página é de uma excelência a toda prova. Obrigado por me dar a chance de aproveitá-la também. Falar de Renato e seus Blue Caps é como falar de uma quase perfeição. Sou fã dessa banda desde que me entendo por gente. Em 1965 eu morava na Tijuca (RJ) e embora fosse ainda um adolescente eu já curtia RSBC. Era como ouvir os Beatles cantando em português (rsrsrs). Anos depois, já adulto, eu participava de uma banda que reproduzia as músicas do THE BEATLES. Essa banda tinha o nome de um LP dos Beatles – REVOLVER, e fomos convidados pelo radialista Mario Marcio, titular do programa BEATLES FOREVER, para participar de um projeto chamado JOVENS QUARTAS, levado a efeito no RODA VIVA (Praia Vermelha) para fazermos a abertura do show cuja atração principal era RENATO E SEUS BLUE CAPS. Imagine a emoção para um fã, de tocar no mesmo palco que seu ídolo! Indizível!!!! Lembro-me, como se fosse hoje, que após alguns instantes em que começamos a nossa apresentação, vi o meu ídolo Renato Barros, num canto do palco, nos observando e fazendo um sinal positivo com a cabeça. Ali, naquele instante, senti a maior recompensa que um músico pode ter, o reconhecimento do seu trabalho, ainda mais partindo de um ícone da música brasileira como Renato Barros. Após a nossa apresentação, fiquei extasiado com os elogios que ele teceu ao nosso grupo pelo trabalho que acabara de assistir. Após o show do RSBC, voltamos a conversar e trocamos telefone de contato. Nesta época, a formação era Renato, Cid, Velasco, Gelson (pai) e Signorelli. Tive a satisfação e o privilégio, durante algum tempo, de usufruir da amizade do meu ídolo. Como tudo que é bom demais pra ser verdade, acabei perdendo o meu celular e consequentemente o número do Renato., Anos se passaram e fui transferido para o interior do Paraná. Hoje moro em Apucarana e tenho um programa de rádio chamado SINTONIA EM FLASHBACK. que consiste em uma programação diferenciada. A 1ª hora é dedicada aos Beatles, mas sabe qual a música de abertura? COMO HÁ DEZ ANOS ATRÁS. Na 2ª hora há uma diversificação de cantores, estilos e idiomas onde o RSBC sempre está presente. Uma vez fã, sempre fã!!! Espero que eu possa contribuir para perpetuar esta lenda tão real e magnífica chamada RENATO E SEUS BLUE CAPS. Muito me honraria se você nos prestigiasse com a sintonia para poder passar para o Renato que, numa pequena cidade do interior do Paraná, onde grassam pretensas músicas de quase nenhum conteúdo, há um paladino que luta para não permitir a dilapidação do talento e nem deixar morrer o gosto pela verdadeira música. Caso tenha interesse em conhecer o programa basta acessar o Facebook do programa que lá estão os dados. Muito obrigado, um grande abraço e continue sempre assim. Vicci Vieira

    • Olá Vicci, muito obrigada por este depoimento.
      Assim como você, comecei a ouvir RSBC em 1965 e você deve ter notado que continuo fã até hoje. Ehehe
      Já somos amigos no Facebook? Me mande o link da rádio, por favor.
      Abraço.

    • Vicci Vieira, resposta do Renato pra você.

      “Poxa, lembro-me perfeitamente desse show do Roda Viva e da ótima banda Revolver. Já estivemos aí em Apucarana há alguns anos atrás e temos uma grande amiga na cidade, ela é uma grande veterinária, CLAUDETE amiga a quem amamos muito. Obrigado pelos elogios generosos e pelo seu carinho, estamos pra confirmar um show em Maringá ainda este ano. Adoro o Paraná e espero que conheça o nosso show (dependendo da distância ). Temos feito shows maravilhosos no estado. Londrina, Curitiba etc. Um grande abraço, querido amigo.”

  22. POXA VIDA. COMO NÃO PARTICIPAR DESSE SITE. QUE SAUDADE MEU DEUS. ATE HOJE EU LIGO MEU APARELHO DE SOM PARA CURTI AS LINDAS MUSICAS DO RENATO E SEUS BLUE CAPS. ÉPOCA BOA QUE NÃO VOLTA MAIS. A SAUDADE NÃO MATA,MAIS JUDIA MUITO. PARABENS PELO SITE. SENSACIONAL

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s