Um sonho Realizado: Eu vi um Show da Banda BonsTempos Beatles Cover!

Tudo começa num certo dia de dezembro do ano de 2007. Caminhando pela praia de Itanhaém, litoral sul de São Paulo, conversei com meu marido sobre a minha vontade de ir ao Rio ver o show da Banda BonsTempos Beatles Cover, do meu grande beatle amigo Jucka Pinheiro!
A apresentação dar-se-ia dois meses após este dia. Meu marido concordou de imediato e minha emoção começava ali!
Para embarcar nesta “magical mystery tour” movi mundos e fundos!
Convidei minha filha Michelle para irmos juntas, no que ela aceitou com extrema felicidade.

Terminou o ano de 2007 e eu já sabia que 2008 seria o ano que eu chamaria de… “ano do meu sonho realizado”!
Comecei os preparativos, tanto na parte pessoal como também na nossa comunidade, a We Love The Beatles Forever. A data se aproximava e com ela aumentava toda a minha ansiedade! Estava tudo perfeito… tudo caminhando para o grande desfecho
!

Embarquei para São Paulo na quarta-feira, dia 13 de fevereiro, e passagens compradas, avisei minha amiga Eliete, em São Paulo, para que fôssemos juntas na viagem e também ao show tão aguardado!
Dois dias depois, precisamente dia 15 de fevereiro, nos encontramos na Rodoviária do Tietê e exatamente às 23h45 embarcamos rumo a esse sonho agora já não tão distante…

Chegamos na Rodoviária do Rio de Janeiro quando o dia já estava amanhecendo. Foram 5 horas de puro êxtase emocional!! Estava cansada, mas Feliz. Tomamos um Táxi e fomos para a casa do meu sobrinho Renato, em Ipanema, um Lugar agradabilíssimo.
Eliete chegou primeiro, e seu marido Luis a aguardava. Depois fomos nós a chegar, sendo recebidas pela minha sobrinha Mariana, filha de Renato. Foi assim que se desenrolaram nossos primeiros passos na Cidade Maravilhosa !


Descansamos algumas horas e saímos para almoçar e passear pelo famoso bairro “da garota de Ipanema”, imortalizada por Tom Jobim e Vinicius de Moraes.
O tempo passou e o grande momento estava prestes a chegar!
Entre contatos telefônicos e Emails, ficou combinado que a Eli e seu marido passariam para nos apanhar e seguirmos juntos para a nossa grande noite!
Às 18h eu estava pronta! Mil coisas passavam pela minha cabeça… enquanto Michelle e Mariana vagavam pelo ambiente, displicentes e tranquilas!
Eu me inquietava! Queria vê-las se agitando! Vamos meninas, apressem-se! Está na nossa hora!
Eli chegou e partimos para a Barra da Tijuca; nervosismo… ansiedade… frio… calor… um acidente no trajeto fez com que levássemos mais de duas horas para chegarmos ao local, causando uma ansiedade descomunal! Nesse meio tempo, celulares tocaram, contatos foram feitos, e já sabíamos que algumas pessoas estavam à nossa espera, outras presas também no congestionamento, assim como nós!

Chegamos ao Shopping Barra Mall, endereço do Bar 3 Potes, quando o relógio estava perto de marcar 21h! E era para estarmos lá às 19h30… mas tudo bem, o importante é que chegamos!
Não me lembro quem foi a primeira pessoa que vi, era muita ansiedade, mas olhando ao redor, vi tudo que precisava! Rostos conhecidos, pessoas me chamando pelo meu nome, sem nunca termos nos encontrados antes.

Foi uma emoção atrás da outra e a maior delas, ainda estava por vir, ou seja: Ver e ouvir a Banda Bons Tempos, ao vivo!!!
E estavam lá as pessoas que se chamavam uma às outras pelo nome com intimidade, quando era a primeira vez que se viam pessoalmente ! E, aquelas pessoas que reencontrei! Meu Deus!
Gritei o nome de Jenny Wren, que estava longe..Lágrimas…

De repente, um alvoroço… era José Luis que acabava de chegar, diretamente da Rodoviária e, pasmem, sem as suas habituais olheiras!
E veio o Samuel e sua irmã, vieram outras pessoas que eu só conhecia pela internet, como a Eliane, esposa do Jucka, o Francisco e sua esposa Margareth, o Márcio Brito e sua esposa Bebel, Pedro, Marquinhos, Mauro, Carlos, Edinho, integrantes da banda, e Jucka – ao vivo e em cores… “in person”!
Chegaram ainda o Lulla, o João Costa e esposa, o Ricardo Teixeira McCartney, a Débora e Thiago e enquanto a conversa fluía animada, lá de dentro ouvi pela primeira vez o som tão esperado!
É indescritível a emoção que senti quando os primeiros acordes tocados pela banda foram ouvidos naquele ambiente onde a troca de afinidades era evidente! Eram os primeiros acordes de Magical Mystery Tour”!

E quando a Lizzie Bravo chegou, mais emoção! Estava eu alí diante daquela que sabemos ser uma lenda viva, uma das únicas brasileiras a ter convivido com os quatro rapazes de Liverpool e, não bastasse isso, a pessoa que cantou com eles, ao lado deles, no famoso estúdio em Abbey Road! Sentimento indescritível!
Tudo ia sendo devidamente registrado em fotos e vídeos e quem não pôde estar presente foi lembrado e citado, como é o caso da Luciana do “Canjinjin”, o Gerson, o Johnny e tantos outros.

A Luciana enviou o Canjinjin diretamente de Mato Grosso, e ele foi muito bem apreciado, sem moderação! Pudemos finalmente provar esta famosa bebida afrodisíaca matogrossense, graças à boa vontade de Luciana em me enviar via Sedex. O canjinjin chegou em Piracicaba, passou por São Paulo e seguiu comigo para o Rio de Janeiro!

Num dado momento, esteve presente a reportagem da TV Bandeirantes no local e foram entrevistados, além de Lizzie, o motivo da presença deles, também o Jucka, Michelle, José Luis, Francisco e eu. Bem, enquanto a Banda Bons tempos íam tocando os sucessos dos 4 Fabulosos, eu nem percebia, mas estava viajando no Túnel do tempo! Minha sensação era que, “John,Paul,George & Ringo”, estavam ali, pessoalmente, em pleno seculo XXI, diante de meus olhos, diante de mim, diante de meu Tempo, de minhas emoções, gritos e lágrimas !!!
Eliete e eu (Foto ao lado), seguíamos firme por essa “Tournée” repleta de Magia, Cores, Luzes e Som… Uma mágica que eu não deixo sair pelos meus dedos…E continuo, seguindo em frente, por essa deliciosa, “Magical Mystery Tour“…

Eu dançava, cantava, eu estava no tempo presente e passado!
Tentava me acalmar, enquanto bebia meu “Canjinjim”. Dançava como se não houvesse amanhã…Pulava, como se o Passado fôsse meu par ideal…Mas ele “existia”, estava ali, comigo, e na alma de Lizzie Bravo, a mulher que virou um Mito, que esteve com eles, sim, com The Beatles, em 1969, cantando “Across the Universe“, em Abbey Road… Talvez nem percebesse…. Obrigada LizzieBravo.
Acabo de entra pra História, através de suas proprias lembranças, tão vivas… Tão presentes!!!

Como tudo que é bom chega ao seu final, a noite passou e chegou a hora da despedida!
Esta parte prefiro pular, porque tenho certeza que em breve, mas muito breve mesmo, a gente vai se encontrar novamente
!
Abaixo seguem alguns depoimentos de beatle amigos a respeito desta noite maravilhosa vivida e compartilhada no Bar 3 Potes, Rio!
Samuel Dutra escreveu:
“A Lucinha disse quase tudo porque, realmente, dizer tudo é uma tarefa praticamente impossível. A sensação era a de que tínhamos atravessado dimensões, saindo do mundo virtual de nossos computadores direto para o mundo “ao vivo e a cores”.

 

Mais parecia uma verdadeira festa em família. Realmente, a sensação que se tinha é que todos nós fazíamos parte de uma grande família, como se fossem parentes que nunca se tinham visto antes ou, então, amigos de longa data que até então não se sabia que existiam e que vieram todos
a se encontrar depois de muito tempo.

A simplicidade, a cordialidade, a alegria e a simpatia de todas as pessoas envolvidas no evento, sem exceção, deram a tônica dessa, já para mim. histórica festa.
A afinação foi perfeita: músicos, público e o pessoal do 3 Potes (isso mesmo, dava para perceber que até os próprios garçons também tinham entrado no clima).
Mas a maior afinação, literalmente falando, ficou mesmo por conta dessa sensacional banda, a BonsTempos.
O capricho nos vocais e na instrumentação foi algo que realmente me surpreendeu, tal a perfeição da reprodução dos detalhes que mal conseguimos perceber na execução das músicas dos Fab Four.
É necessário sair do YouTube (que não retrata a realidade, em termos de qualidade, do que se ouve – cheguei a comentar isto, no final, com o Jucka) e conferir lá de perto, na presença desses
também FABULOSOS artistas da banda BonsTempos, o zelo e a competência com que eles reproduzem as canções dos Beatles!
“Yes it Is”, por exemplo, que na minha opinião requer um vocal dos mais complexos e complicados de ser feito, sou franco em dizer que, se ouvi de uma banda cover, um vocal para essa musica mais perfeito ou parecido com o dos Beatles, não me lembro mesmo, igual não vi. E não bastasse isso, o pessoal da banda é super gente fina, taí o Jucka que a gente bem conhece, para provar o quanto isso é verdadeiro.
Aliás, caro Jucka, aproveito para te agradecer toda a cortesia e atenção com que recebeu a mim e minha irmã, bem como durante todo o tempo em que lá permanecemos.
Enfim, a aura iluminada da BonsTempos foi um fator decisivo para o brilhantismo da festa.E vejam só, e tudo isso sem falar, até agora, na Lizzie. O que lemos na “telinha virtual” sobre a Lizzie é a mais pura verdade. Ou seja, sua simpatia, alegria e fidalguia realmente nos cativam a ponto de, como bem disse a Lucinha, de a gente querer ficar grudado nela e não soltar mais.
Ah! Constatei que o JL é um “brigão fake” (risos), porque, ao vivo e a cores, não dá pra brigar com esse grande cara que tive o prazer de conhecer, se bem que ele ficou me cutucando com suas habituais críticas querendo me mostrar, praticamente a cada música que era tocada, onde Paul era muito superior a John.

A Jenny estava lá cedinho (acho que fomos os primeiros a chegar, e só não cheguei mais cedo por causa do engarrafamento que peguei no
caminho) com a simpatia e o belo sorriso de sempre. Pouco tempo depois me encontrei com a Lucinha com toda aquela vibração e delicadeza que já conhecemos, bem como com a Michelle e a Mariana (simpática sobrinha da Lúcia) que emprestaram ao ambiente o seu toque de juventude e graça. Com toda a galera distribuída em uma longa mesa, estrategicamente reservada pelo Jucka, com mira privilegiada para a banda, tive a satisfação de me sentar ao lado do Francisco um cara super gente boa, que veio de Porto Alegre e, do meu lado direito, a Eliete que veio confirmar a pessoa agradável, animada e amiga que eu já tinha tido o prazer de conhecer na ocasião da apresentação da banda Revolution, do Mallagoli, em São Paulo.
Ah, e sobre a mesa lá estava o famoso kanjinjin da Luciana cuja garrafa secou rapidinho.
Enfim, me perdoem os amigos que aqui não citei mas é porque a noite passou rápida demais e acabei não tendo uma oportunidade de conhecê-los melhor.
Gerson, Johnny, Luciana, enfim, toda a galera amiga e participativa, vocês fizeram falta, mas a presença de vocês estava lá, não fisicamente, é verdade, mas na atmosfera do 3 Potes – em noite da banda BonsTempos – que a todos vocês também pertence.

Para encerrar (já era tempo….rsrs) deixo aqui esta mensagem:

A Magia andou rondando o 3 potes naquela noite, naquele lugar e, através dela, o mito se fez presente entre nós. Ah! E ainda esqueci das entrevistas e filmagens da Band-Rio…bom demais, não é não?

José Luis Queiroz escreveu:

“Ao chegar constatei que o Samuel era da minha altura. Fiquei muito feliz porque poderia continuar atazanando-o. Só fui reparar que ele estava sentado, algum tempo depois… fiquei seu amigo de imediato!

O meu encontro com a Lucinha ficará marcado para sempre na memória, digo, nos cabelos dela. Foi onde eu derrubei meu copo de coca-cola.

A garrafa de “Kanjin-não-sei-o quê” deixou todos alucinados: eu virava pra jenny e amigas e perguntava: – Porque aquele cara está dançando “erguei as mãos”, do padre Marcelo, se a BonsTempos tá cantando “The Night Before”? E tome mãos pra cima e mais aleluias.

A Eli levou o marido para se defender, não pude chegar perto. Só deu pra discutir sobre a divisa da Pompéia com Perdizes (bairros de São Paulo), mesmo assim rapidamente.

A equipe da Band entrou e um jovem simpático, chamado Lulla, perguntou “onde é o incêndio”?

A Lucinha filmava tudo. Nem reparava que a máquina não estava funcionando.

Tudo que eu consumia punha na comanda do Francisco e esposa, o casal mais simpático, mais limpo e mais bonito da noite! O Francisco é tão educado e tão elegante que nem deu para azucriná-lo.

Lizzie chegou com tudo: fotógrafos, estações de rádio e TV, jornais, repórteres com microfones na mão – pronto – virou festa de arromba! Tinha até a garota-papo-firme, uma tal de Michelle. Alguém me confundiu com o Bob di Carlo (você é o meu tijolinho, que faltava na minha construção… é verdade!), eu respondi rapidamente: meu amigo, eu sou o Roni Cócegas!

A BonsTempos estava arrasando, mas o Jucka ficou meio decepcionado comigo, eu apenas pedi uma música, achei uma falta de consideração, mas ele me prometeu: “Tá bom, Zé. Na próxima eu toco Revolution 9”!

No final o Samuel concordou comigo: quando era música de Paul, como na hora do “All my loving” e “I saw her standing there”, o Três Potes pegava fogo, a mulherada subia na mesa, os homens erguiam as mãos para o céu. Tudo era música de verdade e sem estridência. Os Beatles “é Paul”!”

Jucka Pinheiro escreveu:

“A nota triste de 16-02-2008 no 3 Potes”

A história a seguir só pude entender depois de juntar a parte que vi com a parte que a Eliane viu. Lá pelas tantas, durante o show, segundo a Eliane, surgiu do lado de fora de onde estávamos tocando uma jovem e robustíssima Barata (com b maiúsculo mesmo), que estava vindo provavelmente de alguma academia ali na Barra, com todo o jeitão de quem chega pra arrumar problema. Pois é, segundo a Eliane a Barata ia da mesa dela para a mesa onde estavam as pessoas da comunidade, voltava, dava uma chegadinha na mesa do Lula e do Ricardo McCartney, sendo que com esse ela quis arrumar uma confusão, ao tentar subir pela perna dele, o que não conseguiu porque a Eliane avisou-o a tempo, e viu que ele se afastou horrorizado. Acredito eu que nesse vai e vem ela provavelmente ingeriu gotas de Kanjinjin que tenham caído no chão do copo de algum incauto, o que a deixou totalmente sem noção do que estava fazendo. Aí, eis que de repente pude sentir sua presença no salão interno passando bem em frente à banda, toda provocativa, na direção do bar, onde provavelmente ingeriu mais alguma bebida, misturando com o Kanjinjin, e ficou meio parada ali naquele espaço, talvez porque o banheiro estivesse ocupado. Ao notar a sua presença, acho que a música era Roll Over Beethoven, fiz um gesto de sobrancelha para um amigo do Carlos que estava no bar tentando faze-lo conter aquela arruaceira, ele não viu e ela já toda fugitiva, foi se esconder atrás de um móvel e eu pensei “Não vai prestar” dito e feito. Aos primeiros acordes de Long Tall Sally, ela reaparece já totalmente sem controle, subindo a parede, eu estava presenciando os últimos momentos daquela carreira criminosa. Terminada a música, a Debora e o Thiago que estavam quase encostados nessa parede se afastam e surge a irmã do Pedro, a Liz Mary e fala pra Barata “Pede pra sair, pede pra sair’ (Tropa de Elite) e levou a mão à arma (o sapato) ela subiu mais, desesperada, a Liz gritou de novo “Parada, F.B.I. (F.ãs de B.eatles I.ncondicionais) ela subiu mais, saindo do alcance de altura da Liz…

A essa altura toda atenção estava voltada para a cena, não tinha BonsTempos, público, garçons, nada….o tempo parou, aquela imagem pulsando, Liz-Barata, Barata-Liz, olhos nos olhos. Foi quando se deu o desfecho trágico, a Liz sacou o sapato do pé e arremessou (é treinada pra isso) certeiro, mortal. Acho que terei essa cena na mente pro resto da vida, posso vê-la agora em câmera lenta, o sapato e a Barata despencando já sem vida caindo estatelada no chão com um baque surdo, seguida dos gritos de ÊÊÊÊÊÊ da galera que assistiu chocada, e em seguida, bem típico de filme americano, as palmas, todos reverenciando a coragem e o desempenho da Liz. Ninguém mais dançou ou permaneceu naquele espacinho, talvez pra não mudar nada na cena do crime, a morte de uma fugitiva. Estão sendo providenciados dois mandados de busca e apreensão, um pra Luciana por ter mandado o Kanjinjin e outro pra Lúcia por tê-lo traficado na bagagem para o Rio. Não há outra explicação para a morte da “Barata Sarada”, como era conhecida no local, como vim a saber depois em minhas investigações.O corpo da Barata foi transferido para o IML para que sejam detectados ou não traços de Kanjinjin no sangue.Em 20.02.2008 estou registrando aqui na Delegacia We Love, atesto e dou fé.Epitáfio : “Em 16.02.2008 uma vida se encerrou, numa noite de Rock “N” Roll”Segundo testemunhas mais perto, não confirmado, as últimas palavras daquela que desencarnou foram:”O Gerson não veio, O Gerson não veio, pra que viver? Vida louca lá vou eu”Finalizando: Se forem constatadas as culpas de Luciana e Lúcia, as penas serão as seguintes:Lúcia: Comparecer ao Rio (3 Potes) duas vezes ao ano em liberdade condicional. Luciana: Mandar pela Lúcia toda vez que esta vier pelo menos 3 Litros de KanijinConsidero finalizada essa primeira audiência.”

“ALL RISE” Toc, Toc, Toc.

Samuel comenta o episódio da barata:

Finalmente revelado o segredo…
Psicólogos de todo o mundo não encontraram, até hoje, uma explicação razoável para a ensurdecedora gritaria das fãs em shows ao vivo dos Beatles.Com o fato verificado no dia 16 último, no 3 Potes, finalmente foi desvendado o mistério, ao serem minuciosamente analisados os seguintes depoimentos, aqui postados por Lucinha e Lizzie, dizendo o seguinte:“Mas uma coisa é certa! Se eu vejo essa barata, todo mundo deixaria o local de medo da MINHA GRITARIA, tenho pavor desse inseto nojentinho!” Foi então que, finalmente, depois de várias décadas de estudo, foi desvendado o grande mistério: As câmeras não registravam as baratas saradas beatlemaníacas que os Beatles atraiam em seus shows ao vivo; por isso, quem ouve e vê toda aquela gritaria da mulherada da plateia nunca desconfiou que aquilo não era outra coisa senão o retrato do puro pavor das fãs pela ‘baratada sarada’ beatlemaníaca que disputava com elas um lugar nas cadeiras para assistir às apresentações dos Fab Four…rs

Depois de comentar o episódio, Samuel preparou uma paródia que descreve exatamente o que foi a nossa noite no Restaurante 3 Potes no Rio de Janeiro, em 16 de fevereiro de 2008, data que éntrou para a história das comunidades do Orkut “We Love The Beatles Forever” e “BonsTempos”!

FESTA DE ARROMBA (de Erasmo e Roberto Carlos)

Uma pequena versão para um momento tão grandioso…

Vejam só que festa de arromba

N’outro dia eu fui parar

Presentes no local BonsTempos e a televisão

Amigos de outros Estados

Muita gente confusão

Quem passava via não podia acreditar

Na tamanha euforia que pairava no ar, e hey, hey, hey, hey

Que onda, que festa de arromba

Logo que eu cheguei, notei

Um clima alegre já na recepção

Enquanto Jucka na entrada

Bancava o anfitrião

Apresentando a todo mundo a banda, e então…

Jenny que sorria já mostrava a simpatia que ia imperar naquela noite de magia Hey! Hey! (Hey! Hey!)

Que onda!Que festa de arromba!…

The Night Before e outras

Os Beatles em canção

BonsTempos arrebentando trouxe a turma pro salão

Teclado e contra-baixo

Não podiam tocar

Enquanto a Lúcia e Eli

Não parassem de dançar…Mas!

Vejam quem chegou de repente

José Luis com sua provocação

Enquanto muitos junto à mesa

Provavam kanjinjin

Michelle e Francisco esbarravam em mim…

Lá fora um corre corre, de todos do lugar

era Lizzie Bravo que acabava de chegarHey! Hey! (Hey! Hey!)

Que onda!Que festa de arromba!…

De madrugada quando eu já ia indo embora ainda estava chegando gente… Belzinha, Gerson, JohnnydiBotafogo, Luciana, Paulo Brasil… e chegava mais gente… Alessandra, Debora, Henrique, Laura, Lilian, Marcos, Vania… bem, agora tenho que ir embora!Bye! Bye! Bye!

Jucka Pinheiro agradeceu aos amigos:

“Quero agradecer ao Francisco pelo seu belo trabalho de filmagem, edição, pela simpatia dele e da esposa Margareth, que vieram de tão longe para estar conosco e ajudar a fazer daquela noite, a noite muito feliz e especial, que eu acho que se tornou para todos que estiveram no 3 Potes. Agradeço em meu nome e em nome da banda BonsTempos, visto que os outros integrantes não aparecem muito no orkut. À Lúcia, dona da comunidade que depois de entendimentos com o marido para vir ao Rio em fevereiro, se empenhou em postar no tópico, incentivar mais pessoas a vir, criou lista, enfim, fez de tudo para reunir o maior número de pessoas, assim como o fez a Jenny, a da Magical Mystery Jenny Tour. Citando todos que me lembre no momento: Samuel e irmã, Eliete e Zé Luis, O Zé Luis (Ed), a Michelle, a Mariana, as amigas da Jenny, a Nathalia e madrinha, a Debora e Thiago, a Lizzie, o Lula (Luis Tiribas), o Ricardo, o Rafael. E também agradeço aos que não puderam ir mas que com certeza estavam lá espiritualmente conosco, os quais esperamos ver em breve todos juntos (Prometo All You Need Is Love):Gerson, Johnny, Luciana, Sergio Panda, Lílian, Alessandra, Vania, Andre Katz, Bald, Glaucio, Anderson (alguns estão só na Fórum). Vai chegar o dia, eu sei, outra jornada, outras músicas, clips, fotos, risos, lágrimas, abraços, outras baratas, tudo motivado pela música dos Beatles.We Love You Friends, that’s all.”

Gerson, que não pôde estar presente, disse…

“Francisco

Obrigado mesmo, você trouxe o 3 potes pra pequena tela do meu monitor mas conseguiu fazer com que me sentisse lá, ao lado dos meus maiores amigos.

JohnnyEsse teu “apanhado” geral do que rolou nos orkontros até agora merece um Oscar! Imagens perfeitas, trilha sonora maravilhosa e um diretor/editor/roteirista que é mais que um cara competente: é um ser humano fabuloso e um grande e dedicado amigo.

Aos demais Deus soube o momento exato de cruzar minha vida com todos vocês.

Obstáculos surgem a todo momento, e esse que se apresentou agora em minha vida será facilmente ultrapassado porque conto com o apoio de pessoas tão especiais como vocês.Bons Tempos in Rio. UM DIA EU VOU!!!”

José Luis escreveu:

“Grande Jucka
Lindo, Johnny! Sua presença física fez falta demais!Só não senti falta do Gérson, mesmo.Jucka, querido, você deu um show inesquecível ! Gostei até daquelas musiquinhas de 2 minutos do Lennon, antes da Yoko (o verdadeiro gênio do casal).Você e sua banda são notáveis.As guitarras na vez de Birthday, Gently Weeps e Carry the weight , por exemplo … que é aquilo?A sua voz na canção que fez a Lucia chorar…Quantas pessoas maravilhosas, até o Samuel, que não se continha nas músicas de McCartney… ele simplesmente se entregou.Aquele clone do Padre Marcelo que dançava com as mãos pra cima, a nossa Pattie Boyd Africana que vamos compartilhar daqui por diante.O Pedro, que mesmo magro-pós-virose, deu um show no baixo. A bateria magnífica sempre (como em The end) o novo vocalista que arrasou e o tecladista sempre completo nos coberturas e vocais. Inesquecível.É a única palavra. ”

“Francisco e esposa
Simpatia, beleza, elegância e inteligência.A presença de vocês enriqueceu demais o evento.Esses vídeos ficarão para sempre como registros de uma grande “irmandade entre homens”, como já dizia ‘George Harrison’!

Lucinha
Você é a culpada pela nossa alegria!” kkkkkkk

Jenny (Mirian) Wren diz:

Não posso dar esse evento por finalizado, ainda temos muitas apresentações da Bons tempos pela frente ( já me considero uma veterana, já assisti quatro delas lá no 3 Potes).Bem, toda vez que nos acontece algo marcante, ou que nos traz felicidade a única maneira que encontramos prá sobreviver, é através de uma palavra: saudade.Esse foi um orkontro marcado pela diversidade de sotaques kkkk. A banda, amigos, música, tudo isso misturado num caldeirão e temperado com o kanjinjin da Lu, a receita perfeita prá gente não esquecer, que a vida fica mais bonita e diferente quando estamos todos juntos a procura dos Beatles, e tão bem representados pelo Jucka & Cia.Belos Bons Tempos, novos dias!Eu fui, quero voltar!! Lucin,essas fotos são o registro de uma parte muito especial da nossa vida, deveriam estar Sealed with a Kiss ! Prá sempre.

Vídeos do Evento

It Won’t Be Longhttp://br.youtube.com/watch?v=gl0ZuxdCOVI

Nowhere Manhttp://br.youtube.com/watch?v=sep2SZsfmuQ

I´m a Looserhttp://br.youtube.com/watch?v=4kKmXQqsp7E

Drive My Carhttp://br.youtube.com/watch?v=hM1Z4fKWqes

You’re Going To Lose That Girlhttp://br.youtube.com/watch?v=QQpYOF_wSho

Everybody is trying to be my babyhttp://br.youtube.com/watch?v=ctZ2P2GuK44

Honey Don´thttp://br.youtube.com/watch?v=Hbp8MXl1o1Q

Medley – http://br.youtube.com/watch?v=VlG2Hp25rqg

I wanna hold your hand – http://br.youtube.com/watch?v=GYwfdXJVgw4 http://br.youtube.com/watch?v=4uiCUtLw8mY

In My Life – http://br.youtube.com/watch?v=UjS40I241vA

Magical Mystery Tour – http://br.youtube.com/watch?v=i9fFRzx65L8

Long Tall Sally – http://br.youtube.com/watch?v=368vAgvoEyA

Sgt. Pepper´s Lonely hearts Club Band – http://br.youtube.com/watch?v=b10mG0vy84c

Yes it Is – http://www.youtube.com/watch?v=rYJ0YI510jE

Yes it Ishttp://br.youtube.com/watch?v=YD-ScbhgOAo

E esta aqui foi pra tu, Johnny, “This Boy”!http://br.youtube.com/watch?v=mxAaBAZExmU#GU5U2spHI_4

Luciana, esta aqui foi dedicada a você.. e chama-se “In my Life”! Porém me perdoe por ser somente um trechinho… é que estava acabando a bateria da minha câmera.. http://br.youtube.com/watch?v=oNeiRVgPIIU

Esta foi para a Eli.. adivinhem qual é? Sha la la la la la la….http://br.youtube.com/watch?v=Ec43PRF7xio

E teve Please Please Me…http://br.youtube.com/watch?v=nuZRCsJp2So

I should have known better…http://br.youtube.com/watch?v=2RA_Rp5lZ6E

Uns segundos de I´ll get You só pra constar na lista…http://br.youtube.com/watch?v=EG38POhAUyg

Teve Drive My Car…http://br.youtube.com/watch?v=7rZT0KfhcQM

When I get Home…http://br.youtube.com/watch?v=QRcmi_C1rnIhttp://br.youtube.com/watch?v=B2n2BSJK6QI

Aqui o JL assinando presença no 3 Potes… http://br.youtube.com/watch?v=E3urWoz8vMs

E a Jennin esperimentando Kanjinjin… ela pediu “Help!” kkkkkkkk http://br.youtube.com/watch?v=kj7C8FFOmjo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s