Sobre luciazanetti

Sou uma pessoa fora do meu tempo... Sou romântica e Beatlemaníaca, em pleno século XXI! rsrs

A Banda Renato e Seus Blue Caps na Atualidade.

Renato & Seus Blue Caps é uma das bandas de Rock mais carismáticas do Brasil, oriunda do Rock e que foi primordial para a Jovem Guarda, tanto por ter acompanhado os artistas, participando ativamente nas gravações dos colegas, como também por ser uma das bandas de maior destaque e sucesso pelos discos lançados no Brasil nas décadas de 60/70/80/90/2000. Renato Barros, sempre à frente do seu tempo e muito antenado, descobriu que sua banda poderia se juntar ao estilo musical que os Beatles estavam mostrando ao mundo e foi quem apresentou os músicos britânicos aos brasileiros, através de versões que embalaram nossas vidas, e continuam a embalar até os dias de hoje!

A Banda teve várias formações ao longo de sua existência, e na atualidade conta com cinco integrantes. Vamos falar de cada um deles, começando pelo seu líder e idealizador, RENATO BARROS!

Renato Barros, o idealizador e fundador da banda.

Guitarrista, vocalista e compositor de vários sucessos da Música Popular Brasileira, Renato com sua banda iniciou uma carreira de sucesso bem antes da Jovem Guarda e foi preponderante nas carreiras dos colegas do movimento, principalmente nas de Erasmo Carlos, Wanderléa e Roberto Carlos.
Como compositor, mantém um grande número de músicas suas sendo regravadas até os dias de hoje, como podemos ver nesta foto quando do recebimento do troféu Imprensa entregue pelo SBT pela sua composição “Devolva-me”, gravada por Adriana Calcanhoto.
Renato é o Diretor Artístico e Musical dos Shows da banda Renato e Seus Blue Caps.
Nasceu em 27 de setembro.

renato-com-o-trofeu-imprensa

Cid Chaves, vocalista e saxofonista

Cid Rodrigues Chaves, Saxofonista e Cantor, atualmente é um dos vocalistas principais da banda Renato e Seus Blue Caps, fazendo parte do grupo desde 1964, quando foi contratado para tocar saxofone.

Cid iniciou sua carreira artística no começo dos anos 1960 atuando na banda The Silvery Boys, do bairro carioca de Campo Grande, ao lado dos primos Paulinho e Zezinho.

Em 1963, durante um show na cidade de Angra dos Reis no Rio de Janeiro, conheceu o baixista Paulo Cesar Barros que o convidou a ingressar no conjunto Renato e Seus Blue Caps, onde permanece até os dias de hoje.

cid-chaves

Darci Velasco, o Tecladista.

Darci é natural do Rio Grande do Sul, nasceu em 24 de fevereiro.

Cursou Licenciatura em Música na UFPE.

Toca os seguintes instrumentos:
Trompete, Contrabaixo, guitarra, bateria e por último Piano e teclados similares.

Entrou para a banda em 1989, tendo antes participado de outras, como a que formou com seus irmãos também músicos chamada “Água da Fonte”.
Depois que saiu do Rio Grande do Sul, participou de outras tantas, como “Os Tártaros”, nome dado a um povo do Oriente.

Também é professor de música.

darci-velasco
.

Gelsinho Moraes , o Baterista!

Gelsinho Moraes é natural do Rio de Janeiro, nasceu em 17 de junho e se juntou a esta nova formação da banda Renato e Seus Blue Caps como baterista em 2013.

Começou tocando em bandas de baile com 17 anos.

Seu primeiro contato gravando com Renato e Seus Blue Caps foi no LP Baton Vermelho.

Foi ao Studio com seu Pai Gelson Moraes e ao passar o som da bateria para seu pai para gravar a música Anjo Rebelde, Gelson Moraes, seu pai disse: _ “Fica aí e grava essa música!”

Aos 18 anos montou uma banda chamada Abalo Cínico. Que gravou na época pela gravadora RCA um LP produzido por Gelson Moraes. Depois passou a tocar com vários artistas do cenário da Música Brasileira, entre eles: MPB 4, Sandra de Sá, Cláudio Zoli, Léo Jayme , Gabriel O Pensador e outros.

Em 2009 seu pai começou a não poder fazer os shows por inteiro devido a uma isquemia. Sendo assim, começou a dividir os shows e em 2013, com o falecimento de seu pai, Gelsinho assumiu as baquetas e tambores de Renato e Seus Blue Caps.

Gelsinho Moraes disse: _” É com muito orgulho que faço parte desta Banda com uma história de glórias. Querida no Brasil inteiro. “Inteiro Mermo” rsrsrs com canções tão significativas que estão na história. Isto é Renato e Seus Blue Caps”!

gelsinho-moraes
.

Bruno Sanson, o Contrabaixista

Bruno Sanson nasceu em 03 de novembro no Rio de Janeiro e é o mais novo integrante da banda Renato e Seus Blue Caps como contrabaixista e vocalista, desde julho de 2018.

Bruno deu seus primeiros passos na música na Igreja Batista, onde aprendeu violão e guitarra. Mais tarde foi músico do grupo Renascer Praise, como guitarrista e vocalista, participando de gravações e grandes eventos.
Nunca escondeu sua paixão pelo rock e nas horas vagas se juntava com os amigos pra tocar músicas de bandas como Legião Urbana, Guns’n Roses, Nirvana, entre outras, até que a coisa ficou séria quando se juntou em 2004 à banda Radar021.
Gravaram um CD pela “Boom Records”, que coincidentemente pertencia ao produtor musical Paulo Ivanovich, filho de Paulo César Barros, o primeiro contrabaixista da banda e irmão de Renato Barros.
Naquela ocasião, Bruno jamais imaginaria que mais tarde conheceria Renato e se tornaria um Blue Cap.

Mais tarde, ao despertar o interesse pelo áudio e produção musical, começou a atuar gravando e produzindo bandas de amigos, até que se formou como produtor musical e técnico de áudio na escola IATEC-RJ, onde se profissionalizou e trabalhou com outros grandes artistas, até que em 2012 se juntou ao elenco de Renato e Seus Blue Caps como Técnico de Monitor.
Um ano mais tarde, assumiu a responsabilidade como Técnico responsável e mixador de P.A da banda.

Em paralelo ao trabalho como técnico, Bruno foi guitarrista da banda Motim e baterista das bandas Malroot e Bongrado, ambas do Rio de Janeiro.

O convite para assumir o lugar até então ocupado por Amadeu Signorelli, veio através de uma ligação de Renato Barros.

“O Renato me ligou pra falar sobre a saída do Amadeu e perguntou o que eu achava… Eu falei que poderia tocar o baixo, já que eu também sou músico e já conhecia todo o show.

Na mesma hora o Renato gostou da ideia e concordou, falou inclusive que não apenas ele, mas todos os integrantes da banda já gostavam do meu trabalho, disse que todos estavam satisfeitos com a minha dedicação profissional, e em conjunto concordaram com a ideia de que eu assumisse como baixista, pois Renato sempre seguiu a filosofia de que todos têm que estar em comum acordo com qualquer decisão tomada em prol do coletivo.
Daí eu falei: _ É comigo!! Vambora!!” (Bruno Sanson)

Bruno Sanson_LI
.

★♪♪♪♪★ ♪♪♪♪★CONTATO PARA SHOWS ★♪♪♪♪★ ♪♪♪♪★

Banda Renato e Seus Blue Caps

Renato Barros – líder guitarra / vocal
Cid Chaves – Vocal
Darci Velasco – Teclados
Bruno Sanson – Contrabaixo
Gelsinho Moraes – Bateria

CONTATO PARA SHOWS

Falar com Jorginho Maravilha
Telefones:
(21) 99983.4300 VIVO
(21) 98265.3038 TIM

Anúncios

A Banda Renato e Seus Blue Caps tem novo Contrabaixista!

Em 14 de julho de 2018, durante o Show da banda Renato e Seus Blue Caps em Juazeiro, na Bahia, iniciou seus trabalhos de Contrabaixista na Banda, o músico BRUNO SANSON, que já figurava há 06 anos como Técnico de Som, acompanhando o grupo pelo Brasil.
Além de Baixista, Bruno também toca guitarra e bateria.

RENATO BARROS apresentou BRUNO SANSON aos fãs e seguidores de Renato e Seus Blue Caps.
.

.

“E é assim que uma nova fase se inicia! Com alegria, muito trabalho e dedicação eu viro uma página da vida pra estar no palco com essas lendas do Rock e da historia da música brasileira.
Pego esse bastão com muito orgulho e satisfação, sabendo do peso da bagagem que essa banda carrega.
Obrigado a cada um que, de alguma forma, contribuiu com esse crescimento”. (Bruno Sanson)

Durante o Show em Juazeiro, ao lado do guitarrista Renato Barros, líder da banda. Ao fundo, Gelsinho Moraes.

Segue uma breve entrevista de apresentação do Bruno, que aproveitou para agradecer a todos que manifestaram carinho e votos de boa sorte a ele.
.

.

Bruno Sanson e o baterista Gelsinho Moraes

.

FOTOS DO SHOW EM JUAZEIRO/BA

Apresentação da Banda na cidade de Juazeiro na Bahia, em 14 de julho de 2018.Estreia do Baixista Bruno Sanson.https://youtu.be/IRZW9UUYkxQ

Posted by Renato e Seus Blue Caps Original on Monday, July 16, 2018

.

FECHE OS OLHOS – APRESENTAÇÃO EM JUAZEIRO/BA
.

.

Sir Paul McCartney passeando de carona em Liverpool.

James Corden, do programa The Lale Late Show, foi a Liverpool para um dia especial com Paul McCartney e lá visitaram a casa da infância de Paul, onde ele compunha músicas com John Lennon, visitaram Penny Lane e a “Barber Shop” citada na música, tocaram em um “pub” local e, claro, andando de carro e cantando alguns dos maiores sucessos dos Beatles.
O programa foi ao ar em 21 de junho de 2018.

De carona com o apresentador, Paul McCartney mostrou a Liverpool de sua infância e deu um concerto improvisado, com músicas imortalizadas pelos Beatles, como Hey Jude, perante uma multidão emocionada pela sua presença.
Paul McCartney fez historia ao subir no carro para o “Carpool Karaoke” do programa com o britânico James Corden, para um quadro em que mostraram a Liverpool de sua infância e deu um concerto improvisado, com os sucessos dos Beatles como Hey Jude, encerrando em grande estilo os 20 minutos mais emotivos e celebrados do programa.

O quadro faz parte do The Late Late show de James Corder, um programa de humor realizado em cadeia com a CBS, que já passou uma série de episódios especiais no Reino Unido.
O apresentador realizou um passeio com o mítico baixista dos Beatles pela cidade de origem da banda, que é Liverpool, a Noroeste da Inglaterra. Foi um encontro que começou com os dois cantando o clássico “Drive my Car”.
O segundo clássico que interpretaram foi Penny Lane, e em seguida se aproximaram da rua que originou o nome da música (Paul deixou um autógrafo no muro), entraram novamente no carro, passando pela igreja onde os pais de Paul se casaram, e pararam no Salão de Beleza imortalizado no primeiro verso da canção (Barber Shop), em cuja parede havia uma fotografia de um John Lennon ainda jovem tendo os cabelos cortados por Paul McCartney.
Na saída do local, uma multidão se aglomerava para saudar a lenda viva, que não teve dúvidas em apertar a mão dos mais fanáticos.
De volta ao carro, McCartney confessou que esperavam que os Beatles durariam “apenas 10 anos”, porém estão aí e continuam sendo relevantes.

Neste trecho extraído do passeio de carro, Paul McCartney recorda o sonho que teve com sua mãe Mary e de como compôs a canção “Let it Be”.
.

.
As primeiras lágrimas chegaram quando um emocionado Corden explicou que havia escutado “Let it Be” pela primeira vez junto com seu avô, que foi quem lhe disse que aquela era a melhor canção da historia, acrescentando que ele “estaria emocionadíssimo com isso”.

Depois os dois foram até a casa onde McCartney morou na sua adolescência e lá recordou e mostrou o lugar onde costumava escrever com Lennon, e os comentários de seu pai sobre uma das primeiras canções da dupla Lennon & McCartney, que foi She Loves You.

Para finalizar, Corden orquestrou uma magistral aparição do músico em um dos “pubs” da cidade.
Paul McCartney surgiu com sua banda atual por detrás das cortinas e começou a tocar vários sucessos dos Beatles como “A Hard Days Night”, “Obladi Oblada”, “Love me Do”, que foi o primeiro single da mítica banda que mudou a historia da música no mundo.

Para terminar, o músico pediu a Corden que se juntasse a ele para cantarem juntos “Hey Jude”, diante de uma multidão emocionada com a presença de McCartney no local, que ainda hoje levanta paixões, tanto que a aparição do Beatle Paul McCartney no programa já está sendo considerada nas Redes Sociais como uma das melhores da historia.

Segue o vídeo completo

” De carona com James Corden para o programa The late late Show, Paul McCartney conta como compôs a canção “Let it Be”, que foi inspirada em sua mãe Mary.”
.

.

LEGENDA

[ CHEERING AND APPLAUSE ] >> HEY, MATE, I’M IN LIVERPOOL,
00:02
I’M WONDERING IF YOU COULD HELP.
00:05
YEAH.
00:06
I NEED SOMEBODY.
00:08
NOT JUST ANYBODY.
00:11
CAN YOU PLEASE, PLEASE, HELP ME?
00:15
[ LAUGHTER ] OH, THAT’S GREAT.
00:16
THANKS SO MUCH, MATE.
00:17
I’LL SEE YOU IN A MINUTE.
00:18
THANK YOU.
00:20
OH.
00:21
WHAT A GOOD GUY.
00:23
>> HEY.
00:23
>> James: HEY, MAN.
00:24
>> HEY, JAMES.
00:25
>> James: THANK YOU SO MUCH FOR THIS.
00:27
>> NO PROBLEM.
00:28
HAPPY TO HELP.
00:28
>> James: I DON’T KNOW LIVERPOOL THAT WELL.
00:34
>> I’LL SHOW YOU AROUND.
00:35
IT’S PERFECT.
00:36
>> James: DO YOU MIND IF WE LISTEN TO SOME MUSIC?
00:40
>> I’D LOVE TO.
00:40
>> James: SHALL WE SEE WHAT’S ON THE RADIO?
00:43
♪ ♪ ASKED A GIRL
00:46
WHAT SHE WANTED TO BE ♪ SHE SAID BABY, CAN’T YOU SEE
00:50
I WANT TO BE FAMOUS ♪ A STAR ON THE SCREEN
00:53
BUT YOU CAN DO SOMETHING ♪ IN BETWEEN
00:56
BABY YOU CAN DRIVE MY CAR ♪ YES I’M GONNA BE A STAR
01:03
BABY YOU CAN DRIVE MY CAR ♪ AND MAYBE I’LL LOVE YOU
01:12
BEEP BEEP’M BEEP BEEP YEAH ♪ BEEP BEEP’M BEEP BEEP YEAH
01:20
( CHEERS AND APPLAUSE ) [ LAUGHTER ]
01:22
HOW OLD WERE YOU WHEN YOU WROTE YOUR FIRST SONG?
01:25
>> I WROTE MY FIRST SONG WHEN I WAS 14.
01:26
>> James: WHAT WAS THAT?
01:28
WHAT WAS IT CALLED?
01:28
>> I LOST MY LITTLE GIRL.
01:30
>> James: HOW’D IT GO?
01:32
DO YOU REMEMBER IT?
01:33
>> YEAH ♪ I WOKE UP LATE THIS MORNING.
01:38
MY HEAD WAS IN A WHIRL ♪ I LOST MY LITTLE GIRL ♪
01:43
HER CLOTHES WERE NOT EXPENSIVE ♪ HER HAIR DIDN’T ALWAYS CURL.
01:47
HA-HA.
01:49
>> James: THAT WAS A HIT!
01:50
THAT WAS A HIT!
01:52
>> YEAH, YEAH.
01:52
>> James: VERY DIFFERENT FROM MY FIRST SONG I WROTE FROM MY
01:56
BAND AT SCHOOL.
01:57
>> WHAT WAS THAT?
01:57
>> James: IT WAS CALLED “GIRL ARE YOU READY?”
02:00
>> THERE WAS A GIRL INVOLVED?
02:01
HOW’D THAT GO.
02:01
>> James: IT WENT ♪ GIRL ARE YOU READY, JUST TELL
02:04
ME ARE YOU READY ♪ GIRL ARE YOU READY, I AIN’T
02:09
GOING TO RUSH AND YOU INTO A BIG DANCE BREAK.
02:11
VERY SIMILAR.
02:13
>> JAMES, IT’S NOT REALLY SIMILAR.
02:14
[ LAUGHTER ] LOOK WHERE WE ARE NOW.
02:21
WE’RE ON IT.
02:24
IT FEELS ONLY RIGHT WE WOULD LISTEN TO THIS WHILE WE’RE HERE,
02:27
DO YOU THINK?
02:29
♪ MEMORY TO KNOW.
02:36
ALL THE PEOPLE THAT COME AND GO ♪ SAY HELLO.
02:43
>> HELLO.
02:44
>> HELLO.
02:46
♪ PENNY LANE IS IN MY EARS AND IN MY EYES
02:54
♪ OH YEAH.
02:56
>> James: ALMOST GOING TO COME UP AND GO — THEY’LL NEVER
03:02
BELIEVE IT.
03:03
♪ PENNY LANE, THERE WAS A FIRE WITHIN AN HOUR GLASS
03:08
♪ IN HIS POCKET IS A PORTRAIT OF THE QUEEN
03:11
♪ HE LIKES TO KEEP HIS FIRE ENGINE CLEAN
03:14
♪ IT’S A CLEAN MACHINE.
03:17
>> I USED TO BE IN THE CHOIR OF THAT CHURCH!
03:20
>> James: THAT CHURCH THERE?
03:22
>> ST. BARNABUS, YEAH.
03:22
>> James: YOU WERE IN THE CHOIR?
03:24
>> I WAS A CHOIR BOY.
03:26
THANK GOD FOR THAT CHOIR.
03:28
>> James: INDEED.
03:30
>> MY BROTHER GOT MARRIED IN THAT CHURCH.
03:32
>> James: NO WAY!
03:35
>> LEGENDARY.
03:35
HE SAYS HI, BY THE WAY.
03:38
♪ PENNY LANE IS IN MY EARS AND IN MY EYES.
03:53
>> James: LET’S GO IN AND SAY HELLO.
03:55
HI.
03:59
>> OH MY GOSH!
04:04
>> THERE THEY ARE.
04:04
THE BOYS.
04:08
>> James: I GOT A FEELING THIS ONE MIGHT BE ON THE WALL AS
04:11
WELL, PAUL.
04:11
THERE WE GO.
04:15
[ MUSIC ] >> HELLO, DARLING.
04:18
HI.
04:18
HELLO, DARLING.
04:19
THE LAST TIME I WAS AROUND HERE, CERTAINLY NO ONE WAS NOTICING ME
04:22
AT ALL.
04:24
♪ PENNY LANE IS IN MY EARS AND IN MY EYES
04:32
♪ THERE BENEATH THE BLUE SUBURBAN SKY
04:41
♪ PENNY LANE.
04:42
>> James: WE HAVEN’T GOT A HAT.
04:47
[ HARMONICA ] [ CHEERING AND APPLAUSE ]
04:49
>> James: YOUR MUSIC IS SO FULL OF POSITIVITY AND JOY AND A
04:57
MESSAGE OF LOVE AND TOGETHERNESS, I FEEL LIKE IT’S
05:01
MORE RELEVANT NOW TODAY THAN IT’S MAYBE EVER BEEN.
05:05
>> THAT’S ONE OF THE STRANGE THINGS.
05:07
WE DIDN’T EXPECT IT TO LAST 10 YEARS.
05:09
IT KEEPS GOING ON AND ON AND ON, AND IT KEEPS BEING RELEVANT.
05:12
>> James: YEAH.
05:13
>> I HAD A DREAM IN THE 60’S WHERE MY MOM WHO DIED CAME TO ME
05:19
IN THE DREAM AND WAS REASSURING ME SAYING, “IT’S GOING TO BE OK.
05:26
JUST LET IT BE.”
05:29
OH, I FELT SO RELIEVED LIKE — OH, IT’S GOING TO BE GREAT.
05:33
SHE GAVE ME THE POSITIVE WORDS.
05:36
I WOKE UP.
05:36
I GO, WHAT WAS THAT?
05:38
SHE SAID, LET IT BE.
05:40
I SAID IT WAS KIND OF GOOD, YOU KNOW?
05:43
SO I WROTE THE SONG.
05:44
IT WAS FULL OF POSITIVITY.
05:45
>> James: THAT’S THE MOST BEAUTIFUL STORY I’VE EVER HEARD.
05:50
♪ WHEN I FIND MYSELF AT TIMES IN A STRUGGLE ONE THING COMES TO ME
05:59
♪ SPEAKING WORDS OF WISDOM LET IT BE
06:03
♪ AND IN MY HOUR OF DARKNESS SHE’S STANDING THERE IN FRONT OF
06:10
ME ♪ SPEAKING WORDS OF WISDOM LET
06:14
IT BE ♪ LET IT BE.
06:18
LET IT BE ♪ LET IT BE.
06:24
LET IT BE ♪ THERE WILL BE AN ANSWER, LET
06:27
IT BE.
06:29
>> THIS IS A HARMONY ♪ LET IT BE.
06:33
LET IT BE ♪ LET IT BE.
06:36
LET IT BE ♪ THERE WILL BE AN ANSWER, LET
06:41
IT BE.
06:44
>> James: OH, MAN!
06:47
THAT GOT ME EMOTIONAL THERE.
06:49
>> IT DID.
06:51
>> James: IT’S TOO MUCH FOR ME.
06:58
>> I DIDN’T SEE THAT ONE COMING AROUND THE CORNER.
07:02
NO.
07:02
THAT’S GREAT.
07:03
THAT’S THE POWER OF MUSIC.
07:04
IT’S WEIRD, ISN’T IT?
07:05
HOW THAT COULD DO THAT TO YOU?
07:07
>> James: WELL I CAN REMEMBER, I CAN REMEMBER MY GRANDDADDY WAS
07:12
A MUSICIAN AND MY DAD SAT ME DOWN AND SAYING, “WE’RE GOING TO
07:18
PLAY YOU THE BEST SONG YOU’VE EVER HEARD.”
07:21
I REMEMBER THEM PLAYING ME THAT.
07:24
>> WHAT DO YOU THINK?
07:24
>> James: IF MY GRANDDAD WAS WITH ME HERE NOW, HE’D GET A
07:28
KICK OUT OF THIS.
07:29
>> HE IS.
07:34
>> James: OH MAN.
07:36
YEAH.
07:38
>> OK, THIS IS FORK IN THE ROAD.
07:40
>> James: ON THE 20 HERE?
07:41
HOW OLD WERE YOU WHEN YOU LIVED IN THAT HOUSE?
07:44
>> 12 OR 13, I THINK.
07:45
>> James: WHEN’D YOU LEAVE?
07:48
>> 18 OR 20.
07:49
>> James: SHALL WE COME IN AND HAVE A LOOK?
07:52
>> I’VE NEVER BEEN IN SINCE I LIVED THERE.
07:53
>> James: IT’LL BE INCREDIBLE.
07:55
ALL RIGHT, LET’S GET IN THERE.
07:56
LET’S HAVE A LOOK.
08:00
COME ON, YOU SHOULD LEAD THE WAY.
08:07
>> HELLO.
08:07
IT’S PAUL MCCARTNEY.
08:10
>> OH MY GOD!
08:10
>> James: I’M JAMES.
08:12
DO YOU HAVE A MIND IF WE LOOK AROUND?
08:15
>> THIS IS WHERE MY DAD USED TO DO THE LAUNDRY.
08:17
THERE WAS NO WASHING MACHINE OR ANYTHING.
08:18
HE WOULD JUST DO HIS SMALLS IN THERE, YOU KNOW,.
08:22
>> James: RIGHT.
08:23
>> OVER HERE, THIS IS WHERE ME AND JOHN WOULD OFTEN COME TO
08:27
REHEARSAL TO WRITE AND, UM, THIS IS MAINLY OUR ROOM HERE.
08:31
>> James: THIS IS WHERE YOU AND JOHN WOULD SIT AND ROCK?
08:35
>> YEAH, BECAUSE MY DAD WOULD BE IN THERE WATCHING TELE OR DOING
08:39
SOMETHING AND WE’D BE IN HERE.
08:40
WE’D JUST WRITTEN “SHE LOVES YOU” WHICH WAS TO BE A BIG
08:43
BEATLES HIT.
08:45
MY DAD WAS IN THERE.
08:45
WE WERE JUST FINISHING UP IN HERE, JOHN AND I.
08:53
WE WOULD PLAY IT DOWN FOR MY DAD, YOU KNOW.
08:56
HE WAS A MUSICIAN.
08:57
HE PLAYED PIANO.
08:58
>> James: YOU WOULD GO IN HERE AND SAY, “DAD WE THINK WE HAVE A
09:02
SONG.”
09:03
>> LISTEN YOU WANT TO HEAR A SONG?
09:04
HE GOES, FINE.
09:06
THEN WE START SINGING, AND HE LISTENED TO THE WHOLE SONG AND
09:09
HE SAID, “IT’S VERY NICE, BUT SON, THERE’S ENOUGH OF THESE
09:15
AMERICANISMS AROUND.
09:17
COULDN’T YOU SING SHE LOVES YOU YES, YES, YES?”
09:20
NO.
09:24
WE DIDN’T HEED HIS ADVICE.
09:26
HAD WE HAVE DONE, WHO KNOWS WHAT COULD HAVE HAPPENED?
09:30
>> SHE LOVES YOU YES, YES, SHE DOES ♪
09:33
>> James: COMING BACK HERE AND BEING IN HERE, WHAT DOES IT MAKE
09:36
YOU FEEL?
09:36
WHAT DOES IT MAKE YOU THINK OF BEING BACK IN HERE?
09:39
>> IT MAKES ME REALIZE HOW LONG THE JOURNEY’S BEEN TO DATE,
09:44
BECAUSE WE REALLY LIVED HERE.
09:48
I REMEMBER ME AND MY MOM AND DAD.
09:55
IT SEEMED LIKE THAT’S THE WAY LIFE WAS IN.
09:58
THEN WE HAD SCHOOL.
09:59
THEN WE WOULD WRITE SONGS ABOUT IT LIKE PENNY LANE AND THEN THIS
10:04
SONG RIGHT HERE.
10:04
♪ GOT OUT OF BED.
10:06
THAT’S ME, RUNNING LATE FOR THE BUS.
10:13
THAT’S WHAT MAKES ME THINK, WOW, THE DISTANCE FROM HERE TO WHERE
10:17
WE WENT AND WHERE WE ARE NOW, IT’S LIKE PHENOMENAL.
10:24
THERE’S THE ACOUSTIC CHAMBER.
10:27
>> James: THE ACOUSTIC CHAMBER.
10:32
>> ♪ EVERYTHING SOUNDS BETTER IN
10:34
THE VAULT JAMES ABSOLUTELY.
10:36
>> HERE IT DOESN’T SOUND AS GOOD.
10:38
I WOULD SPEND HOURS IN HERE WITH MY GUITAR.
10:42
♪ SHE LOVES YOU YEAH, YEAH, YEAH.
10:46
>> James: I’M THINKING THE BEATLES WERE HUGE WHEN YOU STILL
10:50
LIVED HERE, RIGHT?
10:53
>> YEAH.
10:54
THAT’S RIGHT.
10:57
ANY FANS CAME TO THE DOOR, HE WOULD SAY, COME IN, LOVE, YOU
11:00
WANT A CUP OF TEA?
11:04
WE WERE TRYING TO NOT DO THAT.
11:06
ONE NIGHT, I WAS A BIT FED UP WITH ALL THE FANDOM AND ALL OF
11:10
THAT.
11:11
YOU’RE COMING HOME, AND YOU WANT TO LET IT GO.
11:15
TOMORROW I’M GOING TO BE BACK IN THAT.
11:17
I WANTED A RESPITE FROM IT.
11:20
I HAD A LITTLE DISGUISE.
11:21
I PUT A LITTLE DISGUISE ON JAMES WHAT WAS THE DISGUISE?
11:26
>> MUSTACHE AND GLASSES AND A FLAP HAT AND OLD RAIN COAT.
11:30
I SORT OF WALK OUT.
11:32
THERE WERE A COUPLE OF FANS OUT THERE.
11:33
I WALK OUT AND I’M THINKING, CHEERS.
11:40
TADA.
11:40
I’M WALKING — BECAUSE — “HELLO, PAUL!”
11:44
>> James: WELL, I GOT TO SAY, I MEAN, WE’VE BEEN IN THIS HOUSE
11:48
NOW FOR FOUR AND A HALF MINUTES.
11:51
>> OH MY GOD.
11:51
>> James: YOU MIGHT NEED A DISGUISE TO GET OUT TODAY.
11:54
LOOK AT THIS.
11:57
WE MIGHT NEED THAT FLAP HAT AND GLASSES AGAIN.
12:01
HA-HA.
12:02
>> I HAVE A FEELING IT’S STILL NOT GOING TO WORK.
12:03
♪ GOING TO GET OLDER MANY YEARS FROM NOW
12:11
♪ GREETINGS FROM THE WINE ♪ QUARTER TO 3, WOULD YOU LOCK
12:19
THE DOOR ♪ WILL YOU STILL NEED ME WHEN
12:26
I’M 64.
12:26
ALTOGETHER ♪ WHEN I’M 64.
12:29
ONE MORE TIME ♪ WHEN I’M 64!
12:32
>> James: HA-HA!
12:37
THANKS, LOVE.
12:38
THANK YOU SO MUCH.
12:39
>> THANK YOU.
12:41
>> OK, BYE.
12:41
>> James: SEE YOU REAL SOON.
12:43
THANKS SO MUCH.
12:43
CHEERS.
12:47
>> ALL RIGHT, FOLKS.
12:48
WE’LL KEEP IT MOVING.
12:50
SEE YA.
12:51
THANK YOU, FOLKS.
13:02
[ EVERYONE SPEAKING AT ONCE ] >> CHEERS, THANK YOU.
13:05
>> James: GREAT.
13:06
NICE TO SEE YOU.
13:10
>> OH, BABY.
13:13
[ CHUCKLES ] YOU SAID THIS WAS GOING TO BE A
13:14
TRIP.
13:15
>> James: RIGHT?
13:19
♪ SINGING OF THE DEAD OF NIGHT ♪ TAKE THESE BROKEN WINGS AND
13:26
LEARN TO FLY ♪ ALL YOUR LIFE, YOU WERE ONLY
13:31
WAITING FOR THIS MOMENT TO ARRIVE
13:34
♪ YOU WERE ONLY WAITING FOR THIS MOMENT TO ARRIVE
13:40
♪ YOU WERE ONLY WAITING FOR THIS MOMENT TO ARRIVE.
13:46
[ APPLAUSE ] >> James: NOW THE BEATLES
13:53
ALWAYS HAD SUCH ICONIC HAIRCUTS AND LOOKS.
13:57
WAS IT IMPORTANT TO YOU AS A BAND YOU LOOKED A CERTAIN WAY?
14:00
>> YOU KNOW, KIND OF — YOU KNOW —
14:02
>> James: I FEEL LIKE IF I HAD THIS HAIRCUT, GIRLS WOULD
14:07
DEFINITELY DIG ME.
14:08
WHO WAS IT IN THE BAND WHO WOULD DETERMINE THE LOOK OF EACH
14:14
ALBUM?
14:14
THE GREAT THING ABOUT ALL OF YOUR LOOKS IS ANYONE COULD PULL
14:17
THEM OFF.
14:21
>> POLO SHIRTS AND JEANS.
14:21
>> James: I’LL TELL YOU WHAT, I WANT SOME NEW STUFF.
14:24
>> A NEW ONE.
14:28
>> James: HERE WE GO.
14:31
♪ I ♪ I SAW YOU FLASH A SMILE
14:35
THAT SEEMED TO ME TO SAY ♪ YOU WANTED SO MUCH MORE
14:39
THAN CASUAL CONVERSATION ♪ I SWEAR I CAUGHT A LOOK
14:43
BEFORE YOU TURNED AWAY ♪ NOW I DON’T SEE THE POINT
14:47
RESISTING YOUR TEMPTATION ♪ DID YOU COME ON TO ME
14:53
WILL I COME ON TO YOU?
14:55
♪ IF YOU COME ON TO ME WILL I COME ON TO YOU?
15:00
♪ DO, DO, DO, DO-DO, DO DO, DO, DO, DO-DO, DO
15:05
♪ DO, DO, DO, DO-DO, DO DO, DO-DO-DO, DO
15:13
♪ IF YOU COME ON TO ME WILL I COME ON TO YOU?
15:18
♪ IF YOU COME ON TO ME THEN I’LL COME ON TO YOU
15:25
♪ YES I WILL, YES I WILL YES I WILL, NOW
15:30
[ CHEERING AND APPLAUSE ] >> James: NOW, YOU USED TO
15:31
PLAY QUITE A LOT OF PUBS IN THIS AREA?
15:34
>> WE PLAYED WHERE WE COULD GET A GIG, ANYONE WHO WOULD HIRE US,
15:38
WE WOULD PLAY.
15:38
>> James: I WAS THINKING WE COULD GO BACK TO ONE OF THOSE
15:41
PUBS AND HAVE A BIT OF FUN.
15:42
WOULD YOU BE UP FOR THAT?
15:44
>> YEAH, DEFINITELY.
15:45
>> James: OK.
15:47
[ MUSIC ] WE CAME TO A PUB WHERE PAUL
15:54
MCCARTNEY WOULD OCCASIONALLY PLAY AND SOMETIMES GET A DRINK.
15:57
WE’LL HIT THE LOCALS AND SURPRISE THEM.
16:01
HELLO, HOW ARE YOU?
16:02
I’M JAMES.
16:02
I WAS WONDERING IF I COULD HELP YOU BEHIND THE BAR TODAY.
16:05
IF I COULD, I’VE NEVER DONE THIS BEFORE.
16:08
REALLY?
16:09
HOW ARE YOU?
16:09
WHAT CAN I GET YOU?
16:10
>> LEMONADE.
16:11
>> James: A LEMONADE.
16:11
WE CAN DO A LEMONADE.
16:13
HERE YOU GO.
16:17
WHY DON’T YOU PLAY SOMETHING ON THE JUKEBOX.
16:20
WHATEVER YOU WANT.
16:21
TAKE YOUR PICK.
16:22
ANY OF THOSE SONGS.
16:24
WHATEVER YOU CAN.
16:25
DO YOU EVER HAVE A CHEEKY LITTLE DRINK?
16:36
[ MUSIC ] ♪ HARD DAY’S NIGHT AND I’VE BEEN
16:41
WORKING LIKE A DOG ♪ IT’S BEEN A HARD DAY’S NIGHT
16:54
♪ YOU MAKE ME FEEL ALL RIGHT ♪ YOU KNOW I FEEL ALL RIGHT
17:00
♪ YOU KNOW I FEEL ALL RIGHT.
17:06
[ CHEERING AND APPLAUSE ] >> James: WHEW!
17:15
>> THANK YOU.
17:15
>> James: HA-HA!
17:21
BEST EVER.
17:22
IF YOU WANT A SONG, GO TO THE JUKEBOX AND PUT A SONG ON.
17:26
IT’S FREE FOR THE REST OF THE NIGHT.
17:27
GO.
17:27
GO.
17:27
GO!
17:31
[ MUSIC ] ♪ IF YOU GO DOWN TO THE
17:48
MARKETPLACE, ( PLAYING OBLADI )
18:00
♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪
18:14
( CHEERS AND APPLAUSE ) >> James: YAY!
18:20
HA-HA!
18:39
♪ LOVE ME DO ♪ SO PLEASE LOVE ME DO ♪
18:54
WHOA, LOVE ME DO ♪PARAGRAPH.
19:05
[ CHEERING AND APPLAUSE ] [ MUSIC ]
19:16
♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪
19:27
♪ ♪ ♪ BACK N THE U.S.S.R.
19:40
( CHEERS AND APPLAUSE ) >> James: GO!
19:50
♪ BACK N THE U.S.S.R.
19:52
( CHEERS AND APPLAUSE ) ♪ BACK N THE U.S.S.
19:59
BACK N THE U.S.S.
20:03
♪ BACK N THE U.S.S.R.
20:04
( CHEERS AND APPLAUSE ) THANK YOU.
20:09
LADIES AND GENTLEMEN, I THINK THIS IS AN AFTERNOON NOT ONE OF
20:12
US WILL EVER FORGET.
20:13
THANK YOU, PAUL, THANK YOU FOR EVERYTHING.
20:15
>> THANK YOU, JAMES.
20:17
NOW, JAMES, WHY DON’T YOU JOIN US?
20:21
COME ON, LET’S DO IT LET’S DO IT.
20:29
♪ HEY JUDE, DON’T MAKE ME SAD ♪ TAKE A SAD SONG AND MAKE IT
20:38
BETTER ♪ REMEMBER BE EVER INTO YOUR
20:48
HEART ♪ HEY JUDE, DON’T BE AFRAID.
21:11
[ SINGING ] TO MAKE IT BETTER
21:16
♪ BETTER BETTER
21:20
♪ BETTER NANANANANA
21:26
♪ NANANANANA ♪ HEY JUDE
21:36
NA NA NA ♪ NANANANANA
21:39
♪ HEY JUDE ♪ ♪ ♪
21:45
NA NA NA ♪ NANANANA
21:51
NANANANA ♪ HEY JUDE
21:56
NA NA NA ♪ NANANANA
22:00
NANANANA ♪ HEY JUDE
22:08
COME ON, YOU SING IT.
22:13
[ SINGING ] NA NA NA
22:17
♪ NA NA NA NA NA NA NA
22:20
♪ HEY JUDE NA NA NA
22:22
♪ NA NA NA NA NA NA NA NA
22:29
♪ HEY JUDE >> EVERYBODY!
22:38
NA NA NA NA ♪ NA NA NA NA
22:46
♪ HEY JUDE ( CHEERS AND APPLAUSE )
22:59
>> MR PAUL McCARTNEY!
23:02
♪ NA NA NA NA NA NA NA NA
23:09
♪ HEY JUDE >> James: MY THANKS TO SIR
23:11
PAUL MCCARTNEY.
23:12
BE SURE TO PRE-ORDER PAUL’S BRILLIANT NEW ALBUM “EGYPT
23:13
STATION” AND CHECK OUT HIS TWO NEW SONGS “COME ON TO ME” AND “I
23:16
DON’T KNOW” OUT NOW.
23:17
WE’LL BE RIGHT BACK WITH MORE OF THE LATE LATE SHOW IN LONDON.

“Renato e Seus Blue Caps, Uma Volta Colorida Às Origens” (UMA REPORTAGEM DE 1981)

Quando foi lançado o LP Renato e Seus Blue Caps 1981, a revista “Sétimo Som” publicou a seguinte reportagem:

Renato e Seus Blue Caps Revista Sétimo Som (1981) (Foto do acervo de Carlos Giroto)

“Renato e Seus Blue Caps, Uma Volta Colorida Às Origens”

Vinte e um anos de carreira, dezoito discos gravados, mais de 200 shows por ano e um reconhecimento público como um dos maiores conjuntos baile-shows do país. Renato e Seus Blue Caps está na praça com um novo disco intitulado Sonho Colorido.

Para Renato Barros, fundador, guia espiritual e guitarrista do grupo, esse trabalho é uma volta às origens, uma vez que, com o surto da Discoteca em 1978, eles tiveram que aderir ao novo gênero por critério de sobrevivência:

“Nesse tempo as coisas estavam pretas. Para sobreviver como grupo, tivemos que entrar no embalo da discoteca, mas o nosso público mais antigo não aceitou bem esta mudança. Assim, neste disco voltamos a fazer nosso som próprio e todos têm gostado.”

De novidade, Renato e Seus Blue Caps traz de volta o compositor Gileno, da extinta dupla Leno e Lilian, e ainda canta uma música de Bob Dylan ao lado de Zé Ramalho.

“Nós conhecemos o Zé desde 1976, quando fomos fazer um show na Paraíba e ele ficou nosso amigo. Para nossa surpresa, ele disse que curtia nosso trabalho. Com isso nasceu uma grande amizade que se concretiza agora em “Sonho Colorido” que, sem sombra de dúvida, é um dos nossos melhores discos”, diz Renato Barros.

O conjunto, além de Renato (guitarra e vocal), é formado ainda por Paulo César Barros (baixo e vocal), Marquinho (teclados), Cid (sax e vocal) e Gelson (bateria), todos irmanados numa única filosofia: “Fazer um som vibrante, que atinja o maior número de pessoas”, como explica um integrante do grupo.

“Pra gente _ prossegue ele _ o que interessa é fazer um som alegre, dançante e vibrar intensamente com a pessoas.”

Reportagem: Péricles Santana
Foto: Gravadora CBS

(Foto do acervo de Carlos Giroto)

E a banda foi ao Fantástico junto com Zé Ramalho…

FAIXAS DO DISCO

01-00:00 Coração Faminto
02-03:45 Mr.Tambourine Man
03-06:12 Tim-Tim
04-09:26 Sentimento Estranho
05-13:28 Sem Você Não Vivo
06-16:55 Saudades de Maria Helena
07-20:34 Você Foi Longe Demais
08-23:45 Sonho Colorido
09-26:40 Velhos Tempos
10-30:32 Sou Apenas Alguém

OUÇAM AQUI A MÚSICA “SONHO COLORIDO”
Composição: Carlinhos/Fatha (pseudônimo de Ed Wilson)

O DIA EM QUE O ROCK AND ROLL CHEGOU AO BRASIL PELO AEROPORTO DE CONGONHAS!

Bill Haley e Seus Cometas, a convite da TV Record, chegaram a São Paulo no Aeroporto de Congonhas no dia 24 de abril de 1958.

O repórter Silvio Luiz, meio escondido atrás do Microfone tipo tijolão, faz sua entrevista para divulgar o Rock and Roll no Brasil.

A TV Record foi a emissora que mais trouxe artistas internacionais ao Brasil nos anos 50 e 60.
O rock ainda não tinha vez em nosso País, era o tempo dos cantores românticos como Orlando Silva, Carlos Galhardo, Nelson Gonçalves, Nora Ney, etc… Orquestras como Ray Connif, Élcio Alvares e sua orquestra, Rago e Seu Regional, Mario Zan etc.

Bill Haley nasceu em 6 de julho de 1925 e faleceu no Texas em 9 de fevereiro de 1981, acometido por um tumor cerebral. Seu corpo foi cremado. Foi um musico do Rock and Roll. Ele e sua banda Crazy Man Crazy chegou a gravar o primeiro rock a entrar nas paradas de sucessos dos Estados Unidos. Sua banda mudou de nome em 1952 passando a chamar-se Bill Haley e Seus Cometas. Receberam das mãos de um compositor em 1953 o Rock Around The Clock que só conseguiram gravar em 12 de abril de 1954.

Quando Bill Haley e os demais componentes da banda desceram do avião no Aeroporto de Congonhas em 1958, foi uma correria de jovens que desejavam chegar perto da famosa banda para pedir autografo.
O rock internacional revolucionou o palco do Teatro Record na Rua da Consolação, 1992 e ensinou o novo modo de dançar no Brasil.

O sucesso foi tanto que os brasileiros correram às lojas para comprar discos do grupo e dos outros astros do rock and roll. Bill Haley, com o topete tipo “pega rapaz”, sua marca registrada, levou os jovens ao delírio. Houve confusão no aeroporto envolvendo os fãs mais exaltados e segurança de serviço.

Lembrando que na época Antonio Aguillar ainda era repórter fotográfico do jornal O Estado de São Paulo, e registrou todo esse novo momento musical com reportagens ilustradas no periódico. No Cine Art-Palácio existente no Largo do Paissandu havia a projeção do filme O Balanço das Horas com cenas da famosa banda e o rock comia solto, a ponto de a rapaziada se exaltar, pulando, dançando, quebrando as poltronas do cinema para conseguir espaço e celebrar ali suas danças acrobáticas, que era ao som do rock n’ roll. Foi dai em diante, que veio a inspiração para uma nova vocação: fazer um programa musical de rock numa boa emissora de rádio. A profissão de repórter fotográfico ficou para trás, Antonio Aguillar foi contratado pela Rádio Nacional de S.Paulo e nasceu o programa Ritmos para a Juventude a partir de 1960.
Dai em diante não é preciso dizer mais nada, pois há mais de meio século Aguillar continua prestigiando esse movimento musical.

(Por Antonio Aguillar)

Menção da banda Renato e Seus Blue Caps em livro sobre os Beatles.

Renato e Seus Blue Caps teve o nome mencionado no livro “The Beatles at the Beeb – 1962-1965”, de Kevin Howlett, um livro que fala sobre todas as canções que os Beatles apresentaram na Rádio BBC citando as regravações e as versões delas feitas no mundo. Renato e Seus Blue caps é citado diversas vezes, por exemplo:

– Anna (Go to Him) – Originalmente gravada pelo compositor Arthur Alexander, a versão com os Beatles saiu em março de 1963 no álbum Please Please Me. Alguns anos mais tarde Renato e Seus Blue Caps apresentaram ‘Ana’ em português brasileiro.

– I Call Your Name – The Mamas and the Papas recorded it in 1966 and the Portuguese version ‘Garota Malvada’ was by, you guessed it, Renato and his Blue Caps. (The Mamas and the Papas gravaram essa música em 1966 e a versão em Português foi feita por, você adivinhou, Renato e Seus Blue Caps).

– I’ll Get you – Esta canção tornou-se inesplicavelmente muito popular em países da América Latina, daí o comentário no livro ter sido que “misteriosamente”, Renato e Seus Blue Caps deixou passar em branco esta canção. (Mysteriously, Renato and his Blue Caps passed this song by).

– I’m Happy Just to Dance with you – Renato e Seus Blue Caps gravaram uma versão desta, claro, e cantaram Sou Feliz Dançando com Você, uma tradução bastante ao pé da letra. (Renato and his Blue Caps covered it, of course, and sang ‘Sou feliz dançando com voce’ which was a pretty fair translation).

– I Should Have known better: Estranhamente houve grande atração de artistas estrangeiros por esta música e “Menina Linda” teve a versão em Português gravada pelos Vips* e, claro, por Renato e Seus Blue Caps.
* A gravação com os Vips foi bem depois da gravação com Renato e Seus Blue Caps.

– Love Me Do: Renato e Seus Blue Caps cantaram a versão em Português “Sou tão Feliz”. (Renato and his Blue Caps sang the Portuguese translation ‘Sou tao feliz’).

– The Night Before e Ticket To Ride – Músicas negligenciadas por outros artistas, até mesmo Renato e Seus Blue Caps deixaram de gravá-las.

O livro pode ser baixado em PDF aqui neste link:

http://www.americanradiohistory.com/Archive-BBC-Books/Beatles-at-the-Beeb-1965.pdf

“I’ll Get You” foi a música dos Beatles que Renato e Seus Blue Caps deixou passar batido, segundo o livro, e não foi feita nenhuma versão dela pela banda.
No Brasil saiu no LP “Beatles Again”.

Aqui o clipe de uma apresentação dos Beatles ao vivo pela BBC, com o áudio alterado para playback (o original não está muito bom).

51 anos ouvindo o Álbum Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band dos Beatles!

O Álbum Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band completa 51 anos em 01-06-2018, e sempre será o meu álbum favorito na discografia oficial dos Beatles!

Vamos navegar de volta a 1967, quando os beatlemaníacos que haviam tentado achar o prumo com ‘Rubber Soul’ e ‘Revolver’ seriam recompensados com uma divertida fantasia musical.
O ‘Sgt. Pepper’ ficou 15 semanas no topo da parada da Billboard e ainda estava entre os cinco primeiros álbuns quando ‘Magical Mystery Tour’ chegou à liderança, seis meses depois.

Isso por que a ampliação de horizontes proposta pelo álbum vinha ancorada em composições brilhantes. Desde a abertura contagiante de McCartney ( que Jimi Hendrix tocou ao vivo dois dias depois de lançado o disco), passando pela caleidoscópica ‘Lucy in the Sky with Diamonds’, de Lennon, até a atordoante ‘A Day in the Life’, composta pela dupla, cada música é um tesouro.

Apesar da omissão de ‘Strawberry Fields Forever’, o single provocativo que fez a ponte entre ‘Revolver’ e ‘Sgt. Pepper’, o álbum contém elementos psicodélicos: filosofia oriental (‘Within You Without You’, de Harrison) e menção a drogas (embora Lennon tenha negado as referências ao LSD em ‘Lucy’, McCartney deixou tudo claro com ‘Fixing a Hole’).

O certificado de ‘Sgt. Pepper’ como uma obra da pop art foi conferido pela capa mais famosa da história do disco. O designer Pete Blake imaginou primeiro uma caixa de presente, mas acabou optando por juntar na capa uma série de recortes de cartolina (alguns rostos famosos – Jesus, Hitler, Gandhi – não sobreviveram à montagem final).

O álbum causou um impacto sem precedentes. As rádios o tocaram dias a fio. O crítico Kenneth Tynan, do The Times, o classificou como “um momento decisivo na história da civilização ocidental”. Essa hipérbole já não se aplica, mas ficou um pop perfeito, no qual a ousadia e a música se mesclaram para sempre.”

(Fonte: Livro “1001 Discos para se ouvir antes de morrer”)

Em junho de 2006 o músico que pertenceu à banda Oasis, Noel Gallagher, concedeu entrevista ao jornalista Colin Paterson da Rede BBC inglesa, quando o músico declarou mais uma vez sua admiração pelos Beatles ao afirmar que nunca haverá outra banda como eles.

Para falar de Sgt. Peppers agiu como um fã, e seguem alguns trechos da entrevista:

Pergunta: O que Sgt. Peppers representa para você?
Resposta: É muito especial para mim! Nasci no dia 29 maio de 1967 e Peppers foi lançado horas depois, no dia primeiro de junho. Gosto de dizer que quando estava chegando ao mundo, na maternidade do hospital St. Mary,s em Manchester, Sgt. Peppers estava tocando nos receptores de rádio do hospital.

Pergunta: Houve envelhecimento das canções, 40 anos depois?
Resposta: Não. As canções continuam fazendo você flutuar e sonhar. Eu penso que quanto mais velho você fica, mais as aprecia.

Pergunta: Por quê?
Resposta: Porque algumas das maiores canções dos Beatles estão lá, como A Day in the Life e Lucy in the Sky With Diamonds.

Pergunta: Algum grupo ou banda dos tempos atuais pode ser comparado aos Beatles?
Resposta:Não existe nenhuma com essa condição. Não gosto de comparações. É preciso entender que os Beatles tiveram seu tempo. Eternizaram-se e surgiram numa outra época. Então não dá para estabelecer comparativos entre um grupo de hoje e outro dos anos 1960. Eu acho que você só pode ser do seu tempo. Também é preciso considerar que a música tinha muito mais importância nos anos sessenta que atualmente. De todo modo, nunca haverá outra banda como os Beatles.

Pergunta: Você gostou do álbum “Love”?
Resposta: Chapei quando ouvi. Fiquei impressionado com a “junção” da alta tecnologia com o talento dos Beatles perpetuado nas gravações. O resultado foi a “montagem” daquela trilha sonora futurista, uma autêntica viagem sonora. Uma das melhores coisas que eu escutei foi o “cruzamento” da percussão de Tomorrow Never Knows com os vocais de Within You Without You. Aquilo é uma coisa absolutamente emocional, são os Beatles vivos sendo reinventados por eles próprios. Uma coisa meio louca. Fantástica!

“Acho que o fã que merece mais respeito é aquele sujeito que toma um ônibus vai até a loja de discos, compra meu álbum, volta para casa, e se põe a ouvir atentamente, ao mesmo tempo em que desmonta o encarte e lê cada linha, cada detalhe das informações contidas lá. Este é um verdadeiro fã”. (Paul McCartney)

.

Pois bem, está aí um depoimento interessante sobre o álbum que também mexeu demais com a minha cabeça lá naquele distante ano de 1967, quando fui a São Paulo, na famosa Rua Augusta, na companhia de meu irmão mais velho, especialmente para adquirir aquele que seria o meu disco preferido, o disco que me levaria a me dedicar ainda mais aos estudos da língua inglesa, porque naquela época eu queria entender as letras e cantar junto com eles… 🙂

Alguns depoimentos de artistas brasileiros por ocasião dos 40 anos do álbum Sgt. Pepper em 2007.


.