Sir Paul McCartney passeando de carona em Liverpool.

James Corden, do programa The Lale Late Show, foi a Liverpool para um dia especial com Paul McCartney e lá visitaram a casa da infância de Paul, onde ele compunha músicas com John Lennon, visitaram Penny Lane e a “Barber Shop” citada na música, tocaram em um “pub” local e, claro, andando de carro e cantando alguns dos maiores sucessos dos Beatles.
O programa foi ao ar em 21 de junho de 2018.

De carona com o apresentador, Paul McCartney mostrou a Liverpool de sua infância e deu um concerto improvisado, com músicas imortalizadas pelos Beatles, como Hey Jude, perante uma multidão emocionada pela sua presença.
Paul McCartney fez historia ao subir no carro para o “Carpool Karaoke” do programa com o britânico James Corden, para um quadro em que mostraram a Liverpool de sua infância e deu um concerto improvisado, com os sucessos dos Beatles como Hey Jude, encerrando em grande estilo os 20 minutos mais emotivos e celebrados do programa.

O quadro faz parte do The Late Late show de James Corder, um programa de humor realizado em cadeia com a CBS, que já passou uma série de episódios especiais no Reino Unido.
O apresentador realizou um passeio com o mítico baixista dos Beatles pela cidade de origem da banda, que é Liverpool, a Noroeste da Inglaterra. Foi um encontro que começou com os dois cantando o clássico “Drive my Car”.
O segundo clássico que interpretaram foi Penny Lane, e em seguida se aproximaram da rua que originou o nome da música (Paul deixou um autógrafo no muro), entraram novamente no carro, passando pela igreja onde os pais de Paul se casaram, e pararam no Salão de Beleza imortalizado no primeiro verso da canção (Barber Shop), em cuja parede havia uma fotografia de um John Lennon ainda jovem tendo os cabelos cortados por Paul McCartney.
Na saída do local, uma multidão se aglomerava para saudar a lenda viva, que não teve dúvidas em apertar a mão dos mais fanáticos.
De volta ao carro, McCartney confessou que esperavam que os Beatles durariam “apenas 10 anos”, porém estão aí e continuam sendo relevantes.

Neste trecho extraído do passeio de carro, Paul McCartney recorda o sonho que teve com sua mãe Mary e de como compôs a canção “Let it Be”.
.

.
As primeiras lágrimas chegaram quando um emocionado Corden explicou que havia escutado “Let it Be” pela primeira vez junto com seu avô, que foi quem lhe disse que aquela era a melhor canção da historia, acrescentando que ele “estaria emocionadíssimo com isso”.

Depois os dois foram até a casa onde McCartney morou na sua adolescência e lá recordou e mostrou o lugar onde costumava escrever com Lennon, e os comentários de seu pai sobre uma das primeiras canções da dupla Lennon & McCartney, que foi She Loves You.

Para finalizar, Corden orquestrou uma magistral aparição do músico em um dos “pubs” da cidade.
Paul McCartney surgiu com sua banda atual por detrás das cortinas e começou a tocar vários sucessos dos Beatles como “A Hard Days Night”, “Obladi Oblada”, “Love me Do”, que foi o primeiro single da mítica banda que mudou a historia da música no mundo.

Para terminar, o músico pediu a Corden que se juntasse a ele para cantarem juntos “Hey Jude”, diante de uma multidão emocionada com a presença de McCartney no local, que ainda hoje levanta paixões, tanto que a aparição do Beatle Paul McCartney no programa já está sendo considerada nas Redes Sociais como uma das melhores da historia.

Segue o vídeo completo

” De carona com James Corden para o programa The late late Show, Paul McCartney conta como compôs a canção “Let it Be”, que foi inspirada em sua mãe Mary.”
.

.

LEGENDA

[ CHEERING AND APPLAUSE ] >> HEY, MATE, I’M IN LIVERPOOL,
00:02
I’M WONDERING IF YOU COULD HELP.
00:05
YEAH.
00:06
I NEED SOMEBODY.
00:08
NOT JUST ANYBODY.
00:11
CAN YOU PLEASE, PLEASE, HELP ME?
00:15
[ LAUGHTER ] OH, THAT’S GREAT.
00:16
THANKS SO MUCH, MATE.
00:17
I’LL SEE YOU IN A MINUTE.
00:18
THANK YOU.
00:20
OH.
00:21
WHAT A GOOD GUY.
00:23
>> HEY.
00:23
>> James: HEY, MAN.
00:24
>> HEY, JAMES.
00:25
>> James: THANK YOU SO MUCH FOR THIS.
00:27
>> NO PROBLEM.
00:28
HAPPY TO HELP.
00:28
>> James: I DON’T KNOW LIVERPOOL THAT WELL.
00:34
>> I’LL SHOW YOU AROUND.
00:35
IT’S PERFECT.
00:36
>> James: DO YOU MIND IF WE LISTEN TO SOME MUSIC?
00:40
>> I’D LOVE TO.
00:40
>> James: SHALL WE SEE WHAT’S ON THE RADIO?
00:43
♪ ♪ ASKED A GIRL
00:46
WHAT SHE WANTED TO BE ♪ SHE SAID BABY, CAN’T YOU SEE
00:50
I WANT TO BE FAMOUS ♪ A STAR ON THE SCREEN
00:53
BUT YOU CAN DO SOMETHING ♪ IN BETWEEN
00:56
BABY YOU CAN DRIVE MY CAR ♪ YES I’M GONNA BE A STAR
01:03
BABY YOU CAN DRIVE MY CAR ♪ AND MAYBE I’LL LOVE YOU
01:12
BEEP BEEP’M BEEP BEEP YEAH ♪ BEEP BEEP’M BEEP BEEP YEAH
01:20
( CHEERS AND APPLAUSE ) [ LAUGHTER ]
01:22
HOW OLD WERE YOU WHEN YOU WROTE YOUR FIRST SONG?
01:25
>> I WROTE MY FIRST SONG WHEN I WAS 14.
01:26
>> James: WHAT WAS THAT?
01:28
WHAT WAS IT CALLED?
01:28
>> I LOST MY LITTLE GIRL.
01:30
>> James: HOW’D IT GO?
01:32
DO YOU REMEMBER IT?
01:33
>> YEAH ♪ I WOKE UP LATE THIS MORNING.
01:38
MY HEAD WAS IN A WHIRL ♪ I LOST MY LITTLE GIRL ♪
01:43
HER CLOTHES WERE NOT EXPENSIVE ♪ HER HAIR DIDN’T ALWAYS CURL.
01:47
HA-HA.
01:49
>> James: THAT WAS A HIT!
01:50
THAT WAS A HIT!
01:52
>> YEAH, YEAH.
01:52
>> James: VERY DIFFERENT FROM MY FIRST SONG I WROTE FROM MY
01:56
BAND AT SCHOOL.
01:57
>> WHAT WAS THAT?
01:57
>> James: IT WAS CALLED “GIRL ARE YOU READY?”
02:00
>> THERE WAS A GIRL INVOLVED?
02:01
HOW’D THAT GO.
02:01
>> James: IT WENT ♪ GIRL ARE YOU READY, JUST TELL
02:04
ME ARE YOU READY ♪ GIRL ARE YOU READY, I AIN’T
02:09
GOING TO RUSH AND YOU INTO A BIG DANCE BREAK.
02:11
VERY SIMILAR.
02:13
>> JAMES, IT’S NOT REALLY SIMILAR.
02:14
[ LAUGHTER ] LOOK WHERE WE ARE NOW.
02:21
WE’RE ON IT.
02:24
IT FEELS ONLY RIGHT WE WOULD LISTEN TO THIS WHILE WE’RE HERE,
02:27
DO YOU THINK?
02:29
♪ MEMORY TO KNOW.
02:36
ALL THE PEOPLE THAT COME AND GO ♪ SAY HELLO.
02:43
>> HELLO.
02:44
>> HELLO.
02:46
♪ PENNY LANE IS IN MY EARS AND IN MY EYES
02:54
♪ OH YEAH.
02:56
>> James: ALMOST GOING TO COME UP AND GO — THEY’LL NEVER
03:02
BELIEVE IT.
03:03
♪ PENNY LANE, THERE WAS A FIRE WITHIN AN HOUR GLASS
03:08
♪ IN HIS POCKET IS A PORTRAIT OF THE QUEEN
03:11
♪ HE LIKES TO KEEP HIS FIRE ENGINE CLEAN
03:14
♪ IT’S A CLEAN MACHINE.
03:17
>> I USED TO BE IN THE CHOIR OF THAT CHURCH!
03:20
>> James: THAT CHURCH THERE?
03:22
>> ST. BARNABUS, YEAH.
03:22
>> James: YOU WERE IN THE CHOIR?
03:24
>> I WAS A CHOIR BOY.
03:26
THANK GOD FOR THAT CHOIR.
03:28
>> James: INDEED.
03:30
>> MY BROTHER GOT MARRIED IN THAT CHURCH.
03:32
>> James: NO WAY!
03:35
>> LEGENDARY.
03:35
HE SAYS HI, BY THE WAY.
03:38
♪ PENNY LANE IS IN MY EARS AND IN MY EYES.
03:53
>> James: LET’S GO IN AND SAY HELLO.
03:55
HI.
03:59
>> OH MY GOSH!
04:04
>> THERE THEY ARE.
04:04
THE BOYS.
04:08
>> James: I GOT A FEELING THIS ONE MIGHT BE ON THE WALL AS
04:11
WELL, PAUL.
04:11
THERE WE GO.
04:15
[ MUSIC ] >> HELLO, DARLING.
04:18
HI.
04:18
HELLO, DARLING.
04:19
THE LAST TIME I WAS AROUND HERE, CERTAINLY NO ONE WAS NOTICING ME
04:22
AT ALL.
04:24
♪ PENNY LANE IS IN MY EARS AND IN MY EYES
04:32
♪ THERE BENEATH THE BLUE SUBURBAN SKY
04:41
♪ PENNY LANE.
04:42
>> James: WE HAVEN’T GOT A HAT.
04:47
[ HARMONICA ] [ CHEERING AND APPLAUSE ]
04:49
>> James: YOUR MUSIC IS SO FULL OF POSITIVITY AND JOY AND A
04:57
MESSAGE OF LOVE AND TOGETHERNESS, I FEEL LIKE IT’S
05:01
MORE RELEVANT NOW TODAY THAN IT’S MAYBE EVER BEEN.
05:05
>> THAT’S ONE OF THE STRANGE THINGS.
05:07
WE DIDN’T EXPECT IT TO LAST 10 YEARS.
05:09
IT KEEPS GOING ON AND ON AND ON, AND IT KEEPS BEING RELEVANT.
05:12
>> James: YEAH.
05:13
>> I HAD A DREAM IN THE 60’S WHERE MY MOM WHO DIED CAME TO ME
05:19
IN THE DREAM AND WAS REASSURING ME SAYING, “IT’S GOING TO BE OK.
05:26
JUST LET IT BE.”
05:29
OH, I FELT SO RELIEVED LIKE — OH, IT’S GOING TO BE GREAT.
05:33
SHE GAVE ME THE POSITIVE WORDS.
05:36
I WOKE UP.
05:36
I GO, WHAT WAS THAT?
05:38
SHE SAID, LET IT BE.
05:40
I SAID IT WAS KIND OF GOOD, YOU KNOW?
05:43
SO I WROTE THE SONG.
05:44
IT WAS FULL OF POSITIVITY.
05:45
>> James: THAT’S THE MOST BEAUTIFUL STORY I’VE EVER HEARD.
05:50
♪ WHEN I FIND MYSELF AT TIMES IN A STRUGGLE ONE THING COMES TO ME
05:59
♪ SPEAKING WORDS OF WISDOM LET IT BE
06:03
♪ AND IN MY HOUR OF DARKNESS SHE’S STANDING THERE IN FRONT OF
06:10
ME ♪ SPEAKING WORDS OF WISDOM LET
06:14
IT BE ♪ LET IT BE.
06:18
LET IT BE ♪ LET IT BE.
06:24
LET IT BE ♪ THERE WILL BE AN ANSWER, LET
06:27
IT BE.
06:29
>> THIS IS A HARMONY ♪ LET IT BE.
06:33
LET IT BE ♪ LET IT BE.
06:36
LET IT BE ♪ THERE WILL BE AN ANSWER, LET
06:41
IT BE.
06:44
>> James: OH, MAN!
06:47
THAT GOT ME EMOTIONAL THERE.
06:49
>> IT DID.
06:51
>> James: IT’S TOO MUCH FOR ME.
06:58
>> I DIDN’T SEE THAT ONE COMING AROUND THE CORNER.
07:02
NO.
07:02
THAT’S GREAT.
07:03
THAT’S THE POWER OF MUSIC.
07:04
IT’S WEIRD, ISN’T IT?
07:05
HOW THAT COULD DO THAT TO YOU?
07:07
>> James: WELL I CAN REMEMBER, I CAN REMEMBER MY GRANDDADDY WAS
07:12
A MUSICIAN AND MY DAD SAT ME DOWN AND SAYING, “WE’RE GOING TO
07:18
PLAY YOU THE BEST SONG YOU’VE EVER HEARD.”
07:21
I REMEMBER THEM PLAYING ME THAT.
07:24
>> WHAT DO YOU THINK?
07:24
>> James: IF MY GRANDDAD WAS WITH ME HERE NOW, HE’D GET A
07:28
KICK OUT OF THIS.
07:29
>> HE IS.
07:34
>> James: OH MAN.
07:36
YEAH.
07:38
>> OK, THIS IS FORK IN THE ROAD.
07:40
>> James: ON THE 20 HERE?
07:41
HOW OLD WERE YOU WHEN YOU LIVED IN THAT HOUSE?
07:44
>> 12 OR 13, I THINK.
07:45
>> James: WHEN’D YOU LEAVE?
07:48
>> 18 OR 20.
07:49
>> James: SHALL WE COME IN AND HAVE A LOOK?
07:52
>> I’VE NEVER BEEN IN SINCE I LIVED THERE.
07:53
>> James: IT’LL BE INCREDIBLE.
07:55
ALL RIGHT, LET’S GET IN THERE.
07:56
LET’S HAVE A LOOK.
08:00
COME ON, YOU SHOULD LEAD THE WAY.
08:07
>> HELLO.
08:07
IT’S PAUL MCCARTNEY.
08:10
>> OH MY GOD!
08:10
>> James: I’M JAMES.
08:12
DO YOU HAVE A MIND IF WE LOOK AROUND?
08:15
>> THIS IS WHERE MY DAD USED TO DO THE LAUNDRY.
08:17
THERE WAS NO WASHING MACHINE OR ANYTHING.
08:18
HE WOULD JUST DO HIS SMALLS IN THERE, YOU KNOW,.
08:22
>> James: RIGHT.
08:23
>> OVER HERE, THIS IS WHERE ME AND JOHN WOULD OFTEN COME TO
08:27
REHEARSAL TO WRITE AND, UM, THIS IS MAINLY OUR ROOM HERE.
08:31
>> James: THIS IS WHERE YOU AND JOHN WOULD SIT AND ROCK?
08:35
>> YEAH, BECAUSE MY DAD WOULD BE IN THERE WATCHING TELE OR DOING
08:39
SOMETHING AND WE’D BE IN HERE.
08:40
WE’D JUST WRITTEN “SHE LOVES YOU” WHICH WAS TO BE A BIG
08:43
BEATLES HIT.
08:45
MY DAD WAS IN THERE.
08:45
WE WERE JUST FINISHING UP IN HERE, JOHN AND I.
08:53
WE WOULD PLAY IT DOWN FOR MY DAD, YOU KNOW.
08:56
HE WAS A MUSICIAN.
08:57
HE PLAYED PIANO.
08:58
>> James: YOU WOULD GO IN HERE AND SAY, “DAD WE THINK WE HAVE A
09:02
SONG.”
09:03
>> LISTEN YOU WANT TO HEAR A SONG?
09:04
HE GOES, FINE.
09:06
THEN WE START SINGING, AND HE LISTENED TO THE WHOLE SONG AND
09:09
HE SAID, “IT’S VERY NICE, BUT SON, THERE’S ENOUGH OF THESE
09:15
AMERICANISMS AROUND.
09:17
COULDN’T YOU SING SHE LOVES YOU YES, YES, YES?”
09:20
NO.
09:24
WE DIDN’T HEED HIS ADVICE.
09:26
HAD WE HAVE DONE, WHO KNOWS WHAT COULD HAVE HAPPENED?
09:30
>> SHE LOVES YOU YES, YES, SHE DOES ♪
09:33
>> James: COMING BACK HERE AND BEING IN HERE, WHAT DOES IT MAKE
09:36
YOU FEEL?
09:36
WHAT DOES IT MAKE YOU THINK OF BEING BACK IN HERE?
09:39
>> IT MAKES ME REALIZE HOW LONG THE JOURNEY’S BEEN TO DATE,
09:44
BECAUSE WE REALLY LIVED HERE.
09:48
I REMEMBER ME AND MY MOM AND DAD.
09:55
IT SEEMED LIKE THAT’S THE WAY LIFE WAS IN.
09:58
THEN WE HAD SCHOOL.
09:59
THEN WE WOULD WRITE SONGS ABOUT IT LIKE PENNY LANE AND THEN THIS
10:04
SONG RIGHT HERE.
10:04
♪ GOT OUT OF BED.
10:06
THAT’S ME, RUNNING LATE FOR THE BUS.
10:13
THAT’S WHAT MAKES ME THINK, WOW, THE DISTANCE FROM HERE TO WHERE
10:17
WE WENT AND WHERE WE ARE NOW, IT’S LIKE PHENOMENAL.
10:24
THERE’S THE ACOUSTIC CHAMBER.
10:27
>> James: THE ACOUSTIC CHAMBER.
10:32
>> ♪ EVERYTHING SOUNDS BETTER IN
10:34
THE VAULT JAMES ABSOLUTELY.
10:36
>> HERE IT DOESN’T SOUND AS GOOD.
10:38
I WOULD SPEND HOURS IN HERE WITH MY GUITAR.
10:42
♪ SHE LOVES YOU YEAH, YEAH, YEAH.
10:46
>> James: I’M THINKING THE BEATLES WERE HUGE WHEN YOU STILL
10:50
LIVED HERE, RIGHT?
10:53
>> YEAH.
10:54
THAT’S RIGHT.
10:57
ANY FANS CAME TO THE DOOR, HE WOULD SAY, COME IN, LOVE, YOU
11:00
WANT A CUP OF TEA?
11:04
WE WERE TRYING TO NOT DO THAT.
11:06
ONE NIGHT, I WAS A BIT FED UP WITH ALL THE FANDOM AND ALL OF
11:10
THAT.
11:11
YOU’RE COMING HOME, AND YOU WANT TO LET IT GO.
11:15
TOMORROW I’M GOING TO BE BACK IN THAT.
11:17
I WANTED A RESPITE FROM IT.
11:20
I HAD A LITTLE DISGUISE.
11:21
I PUT A LITTLE DISGUISE ON JAMES WHAT WAS THE DISGUISE?
11:26
>> MUSTACHE AND GLASSES AND A FLAP HAT AND OLD RAIN COAT.
11:30
I SORT OF WALK OUT.
11:32
THERE WERE A COUPLE OF FANS OUT THERE.
11:33
I WALK OUT AND I’M THINKING, CHEERS.
11:40
TADA.
11:40
I’M WALKING — BECAUSE — “HELLO, PAUL!”
11:44
>> James: WELL, I GOT TO SAY, I MEAN, WE’VE BEEN IN THIS HOUSE
11:48
NOW FOR FOUR AND A HALF MINUTES.
11:51
>> OH MY GOD.
11:51
>> James: YOU MIGHT NEED A DISGUISE TO GET OUT TODAY.
11:54
LOOK AT THIS.
11:57
WE MIGHT NEED THAT FLAP HAT AND GLASSES AGAIN.
12:01
HA-HA.
12:02
>> I HAVE A FEELING IT’S STILL NOT GOING TO WORK.
12:03
♪ GOING TO GET OLDER MANY YEARS FROM NOW
12:11
♪ GREETINGS FROM THE WINE ♪ QUARTER TO 3, WOULD YOU LOCK
12:19
THE DOOR ♪ WILL YOU STILL NEED ME WHEN
12:26
I’M 64.
12:26
ALTOGETHER ♪ WHEN I’M 64.
12:29
ONE MORE TIME ♪ WHEN I’M 64!
12:32
>> James: HA-HA!
12:37
THANKS, LOVE.
12:38
THANK YOU SO MUCH.
12:39
>> THANK YOU.
12:41
>> OK, BYE.
12:41
>> James: SEE YOU REAL SOON.
12:43
THANKS SO MUCH.
12:43
CHEERS.
12:47
>> ALL RIGHT, FOLKS.
12:48
WE’LL KEEP IT MOVING.
12:50
SEE YA.
12:51
THANK YOU, FOLKS.
13:02
[ EVERYONE SPEAKING AT ONCE ] >> CHEERS, THANK YOU.
13:05
>> James: GREAT.
13:06
NICE TO SEE YOU.
13:10
>> OH, BABY.
13:13
[ CHUCKLES ] YOU SAID THIS WAS GOING TO BE A
13:14
TRIP.
13:15
>> James: RIGHT?
13:19
♪ SINGING OF THE DEAD OF NIGHT ♪ TAKE THESE BROKEN WINGS AND
13:26
LEARN TO FLY ♪ ALL YOUR LIFE, YOU WERE ONLY
13:31
WAITING FOR THIS MOMENT TO ARRIVE
13:34
♪ YOU WERE ONLY WAITING FOR THIS MOMENT TO ARRIVE
13:40
♪ YOU WERE ONLY WAITING FOR THIS MOMENT TO ARRIVE.
13:46
[ APPLAUSE ] >> James: NOW THE BEATLES
13:53
ALWAYS HAD SUCH ICONIC HAIRCUTS AND LOOKS.
13:57
WAS IT IMPORTANT TO YOU AS A BAND YOU LOOKED A CERTAIN WAY?
14:00
>> YOU KNOW, KIND OF — YOU KNOW —
14:02
>> James: I FEEL LIKE IF I HAD THIS HAIRCUT, GIRLS WOULD
14:07
DEFINITELY DIG ME.
14:08
WHO WAS IT IN THE BAND WHO WOULD DETERMINE THE LOOK OF EACH
14:14
ALBUM?
14:14
THE GREAT THING ABOUT ALL OF YOUR LOOKS IS ANYONE COULD PULL
14:17
THEM OFF.
14:21
>> POLO SHIRTS AND JEANS.
14:21
>> James: I’LL TELL YOU WHAT, I WANT SOME NEW STUFF.
14:24
>> A NEW ONE.
14:28
>> James: HERE WE GO.
14:31
♪ I ♪ I SAW YOU FLASH A SMILE
14:35
THAT SEEMED TO ME TO SAY ♪ YOU WANTED SO MUCH MORE
14:39
THAN CASUAL CONVERSATION ♪ I SWEAR I CAUGHT A LOOK
14:43
BEFORE YOU TURNED AWAY ♪ NOW I DON’T SEE THE POINT
14:47
RESISTING YOUR TEMPTATION ♪ DID YOU COME ON TO ME
14:53
WILL I COME ON TO YOU?
14:55
♪ IF YOU COME ON TO ME WILL I COME ON TO YOU?
15:00
♪ DO, DO, DO, DO-DO, DO DO, DO, DO, DO-DO, DO
15:05
♪ DO, DO, DO, DO-DO, DO DO, DO-DO-DO, DO
15:13
♪ IF YOU COME ON TO ME WILL I COME ON TO YOU?
15:18
♪ IF YOU COME ON TO ME THEN I’LL COME ON TO YOU
15:25
♪ YES I WILL, YES I WILL YES I WILL, NOW
15:30
[ CHEERING AND APPLAUSE ] >> James: NOW, YOU USED TO
15:31
PLAY QUITE A LOT OF PUBS IN THIS AREA?
15:34
>> WE PLAYED WHERE WE COULD GET A GIG, ANYONE WHO WOULD HIRE US,
15:38
WE WOULD PLAY.
15:38
>> James: I WAS THINKING WE COULD GO BACK TO ONE OF THOSE
15:41
PUBS AND HAVE A BIT OF FUN.
15:42
WOULD YOU BE UP FOR THAT?
15:44
>> YEAH, DEFINITELY.
15:45
>> James: OK.
15:47
[ MUSIC ] WE CAME TO A PUB WHERE PAUL
15:54
MCCARTNEY WOULD OCCASIONALLY PLAY AND SOMETIMES GET A DRINK.
15:57
WE’LL HIT THE LOCALS AND SURPRISE THEM.
16:01
HELLO, HOW ARE YOU?
16:02
I’M JAMES.
16:02
I WAS WONDERING IF I COULD HELP YOU BEHIND THE BAR TODAY.
16:05
IF I COULD, I’VE NEVER DONE THIS BEFORE.
16:08
REALLY?
16:09
HOW ARE YOU?
16:09
WHAT CAN I GET YOU?
16:10
>> LEMONADE.
16:11
>> James: A LEMONADE.
16:11
WE CAN DO A LEMONADE.
16:13
HERE YOU GO.
16:17
WHY DON’T YOU PLAY SOMETHING ON THE JUKEBOX.
16:20
WHATEVER YOU WANT.
16:21
TAKE YOUR PICK.
16:22
ANY OF THOSE SONGS.
16:24
WHATEVER YOU CAN.
16:25
DO YOU EVER HAVE A CHEEKY LITTLE DRINK?
16:36
[ MUSIC ] ♪ HARD DAY’S NIGHT AND I’VE BEEN
16:41
WORKING LIKE A DOG ♪ IT’S BEEN A HARD DAY’S NIGHT
16:54
♪ YOU MAKE ME FEEL ALL RIGHT ♪ YOU KNOW I FEEL ALL RIGHT
17:00
♪ YOU KNOW I FEEL ALL RIGHT.
17:06
[ CHEERING AND APPLAUSE ] >> James: WHEW!
17:15
>> THANK YOU.
17:15
>> James: HA-HA!
17:21
BEST EVER.
17:22
IF YOU WANT A SONG, GO TO THE JUKEBOX AND PUT A SONG ON.
17:26
IT’S FREE FOR THE REST OF THE NIGHT.
17:27
GO.
17:27
GO.
17:27
GO!
17:31
[ MUSIC ] ♪ IF YOU GO DOWN TO THE
17:48
MARKETPLACE, ( PLAYING OBLADI )
18:00
♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪
18:14
( CHEERS AND APPLAUSE ) >> James: YAY!
18:20
HA-HA!
18:39
♪ LOVE ME DO ♪ SO PLEASE LOVE ME DO ♪
18:54
WHOA, LOVE ME DO ♪PARAGRAPH.
19:05
[ CHEERING AND APPLAUSE ] [ MUSIC ]
19:16
♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪
19:27
♪ ♪ ♪ BACK N THE U.S.S.R.
19:40
( CHEERS AND APPLAUSE ) >> James: GO!
19:50
♪ BACK N THE U.S.S.R.
19:52
( CHEERS AND APPLAUSE ) ♪ BACK N THE U.S.S.
19:59
BACK N THE U.S.S.
20:03
♪ BACK N THE U.S.S.R.
20:04
( CHEERS AND APPLAUSE ) THANK YOU.
20:09
LADIES AND GENTLEMEN, I THINK THIS IS AN AFTERNOON NOT ONE OF
20:12
US WILL EVER FORGET.
20:13
THANK YOU, PAUL, THANK YOU FOR EVERYTHING.
20:15
>> THANK YOU, JAMES.
20:17
NOW, JAMES, WHY DON’T YOU JOIN US?
20:21
COME ON, LET’S DO IT LET’S DO IT.
20:29
♪ HEY JUDE, DON’T MAKE ME SAD ♪ TAKE A SAD SONG AND MAKE IT
20:38
BETTER ♪ REMEMBER BE EVER INTO YOUR
20:48
HEART ♪ HEY JUDE, DON’T BE AFRAID.
21:11
[ SINGING ] TO MAKE IT BETTER
21:16
♪ BETTER BETTER
21:20
♪ BETTER NANANANANA
21:26
♪ NANANANANA ♪ HEY JUDE
21:36
NA NA NA ♪ NANANANANA
21:39
♪ HEY JUDE ♪ ♪ ♪
21:45
NA NA NA ♪ NANANANA
21:51
NANANANA ♪ HEY JUDE
21:56
NA NA NA ♪ NANANANA
22:00
NANANANA ♪ HEY JUDE
22:08
COME ON, YOU SING IT.
22:13
[ SINGING ] NA NA NA
22:17
♪ NA NA NA NA NA NA NA
22:20
♪ HEY JUDE NA NA NA
22:22
♪ NA NA NA NA NA NA NA NA
22:29
♪ HEY JUDE >> EVERYBODY!
22:38
NA NA NA NA ♪ NA NA NA NA
22:46
♪ HEY JUDE ( CHEERS AND APPLAUSE )
22:59
>> MR PAUL McCARTNEY!
23:02
♪ NA NA NA NA NA NA NA NA
23:09
♪ HEY JUDE >> James: MY THANKS TO SIR
23:11
PAUL MCCARTNEY.
23:12
BE SURE TO PRE-ORDER PAUL’S BRILLIANT NEW ALBUM “EGYPT
23:13
STATION” AND CHECK OUT HIS TWO NEW SONGS “COME ON TO ME” AND “I
23:16
DON’T KNOW” OUT NOW.
23:17
WE’LL BE RIGHT BACK WITH MORE OF THE LATE LATE SHOW IN LONDON.

Anúncios

O DIA EM QUE O ROCK AND ROLL CHEGOU AO BRASIL PELO AEROPORTO DE CONGONHAS!

Bill Haley e Seus Cometas, a convite da TV Record, chegaram a São Paulo no Aeroporto de Congonhas no dia 24 de abril de 1958.

O repórter Silvio Luiz, meio escondido atrás do Microfone tipo tijolão, faz sua entrevista para divulgar o Rock and Roll no Brasil.

A TV Record foi a emissora que mais trouxe artistas internacionais ao Brasil nos anos 50 e 60.
O rock ainda não tinha vez em nosso País, era o tempo dos cantores românticos como Orlando Silva, Carlos Galhardo, Nelson Gonçalves, Nora Ney, etc… Orquestras como Ray Connif, Élcio Alvares e sua orquestra, Rago e Seu Regional, Mario Zan etc.

Bill Haley nasceu em 6 de julho de 1925 e faleceu no Texas em 9 de fevereiro de 1981, acometido por um tumor cerebral. Seu corpo foi cremado. Foi um musico do Rock and Roll. Ele e sua banda Crazy Man Crazy chegou a gravar o primeiro rock a entrar nas paradas de sucessos dos Estados Unidos. Sua banda mudou de nome em 1952 passando a chamar-se Bill Haley e Seus Cometas. Receberam das mãos de um compositor em 1953 o Rock Around The Clock que só conseguiram gravar em 12 de abril de 1954.

Quando Bill Haley e os demais componentes da banda desceram do avião no Aeroporto de Congonhas em 1958, foi uma correria de jovens que desejavam chegar perto da famosa banda para pedir autografo.
O rock internacional revolucionou o palco do Teatro Record na Rua da Consolação, 1992 e ensinou o novo modo de dançar no Brasil.

O sucesso foi tanto que os brasileiros correram às lojas para comprar discos do grupo e dos outros astros do rock and roll. Bill Haley, com o topete tipo “pega rapaz”, sua marca registrada, levou os jovens ao delírio. Houve confusão no aeroporto envolvendo os fãs mais exaltados e segurança de serviço.

Lembrando que na época Antonio Aguillar ainda era repórter fotográfico do jornal O Estado de São Paulo, e registrou todo esse novo momento musical com reportagens ilustradas no periódico. No Cine Art-Palácio existente no Largo do Paissandu havia a projeção do filme O Balanço das Horas com cenas da famosa banda e o rock comia solto, a ponto de a rapaziada se exaltar, pulando, dançando, quebrando as poltronas do cinema para conseguir espaço e celebrar ali suas danças acrobáticas, que era ao som do rock n’ roll. Foi dai em diante, que veio a inspiração para uma nova vocação: fazer um programa musical de rock numa boa emissora de rádio. A profissão de repórter fotográfico ficou para trás, Antonio Aguillar foi contratado pela Rádio Nacional de S.Paulo e nasceu o programa Ritmos para a Juventude a partir de 1960.
Dai em diante não é preciso dizer mais nada, pois há mais de meio século Aguillar continua prestigiando esse movimento musical.

(Por Antonio Aguillar)

Menção da banda Renato e Seus Blue Caps em livro sobre os Beatles.

Renato e Seus Blue Caps teve o nome mencionado no livro “The Beatles at the Beeb – 1962-1965”, de Kevin Howlett, um livro que fala sobre todas as canções que os Beatles apresentaram na Rádio BBC citando as regravações e as versões delas feitas no mundo. Renato e Seus Blue caps é citado diversas vezes, por exemplo:

– Anna (Go to Him) – Originalmente gravada pelo compositor Arthur Alexander, a versão com os Beatles saiu em março de 1963 no álbum Please Please Me. Alguns anos mais tarde Renato e Seus Blue Caps apresentaram ‘Ana’ em português brasileiro.

– I Call Your Name – The Mamas and the Papas recorded it in 1966 and the Portuguese version ‘Garota Malvada’ was by, you guessed it, Renato and his Blue Caps. (The Mamas and the Papas gravaram essa música em 1966 e a versão em Português foi feita por, você adivinhou, Renato e Seus Blue Caps).

– I’ll Get you – Esta canção tornou-se inesplicavelmente muito popular em países da América Latina, daí o comentário no livro ter sido que “misteriosamente”, Renato e Seus Blue Caps deixou passar em branco esta canção. (Mysteriously, Renato and his Blue Caps passed this song by).

– I’m Happy Just to Dance with you – Renato e Seus Blue Caps gravaram uma versão desta, claro, e cantaram Sou Feliz Dançando com Você, uma tradução bastante ao pé da letra. (Renato and his Blue Caps covered it, of course, and sang ‘Sou feliz dançando com voce’ which was a pretty fair translation).

– I Should Have known better: Estranhamente houve grande atração de artistas estrangeiros por esta música e “Menina Linda” teve a versão em Português gravada pelos Vips* e, claro, por Renato e Seus Blue Caps.
* A gravação com os Vips foi bem depois da gravação com Renato e Seus Blue Caps.

– Love Me Do: Renato e Seus Blue Caps cantaram a versão em Português “Sou tão Feliz”. (Renato and his Blue Caps sang the Portuguese translation ‘Sou tao feliz’).

– The Night Before e Ticket To Ride – Músicas negligenciadas por outros artistas, até mesmo Renato e Seus Blue Caps deixaram de gravá-las.

O livro pode ser baixado em PDF aqui neste link:

http://www.americanradiohistory.com/Archive-BBC-Books/Beatles-at-the-Beeb-1965.pdf

“I’ll Get You” foi a música dos Beatles que Renato e Seus Blue Caps deixou passar batido, segundo o livro, e não foi feita nenhuma versão dela pela banda.
No Brasil saiu no LP “Beatles Again”.

Aqui o clipe de uma apresentação dos Beatles ao vivo pela BBC, com o áudio alterado para playback (o original não está muito bom).

AS COMPOSIÇÕES DE ED WILSON GRAVADAS PELA BANDA RENATO E SEUS BLUE CAPS.

Edson Vieira de Barros (Rio de Janeiro, 29 de julho de 1945 – 03 de outubro de 2010), mais conhecido como Ed Wilson, fez parte do programa Jovem Guarda e também do movimento da Jovem Guarda.
Foi um dos fundadores da banda Renato e Seus Blue Caps, juntamente com seus irmãos Renato Barros e Paulo Cezar Barros onde permaneceu até 1961 e no final de sua carreira esteve ligado à música gospel.

Em 1962 Ed Wilson iniciou sua carreira solo e fez muito sucesso com músicas compostas por ele, como “Carro do Papai”, “Sandra”, “Saudade”, entre outras.


.

Ed Wilson teve também muitas composições de sucesso gravadas por outros cantores, como “Aguenta Coração”, “Chuva de Prata” e “Aparências”, além de muitas outras gravadas pela banda Renato e Seus Blue Caps, as quais seguem listadas abaixo.

O cantor passou por diversas gravadoras como RCA, Odeon, CBS, Line Records e Top Gospel.
Foi um dos criadores da banda The Originals em 2005, onde gravou os três CDs/DVDs da banda.

Aderiu ao estilo Gospel e neste meio gravou 06 discos solo sendo um em espanhol. Teve suas músicas regravadas por muitos cantores, inclusive no exterior.

Ouçam ED WILSON, compositor e cantor de uma voz extraordinária, que se calou em 03 de outubro de 2010, mas não para os seus eternos fãs.

Cara – 1983

.

Chuva de Prata / Aguenta Coração / Aparências
.

.

Ed Wilson, nosso Elvis, em performance durante a gravação do primeiro DVD The Originals, arrasando na interpretação das canções de Elvis Presley!
.

.
COMPOSIÇÕES DE ED WILSON GRAVADAS POR RENATO E SEUS BLUE CAPS

Comanche (Ed Wilson) – 1962
A Saudade que Ficou (Renato Barros-Ed Wilson) – 1967
A Esperança É a Última Que Morre (Ed Wilson) – 1968
Vontade de Viver (Ed Wilson) – 1970
Sou Louco Por Você (Renato Barros-Ed Wilson) – 1971
Agora É Tarde (Ed Wilson) – 1971
Não é Nada Disso (Ed Wilson-Gelson) – 1971
Você Vive (Ed Wilson) – 1972
Como num Sonho (Pseudônimo de Alessandro – Cury) – 1974
Vou curtir minha dor (Pseudônimo de Alessandro) 1974
Recordações (Ed Wilson) 1974

Tire os Grilos da Cabeça – 1976
.

.

Adorada – (Pseudônimo de Alessandro) 1977
.

.

Triste Fim de Tarde (Pseudônimo de Cury-Alessandro) – 1979
Tudo Em Vão (Pseudônimo de Alessandro-Gibran) – 1979

Tim-Tim (Sob Pseudônimo Fatha-Cury) – 1981
.

.

Você Foi Longe Demais (Sob Pseudônimo Fatha-Cury) – 1981
Sonho Colorido (Carlinhos-Fatha) – 1981

Velhos Tempos (Sob pseudônimo Cury-Fatha) – 1981
.

.
Será? (Cury-Ed Wilson) – 1983
Amor Sem Fim (Renato Barros-Alessandro) – 1996

Depoimentos de Fãs da Banda Renato e Seus Blue Caps

Renato Barros foi o idealizador da banda Renato e Seus Blue Caps, fundou e criou a banda que até hoje é amada e seguida por pessoas de diferentes gerações.
Embora eu tivesse assistido a todos os programas musicais da TV Record dos anos 60, onde os artistas se apresentavam, nunca tive a oportunidade de ir ao Teatro vê-los pessoalmente, e foi em 22 de março de 2017 que me vi diante dele, “o mais puro sangue do Brasil”, como era apresentado por Roberto Carlos no programa Jovem Guarda, e pude comprovar o carisma, a genialidade, o talento do artista que se tornou a lenda viva do Rock nacional.
Tenho lido e recebido muitos depoimentos de fãs que se encantam com os shows da banda até hoje, e principalmente na atualidade, quando temos oportunidade de assistir e conferir tudo que a gente antigamente só poderia ver em revistas e TVs em preto e branco, e foi por isso que decide a partir de agora anotar os depoimentos que leio nas diversas postagens que publico no Facebook, Youtube e Word Press.
Se você é fã e ainda não tem seu depoimento aqui, comente e escreva o seu “para a posteridade”. 🙂  .

Renato Barros e sua Guitarra Fender Stratocaster

.

ONTEM, HOJE E SEMPRE, RENATO E SEUS BLUE CAPS!
.

.

“Primeiramente eu gostaria de dizer que sou um fã incondicional dos Beatles e dos também inesquecíveis e geniais Renato e Seus Blue Caps, cuja importância e influência na música brasileira se faz presente até hoje. Na minha opinião vocês foram a tradução mais completa e perfeita da maravilhosa obra dos Beatles no Brasil, a Jovem Guarda de modo geral, mas vocês principalmente. A Jovem Guarda será eternamente Jovem e no Brasil jamais existirá outro conjunto como Renato e Seus Blue Caps assim como no mundo jamais existirá outro conjunto como os Beatles!” (Pedro Costa)

“Acredito que boa parte do sucesso da Jovem Guarda se deve aos arranjos arrojados e às sonoridades marcantes daquelas músicas simples que tocam nossos sentimentos. E Renato e Seus Blue Caps foi um dos responsáveis pelos sucessos dos cantores e cantoras daquela época, pois gravou praticamente com todos eles. Essa Banda tem seu lugar garantido e reconhecido ao lado dos grandes ícones do Rock e da Jovem Guarda.” (Edson Fraioli de Mattos)

“GRANDE RENATO !!! QUE LEGADO MARAVILHOSO QUE VOCE DEIXA PARA TODOS NÓS QUE COMPARTILHAMOS, QUE CURTIMOS E QUE VIVEMOS TODA A SUA ARTE, QUE SÓ NOS TROUXE ALEGRIA. EU SOU APENAS UM ENTRE OS MILHÕES DE PESSOAS QUE TIVERAM AS SUAS VIDAS MARCADAS POSITIVAMENTE POR ESSE MOVIMENTO MÁGICO QUE VOCÊ
TAMBÉM PROTAGONIZOU. PARABÉNS, RENATO !!! VOCÊ E A SUA BANDA SÃO ETERNOS EM NOSSAS MENTES E EM NOSSOS CORAÇÕES !!!” (Jorge Antonio Mota)

“Sou muito fã deste maravilhoso músico. De suas composições, entre as diversas preferidas, destaco “SOU LOUCO POIR VOCÊ”, que sempre dedico à minha esposa quando toco. Muito obrigado, Renato.” (Caio Chaves)

“Fui totalmente influenciado pelo meu falecido PAI! Ainda quando era bem pequeno, lá pelos anos 70, escutava por tabela e conheço todas as musicas deles. Sei tocar todas no Baixo! Viva Renato e Seus Blue Caps.” (Luciano Pinto)

“Graças a DEUS cresci ouvindo RENATO E SEUS BLUE CAPS..pra mim Renato e um dos maiores GUITARRISTAS de todos os tempos…tocar uma guitarra como ele e dificil toda vida,cara e um GÊNIO adoro suas letras,versões e vocais…!! Vida Longa e Prospera..!! Sou seu fã..!!” (Heldeni da Silva Caneda)

“É fácil, sim falar. Foi um dos pais do rock nacional.! Mil respeito a Sir Renato!” (Josef von Drerkhelf)

“Renato e seus Blue Caps foi uma das melhores coisas que já aconteceu na música brasileira! Geniais!!! Infelizmente no Brasil não se preserva o que é bom, você vê grupos estrangeiros dinossauros, que continuam empolgando (nada contra, muito pelo contrário), mas aqui é barra, não existe uma cultura de valorização desta verdadeira nata do som nacional. Eu continuo curtindo e ouvindo pelo menos o que já está gravado…mas é claro, sempre sentindo falta de ver a banda em atividade. Quem sabe um dia..” (Anônimo)

“Comecei a ouvir Renato e Seus Blue Caps quando eu era ainda bem novo (acho que com uns 12 anos) daí eu vi que era aquilo que eu queria seguir. Todas as músicas tocavam dentro da minha alma. Daí eu olhava as capas dos discos e queria imitar Renato com o cabelo (já que eu tinha o cabelo um pouco grande na minha adolescência), daí me tornei adulto e tive a felicidade, de por muitas vezes, ver meu ídolo, que então só via nas capas dos discos. Foi uma coisa fantástica mesmo, parecia que eu estava do lado do Batman, Superman etc. Salve salve Renato e Seus Blue Caps! ” (Fábio Lima)

“Abençoados todos nós que temos esta oportunidade de ouvir Renato falar nes te video, ele que foi um dos caras que escreveram a trilha sonora das nossas vidas. Quando existiam bailes nas casas de São Paulo na década de 60 e 70, todos eram embalados por discos de Renato. Somos gratos, muito gratos Renato por voce existir, adoramos e compramos todos os seus discos daquela época e até hoje com muito prazer, lotamos os seus shows. Te amo, Renato e seus Blue Caps.” (Denise Star Blue)

“Grande lembrança!!!! Sou muito grato à música de Renato & Seus Blue Caps! Tenho grandes influências na minha formação musical e boas recordações daqueles dias da década de 60 !!! Foram dias muito felizes!!!!!! Obrigado, Renato Barros pela sua música!” (Álvaro Assmar)

” Um excelente músico ao vivo e em estúdio, gravou e ainda grava com grandes nomes da música brasileira de todos os estilos!” (Vanderlei Loureiro)

“E estes mimos da fã pela ídolo e estas miudezas de rara beleza que deixam as emoções a flor da pele. Na Praça Sete estão os cafés e o teatro Cine Brasil, e este abril é muito especial. Renato e Seus Blue Caps fez uma bela apresentação e alegrou o coração desta mulherada linda de Minas que não cansa de dizer que do lado esquerdo do peito pulsa um coração que ama Renato Barros de paixão. Não tenho ciume do Renato, pois minha eterna namorada conheci em um dos show do Renato em praias capixabas. Vida longa para esta banda que pulsa no coração dos brasileiros.” (Carlos Cunha)

“Esses caras maravilhosos não têm ideia do quanto eles nos deram alegria, felicidade, amor, respeito. Éramos felizes e não sabíamos. Muita saudade. São bons demais até os dias de hoje.” (José Alaor Cassiano)

“Amo Demaisss esse Grupo…..ontem….hoje…..e Sempre…..tenho no meu carro sempre tocando….e é contagiante todo Mundo Ama…..” (Aninha Espíndola)

“O que dizer de músicas tão lindas quanto essas.Apenas que continuam nos encantando e alegrando nossos corações!!!” (Letícia Silva)

“Ano de 1992, estava com vinte anos. Sempre que entrava de férias na época de colégio, viajava sempre pra Bahia (Porto Seguro), terra de minha mãe e vinha curtir junto com ela e família . Uma vez fui pra casa da minha tia passar um dia com ela, o marido dela e minha prima. Nessa época, eu me lembro bem como se fosse hoje, o axé music estava bombando. Mais eu sempre fui fã da Jovem Guarda, principalmente fã incondicional de Roberto Carlos. 90% era Roberto e o restante jovem guarda. Até que nesse dia eu olhando os discos de minha tia, vi uma capa de disco muito bonita com aqueles 5 rapazes todos de cara fechada , olhei o logo da CBS e perguntei a minha tia se esse disco era bom…. rsrs. Minha tia tratou de pegar o disco e colocar na vitrola de madeira dela e foi colocando logo a música “Não posso me controlar”. Quando ouvi aquela guitarra logo no meio da música, o baixo mandando ver, aquela bateria contagiante e a harmonia das vozes!! Nossa, aquilo ali me deixou contagiado também. De lá pra cá, foi correria atrás dos outros discos, fui no MIS ( Museu da imagem e som) no Rio atrás de reportagens, fotos, áudios. Ia muito na Cinelândia, centro do Rio, onde conheci vários colecionadores de vinis que vendia alguns discos de Renato. Na época, era raríssimo você os primeiros Lps como o “Isto é Renato” como os colecionadores chamam o disco e o ” Viva a Juventude”. Esse último era raríssimo. Custava mais de R$ 1000,00 . Tanto que achei um , mais a capa era xerocada….kkkkk. Enfim, hoje são 26 anos que ouço, admiro e sou fã desses monstros sagrados da nossa MPB e que tiveram uma contribuição muito grande pra carreira de vários artistas, inclusive o próprio Roberto Carlos. Renato & seus Blue Caps. Mesmo não sendo reconhecidos como deveriam, mas possuem uma legião de fãs, de todas as idades, por todo o Brasil, Vida longa Renato e seus Blue Caps.” (Sylvio Augusto Habibe)

” Minha época maravilhosa com dignidade, bom emprego, carro zero e a melhor banda do Brasil, Renato e Seus Blue Caps. Último baile que fui no Clube Atlético Ipiranga eles tocaram, depois fui várias vezes numa churrascaria na BR 116 para curtir. Obrigado Renato, por você existir. Showwwwwwww” (Cláudio De Franco)

“Esta história é real, ocorrida há quase 50 anos. Estávamos em 1968,e quase no final do ano, foi lançado o disco ESPECIAL, mais um primoroso trabalho de Renato e seus Blue Caps. A música com a qual me encantei logo que ouvi o LP, foi Não Demore Mais. Ressalto que o disco era emprestado por um amigo. Na época eu não tinha uma guitarra, somente um violão, com o qual pretendia tocar a música. Haviam passagens e notas complicadas na harmonia. Como eu precisava devolver o disco na 2@ feira, passei o final de semana tentando reproduzir os acordes. Desta forma, não encontrei com a menina que na época eu namorava, o que a deixou furiosa. Minhas explicações de nada valeram, ela terminou com o namoro, dizendo que não se conformava em ter sido trocada por um conjunto. Tudo bem, seguiu a vida, mas o que mais senti foi não ter conseguido tirar a melodia por completo. Namoradas eu consegui várias, mas as diminutas e dissonantes que meus ídolos tocavam, tiveram que esperar mais alguns anos e um pouco mais de conhecimento. Está é apenas uma passagem que demonstra a influência de Renato e Blue Caps em minha vida.” (Antonio J. Hopp)

“Espetacular o show de Renato e Seus Blue Caps ontem dia 23 no Clube Municipal, bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro. Poder ver de perto essa banda lendária do Rock nacional dos anos 1960 que explodiu na Jovem Guarda e testemunhar ao vivo o talento desses caras e o virtuosismo do grande Renato Barros nos maravilhosos solos de guitarra, descobrindo que ele é bem melhor do que eu esperava não ficando de fora dos grandes guitarristas tanto brasileiros quanto os internacionais. Obrigado por esse grande presente que foi o seu show cantando inclusive em inglês grandes clássicos como Smile (de Charles Chaplin) e Hotel California (sucesso dos anos 1970, mas não lembro qual artista) e seus improvisos nos solos provou que você continua em forma!” (Luis Alexandre Maia Pires)

“Me chamo Edivando Pereira Alves. Sou deficiente visual e moro aqui em Pernambuco. Estava andando pelo face estudando quando encontrei esta página maravilhosa. Como gosto de fazer amizades e ouvir boas histórias, resolvi curtir a página e escrever. Você e seu conjunto embalaram minha infância. Lembro-me de algumas discotecas que fui e lá estava um disco do Renato tocando. Quando brincava com a prima Zilma Aguiar, lá também saía uma música do Renato no velho rádio da minha avó. A gente brigava e fazia as pazes sempre com uma música do Renato ao fundo. Lembro-me da última briga que tive com ela. Quando cheguei em casa triste ouvi no rádio uma música sua que dizia a seguinte frase: Abra os braços pra vida que ela te espera pro novo amanhã. Daquele dia pra cá nunca mais brigamos e eu tenho por ela um carinho imenso. Veja como são as coisas! Você separava as brigas mesmo sem estar presente! Só em ouvir a letra que um dizia pro outro: Que música bonita! Não é? E começávamos a rir e a paz voltava. Resolvi contar para que o amigo saiba que suas letras unem pessoas. Obrigado pela atenção dispensada. Fique com Deus. Abraços!” (Edivandro Pereira Alves)

“Importante dizer que temos orgulho de termos em terras brasileiras, uma banda que além de ser a mais antiga em atividade é uma das melhores, senão a melhor banda do mundo! Valeu!” (Plínio Ambrosini)

“Parabéns Renato, você é um grande músico e responsável pelo progresso da música popular Brasileira. Grande abraço. Tenho a coleção completa desta grande banda conduzida por você.” (Gaspar Feichas)

“Era o início dos anos 70, quando fui levado pelas mãos do querido amigo Carlos Alberto ( O Rei dos Boleros ) no qual me apresentou ao grande músico e Produtor “Renato Barros”, no qual me deu a oportunidade que eu tanto esperava, Renato a você minha eterna gratidão, pois sem você nada teria acontecido,obrigado por me ter no rol de amigos, abraço sucesso.” (Roberto San)

“Ano de 1965. Pela primeira vez em minha vida, entrei em uma reunião dançante, na garagem da casa de minha prima Tania (ela não deve lembrar disso) e fui surpreendido com o som contagiante que tocava no Hi-Fi: O Fugitivo, de Renato & Seus Blue Caps. Estava lá pelos meus 12 ou 13 anos… Fiquei impressionado com o ritmo e a levada da música. Aquele instrumental simples e envolvente e os vocais incríveis para a época. Foi amor à primeira vista… E ai se seguiram: Você Não Soube Amar, Espero Sentado, Feche os Olhos, todas do LP “Isto É Renato & Seus Blue Caps”, que tinha sido recentemente lançado.
Em 1967, quando fiz 15 anos, recebi de presente o LP “Um Embalo com Renato & Seus Blue Caps” e ai não parei mais… Aprendi todas as músicas no violão e comecei a me inspirar na voz de Paulo Cesar Barros, apesar de já cantar desde os 5 anos de idade (segundo minha mãe)… Ou tentar, pelo menos…
Através de Renato e todos os seu Blue Caps conheci a maior banda de todos os tempos: The Beatles! Então você pode imaginar o quanto isso foi importante para essa minha louca teimosia, que é cantar…
Dali pra frente, os gostos musicais foram se modificando, mas sempre ficou preservada a paixão pela música do Blue Caps, que é a razão de eu ter insistido e investido tanto na música, em formação de bandas, tocando em festas, reuniões dançantes e bailes pela vida afora… A história é bem mais longa, mas isso fica pra outra hora.” (Tarcísio CasaNova)

“Renato e seus Blue caps, é uma coisa que não se explica eu que tive a honra de conhecê-los, conversar com eles como amigos, até mesmo fizemos algumas viagens juntos, aí meus filhos com 35, 33, 19 e 13 anos curtem como eu, agora com três aninhos meu netinho cantando as músicas deles, é pura emoção. Com certeza essa paixão é hereditária, passa de pai para filho. Obrigado aos velhos e novos Blue Caps, minha vida não seria a mesma sem vocês.” (Jorge Cardoso)

“Eu sou fã da banda desde 1969 quando foi lançado o LP que dizia na última faixa, quando a cidade dorme. Fiquei fã até hoje e todas as vezes que a banda vem em Teresina Piauí eu sempre estou no show e até já cantei com a banda num show que teve aqui a muito tempo no Clube dos Economiários. A música era a Dona do meu Coração e foi um sucesso.” (Francisco Costa)

“Sou fã da banda desde o início da carreira do Renato e Seus Blue Caps!!!!! Quando na minha adolescência, na cidade onde morava não tinha Televisão, a gente só escutava as músicas pelo rádio, e ficava imaginando como era esse Grupo Musical Fantástico!!!!!! Tenho prazer e orgulho de ter todos os CD’s do Renato e Seus Blue Caps”. (Joaquim Da Silva Teixeira Filho)

“Eu também curto Renato e seus BLUE Caps desde o início até hoje, tenho todos os discos de vinil e até CD. Meus filhos e netos, toda família, por minha causa aprenderam a gostar desta Banda!” (Renato Trevizan)

“Muitos MEDALHÕES da música brasileira ouviram RENATO E SEUS BLUE CAPS como referência; é um orgulho tê-los como ídolos, principalmente Renato Barros. Um grande abraço a todos. (Olivério Machado)

“Me lembro que escutei pela primeira vez as músicas de Renato e seus Blue Caps quando eu tinha 7 anos. Foi numa festa de igreja católica perto da minha casa, em 1967, quando as gurias pediam músicas para oferecer para os guris e tocavam nos altos falantes grandes, que pareciam uns sinos com as músicas “A irmã do meu melhor amigo”, “Quando a cidade dorme”, “Disse me disse”, “Amigo do peito”, “Play boy”, etc… Eles colocavam os discos pra tocar naquelas vitrolas de plástico Philips, tinha na cor vermelha, amarela, verde… que saudade daqueles tempos lindos… (Miguel Batista da Rosa)

“Adoro as músicas da banda do Renato e Seus Blue Caps e a primeira vez que fui num baile no Clube Ipiranguinha da Vila Matilde, uma garota me ensinou a dançar ao som de uma música do Renato e Seus Blues Caps. Bons tempos.” (Washington Moraes)

“Um dos melhores e significativos grupos musicais que animava o Brasil naquela época; banda afinada e harmoniosa encantava a rapaziada no cenário musical do País sendo que suas melodias eram reproduzidas pela maioria dos conjuntos musicais que animavam as reuniões dançantes e bailes ….eu, particularmente, continuo ouvindo e curtindo Renato e seus Blue Caps hoje e sempre!!!” (Orestes Pandolfo)

“Tive o privilégio de ouvir e conhecer Renato e Seus Blue Caps nos primórdios de seu sucesso e sou fã até hoje. Se depender de mim a historia da banda será sempre contada e divulgada, para que as futuras gerações tomem conhecimento do que foi e continua sendo este conjunto criado pelo “Bacaninha da Piedade”, a lenda viva Renato Barros!” (Lucinha Zanetti)
.

O Dia em que Jimi Hendrix enviou um telegrama a Paul McCartney para que ele se juntasse a um Supergrupo em 1969.

Há momentos na historia como aquele em que Jimi Hendrix enviou a Paul McCartney um telegrama para se juntar a um supergrupo em 1969, o qual teria certamente mudado o panorama do rock and roll para sempre. Se tal coisa tivesse acontecido, não se pode dizer como seria o gênero do rock and roll agora, ou se não haveria mudança alguma.No entanto é suficiente esperar e sonhar que com Hendrix, Miles Davis, McCartney e o lendário baterista de jazz Tony Williams, que um grupo como este seria no mínimo fenomenal e explodiria o teto de qualquer espaço que eles pudessem ter reservado.

Sinceramente, todos aqueles talentos num palco e todos aqueles egos numa mesma sala contribuindo em conjunto para algo que pudesse ser entre as melhores canções do mundo, é demais para pensar nisso, pois pode causar uma sobrecarga. Aqueles que não sabem nada sobre os artistas poderão olhar para isto e pensar que parece loucura desejar e imaginar o que poderia ter sido, mas para aqueles que conseguiram ver essas pessoas em concerto ou crescerem durante seus anos mais famosos, seria como um sonho tornar-se realidade. Infelizmente isso nunca aconteceu. Paul McCartney estava na Escócia em férias na época e não pôde ser encontrado, e em 1970 Hendrix faleceu de repente. A chance de se tornar algo que pudesse mudar a realidade que conhecemos veio e passou sem que nada acontecesse, enquanto Paul tinha que lidar com sua própria vida no momento. Na época os Beatles estavam passando por um pouco de dificuldade, pois estavam começando a se despedaçar seriamente e sua banda estava começando a desmoronar devido a diferenças criativas.

O telegrama de Hendrix para McCartney ainda está em exibição depois de ter sido comprado em 1995. Ele foi emoldurado e pendurado no Hard Rock Cafe em Praga, onde as pessoas podem vê-lo até o momento. Aqueles que sabem da historia podem se sentar e se maravilhar com o que poderia ter sido feito se acontecesse de McCartney ter recebido o telegrama. É verdade que ele estava lidando com muita coisa naquele momento, mas se ele tivesse respondido, seria simplesmente o máximo. Neste momento tudo o que as pessoas podem fazer é imaginar, já que McCartney é o último ainda vivo daquele grupo desejado, e já está estabelecido que ele não tem tempo para vasculhar os anos pensando em um telegrama que foi enviado a ele sobre se juntar a um supergrupo. Isso tende a fazer McCartney soar um pouco ecomo sendo egoísta e também arrogante, mas uma coisa que pode ser dita é que ele ainda é muito bom em suas performances e, como tal, tem que continuar seguindo em frente. No tempo de inatividade, se ele chegar a ter, ele deverá pensar o que poderia ter sido, mas parece duvidoso que ele pense muito nisso.

Seguir em frente é na verdade a única maneira de um artista continuar levando seu nome aos olhos do público. Ficar pensando em um telegrama que se tornou um poderia-seria-teria tende a ocupar muito tempo que muita gente não quer perder. Mas ainda vale a pena imaginar o quão incrível aquele grupo teria sido.

TRADUZIDO POR: Lucinha Zanetti
TEXTO ORIGINAL: TV OVERMIND

Ringo Starr recebe título de ‘Sir’ e se torna Cavaleiro do Império Britânico

Depois de 21 anos após seu companheiro Paul McCartney ter recebido a honraria, Ringo Starr recebeu hoje, 20 de março de 2018, o título de “Sir”.
Ringo agora é um Cavaleiro do Império Britânico aos 77 anos.

Em cerimônia no Palácio de Buckingham, Richard Starkey, nascido em Liverpool, Inglaterra, recebeu a honraria pelos seus serviços à música das mãos do Príncipe William, Duque de Cambridge, neto da Rainha Elizabeth II. Ringo estava acompanhado da sua mulher, Barbara Bach, e brincou dizendo não saber como usar o título.

“Na verdade isso significa muito”, disse o músico à BBC. “Isso significa reconhecimento pelas coisas que fizemos. Fiquei muito agradecido em aceitar isso”.

http://www.bbc.com/news/av/embed/p061qjqt/43472196

A honra vem 53 anos depois de os Beatles terem sido premiados com a MBE – e Starr disse que sentiu falta da companhia dos companheiros por perto desta vez.

“Eu estava um pouco incomodado hoje sozinho”, disse ele.

Quando os Beatles receberam seus MBEs em outubro de 1965, a ocasião não foi sem controvérsia.

O Rock and Roll ainda era visto com desconfiança pela sociedade e vários homenageados com a comanda anteriormente, retornaram suas medalhas em protesto.

John Lennon afirmou mais tarde que os Beatles estavam tão nervosos com a idéia de conhecer a rainha que entraram furtivamente em um banheiro no Palácio de Buckingham para fumar um baseado.

“Quem disse isso?” riu o baterista depois da cerimônia desta terça-feira. “Não vou manter aquele boato” (risos).

FONTE