Roberto Carlos foi proibido de cantar na Igreja!

Recebi recentemente do Antonio Aguillar, este arquivo gravado por ele em 1968, quando Roberto Carlos estava compondo músicas sacras e a primeira delas havia sido a hoje tão famosa “Jesus Cristo”.

Essa matéria foi publicada no jornal “O Estado de São Paulo” e na “Gazeta”.
Na época o Cardeal Arcebispo de São Paulo era Agnello Rossi e Roberto Carlos havia pedido para Antonio Aguillar que interferisse por ele junto ao cardeal, pois estava querendo se casar com Cleonice Rossi, uma mulher desquitada, mais velha que ele, com uma filha pequena, e se conquistasse o clero, talvez pudesse se casar na igreja.

Aguillar e Roberto Carlos em 1968

Roberto Carlos e Aguillar 1968
Porém, seu intento não deu certo, conforme a negativa do arcebispo sobre a presença de Roberto no templo cantando, e que pudemos ouvir no áudio acima.

Nas duas fotos a seguir, as páginas dos jornais A Gazeta e o Estadão, onde Roberto Carlos está concedendo entrevista sobre o assunto – eles falam sobre a música sacra.

 Roberto Carlos concedendo entrevista sobre o assunto e os jornais A gazeta e o Estadão que falam sobre a composição sacra


Roberto Carlos concedendo entrevista sobre o assunto e os jornais A gazeta e o Estadão que falam sobre a composição sacra

Recorte do jornal Estadão datado de 17 de março de1968

Recorte do jornal Estadão datado de 17 de março de1968

Roberto Carlos concedendo entrevista sobre o assunto e os jornais A gazeta e o Estadão que falam sobre a composisção sacra 2

Desta forma, Roberto se casou com Nice na Bolívia, em Santa Cruz de La Sierra, por ela ser desquitada e no Brasil não havia divórcio ainda naquela época; só foi assinada a lei do divórcio no Brasil em 1977.

Casamento de RC e Cleonice

Nesta foto, Antonio Aguillar conversa com Dom Agnello Rossi, a pedido de Roberto Carlos, Dom Agnello, que exerceu esta função de 01 de novembro de 1964, quando da sua nomeação pelo Papa Paulo VI para Arcebispo de São Paulo, até 22 de outubro de 1970, quando foi chamado a servir a Igreja na Cúria Romana.

Aguillar com o Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Agnello Rossi

Aguillar com o Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Agnello Rossi

Depois disso Roberto Carlos fez as canções “Jesus Cristo”, “Nossa Senhora” e outras mais neste estilo. Se fosse hoje ele cantaria em qualquer igreja, pois os próprios padres estão cantando e gravando suas músicas, inclusive o Pe. Antonio Maria gravou com ele a musica Jesus Cristo…

E o próprio Roberto cantou para o papa João Paulo II, em 1997…

Na época isso foi muito comentado porque o assunto acabou virando manchetes em dois jornais de grande circulação. Disse-me o Antonio Aguillar que Roberto sempre foi uma pessoa muito religiosa e desejava estar bem com o clero de qualquer forma. Tanto é verdade que no decorrer do tempo, ele acabou ganhando um medalhão de uma irmã de caridade e a ostentou pendurada no pescoço durante muitos anos. Depois fez amizade com padres que estavam na mídia, como os padres Marcelo Rossi, Antonio Maria e outros.

Porém, não conseguiu se casar na igreja porque era uma coisa impossível. Se isto ocorresse criaria um escândalo e o clero ficaria desmoralizado.

“Quando o Roberto conversa comigo no camarim, a gente fala dessas passagens de sua vida. Ele se lembra ate hoje. Quando entro no camarim, a primeira coisa que ele faz é abrir os braços para me abraçar e num largo sorriso grita: ALO JUVENTUDE FELIZ E SADIA… que é a frase que eu usava na abertura dos meus programas de radio e televisão da época.” (Antonio Aguillar)

O Pe. Antonio Maria cantando Jesus Cristo com Roberto Carlos ficou bonito, mas naquele tempo era tabu a participação de um padre cantando esse tipo de musica. Só depois que os evangélicos começaram a cantar em suas igrejas é que os padres também seguiram esse mesmo caminho, porque a musica é uma forma de influenciar as pessoas a seguirem suas religiões.

Hoje o Pe. Antonio Maria acompanha Roberto Carlos no Cruzeiro que realiza nos finais de ano, e neste mais recente, em dezembro de 2012, ele rezou missa na capela para os passageiros, e aproveito para mostrar esta foto dele com o casal Aguillar.

Celia Pe.Ant.Maria - Aguillar

Curiosidades sobre o Início da Carreira do Rei da Juventude, Roberto Carlos!

Geraldo Alves foi o primeiro empresário artístico de Roberto Carlos. Ele é de Limeira, interior de São Paulo, onde era açougueiro e acordeonista. Nos circos tocava acordeom e Roberto com seu violão, cantava para fazer algum dinheirinho para o dia-a-dia de sua vida, isso nos tempo das “vacas magras”…

Geraldo Alves

Geraldo Alves

Roberto Carlos foi uma das atrações do “Quem tem medo da verdade”, programa sensacionalista que foi ao ar entre os anos de 1968 e 1971 pela TV Record.
Apresentado por Carlos Manga, o programa julgava o artista convidado, se ele era culpado ou inocente, após uma bateria de perguntas feita pelo júri do programa (GB , Silvio Luis e Cléssius Ribeiro, entre outros). Cada participante tinha um advogado de defesa e, no caso do Roberto, foi o apresentador Silvio Santos.
Segue um vídeo do programa, que foi reprisado pelo Arquivo Record, e exibido originalmente em 1970.
Entre outras coisas, tivemos a oportunidade de saber que a canção “Namoradinha de um Amigo Meu” ele escreveu para os Beatniks gravarem…

Nesse trecho, Silvio Santos apresenta sua defesa a favor de Roberto Carlos. Este raríssimo vídeo foi exibido no programa “Em nome do amor”, do SBT, em 03-01-1999, quando o Rei foi liberado pela Rede Globo para ir receber seus troféus Imprensa, premio máximo da televisão brasileira.

“HISTÓRIAS DA JOVEM GUARDA, CONTADAS POR ANTONIO AGUILLAR, A LENDA VIVA DO RÁDIO E DA TV BRASILEIRA!”

Anúncios

14 respostas em “Roberto Carlos foi proibido de cantar na Igreja!

  1. Lucinha, estou adorando seu blog. Tenho 69 anos e, imagine como eu estou me deliciando revendo tudo isso que eu vivenciei. Enviei solicitação de amizade, espero que vc me add. Obrigada e parabéns pelo blog. Beijos!!!!!!!!

  2. Bela matéria, realmente na época o Roberto foi se casar na Bolívia, pelo fato de aqui no Brasil ainda não existir divórcio, e pelo que me consta o casamento lá foi só no civil, imagina a coragem, de um ídolo como ele na época se casar, com uma mulher desquitada, e com uma filha, ele se casou por amor mesmo, pois com o fim da Jovem guarda, cada um teria de seguir o seu caminho, e um dos caminhos mais naturais seria a realização afetiva, na época, deve ter sido a notícia do ano!

  3. Vinte e nove de junho de 2001, sexta feira. A data chega após um doloroso,
    Pós-operatório. Fragilizado e embebido do cheiro de remédios e do tédio por,
    Tantas horas na cama. Com o fim do Inverno vem a Primavera, mas ai de mim se a estação das dores não chega ao fim. Do fatídico 25\5 sexta feira a 296 sexta feira foram 35 dias. Ainda hoje as dores e as cicatrizes são testemunhas. O corpo é o templo, a vida é um dom. Ai de mim se remover a gratidão que brota feito um rio de amor, alegria e paz. O Sol bate forte na mesma Janela. Ao longe pássaros revoando nas Copas das Arvores. Filhas que amo estão como escudos de bondade. Na minha idade não ha tempo para inverdades. Sou frágil como a casca de um ovo, mas movo entre os raios matinais. Busco alento no novo alento. Na palavra que crava na gente um gosto novo de semente. Pego carona nos versos do Poeta que tem o transito livre dentro dos Hospitais:
    Eu sei que Ele um dia vai voltar
    E nos mesmos campos procurar o que plantou.
    E colher o que de bom nasceu
    Chorar pela semente que morreu sem florescer.

    Mas ainda há tempo de plantar
    Fazer dentro de si a flor do bem crescer
    Pra Lhe entregar
    Quando Ele aqui chegar.

    O texto fala de um Pai amoroso que zela pelos seus,
    Do homem que atravessou o véu do templo e nos visitou,
    O Cristo de carne e osso que padeceu por amor.
    Ainda arde em mim as chamas e move em mim um clamor,
    Foi por amor que ele morreu e nos revelou a Ressurreição,
    Se amar é jamais ter que pedir perdão,
    Então deste a mim, o teu coração.
    Obrigado Senhor Jesus,
    Pois teu coração fala e jamais se cala,
    Nestes 4.748 dias os versos de uma melodia,
    A canção perfeita é eleita pelas nações,
    Mais que ganhar uma copa do mundo,
    È ter a doce presença do Deus que criou o mundo! Amem.

  4. Pingback: Aconteceu em 1966: a Primeira Missa no Brasil em ritmo de iê iê iê. | WE LOVE THE BEATLES FOREVER

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s