The Sparks, um conjunto instrumental dos anos 60 que venceu os tempos chegando aos anos 2000!

The Sparks é o nome de um conjunto instrumental ao estilo dos conjuntos The Shadows e The Ventures, fundado em 1964 por Edison Della Monica no bairro do Belém em São Paulo.

Edison Della Monica e Toni Campelo

Edison Della Monica e Toni Campelo

Em sua primeira formação em 1964 faziam parte dele os músicos:

João Alberto Garlant – guitarra-solo
Ângelo Mário Gilberto Melzer – guitarra-base
Sidney Thomaz de Medeiros – contrabaixo
Edison Della Monica – bateria.

Em 1966, com esta mesma formação, gravaram dois discos.

A Partir de 1968 houve mudanças no quadro de músicos entrando para o grupo o Emilio Russo (ex The Lions e The Jet Black´s) na guitarra solo, substituindo Ângelo Mario Gilberto Melzer (tendo João Alberto passado para a guitarra base) e Carlos Nabar (ex Deny e Dino) entrou no lugar de Sidney no contrabaixo.

Nesse ano de 1968 lançaram pelo selo Beverly um compacto duplo de nº BCD 101 com as seguintes musicas (vocalizadas):
Lado A – Recordação e Não a quero mais
Lado B – Garota Orgulhosa – Ilusão.

No mês de Outubro de 1971 o nome do conjunto mudou para “A Máfia”, em virtude da troca de estilo musical, passando a ser um conjunto de bailes.

Nessa época os integrantes eram:
Edison Della Monica – bateria
Sebastião Aparecido Garcia – órgão e vocais
Reginaldo Tucci Zanandre – crooner
Pedro Luiz Correia – guitarra-solo
Wagner Marques – guitarra-base
Jorge Luiz de Moura – contrabaixo.

Com esse pessoal foi gravado em 1972 o LP. de nº 112.276 pelo selo OKEH (CBS) Conjunto Máfia (Os Jovens Fera):

Lado A – The End – Theme from Love History – Amada Amante – Ai Jalisco no te rajes – Aquarela do Brasil – Dio come ti amo.

Lado B – Tema de Lara – A time for us – La Mer – Everething will be all right – Oh me oh my – Sweet Memories.
Nome do Compacto Duplo – Lino

Em 1978 foi lançado pela gravadora Continental um compacto pelo selo HELP de nº CLD 013 –(LINO) com o seguinte repertório.

Lado A – Suspeita – Insistência

Lado B – Quem tudo quer tudo perde – O luar ainda é amigo.

Faziam parte do grupo os seguintes músicos:

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
Dorian Russo – base e bandolim
Mário José Marreiro – contrabaixo.

Foi gravado também um LP onde o grupo fazia acompanhamento para diversos cantores que participaram do disco.

Em 1989 foi lançado pelo selo PHONODISC (Continental) um LP nº 034.405.565 – RAIO X – (A CASA DO SOL NASCENTE) com o seguinte repertório.

Lado A
The House of rising sun – Theme from Young lovers – Sleepwalk – Apache – O Milionário – Trombone.

Lado B
La Comparsa – Ronny Boy – Lets go – Only the youngs – Stick shift – Shane.

Também saiu em Fita k7 Nº k7- 034.703.565 em Outubro /1989.

Participaram dessa gravação os seguintes músicos.

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
Dorian Russo- guitarra-base
Pedro Luiz Correia – contrabaixo.
Marco Antonio Possato – teclados ( Participação especial )

Em 1992 Regis e Della Monica formaram uma Dupla Vocal e lançaram uma fita k7 pelo selo Bertison (Copacabana) com a dupla Regis e Della Monica com o seguinte repertório.

Lado A – Memórias – No dia em que você me disse adeus – Só por causa de você – Batom Vermelho – Eu não aceito o teu adeus – Razão do meu viver – Não demore mais

Lado- B – Nos braços, nos olhos e no coração – Diana – Com você no coração – Encontrei você – Longe tão perto – Menina Feia – Eros .

Participaram dessa gravação os seguintes músicos:

José Aparecido Neiva – guitarra-base e solo
Milton de Almeida Quirino – contrabaixo
Emilio Russo – guitarra-solo
Ademar de Freitas Martins – programação bateria
Edison Della Monica – vocais
Reginaldo Tucci Zanandre – vocais
Marcos Antonio Possato – órgão (Participação Especial )

Em 1997 – foi lançado pela gravadora Acervo Records um CD intitulado “Uma Viagem através do Tempo” – The Sparks – CD – nº ARPP 0013, contendo o seguinte repertório:

Love is blue – A Casa do sol nascente – Mia Gioconda – Mississipi – Noites de Moscou – La Comparsa – Ronny Boy – O Milionário – Comanche – Recordação – Lonely – Only the youngs – Unchained Melody – Tammy – Shane – O Dólar Furado – Lets go – Blue Star – Apache- Tema para jovens enamorados – L idole de jeunes – Stick Shift – Johnny Guitar – Sleepwalk.

Fizeram parte dessas gravações os seguintes músicos:

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
Dorian Russo – guitarra-base e bandolim –
Pedro Luiz Correia – contrabaixo
Jean Marcelo Basi – guitarra-base
Júlio Cezar Gomes – contrabaixo

As Músicas – Love is blue – Mia Gioconda – Mississipi – Noites de Moscou – O Milionário – Comanche – Recordação – Lonely – Unchained Melody –Tammy – O Dólar Furado – Blue Star – Tema para jovens enamorados – Johny Guitar – foram gravadas em 1996.
As demais em 1989 referentes ao LP Raio X –

Em 1999 foi gravado um CD intitulado “Além das Estrelas”, totalmente independente e com músicas inéditas do grupo – mas não lançado no mercado fonográfico.
Este CD contém o seguinte repertório:

01- Além das estrelas – 02 – Noites do Havaí – 03- Naufrágio – 04 – Açores – 05 – Bola de Fogo – 06 – Surfing do trem – 07- Expresso do Oriente – 08 – Luar de São Vicente – 10 – Rock da Arábia – 11 – Bodas de Prata – 12- Corisco – 13- Ilusão – 14 – Kremlin

Participaram dessa gravação os seguintes músicos:

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
Mauro Fabiano – guitarra-base
Mauricio Leite do Amaral – contrabaixo

Em 2000 lançaram o CD Remember 60’s and 70’s

O CD editado pela Acervo Records (1997) foi relançado pela gravadora ALLEGRETTO – com o nº ALCD – 0078 – contendo o mesmo repertório, com o titulo Remember 60`s and 70`s, tendo inclusive sido comercializado com 3 capas diferentes.

Em 2001 foi gravado um CD com o titulo “Classics of Surf”, o qual deveria ser editado pela gravadora Pentarte Ltda. contendo o seguinte repertório:-

01- Have you ever see the rain – 02- Last train to Clarksville – 03- In my life – 04 – Everybodys loves a clown – 05 – Em la fronteira Del México – 06 – Coimbra – 07 – Sultans of swing – 08 – Midnight – 09 – Açores – 10 – Maryan – 11- Riders in the sky – 12- Sukiaki – 13- Driving Guitar – 14- Rhytm of the rain – 15- The High and the might –16- Kokorono-niji – 17 – Green Grass – 18 – Music to watch girl by

Participaram dessa gravação os seguintes músicos:

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
Mauro Fabiano – guitarra- base
Mauricio Leite do Amaral – contrabaixo

Em 2002 – foi lançado pelo selo Bucanner Records um CD – de nº 003 chamado “Brasilian Instrumental Rarites Volume 3” com diversas bandas onde The Sparks aparecem na montagem com a faixa nº 11 – Come te adoro menina. (Quiereme Mucho)

Em 2004 – foi lançado o CD de nº 00149 – The Sparks – Celebration Forty Years pelo selo ALLEGRETTO – contendo o seguinte repertório:

Have you ever see the rain – Green Grass – Recordação – Hurtin Inside- Trombone – Another brick in the wall – Wholl stop the rain – Além das estrêlas – Lets train to clarksville – Ana Júlia– Lamento Apache – Midnight – Noites do Haway – Caravan – Ilusão – Bola de fogo – Rock das Arábias – Smoke on the water – Sultans of swing

Participaram dessa gravação os seguintes músicos

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
José Aparecido Neiva – guitarra-base
Davi S. Russo – contrabaixo.

Nas faixas Midnight e Rock das Arábia participação especial de Mauro Fabiano (guitarra-base) e Mauricio Leite do Amaral (baixo).

Em 2005 – foi lançado o CD For Young Lovers – pelo selo Sky Blue – de nº 2477 contendo o seguinte repertório:

Look for star – Never my love – If – Airport love Theme – Sumertime — Don’t let it die – Ill be there – Je taime moi non plus – Rhythm of the rain – This Boy – Have you ever see the rain – The High and the might -Theme forQueen Elisabeth – In my life – Theme for young lovers

Participaram dessa gravação os seguintes músicos:

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
José Aparecido Neiva- guitarra-base
Davi Souza Russo – contrabaixo
Claudio Calobrezi – teclados.

Em 2007 foi lançado pela gravadora Allegretto o CD The Sparks Greatest Hits com o numero ALCD.0194 – contendo o seguinte repertório:

Sultans of swing – Theme for Young lovers – Midnight – Apache – Blue Star– Sleepwalk – The Milionarie – Mississipi – Have you ever see the rain – The House of rising sun – Another brick in the wall – Smoke on the water – Hurtin Inside – Green Grass – Ronny Boy – Além das estrelas – Ana Julia – Recordação – Unchained Melody e Caravan.

Em 2010 foi lançado pela gravadora Allegretto o CD Guitarras da Jovem Guarda com o numero 0268 – contendo o seguinte repertório:

Pensando Nela, Devolva-me, A volta, Meu bem, Esqueça, O milionário, Quase fui lhe procurar, Quem não quer, O ritmo da chuva, Everbody loves a clown, Dont be cruel, olhando estrelas, Theme for Young lovers, Emoção, Lilian, O bom rapaz, O pica-pau, Coruja, Broto Legal, Feche os olhos, Festa de arromba, Anjo, Anos setenta.

Segue um vídeo com alguns flashes da história do conjunto fundado por Edison Della Monica, e também fotos raras de artistas da Jovem Guarda, incluindo participação em lançamento de livros sobre o Rock e a Jovem Guarda, finalizando com uma apresentação do conjunto ao vivo em 07-04-2013 em Guarulhos/SP, em um show para as Casas Andre Luiz promovido pela Rádio Nova de Guarulhos AM1450, , com a presença dos músicos Emílio Russo, Edison Della Monica, Vicente Vitché Sinisgalli e o contrabaixista Dimmy Adriano. O apresentador e um radialista chamado Manoel Bolonha (Fã Clube Manoel Bolonha), que tem um programa diário na Rádio Boa Nova de Guarulhos.

.

.

Atualmente Edson Dellamonica está lançando uma nova banda intitulada “HIGIENE MENTAL”.

Anúncios

Cliff Richard, os Shadows e os Beatles: Quem teria influenciado quem?

Cliff Richard & The Beatles: A Influência

Sir Harry Rodger Webb, OBE, mais conhecido como Cliff Richard, nasceu em Lucknow, Índia, no dia 14 de outubro de 1940 e tornou-se um dos cantores britânicos mais populares daquele país.

Com sua banda de apoio, The Shadows, ele dominou o cenário musical popular britânico no final dos anos 50 e começo dos 60, antes do surgimento dos Beatles.
Durante as últimas seis décadas Richard emplacou mais de 100 compactos de sucesso e detém o recorde (juntamente com Elvis Presley) de ser o único artista a estar na lista dos mais vendidos por toda a sua carreira (dos anos 50 até hoje), isso de acordo com seu website, que informa que Richard vendeu mais de 250 milhões de discos.

Sabemos que os Beatles surgiram também em final dos anos 50, início dos 60, e ouviam a música de Tony Sheridan e também dos Shadows, então poderíamos perguntar, quem influenciou quem?

Paul McCartney diz que no início dos anos 1960, época em que eram totalmente desconhecidos, The Beatles costumavam ir assistir as apresentações de Cliff e os Shadows para centenas de fãs ensandecidos.

The Beatles, muito inteligentemente, atuavam no palco representando Cliff e os Shadows (as maiores estrelas pop da Grã Bretanha) e seus “atos”. John Lennon tomou o papel de Hank Marvin no grupo (óculos de armação preta e “agindo como um tolo”). Paul McCartney era o bonitão (ficando no palco onde Bruce Welch ficava).

Rejeitados na Inglaterra, os Beatles tiveram que ir a Hamburgo para “aperfeiçoar” suas apresentações diante de uma platéia ao vivo.

Quando Cliff ocupava o espaço de tempo entre uma canção e outra durante sua apresentação para “conversar” com o seu público (entre gritos da platéia), os Beatles mantiveram e suportaram os gritos histéricos da platéia, passando constantemente de uma canção para a outra, sem dizer nada.

Eles basicamente “subiram na parada”, copiaram as apresentações ao vivo de Cliff e os Shadows, cortaram a conversa e mantiveram os gritos histéricos.

Resultado: funcionou!

In fact, George Harrison and John Lennon even wrote a little-known but fantastic Beatles song in tribute to them called “Cry for a Shadow” …

Na verdade, George Harrison e John Lennon até escreveram uma canção Beatle que ficou pouco conhecida mas que é fantástica, em tributo a eles, chamada “Cry for a Shadow”.

A canção Cry For a Shadow parece ter sido a primeira canção composta por George Harrison e John Lennon, inspirada pelo estilo dos Shadows, que eles curtiam fizeram esta canção como uma homenagem a Hank Marvin, e que foi relançada no Anthology 1. A citação é evidente já no título, ainda mais pela expressão “cry”, que era como o grupo de Cliff Richard solava as canções, fazendo a guitarra estrilar, sustentando as notas, como se ela cantasse.
Foi gravada em 22 de junho de 1961, na Friedrich-Ebert-Halle, Hamburg-Harbur, Alemanha e lançada pela Polydor em 1962.

The Beatles Cry For a Shadow – Video com fotos raras de 1956 a 1962, com John, Paul, George, Ringo e Pete Best!

Enquanto isso os Shadows atingiam o primeiro lugar nas paradas de sucesso em julho de 1960, com a canção Apache.

Neste vídeo os Shadows tocam Apache em  uma apresentação datada de1964

Outro som classic deles é “Man of Mystery” (1960)

E também F.B.I. – “Crackerjack” Show (1961)

The Shadows mostrava ótimos timbres de guitarra, já como que antecipando alguns modos de utilização do instrumento que iria se consolidar nos anos seguintes. E além de tudo esses  vídeos dão uma pequena idéia do cenário que os Beatles encontraram na música pop. Olhando agora é fácil supor, mas é como se tudo estivesse preparado para os Beatles acontecerem. Fica bem claro como a combinação músicas/comportamento deles encontrou um ambiente receptivo.

E Brian Epstein sabia disso e hoje, como sabemos, deu tudo certo!

Texto original:

Paul McCartney says that in the early 1960’s (then totally unknown), The Beatles used to go and see Cliff and the Shadows perform on stage to hundreds of screaming fans.

The Beatles very cleverly ‘homed in’ on Cliff Richard and the Shadows (the biggest pop stars in Britain) and their ‘act’. John Lennon took the Hank Marvin role in the group (black-framed glasses and ‘acting the fool’). Paul McCartney was the handsome one (standing where Bruce Welch did on stage).

Rejected in England, they had to go to Hamburg to ‘perfect’ their act in front of a live audience. Where Cliff took time in between the songs to ‘chat’ to his audience (between the screams), the Beatles kept the screams going constantly by going from one song to the other.

They basically ‘upped the ante’, copied Cliff and the Shads’ live act, cut the chat and kept the screams coming.

Result… it worked!!!

Cry For a Shadow – This seems to be the first song composed by George and John surely inspired by the Shadows style. . It was recorded on 22 June 1961 at the Friedrich-Ebert-Halle, Hamburg-Harbur.

Fonte: Clique Aqui