A Importância de Hamburgo

Assistindo a este vídeo de uma entrevista de Brian feita em 1963, fiquei pensando:
E se eles não tivessem ido para Hamburgo, na Alemanha, como teria sido?

Será que este fato influenciou na carreira deles, e teria sido o que trouxe para os Beatles novas oportunidades?

The beatles no palco do The Top Ten Club em Hamburgo - 1961

The beatles no palco do The Top Ten Club em Hamburgo – 1961

É certo que “ralar” em Hamburgo, foi importantíssimo para os Beatles. Tocar na noite ensina os macetes e todas as saídas para as dificuldades, ainda mais quando se começa com equipamento ruim e sem a tecnologia de hoje. Eles aprenderam em Hamburgo um posicionamento de palco que compensava o som não tão bom e que veio a ajudar depois no estilo diferenciado da banda para a época. Algo que era ao mesmo tempo alegre, irreverente, disciplinado, planejado.

Stuart Sutcliffe, que faleceu em abril de 1962, o baixista dos Beatles no início de carreira e que atuou em Hamburgo, deu alguns toques, já que sua namorada Astrid Kirchherr trabalhava com atividades de designer e fotografia, e assim dava palpites na estética dos Beatles. Foi ela quem sugeriu o corte de cabelo (penteado) que depois ficou consagrado como marca registrada dos Beatles durante um certo tempo, e que outras bandas vieram a adotar.
Se mais tarde conseguimos ouvir a banda completamente harmonizada em vocais e afinação, mesmo se apresentando ou gravando ao vivo, isto é resultante do aprendizado de Hamburgo.

Claro, não podemos deixar de somar a isso o visual “clean” no vestir, trazido por Brian Epstein, assim como a disponibilização tecnológica que ia chegando aos poucos, mais as “viagens” que em algum momento os Beatles experimentaram mas que em tempo certo saíram delas, e tudo isso complementa o produto final.

Sem Hamburgo talvez Brian Epstein não tivesse se interessado pelos Beatles do Cavern (ele confessa que foi a batida, o beat, que o cativou).

John Lennon disse: “Eu cresci em Liverpool, mas foi em Hamburgo que me tornei adulto”.

Desde 29 de maio de 2009 os fãs dos Beatles e apreciadores de sua música têm a chance de visitar em Hamburgo a mostra “Beatlemania”, um evento que conta com muitos detalhes o especial capítulo da passagem do quarteto pela Alemanha no início dos anos 1960.
Uma época remota em que o grupo tinha como integrantes além de John, Paul e George, dois outros músicos, o baixista Stuart Sutcliffe (que morreu em Hamburgo em abril de 1962) e o baterista Pete Best, que viria a ser substituído, ainda em Hamburgo, por Ringo Starr. Sediada no ex-Hamburger Erotic Art Museum, um moderno prédio de cinco andares que foi alugado pela firma FKP de Folkert Koopmans, a exposição reúne diversas raridades e artigos da memorablia do grupo, num local que fica a poucos metros da Praça dos Beatles, bem no centro da Reeperbahn, a zona de meretrício de Hamburgo. Um submarino amarelo inflável de dez metros sinaliza, à entrada do edifício, onde começa a viagem musical no tempo.

O big-bang dos besouros!

Os visitantes de “Beatlemania” vão se deparar com peças de inestimável valor, como o primeiro contrato assinado pelo grupo para a gravação de um disco. O acordo foi firmado com o músico e produtor alemão Bert Kaempfert. Cartões postais enviados pelos músicos e fotos até então inéditas dos Beatles também fazem parte da mostra, assim como produtos que vieram a ser lançados posteriormente, quando a banda já gozava de fama internacional. Algumas das casas noturnas de Hamburgo em que os Beatles tocaram tiveram suas fachadas reconstruídas dentro do novo museu, dentre elas as do Top Ten, Kaiserkeller e o cabaré Indra.

Lugares nos quais os músicos chegaram a tocar por mais de dez horas seguidas, quase que diariamente, durante dois anos, para ganhar cada um um cachê semanal de 35 marcos. Quem gosta de cantar pode gravar sua interpretação de uma música dos Beatles num estúdio de karaokê e levá-la para casa, ou quem sabe colocar seu rosto no painel que reproduz a capa do disco Sargent Pepper’s Lonely Hearts Club Band, clássico de 1967 da discografia “flower power”. Nela aparecem diversas personalidades ao lado dos Beatles, dentre elas Bob Dylan, Albert Einstein, Karl Marx e Marlene Dietrich. Já as crianças podem entrar em um submarino e apreciar quadros originais do desenho animado Submarino Amarelo, de George Dunning, levado às telas de cinema em 1968.

Maior fenômeno da música pop.

Num dos 12 espaços temáticos espalhados pelos 1.300 metros quadrados ocupados pela mostra está uma sala multimídia em que os visitantes podem experimentar a sensação que era assistir aos Beatles no auge da carreira. Antes de as cortinas do “cinema” se abrirem, uma voz em off anuncia a entrada da banda no palco. Projetores começam a lançar nas paredes da sala imagens da plateia histérica que estava no concerto no Shea Stadium (1965/66), em Nova York, um impressionante concerto que atraiu 50 mil espectadores. “Beatlemania” custou à iniciativa privada cerca de dois milhões de euros.

Visitando Hamburgo

Recentemente tive dois amigos que visitaram Hamburgo. Eles fizeram algumas fotos bem legais, as quais vou compartilhar abaixo.

Fotos de Debora Dumphreys visitando Hamburgo

A “bagagem” dos Beatles

Dados de John Lennon

Curriculum Vitae do “leader do grupo”

O Curriculum de Paul McCartney

O Curriculum de George Harrison

O Curriculum de Pete Best

Debora em frente ao Kaiserkeller

Debora em frente ao Indra Club

Video com Astrid Kirchherr falando sobre suas famosas fotos dos Beatles na época em que estavam em Hamburgo.

Fotos de Samuel Dutra Visitando Hamburgo

Uma visão panorâmica da famosa rua que ainda preserva o clima de bebedeira, luxúria e agitação da época.

Comenta-se em Hamburgo, presunçosamente, que o fenômeno Beatles deu-se graças ao fato de terem tocado diversas vezes em Hamburgo. Estas silhuetas são de metal. Efeitos especias como este, que dão forma às guitarras e bateria, são produzidos por focos de luzes de lâmpadas instaladas no chão.

Estas silhuetas são de metal. Efeitos especias como este, que dão forma às guitarras e bateria,são produzidos por focos de luzes de lâmpadas instaladas no chão

Em agosto de 1960, os Beatles subiram ao palco do INDRA.

Essas silhuetas ficam no início da rua Grosse Freiheit onde os Beatles tocavam no INDRA (fica no final da rua) e no STAR CLUB (este fica mais ou menos no meio da rua).

Foto dos Beatles estampada na parede da frente do INDRA, ao lado da porta de entrada do mesmo, além das grades que fecham a entrada.

Visão panorâmica do final da famosa rua a partir do Indra Club

Silhueta do Stu com o baixo voltado para baixo, característica copiada de uma foto dele junto com os Beatles.

As silhuetas

Uma visão da fachada do INDRA de baixo para cima.

…The group had finally settled on “The Beatles” just before their first trip to Hamburg in August, 1960. Now John, Paul, George, Stuart and Pete would head off for Hamburg.

… O grupo tinha finalmente estabelecido o nome “The Beatles”, pouco antes de sua primeira viagem a Hamburgo em Agosto de 1960.

Pesquisa: We Love the Beatles Forever

E assim como os meus dois amigos acima, este final de semana que passou, dias 23 e 24 de janeiro de 2016, eu também tive a oportunidade de visitar Hamburgo e como não poderia deixar de ser, fiz vários registros…

ÁLBUM DE FOTOS

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.10208151914057422.1073741903.1288187940&type=1&l=20ef71ee6d

.
VÍDEOS

1

2

3

4

Os Bateristas que passaram pelos Beatles

Pelas minhas contas, foram dez bateristas que passaram pelos Beatles desde a sua célula inicial, a saber:

Peter Shotton – ainda na primeira formação do The Quarrymen
Colin Hanton – também no The Quarrymen
Thomas Moore – em 1959
Johnny Hutchinson – em 1959
Paul McCartney – em 1960, em Hamburgo
Norman Chapman – em 1960 ainda, por algumas semanas, antes de Pete Best entrar para o grupo – saiu por que foi chamado para prestar Serviço Nacional.
Pete Best – até 1962, quando foi substituído por Ringo Starr
Ringo Starr – entrou em 1962
Andy White – foi o baterista na gravação de Love me Do
Jimmy Nichols – substituiu Ringo na turnê da Austrália

Histórico

Ainda quando o grupo era o The Quarrymen, grupo formado por John Lennon e seus colegas de escola, o baterista era Peter Shotton.

Faziam parte do The Quarymen: Eric Giffith (Guitarra), Len Gary (guitarra) e John Lennon (violão).

Quando saíram do colégio, ficam apenas John e Paul no grupo e então usavam o nome NURK TWINS (neste caso não havia nenhum baterista).

Depois adotaram o nome de RAINBOWS , ainda somente com John e Paul e no final de 1959 George entra para o conjunto.

Mais tarde eles foram LONG JOHN AND THE SILVER BEETLES, depois passaram a se chamar JOHNNY AND THE MOONDOGS.

Em 1959 eles foram para a Escócia em turnê e não tinham baterista, foi então que chamaram Thomas Moore, que era um caminhoneiro.

Foi necessário mudar novamente o nome do conjunto, a pedido do empresário Allan Williams, então colocaram The long John and the Silver Beetles, e chamaram o baterista  Johnny “Hutch” Hutchinson, isso ainda no ano de 1959.
Em 1960, quando foram para Hamburgo, eram George e John nas guitarras, Stuart no baixo e Paul na bateria, e formavam “The Silver Beetles”.
Andy White substituiu Ringo Starr no primeiro disco lançado, que foi o compacto Love me Do; Ringo fica muito magoado, sai do grupo, mas depois volta e participa da gravação de Love me Do, que saiu no single, enquanto a versão com Andy White foi inserida no LP Please Please Me.

(Mais tarde, em 1976, quando a EMI relançou os singles, mudaram isso. Hoje, a versão de Andy White está no disco Please Please Me e a do Ringo está no Past Masters 1. Além disso, Andy White tocou em P. S. I Love You, sendo a versão do single a mesma do disco).

Em 1964 viajam para a Austrália, Dinamarca e Canadá e Ringo não segue com o grupo, por ter ficado doente.  É substituído por Jimmy Nichols.

Quando voltam, gravam Beatles for Sale e saem em tournée por toda a Europa. Foi aí que George Harrison começou a se aborrecer com Brian Epstein, pois deixaram Ringo para trás! George ainda pergunta: se fosse o Paul ou o John, deixaríamos de viajar?
Pois bem, Jimmy Nichols substitui Ringo Starr até que este se junta aos companheiros na Austrália.

Ringo ficou muito chateado com tudo isso e no final de A Hard Day`s Night eles fazem uma homenagem a ele com a canção “This Boy”.

Em 1968, durante o Álbum Branco, Ringo sai de novo, porque Paul falou coisas que não deveria, ou seja, disse a Ringo que ele era fraco como baterista.

Nesta saída repentina de Ringo, Keith Moon (ex- The Who) foi cogitado, porém George Harrison e John Lennon não aceitaram a idéia.
Foi então que Paul McCartney pediu desculpas a Ringo Starr, que voltou e permaneceu no grupo até o seu final!

Ringo Starr nos Beatles deixou aos poucos de ser aquele baterista que fazia a marcação rústica nos shows em “inferninhos” para se transformar num dos mais criativos e prolíficos bateristas de todos os tempos.
O que ele faz em Ticket to Ride, Rain e o tan-tan em A day in the life, já o qualificaria como um dos melhores bateristas do mundo, mas ele fez mais, muito mais….

FONTE: Comunidade We Love the Beatles Forever (Orkut)

Os apelidos e Pseudônimos dos Fab Four

 

THE BEATLES - 2013 (18)

Sabemos que “Beatle Ed” foi um apelido dado por John a Paul e que surgiu certa vez, quando estava em sua casa conversando com George, enquanto Yoko preparava a mesa…

Mas sabemos também que George, em sua carreira solo, usou vários pseudônimos, como por exemplo quando apareceu com a canção intitulada “If you’ve got Love”, no álbum de Dave Mason chamado “It’s like you never left”; aí ele assinou como “Son of Harry” .

Hari Georgeson – pseudônimo usado no album “Shankar Family and Friends”, The Splinter album ” China Light”, na música de Billy Preston , “That´s Life”, do album “It´s My Pleasure”.

“Jai Raj Harisein” nas músicas Costafine Town, Drink All Day, The Place I Love, Somebody´s City, do album -The Place I Love ( Splinter , e que ele também produziu)

George H – no album tb do Billy Preston , I Wrote a Simple Song.

George também assinou L’Angelo Misterioso (Anjo Misterioso) e OHNOTHIMAGEN, este no disco Extra Texture, de 1975 e em outros discos deste mesmo ano.

George e Ringo contribuíram para a canção “Badge”, do Cream, e ajudaram na letra – para esta canção George usou o nome de L’Angelo Misterioso; também usou este mesmo nome no álbum de Jack Bruce, de agosto de 1969, intitulado “Songs for a Taylor”, onde ele tocou guitarra na música “Never Tell Your Mother She’s Out of Tune”.

John Lennon usou o nome “Dwarf McDougal” no álbum “Walls and Bridges”.

Refere-se ao estilo de Bob Dylan tocar guitarra, estilo este que John usou em algumas faixas. Dwarf era o nome da empresa de Dylan, enquanto McDougal era o nome da rua onde ficava o apartamento de Dylan em Greenwich Village.

Paul usou o pseudônimo de Billy Martin enquanto trabalhava secretamente em seu álbum “McCartney”, de 1970.

E em seu álbum Thrillington, de 1977, Paul usou o pseudônimo de Percy “Thrills” Thrillington.

Ringo usou o pseudônimo de Richie Snare no álbum de Harry Nilsson chamado “Son of Schmilsson”.

George também apareceu neste álbum, tocando guitarra na música “You’re Breakin’ My Heart”, com o nome de George Harrysong.

Fonte

Ainda quando eram “Silver Beatles” e excursionavam pela Escócia de 20 a 28 de maio de 1959, com Johnny Gentile, usavam os pseudônimos de Johnny Silver, Paul Ramon, Carl Harrison, Stu DeStael, e Tommy Moore.

O nome de George, “Carl”, era em homenagem a um de seus guitar heroes, Carl Perkins.

Stu Sutcliffe, um artista nas horas vagas, pegou o nome de um famoso pintor, Nicholas deStael, que coincidentemente também morreu jovem.

Paul usou o pseudônimo “Paul Ramon” na Escócia e também quando tocou bateria, baixo, e fez backing vocals na música “My Dark Hour” pela Steve Miller Band.

“My Dark Hour” apareceu no álbum de Miller “BRAVE NEW WORLD” e num single Americano em 6 de Junho de 1969. John depois negou veemente ter usado o nome “Johnny Silver”, mas os outros membros ainda juram ser verdade.”

Fonte: Blog Beatles to the People

Ringo também foi OGNIR RRATS em 1978, quando fez o especial Ognir Rrats (Ringo Starr ao contrário) para a rede de televisão norte-americana NBC, ainda inédito. É uma versão para O Príncipe e o Mendigo, de Mark Twain, com o Ringo no papel principal e participações de George Harrison, Angie Dickinson, Carrie Fisher, John Ritter, Vincent Price entre outros.

Parte 01/06

Parte 02/06

Parte 03/06

Pate 04/06

Parte 05/06

Parte 06/06

Beatles For Sale, o Quarto Álbum Oficial dos Beatles (48 anos em 04-12-2012)

Lançado pela EMI Records na Inglaterra em 04 de dezembro de 1964, Beatles for Sale foi o quarto LP dos Beatles e teve a primeira capa feita em “gatefold”, que é uma capa dupla sem revestimento plástico (gatefold sleeve).

Beatles For Sale guarda certos mistérios, talvez por ser um álbum diferente, especialmente no que diz respeito às instrumentações usadas. Ele mantém, desde o começo, um timbre Folk misturado ao Rockabilly (comum nos anos 50), que o torna único. Suas músicas mostram um estilo diverso das constantes nos álbuns anteriores. É um álbum maravilhoso e mesmo com tantos “covers” de antigos clássicos, mostra um amadurecimento por parte da banda.
Ao contrário do que acontecera com o álbum “With the Beatles”, este não foi gravado às pressas. Foi um disco muito bem trabalhado, apesar da parca tecnologia da época.
Beatles for Sale foi o primeiro passo dos Beatles na tentativa de extirpar todos os demônios da Beatlemania, pois depois de “A hard day´s Night”, eles ensaiaram muito o novo álbum e só gravaram aquilo que gostavam, como se fosse uma volta às suas origens, haja vista as músicas que compõem o disco, como é o caso de Kansas City, Rock and Roll Music, Honey Don´t, Words of Love, Everybody´s trying to be my Baby, ou seja, eles vão de Chuck Berry, passam por Buddy Holly e chegam até Carl Lee Perkins.
Talvez tenha sido o primeiro álbum experimental da banda, onde eles parecem querer algo mais sério e estão finalmente crescendo. John Lennon já estava envolvido em seus conflitos e põe pra fora seus sentimentos em “I´m a loser”; ele se supera ao descrever suas mais profundas tristezas, a exemplo de “No Reply”, que é linda, mas não é um Rock, e “Words of Love”, um rítmo country; “Mr Moonlight” (destaque para seu agudo), um Folk, e “Every Little Thing”, uma grande balada, além de “There`s a Place”, seu “primeiro Imagine”. Ele ainda continuaria a expressar seus sentimentos mais tarde, nas canções “You´ve Got to Hide Your Love Away e “Help!”
Paralelamente os Beatles ainda lançaram um compacto com “She´s a Woman” e “I feel fine”.
Beatles for Sale saiu bem na época em que a sociedade e a imprensa tentavam deixar a imagem dos Beatles como a de rapazes “arrumadinhos”. Adotaram penteados “mop-tops” (cabeças de esfregão, ao pé da letra); Paul era o queridinho, John o artista, George o filósofo, Ringo, o boa praça.
Please Please Me, por exemplo, foi gravado em um único dia e Deus sabe como eles conseguiram essa proeza! John Lennon diz no Anthology que sua garganta pifou depois de takes seguidos cantando Twist & Shout. Se analisarmos que foi gravado ao vivo e com uma produção arcaica, pode-se dizer que seja um grande disco de baile, e eles conseguiram a façanha porque já gravavam estas músicas desde os tempos de Hamburgo.

Beatles for Sale foi a primeira tentativa deles de fazer um disco diferente, não comercial, ao contrário do que havia sido Please Please Me.

Neste álbum a parceria Lennon & McCartney esteve no auge, trazendo oito composições novas, e tudo isso apesar da pressão para que os Beatles saíssem em turnês. Não fosse isso, é provável que mais canções da dupla tivessem sido criadas.
Concluindo, talvez Beatles for Sale, mesmo sendo um álbum depressivo, tenha dado início à consolidação definitiva dos Beatles como artistas de estúdio.
Esta evolução não passou em branco e a partir daí eles ousaram “Rubber Soul”, que saiu um ano depois.
Depois os Beatles deram uma trégua à busca dessa nova concepção de composições rítmicas e lançam “Help!, que foi trilha sonora para o filme de mesmo nome.
Mais tarde, em Rubber Soul, eles retomam o trabalho realizado em Beatles for Sale, onde há músicas semelhantes como What you´re doing X Wait (do Rubber Soul) e Every little thing X I´m looking through you (também do Rubber Soul).
Como os álbuns anteriores, este disco também não teve lançamento simultâneo no Brasil, e aqui ele se chamou Beatles 65.

BEATLES FOR SALE – 1964 – EMI Records

No Reply
I’m a loser
Baby’s in Black
Rock and Roll Music
I’ll follow the sun
Mr. Moonlight
Medley: a. Kansas City / b.Hey, Hey, Hey Hey
Eight day’s a week
Words of Love
Honey don’t
Every little thing
I don’t want to spoil the party
What you’re doing
Everybody’s trying to be my baby

65 THE BEATLES 65 – 1965 – Odeon

Rock and Roll Music
Kansas City
I’m a loser
No reply
Mr. Moonlight
I’ll follow the sun

Eight days a week
Honey don’t
What you’re doing
Everybody’s trying to be my baby
I don’t want to spoil the party
Words of Love

No Brasil ficaram de fora as belíssimas canções “Every little thing” e “Baby’s in Black”, que permaneceram inéditas por aqui durante alguns anos e só foram ser conhecidas pr nós muito tempo depois. É que a antiga Odeon brasileira tinha mania de alterar os discos que lançava no Brasil, e isso dava a maior confusão.
“Yesterday”, por exemplo, só veio a ser lançada em Junho/66, num compacto duplo contendo de um lado Yesterday e Act Naturally, e de outro “You like me too much” e “It´s only Love”, que fizeram parte do lado 2 do LP Help.

Em Julho de 1967, quando já havia sido lançado o álbum Revolver aqui no Brasil, a gravadora lançou um compacto duplo contendo três canções inéditas para nós, que foram Anna, Chains e Misery e uma já conhecida, I saw her standing there.
Para se ter uma idéia, Sgt. Pepper saiu no Brasil em Setembro de 1967 e o compacto com “Anna” havia sido lançado em Julho de 1967 enquanto que o LP Revolver tinha já sido lançado em outubro de 1966, trazendo todas aquelas novidades..
Lembro que na época fiquei sem entender nada, pois parecia que o conjunto largara a experimentação e voltava às origens. A gente nem imaginava que aquelas do compacto eram músicas dos primeiros álbuns, que a gravadora sonegara aos fãs brasileiros. Aliás, aquele compacto fez bastante sucesso graças à canção Anna (penso então que deve ter sido um sucesso individual dos Beatles somente aqui Brasil).

Em dezembro de 1967, outro compacto foi lançado, contendo as canções “All You Need is Love”, “Baby You`re a Rich Man”, “Penny Lane” e “Strawberry Fields Forever”.

Mini documentário sobre o álbum Beatles For Sale

O autor Jonathan Gould, em seu livro “Can´t buy me Love”, escreveu sobre o Beatles for Sale. Seguem algumas análises feitas pelo autor.

“O resultado desse processo foi um disco com personalidade dividida. Em quase todos os níveis de vocais, execução, composição e arranjo, as oito novas músicas de Lennon-McCartney em “Beatles for Sale” […] superam qualquer seleção de faixas de álbuns gravadas pelos Beatles até então. A evolução dos arranjos em particular era notável. Efeitos que eram novidades em gravações anteriores dos Beatles, como a inserção de pausas e reinícios para criar impacto dramático ou o uso de contrastes dinâmicos e instrumentais fortes para distinguir as diferentes seções de uma música, foram empregados rotineiramente faixa após faixa. Embora a abordagem dos Beatles às letras ainda fosse simplista e se ativesse a fórmulas, o alcance emocional das músicas se ampliara ao longo de 1964. Seis das oito composições de Lennon-McCartney (incluindo todas as quatro do lado um) eram expressões de perda romântica, decepção ou descontentamento; com exceção de “Baby’s in Black”, um lamento valsado que soa como um cruzamento entre uma música de marinheiros e outra de beberrões (com a guitarra de George Harrison interpretando um marinheiro bêbado), esses temas foram tratados com nova seriedade.
O que dá a “Beatles for Sale” essa personalidade dividida é o fato de os covers virem de fontes muito diferentes do rhytm and blues contemporâneo de que os Beatles beberam para preencher os primeiros LPs e, em lugar disso, consistirem de uma seleção das primeiras influências musicais da banda. Elisabeth Sutherland destacou a nostalgia dos Beatles pela juventude; aqui, eles a registraram em disco. No lado Um, John manda ver numa versão fulminante de “Rock and Roll Music”, de Chuck Berry, e Paul canta um medley que segue o clássico “Kansas City”, de Leiber e Stoller, para o rock minimalista de “Hey Hey Hey Hey”, de Little Richard. No lado Dois, John e Paul combinam uma versão fiel à perfeição de “Words of Love”, de Buddy Holly, na qual as duas vozes à Everly Brothers – quase uma parodia do avoado Holly – são ofuscadas pela guitarra aguda e penetrante de George; Ringo se vira em “Honey Don’t”, em que soa como um fã comum cantando junto com a faixa; e George encerra o álbum com uma interpretação cheia de eco e algo morna de mais uma música de Perkins, “Everybody’s Trying to Be My Baby”. Para completar as reinterpretações, há “Mr. Moonlight”, obscuro rhytm and blues do início dos anos 1960, com vocal exagerado de John que acaba por não acrescentar nada.
Nem os Beatles nem George Martin deram a crer que havia uma motivação artística consciente por trás da decisão de incluir essas reinterpretações dos anos 1950 em “Beatles for Sale”. É bem mais provável que essas músicas tenham sido escolhidas por ser a maneira mais rápida e mais fácil para o grupo arranjar a meia dúzia de faixas que faltava para completar o LP. Mas a inclusão teve o efeito interessante de levar a música no álbum para a frente e para trás no tempo, de modo a estabelecer uma espécie de diálogo entre o presente e o passado musicais dos Beatles. Isso é particularmente verdadeiro porque a sonoridade e o clima das músicas mais antigas se carrega para algumas das músicas novas do álbum. Tanto “I’m a Loser” quanto “I Don’t Want to Spoil the Party” tem um ritmo rockabilly que remete a Carl Perkins e Chuck Berry; “Eight Days a Week” toma a levada “shuffle” despojada de “Kansas City”; “Every Little Thing” tem uma característica devocional que lembra muito Buddy Holly. Essa volta às raízes do blues e do rockabilly foi a culminação de uma tendência de três anos na música dos Beatles; também refletiu a influência crescente de Bob Dylan, cujo estilo de acompanhamento ao violão baseado no folk tendia a ser associado pelos Beatles à música country de modo geral.
É a batida dos violões o que sustenta “No Reply”, que abre “Beatles for Sale” com um melodrama romântico que parece retomar, de maneira triste, o ponto onde “I’ll Be Back” parou – violões e sotaque bossa nova na bateria, que correm pela estrofe de abertura finamente elaborada como os olhos do cantor, que toca ansioso na fachada escura da casa da namorada: “This happened once before, when I came to your door: no reply”[…]. A música entra na amientação voyeurística e no senso de acusação indignada na voz de John, que sobe até um grito na revelação literal e figurada: “I saw the light!” […] em resposta à imagem da garota que espia pela janela para ver quem está à porta. A narrativa de ciúme e traição continua na segunda estrofe, onde as piores suspeitas do cantor são confirmadas pela visão da namorada entrando em casa com outro homem.

Segundo John Lennon, o editor musical Dick James elogiou “No Reply” como a primeira música escrita pelos Beatles que “se resolvia”. Caso tenha mesmo dito isso, James estava redondamente enganado, pois esta foi a primeira letra escrita por eles a estabelecer uma situação emocional para a qual não oferecia saída no final. “No reply” […] gritam os cantores na coda, enquanto a indignação se torna raiva sobre os mesmos acordes sincopados secos que acompanharam os versos “I saw the light” e “I nearly died”; então, para finalizar, cantam a letra novamente.
“I’m a Loser” trata das decepções do amor de um ângulo mais teatral, a começar pela introdução “a capella” que remete a “Misery”, do primeiro LP. Sobre um instrumental rockabilly e tocando gaita, John assume o papel do narrador enganado endêmico em músicas de country and western, o homem que apostou no amor e perdeu, cavalgando na melodia das estrofes sobre um pântano de autocomiseração que finaliza num sol grave mais de uma oitava abaixo do ponto inicial. “Although I laugh and I act like a clown/Beneath this mask I am wearing a frown” […], canta ele. Apesar do tom de piada consigo mesmo da interpretação, há um toque de convicção na voz que indica a significância autobiográfica que John atribuiria à música. A segunda música original de Lennon de sabor rockabilly em “Beatles for Sale”, “I Don’t want to spoil the party”, retoma esse tema de máscara emocional. O ponto alto da música é o espetacular trecho intermediário de doze compassos, onde John e Paul, harmonizando em quintas paralelas, recaem um sobre o outro, ávidos em esquecer a garota pela qual “esperaram tempo demais” [“waited far too long”], antes de entrar em notas inteiras sustentadas em “I…still…love…her” […].

Pouco depois do lançamento de “Beatles for Sale”, John Lennon disse à “Melody Maker” que tanto “I’m a Loser” quanto “I Don’t want to spoil the party” refletiam a influência crescente de Bob Dylan no processo de composição dos Beatles. A essa altura, John presumivelmente se referia mais ao tom geral da música de Dylan do que às letras, já que nem o conteúdo nem o estilo das letras de nenhuma das músicas, com exceção do molde vagamente introspectivo, traz muita semelhança a algo específico na obra de Dylan.
Embora “I’ll Follow the Sun”, de Paul McCartney, fosse uma música antiga, uma versão não finalizada que datava de 1961, sua revitalização em “Beatles for Sale” pode muito bem ter refletido também a influência de Dylan. Em concordância com a “persona” errante, uma das formas de música favoritas de Dylan em seus primeiros álbuns era uma espécie de adeus lastimável baseado nas muitas baladas tradicionais de blues e folk que tratavam das vicissitudes do “vagar” e da inevitabilidade de se seguir em frente. “Don’t Think Twice, It’s All Right”, do segundo álbum, era um exemplo essencial de tal música. Bem como “I’ll Follow the Sun”, cuja única estrofe consiste na previsão de Paul de que “Um dia, você vai olhar e ver que fui embora/Já que amanhã pode chover, então…seguirei o sol” […]. De melodia simétrica e instrumentação acústica, a faixa tem a simplicidade de uma velha música folk e combina um espírito de inocência musical com uma visão pessimista das relações humanas que é quase perversa, pelos padrões do romance pop.
Dado o clima uniforme de amor não correspondido das quatro músicas originais do lado Um de “Beatles for Sale”, o lado Dois é marcado por duas músicas de amor apreciativas por completo (ambas iniciadas por Paul, mas com vocal de John) que se esforçam para extrair virtudes da falta de complicação emocional. “Eight Days a Week” é a faixa mais exuberante do álbum e, de fato, uma das músicas de amor de exuberância mais direta gravadas pelos Beatles. Concebida como um compacto em potencial (e lançado como tal pela Capitol nos EUA, onde chegou ao primeiro lugar), conta com uma introdução intrigante e pronta para as rádios cujo “fade in’ se dá como o “fade out” da maioria das músicas pop, começando como um pequeno lampejo no horizonte sonoro que se torna cada vez mais amplo e alto, os acordes da guitarra ressoando, até que chega ao fundo musical como um “shuffle” galopante demarcado por palmas, pelos pratos sujos de Ringo e pelo baixo resoluto de Paul. A letra, que segue por completo uma fórmula, reitera o motivo “eu te amo, então, por favor, me ame também” de “Love Me Do”. De melodia com fraseado uniforme, ritmo “shuffle” e acordes maiores, “Eight Days a Week” serve a idéia do amor como uma grande taça de sorvete de creme.
“Every Little Thing”transforma esse mesmo tema de contentamento romântico numa expressão de gratidão tão sentida que é quase comovente. Fiel ao título, a faixa e o mero rebento de uma musica que extrai uma força emocional inesperada de uma série de toques musicais hábeis – “pequenas coisas” […] que demonstram a sensibilidade crescente dos Beatles às nuances expressivas dos arranjos. Isso inclui o tema pungente de guitarra solo que soa uma vez no começo, retorna para ecoar o verso-titulo no refrão e abre um solo iluminado; uma linha de baixo complexa,com a qual o piano em “overdub” executa um dueto em contraponto; e um momento rapsodico no refrão, que a harmonia vocal se abre de uma quinta para uma quarta enquanto Ringo divide o verso “Every little thing she does/She does for me”[…] com duas acentuações grandiosas de tímpanos, cuja profundidade de tom, de alguma forma, se traduz diretamente numa profundidade de sentimento.”

As Músicas e suas Traduções

BEATLES FOR SALE – 1964 – EMI Records

No Reply
I’m a loser
Baby’s in Black
Rock and Roll Music
I’ll follow the sun
Mr. Moonlight
Medley: a. Kansas City / b.Hey, Hey, Hey Hey
Eight day’s a week
Words of Love
Honey don’t
Every little thing
I don’t want to spoil the party
What you’re doing
Everybody’s trying to be my baby

65 THE BEATLES 65 – 1965 – Odeon

Rock and Roll Music
Kansas City
I’m a loser
No reply
Mr. Moonlight
I’ll follow the sun

Eight days a week
Honey don’t
What you’re doing
Everybody’s trying to be my baby
I don’t want to spoil the party
Words of Love

No Reply – Sem Resposta
This happened once before,
Isso já havia acontecido antes uma vez
When I came to your door, no reply
Quando eu bati na sua porta, e nada de resposta
They said it wasn’t you,
Disseram que vc não estava
But I saw you peep through your window,
Mas eu vi você espiar pela janela

I saw the light, I saw the light,
Eu vi a luz acesa, eu vi a luz acesa

I know that you saw me,
Eu sei que você me viu
Cos’ I looked up to see your face
Porque eu fiquei olhando até enxergar o seu rosto

I tried to telephone,
Eu tentei ligar pra vc
They said that you were not home, that’s a lie,
Disseram que você não estava em casa, isso é uma mentira
‘Cos I know where you’ve been,
porque eu sei onde vc estava
I saw you walk in your door,
Eu vi você entrar pela sua porta

I nearly died, I nearly died,
Eu quase morri, eu quase morri

‘Cos you walked hand in hand
por ter ver andando de mãos dadas
With another man in my place.
Com um outro alguém no meu lugar

If I were you I’d realize that I
Se eu fosse você, eu perceberia que eu
Love you more than any other guy,
te amo mais do que qualquer outro cara

And I’ll forgive the lies that I
Eu vou perdoar as mentiras que eu
Heard before when you gave me no reply.
ouvia antes quando vc não me dava uma resposta

I’ve tried to telephone .. (repete)
EU tentei ligar pra vc
I’m a Loser – Eu sou um perdedor
I’m a loser, I’m a loser,
Eu sou um perdedor
And I’m not what I appear to be.
E não sou o que aparento ser

Of all the love I have won or have lost
Dentre todos os amores que eu ganhei ou perdi
There is one love I should never have crossed.
Existe um com o qual eu nunca deveria ter cruzado
She was a girl in a million my friend,
Ela era uma em um milhão de garotas, meu camarada
I should have known she would win in the end.
Eu devia saber que no final ela sairia ganhando

I’m a loser, and I lost someone who’s near to me,
Eu sou um perdedor, deixei escapar alguém que estava pertinho de mim
I’m a loser, and I’m not what I appear to be.
Eu sou um perdedor, e não sou o que aparento ser

Although I laugh and I act like a clown,
Embora eu sorria e aja como se fosse uma pessoa brincalhona
Beneath this mask I am wearing a frown,
Por detrás dessa máscara há um cara carrancudo
My tears are falling like rain from the sky,
Minhas lágrimas parecem que caem como a chuva do céu
Is it for her or myself that I cry.
Será que é por ela ou por mim mesmo que choro?

I’m a loser, and I lost someone who’s near to me,
Eu sou um perdedor, deixei escapar alguém que estava pertinho de mim
I’m a loser, and I’m not what I appear to be.
Eu sou um perdedor, e não sou o que aparento ser

What I have done to deserve such a fate,
O que foi que eu fiz para merecer tal sina?

I realize I have left it too late.
Reconheço que deixei que se tornasse tarde demais
And so it’s true pride comes before a fall,
Então é mesmo verdade que o orgulho vem antes do fracasso
I’m telling you so that you won’t lose all.
Estou lhe contando estas coisas para que você não venha perder coisa alguma

I’m a loser, and I lost someone who’s near to me,
Eu sou um perdedor, deixei escapar alguém que estava pertinho de mim
I’m a loser, and I’m not what I appear to be.
Eu sou um perdedor, e não sou o que aparento ser

Baby’s in Black – Meu bem está de luto
Oh dear, what can I do?
Oh meu Deus, o que posso fazer?
Baby’s in black and I’m feeling blue,
Meu bem está de luto e eu estou na fossa,
Tell me, oh what can I do?
Diga-me, oh o que eu posso fazer?
She thinks of him and so she dresses in black,
Ela pensa nele e porisso está de luto,
And though he’ll never come back, she’s dressed in black.
E embora ele jamais retorne, ela está de luto.
Oh dear, what can I do?
Oh meu Deus, o que posso fazer?
Baby’s in black and I’m feeling blue,
Meu bem está de luto e eu estou na fossa,
Tell me, oh what can I do?
Diga-me, oh o que posso fazer?
I think of her, but she thinks only of him,
Penso nela, mas ela só pensa nele,
And though it’s only a whim, she thinks of him.
E embora seja somente um capricho, ela pensa nele.
Oh how long will it take,
Oh quanto tempo vai demorar
Till she sees the mistake she has made?
Até que ela veja o erro que cometeu?
Dear what can I do?
Deus o que posso fazer?
Baby’s in black and I’m feeling blue,
Meu bem está de luto e eu estou na fossa,
Tell me, oh what can I do?
Diga-me, oh o que posso fazer?
Oh how long it will take,
Oh quanto tempo vai demorar,
Till she sees the mistake she has made?
Até que ela veja o erro que cometeu?
Dear what can I do?
Deus o que posso fazer?
Baby’s in black and I’m feeling blue,
Meu bem está de luto e eu estou na fossa,
Tell me, oh what can I do?
Diga-me, oh o que posso fazer?
She thinks of him and so she dresses in black,
Ela pensa nele então está de luto,
And though he’ll never come back, she’s dressed in black.
E embora ele jamais retorne, ela está de luto,
Oh dear, what can I do?
Oh Deus, o que posso fazer?
Baby’s in black and I’m feeling blue,
Meu bem está de luto e eu estou na fossa,
Tell me, oh what can I do?
Diga-me, oh o que posso fazer?

Rock and Roll Music – A música do Rock in Roll
Just let me hear some of that rock and roll music
Me deixem ouvir só um pouco dessa música do rock in roll
Any old way you choose it
Do jeito antigo que melhor convier
It’s got a back beat, you can’t lost it,
Ela é a batida dos velhos tempos, é imperdível
Any old time you use it
Se voltar ao passado
It’s gotta be rock in roll music
Vai ter que rolar a música do rock in roll
If you wanna dance with me
Se vc quiser dançar comigo
If you wanna dance with me
Se vc quiser dançar comigo

I’ve got no kick against modern jazz
Eu não tenho nada contra o jazz moderno
Unless they try to play it too darn fast
Desde que tentem tocá-lo bem mais acelerado
And change the beauty of the melody
Mudando a beleza da melodia
Until they sound just like a symphony
Até que ela se pareça com uma sinfonia

That’s why I go for that that rock and roll music
Eis porque eu vou nessa, na dessa música do rock in roll
Any old way you choose it
Do jeito antigo que melhor convier
It’s got a back beat, you can’t lost it,
Ela é a batida dos velhos tempos, é imperdível
Any old time you use it
Se voltar ao passado
It’s gotta be rock in roll music
Vai ter que rolar a música do rock in roll
If you wanna dance with me
Se vc quiser dançar comigo
If you wanna dance with me
Se vc quiser dançar comigo

I took my loved one over ‘cross the tracks
Passei faixa por faixa pra minha amada
So she can hear my man a wail a sax
De modo que ela ouvisse, meu camarada, o lamento do saxofone
I must admit they have a rockin’ band
Eu devo admitir que eles formam uma banda de rock
Man, they were goin’ like a hurrican’
Cara! Daquele jeito eles pareciam um furacão

That’s why I go for that that rock and roll music
Por isso é que eu vou nessa, na dessa música do rock in roll

Any old way you choose it …….. (repete)
Way down South they gave a jubilee
Descendo pro Sul eles animaram uma festa de aniversário
The jokey folks they had a jamboree
Onde uma divertida rapaziada fez a farra
They’re drinkin’ home brew from a water cup
tomando num copo d’água uma bebida feita em casa
The folks dancin’ got all shook up
e, dançando, eles fizeram com que todo mundo dançasse também

And started playin’ that that rock and roll music
E começava a tocar essa, essa música do rock and roll
Any old way you choose it ……… (repete)

Don’t care to hear ‘em play a tango
Não importa se o que está tocando é um tango
I’m in the mood to gear a mambo
Estou a fim de engrenar um mambo
It’s way to early for a congo
pensando já no congo
So keep a rockin’ that piano
E aí, aguenta firme o rock nesse piano

So I can gear some of that Rock and roll music
Pra que eu possa engrenar um pouco dessa música do rock and roll
Any old way you choose it ……… (repete)

I’ll follow the Sun – Eu vou seguir o sol
One day you’ll look to see I’ve gone,
Um dia você vai abrir os olhos e perceber que eu fui embora
For tomorrow may rain so I’ll follow the sun.
Pois amanhã pode ser que chova, por isso eu vou sair e seguir o sol
Some day you’ll know I was the one
Um dia você vai perceber que eu era o cara
But tomorrow may rain so I’ll follow the sun.
Mas amanhã pode ser que chova, sendo assim eu vou sair e seguir o sol
And now the time has come so my love I must go,
Agora chegou a hora; portanto, meu amor, eu devo ir
And though I lose a friend in the end you will know, oh
E embora eu perca uma companheira, no final você vai entender oh
One day you’ll find that I have gone,
Um dia você vai ver que eu fui embora
But tomorrow may rain so I’ll follow the sun.
Mas amanhã pode ser que chova, sendo assim eu vou seguir o sol
And now the time has come so my love I must go,
Agora chegou a hora; portanto, meu amor, eu devo ir
And though I lose a friend in the end you will know, oh
E embora eu perca uma companheira, no final você vai entender oh
One day you’ll find that I have gone,
Um dia você vai notar que eu fui embora
For tomorrow may rain so I’ll follow the sun.
Pois amanhã pode ser que chova, por isso eu vou sair e seguir o sol

Mr. Moonlight – Grande Luar!
You came to me
Vc apareceu pra mim
one summer night
numa noite de verão
And from your beam you made my dream
Sob a sua luz realizastes o meu sonho
And from the whirl you sent my girl
Quando eu estava sem rumo foi vc quem trouxe a minha garota
And from above you sent us love
E lá do alto foi vc quem nos trouxe o amor

And now she is mine
Agora ela é minha
I think you’re fine
Acho vc maravilhoso
‘cause we love you
Porque nós te amamos
Mr. Moonlight
Grande Luar!

Mr. Moonlight,
Grande Luar!
come again please
Volte novamente, por favor
here I am on my knees
Aqui me encontro de joelhos
begging if you please
Implorando, se der pra vc fazer esse favor…

On the night you don’t come my way
Nas noites em que vc não aparece pra mim
I pray and pray more each day
Eu me ponho a rezar mais e mais todos os dias
‘cause we love you
Nós te amamos
Mr. Moonlight
Grande Luar!

On the night you don’t come my way
Nas noites em que vc não aparece para mim
Ooooh! I pray and pray more each day
Ooooh! Eu me ponho a rezar mais e mais todos os dias
’cause we love you
Nós te amamos
Mr. Moonlight
Grande Luar!

Mr. Moonlight,
Grande Luar!
come again please
Volte novamente, por favor
here I am on my knees
Aqui me encontro de joelhos
begging if you please
Implorando, se der pra vc fazer esse favor…

On the night you don’t come my way
Nas noites em que vc não aparece para mim
Ooooh! I pray and pray more each day
Eu me ponho a rezar mais e mais todos os dias
‘cause we love you
Nós te amamos
Mr. Moonlight (3x)
Grande Luar!

Medley: a. Kansas City / b.Hey, Hey, Hey Hey
Ah, Kansas City

Ah, cidade de Kansas
gonna get my baby back home
vou trazer o meu benzinho de volta pra casa
yeah, yeah
É isso aí, é isso aí
I’m going to Kansas City
Eu estou indo para Kansas City
gonna get my baby back home
pra trazer meu benzinho de volta pra casa
yeah, yeah
É isso aí, é isso aí
Well, it’s a long, long, time
Bem, já faz um tempão…
since my baby’s been gone
que o meu benzinho partiu

Ah, Kansas City
Ah, cidade de Kansas
gonna get my baby one time
vou trazer meu benzinho em uma hora
yeah, yeah
É isso aí, é isso aí
I’m going to Kansas City
Eu estou indo para Kansas City
Gonna get my baby one time
pra trazer meu benzinho em uma hora
yeah, yeah
É isso aí, é isso aí
It’s just a one, two, three, four
five, six, seven, eight, nine, wah
É só uma, duas, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove horas, wah

Hey, hey, hey, hey
Hey, baby, ooh, now girl
Ei, benzinho, ooh, garota
Wooh, now girl, girl girl
Agora garota, garota, garota
I said, yeah, now, pal, well pal
Falei e disse! É isso aí, agora, amiga, bem… amiga
Now, now,now,now, tell me, baby
Agora, agora, agora, agora, diga-me, benzinho
What’s been wrong with you?
O que é que está havendo de errado contigo?

Hey, hey, hey, hey
Hey, now, baby, hey, baby
Ei, agora, benzinho, ei benzinho
Wooh, now girl, well… girl
Uh. Agora, garota, bem… garota
I said, yeah, now, girl, girl
Falei e disse! É isso aí, agora, amiga, amiga
Now, now,now,now, tell me, baby
Agora, agora, agora, agora, diga-me, benzinho
What’s been wrong with you?
O que é que está havendo de errado contigo?

| said bye, bye-bye, bye-bye,
Eu disse tchau, tchau
Bye-bye, baby, bye-bye, bye-bye, bye-bye, bye-bye
Tchau, benzinho, tchau….
Ooh, so long, so long, so long, so long
Oo, até logo, até logo…..
Bye-bye, baby, I’m gone. Bye-bye, bye-bye, bye-bye
Tchau, benzinho, fui. Tchau, tchau
yeah I said, bye-bye, baby, bye-bye, bye-bye, bye-bye, bye-bye
É isso aí, eu disse, tchau,tchau

Eight day’s a week – Oito dias da semana
Ooh I need your love babe,
Ooh Eu preciso do seu amor queridinha
Guess you know it’s true.
Suponho que você sabe que isto é verdade
Hope you need my love babe,
Espero que você precise do meu amor queridinha
Just like I need you.
do mesmo jeito que eu preciso de você.

Hold me, love me, hold me, love me
Me abrace, me ame, me abrace, me ame.
Ain’t got nothin’but love babe,
Não busque nada que não seja o amor, queridinha
Eight days a week
durante oito dias da semana

Love you every day girl,
Te amo todos os dias, garota
Always on my mind
com o pensamento sempre em vc
One thing I can say girl,
Uma coisa eu posso dizer garota,
Love you all the time.
Eu te amo o tempo todo

Hold me, love me, hold me, love me.
Me abrace, me ame, me abrace, me ame.
Ain’t got nothin’but love babe,
Não busque nada que não seja o amor, queridinha
Eight days a week.
durante oito dias da semana.

Eight days a week
Durante oito dias da semana
I love you.
eu te amo.
Eight days a week
Oito dias da semana
Is not enough to show I care.
não são suficientes para mostrar que eu gosto de vc

Ooh I need your love babe,
Eu preciso do seu amor queridinha
Guess you know it’s true.
Suponho que você sabe que isto é verdade
Hope you need my love babe,
Espero que você precise do meu amor queridinha
Just like I need you.
do mesmo jeito que eu preciso de você.

Hold me, love me, hold me, love me. (repete…)

Words of Love – Palavras de amor
Hold me close and tell me how you feel
Abrace-me bem forte e me diga como se sente
Tell me love is real – Hmm hmm hmm
Diga-me que o amor é real
Words of love you whisper soft and true
Você sussurra palavras de amor de forma suave e verdadeira
Darling I love you – Hmm hmm hmm.
Querida, eu te amo.

Let me hear you say the words
Permita-me ouvir de você as palavras
I long to hear
que eu desejo ouvir,
Darling when you’re near – Hmm hmm hmm
querida, quando você está perto de mim
Words of love you whisper soft and true
Você sussurra palavras de amor de forma suave e verdadeira
Darling I love you – Hmm hmm hmm.
Querida, eu te amo.

Honey Don’t – Meu benzinho diz que faz mas não faz
Well, how come you say you will when you won’t?
E então, como é que vc vem dizendo que vai quando, na verdade, não vai?
Say you do, baby when you don’t
Por que é que vc diz quer faz quando, na verdade, não faz?
Let me know, honey, how you feel
Me diga como se sente agindo assim, meu bem
Tell the truth now, is love real?
Me diga agora, sinceramente, o amor é real?
But, aw, aw
Mas, aw, aw
Well, honey don’t (2x)
Então, é isso, meu benzinho diz que faz mas não faz

Honey don’t (3x)
Meu benzinho diz que faz mas não faz
I say you will when you won’t
Tô dizendo que vc diz que vai quando, na verdade, não vai
Aw, aw, honey don’t
Aw, aw, meu benzinho diz que faz mas não faz

Well, I love you, baby, and you ought to know
Bom, eu te amo, queridinha, e vc devia saber disso
I like the way that you wear your clothes
Eu gosto da forma como vc se veste
Everything about you is so doggone sweet
Tudo em vc é terrivelmente tentador
You got that sand all over your feet
Vc é ‘poderosa’
But, aw, aw
Entretanto, aw,aw,

Well, honey don’t
Bem, meu benzinho diz que faz mas não faz
Honey don’t (4x)
Meu benzinho diz que faz mas não faz
I say you will when you won’t
Tô dizendo que vc diz que vai quando, na verdade, não vai
Aw, aw, honey don’t
Aw, aw, meu benzinho diz que faz mas não faz
I feel fine Ooo, oo, I say
Eu tô numa boa, Ooo, oo, tô dizendo
Well Sometimes I love you on a Saturday night
Bem, vez por outra eu te namoro num sábado à noite
Sunday morning you don’t look right
Domingo pela manhã vc parece não estar ‘legal’
You’ve been out painting the town
Vc esteve fora de casa farreando
Uh huh, baby you been stepping around
Uh huh, queridinha vc costuma sair pra dar umas voltinhas por aí
But, aw, aw
Entretanto, aw,aw,
Well, honey don’t
Bem, meu benzinho diz que faz mas não faz
I say, honey don’t
Tô dizendo, meu benzinho diz que faz mas não faz
Honey don’t (3x)
Meu benzinho diz que faz mas não faz
Aw, aw, honey don’t
Aw, aw, meu benzinho diz que faz mas não faz
Well, honey don’t (2x)
Bem, meu benzinho diz que faz mas não faz
A little, little, honey don’t
A minha pequena, o meu benzinho diz que faz mas não faz
I say, you will when you won’t
Tô dizendo que vc diz que vai quando, na verdade, não vai

Every Little Thing – Cada pequenina coisa
When I’m walking beside her,
Quando eu estou caminhando ao lado dela
People tell me I’m lucky,
As pessoas me dizem que eu sou um sortudo
Yes I know I’m a lucky guy,
Sim, eu sei que sou um cara sortudo
I remember the first time
Eu me lembro quando tudo começou
I was lonely without her,
Eu vivia na solidão sem ela
Can’t stop thinking about her now.
E agora eu não consigo parar de pensar nela

Ev’ry little thing she does,
Cada pequenina coisa que ela faz
She does for me, yeh,
Ela faz para mim, é isso aí
And you know the things she does,
E você sabe que as coisas que ela faz
She does for me, oh.
Ela faz para mim, oh

When I’m with her I’m happy
Quando estou com ela eu me sinto feliz
Just to know that she loves me
só de saber que ela me ama
Yes, I know that she loves me, now.
Sim, eu sei que agora ela me ama
There is one thing I am sure of,
Há uma coisa da qual eu tenho certeza
I will love her forever,
Eu vou amá-la para sempre
For I know love will never die.
Pois eu sei que o amor nunca vai morrer

Ev’ry little thing she does (repete o refrão)

I don’t want to spoil the party –
Eu não quero estragar a festa

I don’t want to spoil the party so I’ll go,
Eu não quero estragar a festa, por isso eu vou embora
I would hate my disappointment to show
Eu detestaria que me vissem desapontado
There’s nothing for me here so I will disappear,
Não tem nada aqui pra mim, por isso eu vou tratar de sumir
If she turns up while I’m gone please let me know.
Se ela aparecer quando eu já tiver ido, por favor me avise

I’ve had a drink or two and I don’t care,
Eu já tomei alguns drinques mas, e daí?
There’s no fun in what I do if she’s not there
Não há graça nenhuma no que eu faço se ela não ‘está no pedaço’
I wonder what went wrong I’ve waited far too long,
Eu me pergunto o que é que deu errado, já estou cansado de esperar por tanto tempo
I think I’ll take a walk and look for her.
Acho que vou dar uma volta e procurar por ela

Though tonight she’s made me sad,
Embora esta noite ela tenha me deixado triste
I still love her,
Ainda assim eu a amo
If I find her I’ll be glad,
Se eu achá-la, eu ficarei feliz
I still love her.
Eu ainda a amo

I don’t want to spoil the party so I’ll go, (repete…)

What you’re doing – O que vc está fazendo?
Look what you’re doing
Veja o que vc está fazendo
I’m feeling blue and lonely
Eu estou me sentindo triste e abandonado
Would it be too much to ask of you
Seria muito te perguntar
What you’re doing to me?
o que vc está fazendo comigo?

You got me running
Você me botou pra correr
and there’s no fun in it,
e não tem graça nenhuma nisso
Why should it be so much to ask of you
Por que seria muito te perguntar
What you’re doing to me?
o que vc está fazendo comigo?

I’ve been waiting here for you,
Eu tenho ficado esse tempo à sua espera
Wondering what you’re gonna do
tentando descobrir o que você vai aprontar
Should you need a love that’s true
Se precisar de alguém que ama de verdade
it’s me.
Esse alguém sou eu

Please stop your lying
Por favor, pare de mentir
you’ve got me crying, girl
Vc me faz chorar, garota
Why should it be so much to ask of you
Por que seria muito te perguntar
What you’re doing to me?
O que vc está fazendo comigo?
What you’re doing to me?
O que vc está fazendo comigo?

Everybody’s trying to be my baby – Todas estão
querendo ser a minha garota

Well, they took some honey
Bem, pegaram um pouco de mel
From a tree
de uma árvore
Dressed it up
Embelezaram-no
And they called it me
E deram a isso o meu nome

And everybody’s trying to be my baby.
E todas estão querendo ser a minha garota
Everybody’s trying to be my baby.
Todas estão querendo ser a minha garota
Everybody’s trying to be my baby, now
Todas estão querendo ser a minha garota, e já

Well, half past nine,
Bem, das nove e meia
Half past four,
Até às quatro e meia
Fifty women
Cinquenta mulheres
Knocking on my door.
Vieram bater à minha porta

And everybody’s trying to be my baby.
E todas estão querendo ser a minha garota
Everybody’s trying to be my baby.
Todas estão querendo ser a minha garota
Everybody’s trying to be my baby, now
Todas estão querendo ser a minha garota, pra já

When out last night.
Quando eu saí na última noite
I didn’t stay late
fiquei fora por pouco tempo
‘Fore I got home I had nineteen dates
e tive dezenove encontros até voltar pra casa

And everybody’s trying to be my baby (repete…)

Fontes:

– Comunidade do Orkut “Chá com a Beatlemania”

– Pesquisas realizadas por Johnny di Botafogo

– Todas as traduções foram feitas por Samuel Dutra.

– Registros de Lúcio Merg

Liverpool planeja festividades para comemorar os 50 anos da estréia dos Beatles no Cavern Club

Os Beatles no palco do Cavern Club

Uma série de eventos vão comemorar os 50 anos desde a formação dos Beatles até sua revelação no Cavern Club de Liverpool.

Ringo Starr, que substituiu Pete Best, se juntou a John Lennon, Paul McCartney e George Harrison em agosto de 1962, para formaram os Fab Four, dois meses após seu primeiro single Love Me Do ter sido lançado e a Beatlemania ter tomado conta do mundo.

O Concelho da Cidade de Liverpool juntou esforços junto às organizações na cidade para criar um programa de eventos designados a atrair fãs dos Beatles localizados no Reino Unido e fora do pais.

Algumas atividades principais incluem a “Semana Internacional dos Beatles” em agosto, que marcará o 50º. Aniversário com shows em homenagem, palestras e a maior convenção sobre Beatles do mundo.

Também haverá depois concertos durante o mês de outubro sobre o “Fim de semana com Love me Do” e milhares de pessoas são aguardadas para atender uma vigília pela paz em dezembro, quando do 32º. Anversário do assassinato de Lennon.

Também haverá shows no palco do Teatro Epstein na cidade, em homenagem ao empresário dos Beatles, Brian Epstein, e apresentações da Orquestra Filarmônica Real de Liverpool.

O Líder do concelho civil de Liverpool, Joe Anderson, disse: “Este é um ano bastante significativo para a história dos Beatles e Liverpool não poderia deixar passar sem uma grande comemoração.
Jamais devemos subestimar o poder dos Beatles em atrair visitantes para a cidade, e durante este ano de comemorações muito mais fãs serão atraídos a Liverpool, o que dará um grande impulso necessário à economia local.”

Fonte: Liverpool Daily Post


Dear George (we miss you so much)

Um lindo tributo a George, por André Moura

Dear George

A letra
Dear George (André Moura)

Looking through the window while
I listen to your chords and fly
No one can see me cry
No one can ask me why

Clouds come with your smile and face
In the sky you find your place
The answers of your life
An old friend just fine

Your heart was blessed
Your music so
Tonight limitless
We will sing along to you

We´ll miss you so much
We´ll miss you so much
We miss you so much
Dear friend
Dear song
Dear George

String guitars
An empty room
Silence cries remembering you
Maybe some other way
Your music you still play,

Your heart was blessed
Your music so
Tonight limitless
We will sing along to you

We´ll miss you so much
We´ll miss you so much
We miss you so much
Dear friend
Dear song
Dear George

Rain comes with the sun
Slowly
I can feel my heart again
True life comes with love
Just love
Bring the happiness that we want

Oh my lord
Only love
My sweet lord
Only love

We´ll miss you so much
We´ll miss you so much
We miss you so much
Dear friend
Dear song
Dear George…

Oito Solos de Guitarra para a Canção “How do You Sleep”, por George Harrison

No dia em que estaria fazendo 69 anos, vale a pena destacar em sua homenagem, os oito solos que George fez para a canção de John Lennon, “How do You Sleep”!

Takes 1 e 2

Take 3

Takes 4 e 5

Takes 6 e 7

Take 8

John Lennon ensaiando com George Harrison para o álbum Imagine: