O Divórcio entre Lennon & McCartney!

Lennon McCartney Divorce

(Matéria completa e texto original aqui. )

“As pessoas disseram: ‘É uma pena que uma coisa tão bacana teve que chegar ao fim desta forma.’ Eu também acho. É uma pena. Eu gosto de conto de fadas. Eu adoraria se tivesse visto os Beatles subirem em uma nuvenzinha de fumaça e nós quatro estivéssemos vestidos em trajes mágicos, cada um segurando um envelope com todo nosso material dentro dele. Mas você percebe que está na vida real, e você não divide uma coisa bonita com outra coisa bonita.” (McCartney)

No final dos anos 60, havia muitos sinais dentro da organização dos Beatles indicando que uma separação seria
inevitável. Alguns destes sinais eram aparentes para seus fãs, outros não. O empresário deles morre, eles são
forçados a parar com as turnês, há problemas no estúdio, etc.
Eventualmente a banda se separa e então tudo torna-se realmente desagradável e um tanto estranho…

Embora Lennon e McCartney tenham se reconciliado nos anos 70, qualquer esperança de uma reunião musical
foi minada depois que Yoko começou a interceptar as chamadas telefônicas de Paul.

Há muito tempo que uma vertente do folclore Beatles diz que Paul ligou para Yoko em janeiro de 1980, pouco
antes de uma turnê ao Japão, e mencionou a ela que ele tinha um pouco de maconha… Dois dias depois ele foi preso
no aeroporto de Tóquio por posse de substâncias ilegais e passou 10 dias na prisão. Falou-se que as
autoridades japonesas tinham recebido uma dica de alguém que sabia exatamente o que Paul estava
carregando. Desde o assassinato de John Lennon em dezembro de 1980 pelo fã enlouquecido, Mark Chapman, o corte Paul- Yoko foi adiante de forma bem mais estrondosa.

Em 1997 Yoko Ono comparou John a Mozart, enquanto Paul, disse ela, mais intimamente se assemelhava ao seu rival
menos talentoso, Salieri. No ano seguinte, Paul se recusou incisivamente a pedir que Yoko fosse ao funeral de
Linda em Nova York , que acabara de morrer de câncer de mama. O problema veio à tona novamente no ano
2000, quando os três Beatles sobreviventes estavam preparando um pacote com os maiores sucessos dos Beatles. Embora
a canção “Yesterday” tenha sempre sido creditada à dupla Lennon/McCartney, ela foi feita totalmente por Paul,
que então pediu que seu nome fosse colocado em primeiro lugar.

“Senti que depois de 30 anos isso pudesse ser um bonito gesto e algo que pudesse ser fácil para Yoko
concordar”, disse Paul.

“A princípio ela disse sim, mas depois ela ligou de volta algumas horas mais tarde e mudou de ideia”.

Dois anos mais tarde, Paul rebateu, quando mudou os créditos para todas as canções dos Beatles incluídas
no seu álbum “Back in the US Live 2002”, para “compostas por Paul McCartney e John Lennon”.

Yoko respondeu, removendo os créditos de Paul da faixa “Give Peace a Chance”, no DVD Lennon Legend.

Paz, ao que parece, era a última coisa no pensamento de Paul e Yoko.

George Harrison, o Guitarrista na opinião de músicos e amigos.

Em outubro de 2008, a Revista Guitar Player publicou algumas opiniões de músicos e amigos de George Harrison, que escreveram sobre ele como guitarrista.

George Harrison e guitarra

George Harrison foi um grande gênio nas guitarras, conseguia através de seus slides emocionar a todos!
Vale registrar aqui as opiniões de outros guitarristas, pois mostra o quanto Harrison era querido e admirado!
Impressiona muito, por exemplo, o comentário de Brian May, e saber que ele também era um grande fã de George… E se Harrison era a alma dos Beatles, May era o mesmo para o Queen!

Les Paul: “Não houve muitos grandes guitarristas, mesmo com bilhões de instrumentistas por aí. Poucos têm algo a dizer e
o privilégio de fazer isso. Devemos ser gratos a esses guitarristas. George foi um deles.”

Brian Setzer: “Sentimos falta dos grandes riffs que Harrison criava. Além de suas próprias composições, quase todas as
músicas de Lennon & McCartney possuem um grande riff de guitarra. George era quem tinha de pensar nessas coisas, e isso
já são dois terços de uma grande música.”

Joe Walsh: “Se você tocar algumas partes da guitarra de George, conhecerá o lugar único e especial em que estava sua
cabeça. Seus solos eram impressionantes! Ele foi subestimado, uma vasta quantidade de técnica foi necessária para criar
seus solos – eles tinham seu próprio som. Foi isso que me atraiu. Toda vez que eu tentava tirar músicas como ‘And Your Bird
Can Sing’ ou ‘Drive My Car’, eu acabava coçando a cabeça e pensando ‘onde neste mundo está esse cara?’ Eu não
conseguia dizer de quem ele estava roubando seus licks!”

Steve Lukather: “Comecei a tocar guitarra em 1964, depois de comprar ‘Meet The Beatles’. Ouvi o solo de George em ‘I Saw
Her Standing There’ e minha vida mudou para sempre. Mais tarde, George se tornou meu amigo e tenho muitas lembranças
ótimas dele. Uma vez, ele veio à minha casa com seu filho Dhani, que queria conhecer Slash. George sabia que Slash era
meu amigo e levei-o para conhecê-lo. Em outra ocasião, toquei na casa de Jeff Lynne com Bob Dylan no baixo e eu e
George nas guitarras. Cara, sempre irei lembrar disso com carinho.”

Brian May: “George Harrison foi um guitarrista fabuloso e um exemplo maravilhoso de como um rock star deve ser. Eu o
reverenciava como um inovador. Ele sempre foi original, corajoso e melódico. Era repleto de qualidade espiritual e consciente da estrutura de acordes sob o solo. Ele teve a coragem de tocar de maneira simples. Nunca se refugiou em efeitos ou tentou impressionar com velocidade. Espero que Harrison tenha sabido o quanto nós o amávamos e respeitávamos.”

Wander Taffo: “Se você me perguntasse qual solo eu gostaria de ter criado, o de ‘Something’ é o primeiro que me vem à
mente. Toquei essa música milhões de vezes. Sempre que eu executava o solo achava horrível, pq eu não conseguia tocar
igual. As notas eram as mesmas, mas nunca me senti à altura de fazer aquilo. Tocar como Harrison naquele solo é quase
impossível. Ele tinha um feeling intraduzível. Tocava aquilo com uma emoção tão grande que, quanto mais você estuda o
instrumento, mais percebe a dificuldade de se criar coisas simples. Harrison é a melhor escola de criação de coisas que se
fixam à mente. É exemplo de feeling, criatividade e estilo.”

Sérgio Dias: “George sempre fazia coisas muito inteligentes, musicais e melódicas. O arpejo de ‘Help’ é muito avançado
para aquela época. Ninguém conseguiu reproduzir seus sons. O solo de ‘Something’ é mais forte do que a melodia da
música. George determinou o estilo de outros guitarristas, ele era o estilo. Harrison é tão gênio quanto Beethoven ou Jimi
Hendrix e possui algo que outros guitarristas não têm: classe.”

Bob Dylan também comentou sobre o guitarrista George Harrison, na revista Rolling Stone:

“George ficou marcado por ser o Beatle que tinha que brigar para colocar as suas canções nos discos, por causa de Lennon
e McCartney. Bem, quem não ficaria marcado? Se George tivesse tido sua própria banda e escrevesse as próprias canções,
teria sido tão grande quanto qualquer um deles. George tinha a esquisita habilidade de apenas tocar acordes que não
pareciam estar conectados e daí… Surgia com uma melodia e a canção. Não conheci mais ninguém que fizesse isso
também. O que posso te dizer? Ele era daquela antiga linha de instrumentistas em que cada nota era uma nota a ser
contada.”

Fonte: Resgate da Comunidade We Love the Beatles Forever no Orkut

George Harrison e Dylan

Há 47 anos John Lennon e Yoko Ono eram presos em Londres!

Em 18 de outubro de 1968 John Lennon e Yoko Ono foram presos em Londres!

John e Yoko presos 1

Há 47 anos eles foram presos em Londres por porte de drogas. A polícia antidroga britânica invadiu o apartamento onde o casal morava e lhes deu voz de prisão de forma autoritária e sem mandado judicial.

John e Yoko presos 2

A frente o notório Sgt. Pilcher, que adorava prender celebridades para aparecer na mídia como paladino da moralidade.

John e Yoko presos 3

Foram encontradas 200 gramas de haxixe; uma máquina de enrolar cigarros com traços de maconha e meio grama de morfina.

Yoko estava grávida. Tomou um susto enorme com o ato de invasão e da prisão, e sofreu um aborto dias depois.

Em principio ela e John negaram que a quantidade de droga fosse deles, mas depois, por medo que Ono fosse extraditada, o beatle assumiu a culpa sozinho.

Pagou fiança e recebeu uma advertência, que em caso de reincidência, ficaria um ano na cadeia.

Quanto ao Sgt. Pilcher, fez a festa na mídia já que John Lennon era a pessoa mais famosa que ele pegou. O sujeito também encarcerou Keith Richards; Mick Jagger e outros luminares do rock.

Até que foi desmascarado por seus atos de corrupção; exibicionismo e truculência, e expulso da Scotland Yard…

John e Yoko presos 4

Por Cláudio Teran, colunista, jornalista e apresentador.

Homenagem a John Lennon (*09-10-1940 / +08-12-1980)

Um dos maiores astros da música pop do século 20, John Lennon completaria 75 anos hoje, dia 9 de outubro de 2015.

Montagem por Ian Hello

Montagem por Ian Hello

Cantor, compositor, músico, ativista social e fundador dos Beatles, Lennon foi assassinado em 8 de dezembro de 1980 em frente ao prédio onde morava, em Nova York.

Lennon continua vivo em nossos corações e, ao redor do mundo, as homenagens a ele são frequentes.

Em Nova York, fãs sempre fazem vigília no Central Park, na esquina batizada de “Strawberry Fields”, próximo ao Edifício Dakota, onde ele morava. Na capital da Islândia, a “Imagine Peace Tower”, torre de luz que atinge até 4 quilômetros de altura, foi erguida em homenagem a ele.

Em Liverpool, nesta época o clima é de comoção entre os turistas.

Enquanto isso, Mark Chapman, o assassino do Beatle, teve seu pedido de condicional negado pela sétima vez e permanece trancafiado na prisão de Attica, próxima a Nova York.

Assim, o legado de John Lennon solo e com os Beatles permanece vivo pelo mundo afora… Foi ele quem criou o grupo The Quarry Men, que depois recebeu Paul McCartney, George Harrison e finalmente Ringo Starr, tornando-se The Beatles, a banda mais famosa do mundo, e também considerada a melhor de todos os tempos.

Em carreira solo, Lennon não foi menos relevante. Continuou a unir com maestria, melodias perfeitas e letras marcantes, como “Give Peace a Chance”, “Mother”, “Working Class Hero”, entre outras mais românticas, como “Look at Me”, uma das minhas favoritas.

Segue um álbum contendo mais de 400 fotos em homenagem a John Lennon.

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.4567924958007.2186252.1288187940&type=1&l=ad5755eee3

E aqui, uma volta ao passado da vida de John Lennon, em fotos.

Beatles, John Lennon films can be streamed during 75th birthday weekend.
Filmes dos Beatles e de John Lennon poderão ser transmitidos durante o fim de semana do aniversário de 75 anos.

John Lennon’s hometown of Liverpool kicks off party for his 75th birthday.
A cidade natal de John Lennon, Liverpool, dá início à festa pelo seu aniversário de 75 anos.

Cerimônia de Aniversário de John Lennon em Liverpool será em Woolton!

Em Liverpool, na igreja de Saint Peter, onde John Lennon e Paul McCartney se encontraram pela primeira vez, uma cerimônia especial acontecerá às 14h no dia 09 de outubro, tanto para homenagear John Lennon como também para inaugurar o túmulo reformado de seu tio George Toogood Smith, que era casado com sua tia Mimi. O evento incluirá música tocada pelo Quarrymen, que foi o grupo de John Lennon antes dos Beatles e que estavam presentes no dia em que Lennon e Paul McCartney se encontraram na igreja.

St. Peter`s Church - Cortesia da Dr. Donna Jackson para o site Examiner.com

St. Peter`s Church – Cortesia da Dr. Donna Jackson para o site Examiner.com

O motivo para a reforma da sepultura é que o tempo e o passar dos anos deixaram suas marcas nele, disse Dr. Donna Jackson, que está organizando o evento, e tem sido a meta da equipe de voluntários que cuida do patrimônio dos Beatles na Igreja, realizar algumas obras de restauro muito necessária. “Há muitas razões pelas quais este é um importante evento”, disse ela. “Acima de tudo, é uma maneira de os fãs dos Beatles dizerem ‘obrigado’ a um homem que foi tão importante na vida de John.”

Dr. Donna Jackson disse que o trabalho foi feito com o consentimento da família de Lennon. “Antes de planejarmos a reforma nós conversamos com os membros da família de John para explicar o que nós queríamos fazer. A última coisa que queríamos era que pensassem que estávamos nos metendo na privacidade da família. Mas felizmente, eles concordaram que este era um gesto gentil da parte dos fãs dos Beatles. Tio George cuidou de John por muitos anos. É bacana agora que os fãs dos Beatles possam devolver aquele favor, cuidando de seu túmulo.”

A cerimônia de inauguração será apresentada pelos Quarrymen e pelo ator Andrew Lancel, que representou Brian Epstein no palco, numa peça sobre sua vida. Os Quarrymen ainda visitam a igreja regularmente. Lancel não é só um fã dos Beatles mas também é membro da congregação de St. Peter. O evento incluirá também uma palestra pelo guia sobre os Beatles em Liverpool, Jackie Spencer, sobre a importância de Tio George para John Lennon, e música ao vivo de Mark Bloor, um dos músicos residentes no Cavern Club.

Fonte: Examiner.com (Steve Marinucci)

Traduzido por Lucinha Zanetti

John Lennon e seu tio George

John Lennon e seu tio George

Texto Original em Inglês:

In Liverpool at St. Peter’s Church where John Lennon and Paul McCartney first met, a special ceremony will be held at 2 p.m. Oct. 9 to both honor John Lennon and unveil the refurbished grave of his uncle George Toogood Smith, who was married to his Aunt Mimi. The event will include music by the Quarrymen, who were John Lennon’s group before the Beatles and were present the day Lennon and Paul McCartney met at the church.

The reason for the refurbishment of the grave is that weather and the passing years have taken their toll on it, said Dr. Donna Jackson, who is organizing the event, and it has been an aim of the team of volunteers who look after Beatles heritage at the Church to carry out some much-needed restoration work. “There are many reasons why this is an important event,” she said. “Most of all, it’s a way for the Beatles fans to say ‘thank you’ to a man who was so important in John’s life.”

She said the work was done with the endorsement of the Lennon family. “Before we planned the refurbishment we talked to members of John’s family to explain what we wanted to do. The last thing we wanted was for them to think that we were intruding on a private family issue. But fortunately, they agreed that this was a lovely gesture on the part of Beatles fans. Uncle George took care of John for many years. It’s nice that Beatles fans can now return that favor by taking care of his grave.”

The unveiling ceremony will be performed by the Quarrymen and actor Andrew Lancel, who played Brian Epstein in a stage play about his life. The Quarrymen are all still regular visitors to the Church. Lancel is not only a huge Beatles fan but also a member of the congregation at St Peter’s. The event will also include a talk by Liverpool Beatles guide Jackie Spencer on the importance of Uncle George to John Lennon, and live music from Mark Bloor, one of the resident musicians at the Cavern Club.

Foto feita por mim dentro do Museu The Beatles Story em Liverpool - Jan/2012

Foto feita por mim dentro do Museu The Beatles Story em Liverpool – Jan/2012

Revista do Rock – Dez/1974 – Paul McCartney, Historia e Glória!

A Revista do Rock de Dezembro de 1974 trouxe a “Historia e a Glória” de Paul McCartney e também uma entrevista com Erasmo Carlos.

Página_01_Capa

Página_02

Página_03

Página_04

Página_05

Página_06

Página_07

Página_08

Página_09

Página_10

Página_11

Página_12

Página_13

Página_14

Página_15

Página_16

Página_17

Página_18

Página_19

Página_20

Página_21

Página_22

Página_23

Página_24

“Tudo o que eu queria era pegar de novo o jeito de tocar em público. Morto de medo da plateia, da crítica, todos esperando ver o ex-Beatle conseguir de novo”

De como The Clevers se tornou Os Incríveis e com isso surgiu o conjunto The Flyers!

Já contamos aqui a “Historia das Bandas de Rock criadas por Antonio Aguillar e o caso da banda The Clevers, mas hoje vamos falar sobre o conjunto The Flyers e de como The Clevers se tornaram Os Incríveis. 😉

The Flyers foi um grupo criado por Antônio Aguillar e que só gravou um único disco, o qual fez até sucesso e hoje é uma raridade.
O conjunto era formado por Patinho (guitarra solo), Pulinho (bateria), Lumumba (sax), Tico (guitarra base) e Fafá, como informava a Revista Melodias Nº 89 de Dezembro 1964.

The Flyers 1

Fle Flyers 2

Aqui a capa e contra capa do LP lançado pela RCA Victor, com “The Flyers” (Os Voadores).

contra capa LP The Flyers (1)

contra capa LP The Flyers (2)

Soube que este grupo parou após ter feito sucesso com este único disco, então perguntei qual foi o motivo disso ao Antonio Aguillar, que me contou o seguinte:

“Este foi o único disco dessa banda, criada por mim e lançada em 1964, quando eu tinha o meu programa na TV Record Canal 7 e fazia o “Reino da Juventude” no Teatro Record, Av. da Consolação, 1992, onde um ano depois teve início o programa “Jovem Guarda”, do Roberto Carlos.

Tudo começou quando a meu convite Rita Pavone, que fazia um programa especial no Teatro Record, esteve no meu programa para receber uma guitarra de ouro de fabricação Giannini.

Aguillar e Rita Pavone 1964

Falei com os rapazes da minha banda, os “The Clevers”, para brindá-la tocando “Datemi Un Martello”, seu grande sucesso internacional. A italianinha não se conteve diante do auditório e acabou cantando sem ensaio e sem autorização do seu empresário Ted Reno, e foi um acontecimento inusitado, que redundou num convite para que a banda a acompanhasse em suas apresentações seguintes no Teatro Record e na ida deles à Italia para acompanhá-la numa turnê pelo seu Pais.

Como naquele tempo a televisão ainda não dispunha da tecnologia de hoje e os vídeo-tapes também eram um tanto obsoletos, não se tinha uma segurança para a realização de um programa gravado e deixá-lo assim se houvesse a necessidade de se ausentar. Inseguro e não podendo viajar com a banda, que seria o ideal pois assim cuidaria do esquema com a maior segurança possível, fui obrigado a aceitar a interferência de uma pessoa e isso foi a pior coisa que eu fiz na vida…
No decorrer do tempo lá na Itália, fizeram a cabeça dos componentes da banda The Clevers para que rompessem relações comerciais comigo, pois assim ganhariam mais dinheiro e maior fama. Eles entraram nessa, se esquecendo do investimento e todo o tipo de promoção feita por mim em torno deles.
Simplesmente voltaram ao Brasil e disseram-me: “viemos romper com você”.

Não acreditei, porém era verdade. Chorei durante uma semana, porque tinha eles como uma espécie de filhos. Produzi cerca de 5 LPs com eles, inclusive usando um título sui-generis, ‘OS INCRÍVEIS THE CLEVERS’. E quando disse a eles que The Clevers era uma patente de propriedade de Antonio Aguillar, eles disseram que iriam utilizar o nome “Os Incríveis” e assim ficou.

Mas as semanas, os meses se passaram e a televisão, emissoras de rádio, divulgaram uma miscelânea de coisas, sem entender as verdadeiras razões e quem acabou ficando na pior já viu..fui eu, que agora me tornava pequeno diante dos rapazes que ficaram internacionais.
Eu me lembro que a musica ERA UM GAROTO QUE AMAVA OS BEATLES E OS ROLLING STONES, estava em minhas mãos para fazer a versão. Diante dos acontecimentos, dei o compacto simples importado para eles dizendo que não teria como fazer essa versão. Se fosse maldoso, teria feito para o grupo “The Flyers”, que criei após ter sido abandonado pelos Clevers…

Bem, a história é longa, mas resumindo: The Flyers não foram para frente diante de tantas coisas contra mim e acabaram se desmanchando e cada um foi para o seu canto. Portanto, o LP com The Flyers numa gravadora de grande peso acabou ficando no meio do caminho. Mas era um grupo maravilhoso e tocavam muitoooo…

Enfim, se na ocasião em que eles foram para a Itália, tivessem respeitado o trabalho do próximo, todos poderiam ter ficado ricos.

Mas já é passado, está morto!

(Por Antonio Aguillar, em 15 de fevereiro de 2013)

Antonio aguillar diz Os jovens foram ingratos

Muito se falou na mídia naquela época, e as reportagens nas revistas não pouparam o comunicador da juventude feliz e sadia…

Revista - Aguillar é um explorador

Revista - Festival da canção italiana

Revista - Pai de Manito fala de Aguillar

Revista - Sucessos Continental Os Incríveis

Revista - Tudo é paz entre Os Incríveis e Aguillar

Mas hoje Aguillar tem o devido respeito de todos, inclusive dos que já se foram, como o guitarrista Neno, que aqui fala de sua gratidão:

E também de Manito, o grande saxofonista dos Clevers/Incríveis:

E ainda temos o depoimento do Netinho, que continua fazendo sucesso como baterista, inclusive tendo participado do conjunto “Casa das Máquinas”!