Leno comemora 50 anos de carreira musical com o elogiado clipe “Poeira Interestelar”, atual e melhor do que nunca!

E o caçula da Jovem Guarda, o cantor Leno, comemora seus 50 anos de carreira com o lançamento em Clip da canção “Poeira Interestelar”, uma Ode à Ciência astronômica como “Poesia da realidade”.

Leno começou sua carreira com a dupla formada com Lílian, quando em março de 1966 foi lançado o primeiro disco com os sucessos “Pobre Menina” e “Devolva-me”.

Simplesmente “Leno” – é assim que conhecemos o cantor, compositor e guitarrista Gileno Wanderley Azevedo, nascido em Natal/RN, no dia 25 de abril e criado no posto 6 de Copacabana onde aos 9 anos de idade já se sentia identificado com o som do Rock que surgia no Brasil na fase pré- Beatles , assim como a turma do ié ié ié na zona Norte carioca.

Leno começou sua carreira musical durante a época do Movimento Jovem Guarda nos anos 60, quando foi descoberto por produtores da antiga CBS, hoje Sony BMG, e formou com Lilian Knapp a dupla Leno e Lilian, que na época fez grande sucesso logo de inicio ao lançarem em março de 1966 o single “Pobre Menina”e “Devolva-me”, (Dois sucessos Lado A) em seguida “Eu não Sabia que Você Existia”, entre outras, que os tornaram a dupla mais popular da Jovem Guarda, mas que viria a se separar logo no ano de 1967, em pleno sucesso!

Em 1968 e 1969 Leno lançou mega hits como “A pobreza ” e “Festa dos seus 15 anos” em carreira solo e também, como compositor, continuaria a fornecer músicas para diversos artistas, como o conjunto Renato e Seus Blue Caps, Erasmo Carlos, Amelinha, Golden Boys , Os Fevers , Marcio Greyck , Banda Sempre Livre, Jerry Adriani e outros artistas, incluindo George Freedman, intérprete de sua versão para “Something Stupid” (Coisinha Estúpida) que emplacou nas paradas de sucesso e também com Leno e Lilian posteriormente.

No ano de 1971 gravou e produziu o primeiro disco feito em 8 canais no Brasil, pela CBS, que recebeu o título de Vida e Obra de Johnny McCartney, e contou com parcerias do até então desconhecido compositor baiano Raul Seixas. Este disco é considerado atualmente o precursor do que viria a ser o novo rock nacional dos anos 70 e 80 quando o próprio Raul Seixas deixou registrado a mão seu reconhecimento pelo amigo e “mestre”.

Porém, o Brasil era governado na época dessa gravação pela Ditadura Militar e a censura vetou 5 das 12 canções de seu disco. Desta forma sua obra ficou mutilada e apenas um compacto duplo foi lançado na época, contendo quatro canções do álbum. Só fomos conhecer o álbum completo em um lançamento futuro ocorrido no ano de 1995 quando os tapes foram encontrados pelo pesquisador Marcelo Froes.

Em 1972 Leno voltou a reunir a dupla original e retornaram com o álbum simplesmente intitulado Leno e Lilian, com repertório renovado e ousado para os padrões comerciais da gravadora, e em seguida o quarto e último LP da mais popular dupla do Brasil dos anos 60 e 70.

Seu próximo disco foi o hit Flores Mortas, de 1974, sem dúvida a primeira canção brasileira que abordou criticamente a questão da poluição e meio ambiente no país. Chegou ao primeiro lugar nas rádios antes mesmo de se apresentar no Programa Fantástico…

Em 1976 lançou o disco “Meu nome é Gileno”, com músicas próprias (como a regravação de “Grilo City”, do disco de 1971) e regravações como “Luar do Sertão” (do poeta Catulo da Paixão Cearense) e “Me deixe Mudo”, do compositor e músico experimentalista Walter Franco. Além de sua canção hoje cult, “Jovem Guarda”. Também fez a apresentação do famoso “Rock Concert” aos sábados na TV Globo .

Nos anos 80, após uma temporada vivendo em Los Angeles, voltou às atividades musicais no Brasil lançando alguns singles como “Rosa de Maio”, trilha da novela Livre para voar da mesma emissora, além de produzir outros artistas em estúdio.

Nos anos 90 participou de uma série de homenagens feitas à Jovem Guarda, ao lado de outros grandes nomes do movimento, e continuou dedicando-se à música, até que em 2006 lançou um DVD com canções inéditas, chamado “Idade Mídia”, comemorando seus muitos anos de estrada…

Atualmente Leno continua fazendo shows pelo Brasil e participando de eventos.

Lançou um DVD gravado ao vivo em Natal, intitulado “O Mundo dá Muitas Voltas”, e no final de 2015 lançou o clipe com a canção “Lado a Lado”:

Leno também está nas redes sociais compartilhando seu trabalho e brindando seus fãs e amigos com suas canções tão lindas de amor, modernidade, política, religião, ecologia… enfim, Leno nos leva ao passado, presente e futuro!

São as muitas voltas que a vida dá e ele nos conduz com sua música sempre atual!

Leno - making of novo clip

Anúncios

Os 75 anos de Roberto Carlos, por Antonio Aguillar.

São 75 anos de saúde e vitalidade, muita disposição para o trabalho,comandando uma grande equipe, além de um grande perfeccionista.
Tomei conhecimento do artista, quando procurado pelo Chacrinha em São Paulo, nos anos 60 para alavancar a carreira do futuro ídolo, assim dizia e acreditava o velho guerreiro.
Roberto Carlos está completando hoje 75 anos de idade. Meus desejos de toda a sorte do mundo, para que permaneça no sucesso por muito tempo ainda, a fim de que possamos ter sempre ao nosso convívio, esse “cara” espetacular.
Hoje muita gente pensa ser dono do Roberto Carlos, mas afirmo: – ele cresceu não só pelo seu grande talento. Não foi bem assim.
Roberto Carlos foi contratado pela CBS, antiga gravadora Columbia, onde Sergio Murilo era o ídolo maior e já conhecido internacionalmente com a musica MARCIANITA. Como Sergio Murilo entrou em conflito com a Direção de sua gravadora, alegando problemas de royalties, acabou na geladeira… e em seu lugar contrataram o “Zunga”, apelido familiar de Roberto Carlos. Certamente a Direção da CBS na pessoa do Sr. Evandro, reconhecendo o talento e a grande vontade dele de ser um grande artista no futuro, acreditou e Roberto Carlos passou para o “cast” e a ele deram toda a estrutura. Mandaram Roberto morar em São Paulo, pois era considerada o celeiro dos Artistas. Meus programas de rádio e televisão na Organização Victor Costa, Rádios Nacional, Excelsior e TV Excelsior, comandavam a massa. Os artistas cariocas me consideravam no Rio, uma “Lenda viva do Rock”. Modéstia à parte quando ninguém dava a menor importância ao futuro ídolo, eu o carregava nas costas, atendendo sempre seus pedidos de ajuda na divulgação de suas musicas e quando insistia me pedindo que desejava fazer toda semana os meus programas de TV ao vivo. Naquele tempo nem os conjuntos musicais The Jordans, The Jet Black`s e The Clevers queriam acompanha-lo. Ele cantava com seu violão ou play back. Fui ajudando em tudo o que podia. Levava para shows, Televisão e sempre tocava suas musicas no rádio. Ele sempre me dizia: _ Aguillar preciso muito de você, porque ainda quero ser “alguém na vida”. Minha resposta era essa: milagres eu não faço, porém posso continuar divulgando desde que você renove sempre suas musicas criando um bom repertório. Ele ficava pensativo, mas dava crédito aos meus conselhos, tanto é verdade, e ele pode estar lendo isso, e tenho a convicção de que jamais vai me desmentir, e eu não me cansava de insistir para que ele deixasse de lado o seu repertório antigo e gravasse coisas mais modernas, principalmente Rock pois era a linha dos meus programas e nesse patamar, ficaria mais fácil ajuda-lo em sua carreira profissional..
A CBS contratou a Edy Silva como divulgadora, era uma pessoa tarimbada em termos de divulgação e quando ele gravou SPLISH SPLASH, uma versão do Erasmo Carlos para o sucesso de Bobby Darin, ai todo mundo ficou sabendo dele e começaram a tocar suas musicas em São Paulo e Rio de Janeiro e nas rádios de todo o Brasil. Ele seguiu então nessa linha, com Calhambeque, e outras mais, crescendo sempre como artista. Roberto Carlos deve muito ao Abelardo Barbosa, o “Chacrinha” pois teve a sorte de ser conhecido através do meu programa Reino da Juventude na TV Record, sendo contratado para fazer o “Festa de Arromba” na TV Record no lugar do meu programa. Ele chegou a falar comigo, se não me prejudicaria se aceitasse a proposta. Claro que não, disse-lhe eu, aceite sim e bola pra frente. Ele ficou tão feliz e o programa depois recebeu definitivamente o nome de “JOVEM GUARDA”, que considero um movimento eterno.
Roberto Carlos, hoje sou eu quem agradeço a você por não ter esquecido do amigo aqui, que esteve a seu lado nas horas mais difíceis de sua carreira e sempre o incentivou. Essas coisas não têm preço…são coisas de DEUS.

Antonio Aguillar

RC e Antonio Aguillar

RC e Antonio Aguillar

Em sua homenagem, um vídeo especialmente preparado pelo radialista Francisco Miguel Peres Garcia…

Parabéns, meu eterno ídolo, eterno “Rei da Juventude do Brasil”, que você tenha vida longa e continue a nos brindar com suas canções.

Roberto Carlos 75

“Paul Quits The Beatles”! Esta era a manchete do Daily Mirror em 10 de abril de 1970…

Há exatos 46 anos, no dia 10 de abril de 1970, Paul McCartney anunciava ao mundo a separação oficial dos Beatles através de um comunicado.

Pouco tempo depois, John Lennon confirmava que “o sonho havia acabado”.

Na realidade, o grupo já havia deixado de tocar juntos havia alguns meses, quando terminou a gravação do álbum “Abbey Road”.
Os quatro estavam se dedicando a projetos pessoais, mas ninguém se atrevia a anunciar ao mundo a separação… até que Paul McCartney tomou a iniciativa e o mundo soube oficialmente da separação dos Beatles.

Paul quits the Beatles

Depois de anos de muita burocracia e milhões de dólares gastos, os documentos oficiais da dissolução foram elaborados e assinados, como mostra este vídeo…

The Sparks, um conjunto instrumental dos anos 60 que venceu os tempos chegando aos anos 2000!

The Sparks é o nome de um conjunto instrumental ao estilo dos conjuntos The Shadows e The Ventures, fundado em 1964 por Edison Della Monica no bairro do Belém em São Paulo.

Edison Della Monica e Toni Campelo

Edison Della Monica e Toni Campelo

Em sua primeira formação em 1964 faziam parte dele os músicos:

João Alberto Garlant – guitarra-solo
Ângelo Mário Gilberto Melzer – guitarra-base
Sidney Thomaz de Medeiros – contrabaixo
Edison Della Monica – bateria.

Em 1966, com esta mesma formação, gravaram dois discos.

A Partir de 1968 houve mudanças no quadro de músicos entrando para o grupo o Emilio Russo (ex The Lions e The Jet Black´s) na guitarra solo, substituindo Ângelo Mario Gilberto Melzer (tendo João Alberto passado para a guitarra base) e Carlos Nabar (ex Deny e Dino) entrou no lugar de Sidney no contrabaixo.

Nesse ano de 1968 lançaram pelo selo Beverly um compacto duplo de nº BCD 101 com as seguintes musicas (vocalizadas):
Lado A – Recordação e Não a quero mais
Lado B – Garota Orgulhosa – Ilusão.

No mês de Outubro de 1971 o nome do conjunto mudou para “A Máfia”, em virtude da troca de estilo musical, passando a ser um conjunto de bailes.

Nessa época os integrantes eram:
Edison Della Monica – bateria
Sebastião Aparecido Garcia – órgão e vocais
Reginaldo Tucci Zanandre – crooner
Pedro Luiz Correia – guitarra-solo
Wagner Marques – guitarra-base
Jorge Luiz de Moura – contrabaixo.

Com esse pessoal foi gravado em 1972 o LP. de nº 112.276 pelo selo OKEH (CBS) Conjunto Máfia (Os Jovens Fera):

Lado A – The End – Theme from Love History – Amada Amante – Ai Jalisco no te rajes – Aquarela do Brasil – Dio come ti amo.

Lado B – Tema de Lara – A time for us – La Mer – Everething will be all right – Oh me oh my – Sweet Memories.
Nome do Compacto Duplo – Lino

Em 1978 foi lançado pela gravadora Continental um compacto pelo selo HELP de nº CLD 013 –(LINO) com o seguinte repertório.

Lado A – Suspeita – Insistência

Lado B – Quem tudo quer tudo perde – O luar ainda é amigo.

Faziam parte do grupo os seguintes músicos:

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
Dorian Russo – base e bandolim
Mário José Marreiro – contrabaixo.

Foi gravado também um LP onde o grupo fazia acompanhamento para diversos cantores que participaram do disco.

Em 1989 foi lançado pelo selo PHONODISC (Continental) um LP nº 034.405.565 – RAIO X – (A CASA DO SOL NASCENTE) com o seguinte repertório.

Lado A
The House of rising sun – Theme from Young lovers – Sleepwalk – Apache – O Milionário – Trombone.

Lado B
La Comparsa – Ronny Boy – Lets go – Only the youngs – Stick shift – Shane.

Também saiu em Fita k7 Nº k7- 034.703.565 em Outubro /1989.

Participaram dessa gravação os seguintes músicos.

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
Dorian Russo- guitarra-base
Pedro Luiz Correia – contrabaixo.
Marco Antonio Possato – teclados ( Participação especial )

Em 1992 Regis e Della Monica formaram uma Dupla Vocal e lançaram uma fita k7 pelo selo Bertison (Copacabana) com a dupla Regis e Della Monica com o seguinte repertório.

Lado A – Memórias – No dia em que você me disse adeus – Só por causa de você – Batom Vermelho – Eu não aceito o teu adeus – Razão do meu viver – Não demore mais

Lado- B – Nos braços, nos olhos e no coração – Diana – Com você no coração – Encontrei você – Longe tão perto – Menina Feia – Eros .

Participaram dessa gravação os seguintes músicos:

José Aparecido Neiva – guitarra-base e solo
Milton de Almeida Quirino – contrabaixo
Emilio Russo – guitarra-solo
Ademar de Freitas Martins – programação bateria
Edison Della Monica – vocais
Reginaldo Tucci Zanandre – vocais
Marcos Antonio Possato – órgão (Participação Especial )

Em 1997 – foi lançado pela gravadora Acervo Records um CD intitulado “Uma Viagem através do Tempo” – The Sparks – CD – nº ARPP 0013, contendo o seguinte repertório:

Love is blue – A Casa do sol nascente – Mia Gioconda – Mississipi – Noites de Moscou – La Comparsa – Ronny Boy – O Milionário – Comanche – Recordação – Lonely – Only the youngs – Unchained Melody – Tammy – Shane – O Dólar Furado – Lets go – Blue Star – Apache- Tema para jovens enamorados – L idole de jeunes – Stick Shift – Johnny Guitar – Sleepwalk.

Fizeram parte dessas gravações os seguintes músicos:

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
Dorian Russo – guitarra-base e bandolim –
Pedro Luiz Correia – contrabaixo
Jean Marcelo Basi – guitarra-base
Júlio Cezar Gomes – contrabaixo

As Músicas – Love is blue – Mia Gioconda – Mississipi – Noites de Moscou – O Milionário – Comanche – Recordação – Lonely – Unchained Melody –Tammy – O Dólar Furado – Blue Star – Tema para jovens enamorados – Johny Guitar – foram gravadas em 1996.
As demais em 1989 referentes ao LP Raio X –

Em 1999 foi gravado um CD intitulado “Além das Estrelas”, totalmente independente e com músicas inéditas do grupo – mas não lançado no mercado fonográfico.
Este CD contém o seguinte repertório:

01- Além das estrelas – 02 – Noites do Havaí – 03- Naufrágio – 04 – Açores – 05 – Bola de Fogo – 06 – Surfing do trem – 07- Expresso do Oriente – 08 – Luar de São Vicente – 10 – Rock da Arábia – 11 – Bodas de Prata – 12- Corisco – 13- Ilusão – 14 – Kremlin

Participaram dessa gravação os seguintes músicos:

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
Mauro Fabiano – guitarra-base
Mauricio Leite do Amaral – contrabaixo

Em 2000 lançaram o CD Remember 60’s and 70’s

O CD editado pela Acervo Records (1997) foi relançado pela gravadora ALLEGRETTO – com o nº ALCD – 0078 – contendo o mesmo repertório, com o titulo Remember 60`s and 70`s, tendo inclusive sido comercializado com 3 capas diferentes.

Em 2001 foi gravado um CD com o titulo “Classics of Surf”, o qual deveria ser editado pela gravadora Pentarte Ltda. contendo o seguinte repertório:-

01- Have you ever see the rain – 02- Last train to Clarksville – 03- In my life – 04 – Everybodys loves a clown – 05 – Em la fronteira Del México – 06 – Coimbra – 07 – Sultans of swing – 08 – Midnight – 09 – Açores – 10 – Maryan – 11- Riders in the sky – 12- Sukiaki – 13- Driving Guitar – 14- Rhytm of the rain – 15- The High and the might –16- Kokorono-niji – 17 – Green Grass – 18 – Music to watch girl by

Participaram dessa gravação os seguintes músicos:

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
Mauro Fabiano – guitarra- base
Mauricio Leite do Amaral – contrabaixo

Em 2002 – foi lançado pelo selo Bucanner Records um CD – de nº 003 chamado “Brasilian Instrumental Rarites Volume 3” com diversas bandas onde The Sparks aparecem na montagem com a faixa nº 11 – Come te adoro menina. (Quiereme Mucho)

Em 2004 – foi lançado o CD de nº 00149 – The Sparks – Celebration Forty Years pelo selo ALLEGRETTO – contendo o seguinte repertório:

Have you ever see the rain – Green Grass – Recordação – Hurtin Inside- Trombone – Another brick in the wall – Wholl stop the rain – Além das estrêlas – Lets train to clarksville – Ana Júlia– Lamento Apache – Midnight – Noites do Haway – Caravan – Ilusão – Bola de fogo – Rock das Arábias – Smoke on the water – Sultans of swing

Participaram dessa gravação os seguintes músicos

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
José Aparecido Neiva – guitarra-base
Davi S. Russo – contrabaixo.

Nas faixas Midnight e Rock das Arábia participação especial de Mauro Fabiano (guitarra-base) e Mauricio Leite do Amaral (baixo).

Em 2005 – foi lançado o CD For Young Lovers – pelo selo Sky Blue – de nº 2477 contendo o seguinte repertório:

Look for star – Never my love – If – Airport love Theme – Sumertime — Don’t let it die – Ill be there – Je taime moi non plus – Rhythm of the rain – This Boy – Have you ever see the rain – The High and the might -Theme forQueen Elisabeth – In my life – Theme for young lovers

Participaram dessa gravação os seguintes músicos:

Edison Della Monica – bateria
Emilio Russo – guitarra-solo
José Aparecido Neiva- guitarra-base
Davi Souza Russo – contrabaixo
Claudio Calobrezi – teclados.

Em 2007 foi lançado pela gravadora Allegretto o CD The Sparks Greatest Hits com o numero ALCD.0194 – contendo o seguinte repertório:

Sultans of swing – Theme for Young lovers – Midnight – Apache – Blue Star– Sleepwalk – The Milionarie – Mississipi – Have you ever see the rain – The House of rising sun – Another brick in the wall – Smoke on the water – Hurtin Inside – Green Grass – Ronny Boy – Além das estrelas – Ana Julia – Recordação – Unchained Melody e Caravan.

Em 2010 foi lançado pela gravadora Allegretto o CD Guitarras da Jovem Guarda com o numero 0268 – contendo o seguinte repertório:

Pensando Nela, Devolva-me, A volta, Meu bem, Esqueça, O milionário, Quase fui lhe procurar, Quem não quer, O ritmo da chuva, Everbody loves a clown, Dont be cruel, olhando estrelas, Theme for Young lovers, Emoção, Lilian, O bom rapaz, O pica-pau, Coruja, Broto Legal, Feche os olhos, Festa de arromba, Anjo, Anos setenta.

O trabalho mais recente e último foi este disco lançado em 2012, gravado só com composições dos elementos da banda, “Beyond the Stars”…

Segue um vídeo com alguns flashes da história do conjunto fundado por Edison Della Monica, e também fotos raras de artistas da Jovem Guarda, incluindo participação em lançamento de livros sobre o Rock e a Jovem Guarda, finalizando com uma apresentação do conjunto ao vivo em 07-04-2013 em Guarulhos/SP, em um show para as Casas Andre Luiz promovido pela Rádio Nova de Guarulhos AM1450, , com a presença dos músicos Emílio Russo, Edison Della Monica, Vicente Vitché Sinisgalli e o contrabaixista Dimmy Adriano. O apresentador e um radialista chamado Manoel Bolonha (Fã Clube Manoel Bolonha), que tem um programa diário na Rádio Boa Nova de Guarulhos.

.

.

Atualmente Edson Dellamonica está lançando uma nova banda intitulada “HIGIENE MENTAL”.