A DISCOGRAFIA DA BANDA RENATO E SEUS BLUE CAPS

DISCOGRAFIA (1962 a 2001)

1962 – TWIST

TWIST – 1962

01 Peppermint Twist
02 Chega (Makin Love)
03 I Like Twist With My Baby
04 Sinal Ocupado (Busy Signal)
05 Meu Anjo da Guarda
06 Summer Comes Again
07 Blue Caps Twist
08 Eu Quero Twist
09 Hey, Brotinho
10 Cuide Certinho do Meu Bem (Take Good Care of My Baby)
11 Namorando
12 Bonequinha


.

1963 – Renato e Seus Blue Caps – Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS 1963

[01] Limbo Rock (B. Strange-J. Sheldon)
[02] Walking my Baby Backing Home (R. Turk-F.E. Ahlert)
[03] Estrelinha (Little Star) (Venosa-Picone Vers: Paulo Murillo)
[04] O Lobo Mau (The Wanderer) (Earnest Maresca Vers: Hamilton Di Giorgio)
[05] Comanche (Ed Wilson)
[06] Boogie do Bebê (Baby Sittin’ Boogie) (Parker-Relin-Gietz Vers: Fred Jorge)
[07] Ford de Bigode (Paulo Brunner-Ivanildo Teixeira)
[08] What’d I Say (Ray Charles)
[09] Relax (Guy Dovan-Carl Gary-Van Aleda)
[10] Stand Up (C. Crafford)


.

1964- Renato e Seus Blue Caps – Viva a Juventude!

VIVA A JUVENTUDE – 1964

[01] Negro Gato (Getúlio Cortes)
[02] Menina Linda (I should have Know Better) ( Lennon-MacCartney Vers: Renato Barros)
[03] Tremedeira (Tremarella) (Rossi-Alicata-Vianello Vers: Neusa de Souza)
[04] Querida Gina (Renato Barros)
[05] Sou Feliz Dançando com Você (I’m so happy just to dance with you) (Lennon-MacCartney Vers: Lilian Knapp)
[06] Gatinha Manhosa (Erasmo Carlos-Roberto Carlos)
[07] Canto pra Fingir (My whole world in falling down) (Jerry Crutchfield-Bill Anderson Vers: Rossini Pinto)
[08] Garota Malvada (I call your name) (Lennon-MacCartney Vers: Renato Barros)
[09] Os Costeletas (Renato Barros-Getúlio Cortes-Carlinhos)
[10] Fruit Cake (B. Tucker)
[11] Loop the Loop (Teddy Vann-Joe Dong Vers: Rossini Pinto)
[12] Vera Lucia (Renato Barros-Paulinho)


.

1965 – Isto é Renato e Seus Blue Caps

ISTO É RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1965

[01] Você não Soube Amar (It’s gonna be all right) (Jorge Marsden Vers: Roberval-Arthur Emílio)
[02] Feche os Olhos (All my loving) (Lennon-MacCartney Vers: Renato Barros)
[03] O Escândalo (Shame and scandal in the family) (Huon Donaldson-S. H. Brown Vers: Renato Barros)
[04] O Fugitivo (Luiz Ayrão-Ercio Roberto)
[05] Preciso Ser Feliz (Renato Barros-Paulinho-Lilian Knapp)
[06] Eu Sei (I’ll be back) (Lennon-MacCartney Vers: Renato Barros)
[07] Meu Primeiro Amor (You’re going to lose that girl (Lennon-MacCartney Vers: Lilian Knapp)
[08] Aprenda a me Conquistar (Carlinhos-Renato Barros-Lilian Knapp)
[09] Espero Sentado (Keep Searchin’) (Del Shannon Vers: Lilian Knapp)
[10] Sou tão Feliz (Love me do) (Lennon-MacCartney Vers: Renato Barros)
[11] Esqueça e Perdoe (Getúlio Cortes)
[12] Orgulho de Menina (I need your love) (Clark-Smith Vers: Renato Barros)


.

1966 – Um Embalo Com Renato e Seus Blue Caps

UM EMBALO – 1966

[01] Meu Bem Não me Quer (My bay don’t care) (Sid Herring Vers: Renato Barros)
[02] Pra Você Não Sou Ninguém (Look thru any window) (Goldman-Silverman Vers: Paulo Cezar Barros)
[03] Até o Fim (You won’t see me) (Lennon-MacCartney Vers: Lilian Knapp)
[04] Sim, Sou Feliz (Renato Barros-Paulo Cezar Barros)
[05] Gosto de Você (Tell me what you see) (Lennon-MacCartney Vers: Paulo Cezar Barros)
[06] Perdi a Esperança (Paulo Cezar Barros-Marcus Fabiani)
[07] Primeira Lágrima (Renato Barros)
[08] Dona do Meu Coração (Run for your love) (Lennon-MacCartney Vers: Renato Barros)
[09] Não Te Esquecerei (California dreamin’) (J. & M. Phillips Vers: Lilian Knapp)
[10] Vivo Só (For your love) (G. Gouldman Vers: Paulo Cezar Barros)
[11] Não Quero Você Chorar (Paulo Cezar Barros)
[12] A Garota que Eu Gosto (Adaptação: Renato Barros)


.

1967 – Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1967

[01] Este Amor Me Faz Sofrer (SemiDetached Suburban-Mr.James) (G. Stephens-J. Carter Vers: Luiz Keller)
[02] No Dia Em Que Jesus Voltar (Paulo Cezar Barros)
03 Não Posso Me Controlar (I can’t control myself) (Reg Presley Vers: Luiz Keller)
[04] A Saudade que Ficou (Renato Barros-Ed Wilson)
[05] Menina Feia (Renato Barros)
[06] Não Me Diga Adeus (Carlinhos-Paulo Cezar Barros)
[07] Vou Subir Bem Mais Alto Que Você (Reach out I’ll be there) (B. Holland-E. Holland-L. Dozier Vers: Luiz Keller)
[08] A Irmã do Meu Melhor Amigo (Gileno)
[09] Tem que Ser Você (With a girl like you) (Reg Presley Vers: Luiz Keller)
[10] Ana (Anna) (Go to him) (Arthur Alexander Vers: Lisna Dantas)
[11] Um É Pouco, Dois É Bom, Três É Demais (Renato Barros)
[12] Lar Doce Lar (Renato Barros-Carlinhos)


.

1968 – Renato e Seus Blue Caps – Especial

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1968

[01] Para me Abandonar (Puruca)
[02] Ela É Um Mistério Para Mim (She is still a mistery) (Sebastian Vers: Gileno)
[03] Porque Eu Te Amo (Paulo Cezar Barros-Gileno)
[04] Escreva Logo (Please Mr. Postman) (B. Holland-F.C. Gorman Vers: Renato Barros)
[05] Não Vou Me Humilhar Por Você (Gileno)
[06] Te Adoro (No fuimos) (Hugo-Osvaldo Vers: Sergio Becker)
[07] Ela É Tão Linda (Cléo Galanth)
[08] A Esperança É a Última Que Morre (Ed Wilson)
[09 Não Demore Mais (It’s good to see you) (Peter Shelley Vers: Renato Barros)
[10] Já Não Precisas Mais Chorar (D’avila Filho)
[11] Bem Feliz Serei (Sunshine girl) (Carter-Stephens Vers: Robert Livi)
[12] Sem Suzana (Renato Barros)


.

1969 – Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1969

[01] Obrigado Pela Atenção (Raulzito)
[02] Meu Bom Amigo (Maria Vasquez-Pelin)
[03] Foi Mentira (Rossini Pinto)
[04] No Dia em Que Você Me Disse Adeus (Pedro Paulo)
[05] Eu Vivia Enganado (Hooked on a feeling) (Mark James Vers: Rossini Pinto)
[06] Disse Me Disse (Rossini Pinto)
[07] Não Vá Embora Sem Me Dizer (Renato Barros)
[08 Tão Sozinho (Cuore stanco) (Migliacci-Luisini-Pintucci Vers: Rossini Pinto)
[09] Não Volto Mais (Paperback writer) (Lennon-MacCartney Vers: Renato Barros)
[10] Despedida (Ed Wilson)
[11] Claudia (Lodi) (J. C. Forgety Vers: Renato Barros)
[12] Quando A Cidade Dorme (Leno)


.

1970 – Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1970

[01] Faça O que Eu Digo, Mas Não Faça O que Eu Faço (Gil-Jean)
[02] Coitadinha de Você (Marcos Torraca)
[03] Playboy (Pedro Paulo-Raulzito)
[04] Todo Meu Amor Você Levou (Átila-Paulinho Soares)
[05] Escreva (César Sampaio)
[06] Cha-La-La Marisa (Cha-la-la, I need you) (Hank Hillman-Brian Goldwyn Vers: Roberto Bernardes)
[07] Tudo Tem Seu Preço (Getulio Côrtes)
[08] Vontade de Viver (Ed Wilson)
[09] Só Faço Com Você (Leno)
[10] Não Quero Chorar (Marcos Torraca)
[11] Meu Amigo do Peito (Renato Barros)
[12] Se Eu Sou Feliz, Por Que Estou Chorando? (Raulzito-Leno)


.

1971 – Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1971

[01] 46-77-23 (Getulio Côrtes)
[02] Esta Noite Não Sonhei com Você (Renato Barros)
[03] Sheila (Mauro Motta-Raulzito)
[04] Sou Louco Por Você (Renato Barros-Ed Wilson)
[05] Você Vai me Ouvir (Renato Barros)
[06] Tania (J. C. Scarambone-O. C. Shultz)
[07] Não É Nada Disso (Renato Barros)
[08] Nós Dois (Renato Barros)
[09] Agora É Tarde (Ed Wilson)
[10] O Brinquedo se Quebrou (Renato Barros)
[11] Sou Amor Pra Te Entregar (Renato Barros-Massom)
[12] Ainda É Hora de Chorar (Átila-Raulzito)


.

1972 – Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1972

[01] Darling, Darling (Darling, Darling) (Penny Vers: Rossini Pinto)
[02] Eu Sou o Que Eu Sou (I am that I am) (English-Kerr Vers: Rossini Pinto)
[03] Não Foi o Que Eu Fiz (Pedrinho-Renato Barros)
[04] Vou Mudar De Vida (Don’t want to say goodbye) (Carmem-Bryson Vers: Rossini Pinto)
[05] Domingo Feliz (Beautiful Sunday) (Boone-R. McQueen Vers: Rossini Pinto)
[06] Você Vive (Ed Wilson)
[07] Por Você (Little girl) (Rainer-Ehrhardt Vers: Rossini Pinto)
[08] Mas Não Faz Mal (It’s alright “I don’t mind”) (A. Fronte Vers: Pedrinho)
[09] Por Amar (I’ve been down) (Harold Thoy Vers: Rossini Pinto)
[10] Eu Te Adoro (I need you) (G. Beckley Vers: Rossini Pinto)
[11] Baby, Baby (Mauro Motta-Raulzito)
[12] Vou-me Embora (Michoacan) (A. Allen-K. Fowley Vers: Rossini Pinto)


.

1973 – Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1973

[01] Vamos Viver Cantando (Let’s hang the moon in the front room mama) (Terry Tassemberg Vers: Rossini Pinto)
[02] Eva Maria (Eva Maria) (J. L. Armenteros-P. Herrero Vers: Rossini Pinto)
[03] Mentira (Amaury-Altanir)
[04] Não Penso Nela (Non penso più a lei) (Manuel de Sica Vers: Rossini Pinto)
[05] Porque Os Sonhos Se Vão (Porque los sueños se van) (L. Pacheco-J. Simonetti Vers: Rossini Pinto)
[06] Não Me Interessa (Lilian Knapp-Marcio Augusto)
[07] Se Você Soubesse (Renato Barros-Rossini Pinto)
[08] Um Homem Apaixonado (Un hombre enamorado) (Rabito Vers: Rossini Pinto)
[09] Guarde O Seu Amor Pra Mim (Save the last dance for me) (Doc Pomus-Mort Shuman Vers: Pedro Paulo)
[10] Estranho (Strange one) (Carl Groszmann Vers: Rossini Pinto)
[11] Um Cantinho No Seu Coração (L. Barrie)
[12] Jurei Nunca Mais Lhe Aceitar (So what if it rains) (Austin Roberts-John Reese Vers: Rossini Pinto)


.

1974 – Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1974

[01] Você Não Merecia (Eugenio Pinto-Rossini Pinto)
[02] Ana (Mona) (J. Spampinato Vers: Rossini Pinto)
[03] Eu Não Aceito o Teu Adeus (Mauro Motta-Renato Barros)
[04] Como Num Sonho (Alessandro – Cury)
[05] Sempre a Te Esperar (Quedate en mis sueños) (J. de la Fuente-M. Santander Vers: Rossini Pinto)
[06] Eu Quero Dançar Contigo (Dancing on a saturday night) (B. Blue-L. de Paul Vers: Rossini Pinto)
[07] Não Quero Mais Saber de Você (M. Miranda)
[08] Só Por Causa de Você (Renato Barros-Gileno)
[09] Pra Quem Você Olha (Altanir Freitas-Amaury Freitas)
[10] Agora É Tarde (Mauro Motta)
[11] Recordações (Ed Wilson)
[12] Vou Curtir Minha Dor (Alessandro)


.

1976 – 10 anos de Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1976

[01] Como Há Dez Anos Atrás (Renato Barros)
[02] Eu Te Amei Demais (Renato Barros)
[03] Essa Mágoa que Ficou (L. Ribeiro-Dennis)
[04] Tire Os Grilos da Cabeça (Alessandro)
[05] Me Esqueça (Marcos Wagner-Gil)
[06] Quero Conquistar Você (José Paulo de Souza)
[07] Eu Preciso Tanto de Você (L. Ribeiro-Dennis)
[08] Não Consigo Parar de Chorar (Marcos Wagner-Gil)
[09] Tudo Se Perdeu (L. Ribeiro-Dennis)
[10] Não Sei Dizer (Amaury-Altanir Freitas)
[11] Possso Até Lhe Abandonar (Paulo Cesar)
[12] Não Me Deixe Agora (Edson Ribeiro-Hélio Justo)


.

1977 – Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1977

[01] Nem Tudo Se Perdeu (A. Ramos-B. Cardoso)
[02] 365 Dias (Gil-Jean Marcel)
[03] Não Devo Te Aceitar (Léo Soares)
[04] O Que Eu Posso Fazer (Baby’s in black) (Lennon-MacCartney Vers: Fernando Adour)
[05] Sem Você (Renato Barros)
[06] Adorada (Alessandro)
[07] Você É Um Pedaço de Mim (Renato Barros)
[08] Tudo O Que Eu Sonhei (If I fell) (Lennon-MaCartney Vers: Fernando Adour)
[09] Não Quero Nada Da Vida (Cid Chaves)
[10] Não Maltrate Um Coração (Renato Barros)
[11] O Brinquedo Se Quebrou (Renato Barros)
[12] Estou Voltando Pra Você (Ivan Cardoso-Ignacio Guillon)


.

1979 – Renato e Seus Blue Caps – Suco de Laranja

SUCO DE LARANJA – 1979

[01] Pense (Boogie wonderland) (Allee Willis-John Lind Vers: Ivan Cardoso)
[02] Eu Te Amo (Renato Barros)
[03] Minha Vida (My Life) (Billy Joel Vers: José Carlos)
[04] Triste Fim de Tarde (Cury-Alessandro)
[05] Tudo Em Vão (Alessandro-Gibran)
[06] Suco De Laranja (Renato Barros-Pantera-Ernani Cardoso)
[07] Mundo Novo (Edson Carlos-A. Santos-Sebastião Rodrigues)
[08] Aperta (Ernani Cardoso-Maurício Mello)
[09] Vou Ao Teu Encontro (Renato Barros-Ernani Cardoso)
[10] Pensando Em Você (C. Rodrigues-Marcelo)
[11] Não Consegui Te Esquecer (Marcos Wagner)


.

1981 – Renato e Seus Blue Caps

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1981

[01] Coração Faminto (Gileno-Renato Barros)
[02] Mr. Tambourine Man (Mr. Tambourine Man) (Bob Dylan Vers: Leno)
[03] Tim-Tim (Fatha-Cury)
[04] Sentimento Estranho (Gileno)
[05] Sem Você Não Vivo (Armando Baltar-Nilton Baltar)
[06] Saudades de Maria Helena (Manoel Cruz)
[07] Você Foi Longe Demais (Fatha-Cury)
[08] Sonho Colorido (Carlinhos-Fatha)
[09] Velhos Tempos (Cury-Fatha)
[10] Sou Apenas Alguém (Woman in love) (Barry Gibb-Robin Gibb Vers: Sanry)


.

1983 – Renato e Seus Blue Caps – Pra Sempre

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 1983

Depois de gravar durante 19 anos na CBS, RSBC lança pela RCA este disco que reúne boas músicas e mostra o grupo em plena década de 80 totalmente integrado, assimilando novas tendências e produzindo um disco que soa moderno e inspirador até os dias atuais.
Na época do lançamento a TVE do Rio de Janeiro produziu um especial sobre o grupo apresentando as músicas deste álbum.

[01] Renato Collection (Renato Barros-Nanni)
[02] Pra Sempre (Renato Barros-Nanni)
[03] Guerrilheiro do Amor (Rock do flipper) (Renato Barros-Hugo Belardi-Nanni)
[04] Será? (Cury-Ed Wilson)
[05] O Fogo Ainda Não Apagou (Hugo Belardi)
[06] Sexo Frágil (Renato Barros-Nanni)
[07] Vamos Fundo (Renato Barros-Nanni)
[08] Sonhos de Amor (Paulo Cesar-Ney)
[09] Memórias (Renato Barros-Nanni)


.

1987 – Renato e Seus Blue Caps – Batom Vermelho

BATOM VERMELHO – 1987

[01] Batom Vermelho (Renato Barros-Nanni de Souza-Gelson Moraes)
[02] Julia (Ed Wilson-Gilson)
[03] Pode Me Procurar (Renato Barros-Nanni de Souza)
[04] Monaliza da TV (Renato Barros-Nanni de Souza)
[05] Relógio (Prêntice-Paulo Cesar Barros)
[06] Paula (Paulo Cesar Barros)
[07] Unissex Total (Gelson Moraes-Nanni de Souza)
[08] Feito Sonho (Prêntice-Paulo Cesar Barros)
[09] Com Você No Coração (Renato Barros-Nanni de Souza)
[10] Nos Braços, Nos Olhos e No Coração (Renato Barros-Nanni de Souza)
[11] Anjo Rebelde (Renato Barros-Nanni de Souza-Cid Chaves)
[12] Gaivotas Livres (Gene Araújo-Antonio Amorim).


.

2001 – CD gravado ao vivo

RENATO E SEUS BLUE CAPS – 2001

01 – Pout-Pourri (Não Te Esquecerei / Pra Você Não Sou Ninguém)
02 – Meu Primeiro Amor
03 – Pout-Pourri (Como Num Sonho / Se Você Soubesse)
04 – Pout-Pourri (Jurei Nunca Mais Te Aceitar / Eu Vivia Enganado)
05 – Pout-Pourri (Sha-la-la Marisa / Tão Sozinho)
06 – Pout-Pourri (A Primeira Lágrima / Orgulho de Menina)
07 – Pout-Pourri (Devolva-me / Eu Não Sabia que Você Existia)
08 – Pout-Pourri (Meu Bem Não Me Quer / Não Me Diga Adeus)
09 – Feche os Olhos
10 – Dona Do Meu Coração
11 – Menina Linda
As 05 faixas inéditas São:
12 – Atriz – Composição de Renato Barros
13 – Só Falta Você – Composição de Renato Barros
14 – Pensamento – Composição de Ricardo Ayres / Lúcio Mauro
15 – Sereia – Composição de Renato Barros
16 – Que Saudade de Você – Composição de Renato Barros


.

COMPACTO RARO CONTENDO A CANÇÃO BIGORRILHO

1º Compacto 1964 CBS NR.56161


.

CAPAS / CONTRACAPAS

ALGUMAS FOTOS ANTIGAS

Esta foto foi tirada, aqui em Maceió, durante uma apresentação do RSBC nos tempos áureos do Clube Fenix Alagoana, em meados dos anos 60. Antes da apresentação do RSBC, a festa foi aberta pela banda do referido clube, denominada “Sambrasa”, cujos componentes, que aparecem na foto junto com Carlinhos, Paulo César, Cid Chaves, Toni e Renato Barros, da esquerda para direita, são: Mirandinha, Lossi e Antenor. Até os policiais, com certeza fãs do RSBC, não resistiram e pediram para aparecer na foto…

Anúncios

Renato e Seus Blue Caps e o Primeiro CD gravado ao vivo (2001).

cd-rsbc-ao-vivo-2001

Este foi o primeiro disco da banda Renato e Seus Blue Caps gravado “ao vivo” e aconteceu no ano de 2001.
Com 11 faixas ao vivo e mais 05 inéditas, o CD foi lançado durante as comemorações dos mais de 40 anos de existência do grupo fundado por Renato e seus dois irmãos: Paulo Cezar e Edson (Ed Wilson).
No final de 2001, este tão esperado disco ao vivo foi lançado pela Warner, juntamente com mais 5 faixas inéditas.
Já faziam parte da banda os seguintes componentes: Renato Barros, Darci Velasco, Amadeu Signorelli, Gelsinho Moraes e Cid Chaves, que permanecem até os dias de hoje.
Nas 11 faixas “ao vivo” temos a oportunidade de reviver alguns dos maiores sucessos conquistados nesta bela trajetória iniciada com o sucesso de “Menina Linda”, versão de Renato Barros para a composição de Lennon & McCartney, “I should have known better”.
As faixas bônus do disco, as 05 canções inéditas gravadas em estúdio, são de uma beleza e excelência ímpar, revelando mais uma vez o grande talento e potencial de criação de Renato e Seus Blue Caps, permitindo a esta famosa banda sua permanência no cenário musical até os dias de hoje.
.

.
01 – Pout-Pourri (Não Te Esquecerei / Pra Você Não Sou Ninguém)
02 – Meu Primeiro Amor
03 – Pout-Pourri (Como Num Sonho / Se Você Soubesse)
04 – Pout-Pourri (Jurei Nunca Mais Te Aceitar / Eu Vivia Enganado)
05 – Pout-Pourri (Sha-la-la Marisa / Tão Sozinho)
06 – Pout-Pourri (A Primeira Lágrima / Orgulho de Menina)
07 – Pout-Pourri (Devolva-me / Eu Não Sabia que Você Existia)
08 – Pout-Pourri (Meu Bem Não Me Quer / Não Me Diga Adeus)
09 – Feche os Olhos
10 – Dona Do Meu Coração
11 – Menina Linda

As 05 faixas inéditas são:

12 – Atriz – Composição de Renato Barros
13 – Só Falta Você – Composição de Renato Barros
14 – Pensamento – Composição de Ricardo Ayres / Lúcio Mauro
15 – Sereia – Composição de Renato Barros
16 – Que Saudade de Você – Composição de Renato Barros

ATRIZ – Composição de Renato Barros

Chegou pra mim
Pediu um tempo
Ignorou meu sentimento
E me deixou
Não era linda manhã
Eu quis dizer
Não vá embora
Mas refleti
Não era a hora
Paguei pra ver
Mas foi difícil demais
Ofereci a minha ajuda
Carreguei as suas coisas até o portão
Ainda bem que veio a chuva
Disfarçando a tempestade no meu coração
Mas o meu pranto
O tempo enxuga
Ela foi tudo pra mim até cair o véu
Era uma atriz
Enfim se cansou
De encenar seu papel.
Eu quis dizer
Não vá embora
Mas refleti
Não era a hora
Paguei pra ver
Mas foi difícil demais
Mas o meu pranto o tempo enxuga
Ela foi tudo pra mim até cair o véu
Era uma atriz
Enfim se cansou
De encenar seu papel
Mas era uma atriz
Enfim se cansou
De encenar seu papel

.

SÓ FALTA VOCÊ – Composição de Renato Barros

“…Eu fiz essa música num vôo Natal-Rio. Letra e música.” (Renato Barros)

.

PENSAMENTO – Composição de Ricardo Ayres / Lúcio Mauro

.

.

SEREIA – Composição de Renato Barros

.

.
QUE SAUDADE DE VOCÊ – Composição de Renato Barros

.

“Perdi Você”: uma composição de Renato Barros inspirada em “Penny Lane”, dos Beatles.

“Eu me inspirei naquela música dos Beatles, Penny Lane, tem até um solo de trompete no meio e a levada é a mesma.”

“Nesta gravação de 1969 fiz a voz solo dobrada; as duas vozes do backing é a do Cid e mais outro, que deveria ser o Paulo Cezar Barros, mas não posso afirmar com certeza por que é possível que ele tivesse já deixado o grupo pra fazer carreira solo. Caso seja isso, a outra voz deve ser a minha também. Complicado, né? Mas eu canto duas vezes e dobra, só que na segunda vez eu tenho que cantar exatamente igual a primeira.” Renato Barros

LP "As 14 Mais" - Vol 23 - 1969

LP “As 14 Mais” – Vol 23 – 1969

Esta música saiu somente nas 14 Mais e não está em nenhum LP oficial da banda, mas acabou saindo também em compacto simples naquele mesmo ano de 1969, tendo no lado B “Vou fazer você feliz” que é justamente a outra que está também no LP “As 14 Mais” – Volume 23.

Luiz Antonio Cardoso Martins, famoso colecionar de discos de vinil no Rio de Janeiro, conta que se lembra bem de quando saiu o Volume 23 da série “AS 14 MAIS” em agosto de 1969, ocasião em que José Messias em seu programa de rádio comentou sobre a saída de Paulo César Barros do grupo, dizendo que estava percebendo o esforço de Renato e Cid para tentarem manter o timbre de voz do Paulo Cezar e que não podia prever se o grupo prosseguiria sem ele…

Só que esta “teoria” causou espanto em Renato Barros, líder do grupo, quando em uma conversa comentei com ele sobre este tipo de comentário que existe desde esta época, pois jamais o conjunto iria pensar em “imitar” a voz de um ou de outro componente da banda.

E vejam, já se passaram 47 anos, e a agenda de Shows de Renato e Seus Blue Caps continua intensa, como podem verificar aqui mesmo neste Blog. 😉

Renato Barros é o líder da Banda Renato e Seus Blue Caps, a banda de Rock mais antiga do mundo ainda em atividade.

Os 50 Maiores Álbuns da Jovem Guarda – Uma pesquisa realizada por Rubens Stone

Por Rubens Stone

Listas foram feitas para serem contestadas, isso desde que Moisés cunhou as Tábuas da Lei.

Nenhuma lista, seja dos melhores ou dos piores, é completa, mas elas servem de parâmetro para se avaliar melhor o tema pelo qual se gerou tal amostragem.

O movimento Jovem Guarda foi o que melhor traduziu o pop internacional da época e que inseriu a instrumentação básica do rock na música jovem brasileira, expandindo o universo da juventude com canções românticas, mas também repletas de gírias e de toques juvenis. Muitas dessas canções ainda hoje soam modernas e atualíssimas.

As listas representam um guia daquilo que se propõe analisar e conhecer melhor. Por isso, não foi tarefa fácil elaborar esta dos melhores álbuns da Jovem Guarda, pois muitos outros grandes discos acabaram ficando de fora, mas acredito que estes 50 álbuns, uns mais outros menos, representam bem o que foi o movimento Jovem Guarda, cuja expressão ultrapassou os limites de um programa de TV, generalizando o termo “Jovem Guarda” já naquele momento em que ocorriam os fatos.

Foi baseado no movimento como um todo, e não apenas no programa Jovem Guarda, que elaborei esta lista como uma forma de homenagear estes 50 anos de música e curtição.

Alguns álbuns fundamentais que não entraram na lista, como o primeiro da Martinha, o primeiro da Elizabeth, o álbum do grupo The Sunshines e também o LP do grande Rossini Pinto, gravado com os Blue Caps em 1964, estes discos pretendo resenhá-los e apresentá-los como “álbuns-bônus” à lista, em breve.

A Jovem Guarda foi também responsável pela inserção do humor na música pop brasileira e avançou os sinais da sexualidade e da liberdade juvenil.

Viva os 50 anos da Jovem Guarda!

Montagem por Rubens Stone

Montagem por Rubens Stone

Álbum Nº 50

LP
“Verdadeiro Amor”
Ed Wilson

(CBS – 1966)

O garoto Edson Vieira de Barros começou sua carreira no final dos anos 50, juntamente com os irmãos Renato e Paulo Cesar Barros, no conjunto Renato e Seus Blue Caps. A banda em seu início, gravou dois 78 rotação no minúsculo selo Ciclone, acompanhando respectivamente o grupo vocal Os Adolescentes e o cantor Tony Billy, como eles, artistas lutando por um lugar ao sol.

Na TV, o grupo fez algumas apresentações no “Hoje é dia de rock”, programa de Jair de Taumaturgo, na Rádio Mayrink Veiga, até que chegaram à TV Continental, onde se apresentaram no programa do Carlos Imperial, que achou o conjunto interessante e os convidou para voltar mais vezes. Além disso, conseguiu que participassem de“Twist”, LP que Cleide Alves e Reinaldo Rayol dividiam, sob a produção de Imperial. O ano era 1962. Foi neste mesmo ano, depois de um tempo convivendo com o grupo, que Imperial sugeriu que Edson se lançasse em carreia solo, enquanto os Blue Caps continuariam suas atividades.

O garoto, que na época tinha apenas 16 anos, aceitou a proposta. Mas, segundo Imperial, para seguir carreira solo, o jovem Edson precisava ganhar um nome artístico. E o nome escolhido pelo gordo apresentado e agitador cultural, foi Ed Wilson. Na época, Imperial estava ouvindo bastante o cantor americano Jack Wilson, e ele acabou sendo a fonte inspiradora para o nome artístico do novo pupilo de Imperial.

Em seguida, Imperial conseguiu um contrato para Ed Wilson na Odeon, por onde lançou seu primeiro compacto, em 1963. Em 1964, mudou-se para a RCA e lançou “O Carro do Papai”, um rock-twist composto pelo irmão Renato Barros. A música fez relativo sucesso nas rádios, e em seguida, Ed Wilson emplacou outro sucesso, a balada “Como Te Adoro Menina”, versão de Renato Barros para o sucesso “Quiereme Mucho”, da cantora argentina Violeta Rivas.

Em 1966, foi contratado pela CBS, onde gravou em março daquele ano, seu primeiro LP, “Verdadeiro Amor”, disco que teve o acompanhamento da banda dos irmãos e do tecladista Lafayette. O disco emplacou os sucessos “Sandra” (versão de Leno para “Sorrow”, do grupo inglês The Merseys), “Pode Ir Para O seu Novo Amor” (composição de Leno) e a belíssima faixa-título, uma versão do “negro gato” Getulio Cortes para “It’s Only Make Believe”, sucesso de 1958 do cantor Conway Twitty.

Este foi o único LP de Ed Wilson na CBS, nos anos seguintes, o artista seguiria lançando compactos de sucesso, além da efetiva participação na série As 14 Mais. Mesmo sem ter uma grande discografia no período, Ed Wilson foi um dos principais nomes da Jovem Guarda. Sua importância para a música jovem da época foi devidamente registrada por Erasmo Carlos na música “Festa de Arromba”, nos versos em que o Tremendão dispara: “Lá fora um corre-corre/Dos brotos do lugar/Era o Ed Wilson que acabava de chegar/Hey, hey, que onda/Que festa de arromba”. (rstone)

Álbum 50 Ed Wilson

Álbum Nº 49

LP
“Leno”
Leno

(CBS – 1968)

Os dois primeiros álbuns solos do cantor Leno merecem constar de qualquer galeria dos grandes discos do movimento jovem guarda, porém, como tínhamos que escolher apenas um deles para essa pesquisa, dei preferência ao primeiro, por um simples motivo: “Leno” foi lançado em estéreo genuíno, enquanto o segundo, “A Festa dos Seus 15 Anos” é totalmente em mono, o que, na minha opinião, prejudicou em muito a sonoridade do álbum.

Canções como “Quando você me deixou”, “Na saída da escola”, “Chorando no parque” e a própria “A festa dos seus 15 anos” jamais deveriam ter sido lançadas somente em mono.

Após o encerramento da dupla Leno e Lilian – uma das mais importantes da Jovem Guarda – , o cantor e compositor Leno seguiu em carreira solo, e no início de 1968, lançou o compacto-simples CBS-33543 que trazia no lado A, a balada “A Pobreza”, composição de Renato Barros, dos Blue Caps, e no lado B, o rock “Me Deixa em Paz”.

“A Pobreza” tornou-se um grande hit nas rádios, e em outubro daquele ano, chegou às lojas “Leno”, seu primeiro LP solo, um disco repleto de baladas e rocks flamejantes. Ainda embalado pela sonoridade da jovem guarda, Leno concebeu um dos mais belos álbuns dos anos 60, cujo repertório, apontava inclusive, para os novos caminhos que sua música iria seguir dali para a frente, ao gravar temas diversos como a versão de “Fever”, sucesso de Elvis no início dos anos 60, assim como a gravação de “Um minuto a mais”, versão assinada pelo amigo Raul Seixas, com o qual iria desenvolver uma excelente e obscura parceria nos anos seguintes.

“Leno” Abre com “Papel picado”, composição de Renato Barros e um dos sucessos do disco, segue com “Eu tenho febre” (“fever”) e “sozinho sou feliz”, versão de Leno para “Wait for me baby”, de G. Stevens. O grande hit “A pobreza” é a quarta faixa, e logo em seguida vem a balada “Um minuto a mais”, uma das primeiras versões assinadas por Raul Seixas, que buscou esta incrível canção, “I Will”, no repertório do roqueiro inglês Billy Fury.

Outras canções de destaque neste primeiro álbum de Leno: “Garotinha”, de Getulio Cortes; “Tudo que pedi a Deus”, do próprio, e a estupenda regravação de “Eu não existo sem você”, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.

“Leno” traz no acompanhamento os grupos Renato e Seus Blue Caps e Golden Boys, além do tecladista Lafayette e o cantor Pedro Paulo, e conta também com a participação de alguns membros do grupo Os Panteras (de Raulzito Seixas). (rstone)

Álbum 49 Leno

Álbum Nº 48

LP
“Antonio Marcos”
Antonio Marcos

(RCA-Victor – 1969)

Antonio Marcos Pensamento da Silva nasceu em São Paulo, em 8/11/1945. Antes de se tornar artista, trabalhou como office-boy, vendedor de lojas de calçados e passou por diversos programas de calouros. No início dos anos 60, atuou como rádio-ator, destacando-se também como cantor, violinista e humorista. Em 1966, fundou, ao lado do irmão, Mário Marcos, o conjunto Os Iguais, banda cuja sonoridade típica da jovem guarda, lançou alguns compactos e o LP “Juventude”, em fevereiro de 1967, pela RCA.

Em meados de 1967, Antonio Marcos deixou Os Iguais para se tornar artista solo da RCA. Seu primeiro compacto, lançado em julho de 67, trazia as canções “Perdi você” e “A história de alguém que amou uma flor”, ambas de sua autoria em parceria com o irmão, Mário Marcos. Mas foi somente em março de 1968, quando lançou o compacto “Tenho um amor melhor que o seu”, uma composição de Roberto Carlos (o lado B trazia a balada “Pra que fingir”), que Antonio Marcos tornou-se conhecido em todo o Brasil, devido ao enorme sucesso da canção, que tocou em todas as rádios do país.

Em 1969, já um dos maiores ídolos da música brasileira, lançou seu primeiro álbum, “Antonio Marcos”. O disco vendeu cerca de 300 mil cópias somente naquele ano, consagrando definitivamente o artista, que passou também a atuar no cinema, nos filmes “Pais Quadrados, Filhos Avançados (1969) e “Som, Amor e Curtição” (1970).

Neste primeiro LP, Antonio Marcos mostra sua forte influência do rock, da Jovem Guarda e da música romântica, com canções que se tornaram clássicos do pop pós-jovem guardista, como “Você pediu e eu já vou daqui”, “Sou eu”, “Quando lembro você”, “Não fico mais sem o teu carinho” e “Por Que?”, todas estas canções foram sucesso radiofônico, consagrando definitivamente o artista, que a partir de então, desenvolveria uma das mais brilhantes carreiras da música brasileira.

Falecido em 5 de abril de 1992, aos 47 anos, Antonio Marcos é hoje um mito da música romântica do Brasil, seus discos são cultuados e sua obra tem sido aos poucos resgatada por fãs, artistas e pesquisadores. (rstone)

Álbum 48 Antonio Marcos

Álbum Nº 47

LP
“Edição Extra Vol. 1”
The Jordans

(Copacabana – 1967)

Na virada para os anos 60, surgiu nos Estados Unidos e na Inglaterra uma nova vertente do rock, a dos grupos instrumentais, dos quais, os maiores representantes foram The Ventures (EUA) e The Shadows (Inglaterra), estilo que depois ficou conhecido como surf rock, a partir do surgimento de novos expoentes, como Dick Dale & His Del-Tones, The Tornados e Duane Eddy.

No Brasil, um dos conjuntos mais expressivos da cena instrumental foi o The Jordans, que apareceu na TV pela primeira vez em 1958, no programa de Tony e Celly Campello (“Crush em Hi-Fi”, da TV Record). Estrearam em LP em 1962, com “A Vida Sorri Assim!…”, disco considerado um dos principais marcos do rock instrumental brasileiro, este álbum ajudou a introduzir o gênero das “guitarras que cantam” no país.

O segundo álbum, “Suspense”, de 1963, trazia versões convincentes de clássicos como “Peter Gunn”, “Apache” e “Walk Don’t Run”, além da regravação extasiante do sucesso “Blue Star”, do grupo inglês The Shadows. Com esta canção, os Jordans, liderados pelos guitarristas Aladdin e Sinval, conseguiram permanecer por diversas semanas nas paradas de todo o Brasil.

Depois, viria a Jovem Guarda e o grupo se tornou um dos mais requisitados no programa de Roberto Carlos. Inseridos no novo movimento, continuaram gravando excelentes discos instrumentais, como o álbum “Studio 17” (Copacabana, 1966), no qual lançaram uma versão do “Tema de Lara” com enorme sucesso, e este “Edição Extra Nº 1”, de 1967 (primeiro de uma série de cinco álbuns), cujo repertório era pura jovem guarda, com versões instrumentais de canções como “Last Train to Clarksville”, dos Monkees; “Namoradinha de Um Amigo Meu” (Roberto Carlos); “Born Free” (Matt Monro); “Vem Quente Que Estou fervendo” (Sucesso do momento com Erasmo Carlos); e mais um tema inspirado na música russa: “Midnight in Moscow”. (rstone)

Álbum 48 The Jordans 1

Álbum 48 The Jordans 2

Álbum Nº 46

LP
“A Onda É Boogaloo”
Eduardo Araújo

(Odeon – 1968)

Em 1968, a Jovem Guarda já era, e Eduardo Araújo, um dos ídolos do movimento, percebendo que a música jovem soprava para novos rumos, se despiu das vestes de cantor de iê-iê-iê para trilhar o caminho da black music, para isso, juntou-se a um cara que entendia do assunto: Tim Maia.

E como a coisa ainda estava muito imberbe, nem se usava ainda o termo soul music, Eduardo achou de intitular seu novo disco de “A Onda É Boogaloo”, talvez referindo-se a uma espécie de dança africana, algo do tipo, mas a verdade é que o disco veio repleto de versões de músicas da Motown e da Staxx, selos norte-americanos que estavam exportando para o mundo inteiro o melhor da música negra americana, e tome-lhe versões de James Brown “Cold Sweat”), Wilson Pickett (“Got To Have a Hundred”), Ray Charles (“Come Back Baby”) e Aretha Franklin (“Since You’ve Been Gone”), todas vertidas pelo síndico Tim Maia. É desse disco a primeira gravação da balada entorta coração “Você”, que se transformaria em sucesso estrondoso alguns anos depois, quando o próprio Tim Maia a lançou no seu segundo LP.

“A Onda É Boogaloo” foi mal recebido, tanto pelos fãs de Eduardo Araújo quanto pela crítica, na época do seu lançamento. A exemplo do álbum psicodélico de Ronnie Von, lançado no mesmo ano, este disco também estava à frente do seu tempo, hoje é um clássico do soul brasileiro, um dos primeiros a apontar um novo horizonte para o cenário da música pop brasileira, prenunciando o trabalho de artistas como o próprio Tim Maia, Cassiano e Hyldon, entre outros. (rstone)

Álbum 47 Eduardo Araujo 2

Álbum 46 Eduardo Araujo 1

Álbum Nº 45

LP
“George Freedman”
George Freedman

(RCA-Victor – 1967)

Nascido na Alemanha, George Freedman veio para o Brasil ainda muito criança. Fã de Elvis e do rock’n’roll dos anos 50, Freedman iniciou sua carreira por volta de 1959, quando lançou pela gravadora California seu primeiro disco, interpretando, de sua autoria, o rock balada “Leninha”, e de Steve Rowlands, em versão de Fred Jorge, o rock-calipso “Hey, little baby”. Nessa época, Freedman se apresentava com frequência na TV Tupi de São Paulo.

Em 1960, obteve seu primeiro sucesso com “Olhos cor do céu”, versão de “Pretty blue eyes”, belíssima balada que fizera sucesso com o cantor Steve Lawrence. Em 1961, gravou pela Continental, os rocks “Advinhão” e “Inveja”, ambos da autoria de Baby Santiago. Em 1962, lançou um excelente compacto duplo com “O jato”, “Canção do casamento”, “Good luck charm” e “Um beijinho só”. Nesse mesmo ano chegaria às lojas seu primeiro LP, “Multiplication”, cuja faixa-título, um original do cantor Bobby Darin, fez grande sucesso nas rádios do Rio e São Paulo.

Depois de um tempo afastado da música, George Freedman retornou em 1966 com tudo, quando gravou a música “Coisinha estúpida”, versão do cantor Leno para o hit “Something Stupid”, que na época fazia sucesso mundial com Frank Sinatra e sua filha Nancy. O sucesso de “Coisinha estúpida” inseriu George Freedman no movimento Jovem Guarda, e em 1967, o artista gravou um belíssimo álbum, intitulado “George Freedman”, que incluía, além de “Coisinha Estúpida”, outras canções ao estilo jovem da época, como “Uma Dúzia de Rosas”, de Carlos Imperial, também gravada por Ronnie Von no seu terceiro LP; “Meu Tipo de Garota”, “Vá Embora” e “O Autógrafo”.

Um dos grandes destaques deste disco é a regravação que Freedman fez do clássico “Beijinho doce”, a faixa de abertura do álbum. Com sua voz poderosa, Freedman resgatou com sentimento e graça este “standard” do cancioneiro brasileiro, esta é uma das melhores regravações dentre as dezenas que já foram feitas de “Beijinho doce”. (rstone)

Álbum 45 George Freedman

Álbum Nº 44

LP
“Rosemary”
Rosemary

(RCA – 1967)

Musa da jovem guarda, fada loira do iê-iê-iê. Muitos são os títulos que deram à cantora Rosemary, apesar de há muitos anos ela se recusar a falar do movimento que a propagou para todo o Brasil. Desde o final dos anos 70, nas poucas entrevistas que deu, evitou falar sobre sua participação na jovem guarda. Em uma destas, nos anos 80, a cantora afirmou que, se falasse toda a verdade sobre a Jovem Guarda, iria magoar muita gente. Que segredos guarda a “fada loira do iê-iê-iê”?

Rosemary Pereira Gonçalves nasceu no Rio de Janeiro, no dia 7 de dezembro de 1947. Começou a cantar aos 14 anos, e em 1963 gravou seu primeiro compacto pela RCA-Victor. Neste mesmo ano lançou o primeiro LP, “Igual A Ti Não Há Ninguém”. Em 1967, lançou o álbum “Rosemary”, no qual, emplacou vários sucessos, com destaque para os iê-iê-iês “Feitiço de Broto” e “Não Te Quero Mais”. Muitos consideram este o melhor álbum de toda sua carreira.

Após o fim da Jovem Guarda, Rosemary enveredou por outros estilos musicais, gravando sambas e canções românticas. Seu próximo LP só seria lançado em 1974, quando a cantora voltou às paradas com músicas como “Quero Ser Amada” e “Eu Sei de Tudo”. (rstone)

Álbum 44 Rosemary

Álbum Nº 43

LP
“Os Incríveis Neste Mundo Louco”
Os Incríveis

(Continental – 1967)

O álbum “Os Incríveis Neste Mundo Louco” foi o último trabalho da banda para a Continental, e não é um disco muito conhecido do público, mas certamente está entre os melhores que a banda já lançou, tanto que é considerado hoje um marco do rock nacional. Lançado em 1967, traz a banda de Risonho e Mingo (guitarras), Manito (sax), Nenê (baixo) e Netinho (bateria) com uma pegada punk-psicodélica que eles jamais conseguiram repetir nos discos seguintes.

O LP abre com uma cover instrumental do sucesso “The Girl Like You”, original dos ingleses The Troggs. Segue com “Renascerá”, uma versão esfuziante de Mingo para o hit do grupo espanhol Los Brincos. Há ainda outra versão do Los brincos, a canção “Giulieta”. Mas o grande hit do disco é “’Piange Con Me”, cuja gravação ficou melhor que a original do grupo italiano The Rokes, com Risonho estraçalhando um fuzz-guitar, o que se repete em ‘Hi-Lili-Lo’ e ‘Hold So Tight’.

Outros destaques do disco são as duas canções de Carlos Imperial , “Mamãe Passou Açúcar em Mim” (que na época fazia sucesso com Wilson Simonal, e que aqui, Mingo verteu para “My Mummy Put Sugar On Me”) e “Feliz Foi Adão” (parceria de Impera com Eduardo Araújo). (rstone)

Álbum 43 Incríveis

Álbum Nº 42

LP
“O Ritmo da Chuva”
Demétrius

(Continental – 1964)

O paulista Demetrio Zahra Neto, nascido em 28 de março de 1941, começou sua carreira cantando rock ao estilo de Elvis, e o moço até que era bem parecido com o Rei, tanto nos traços faciais como no enorme topete. Adotou o nome artístico de Demétrius, e no seu primeiro disco gravado no selo Young, teve o acompanhamento do conjunto The Devils.

Demétrius foi um dos primeiros grandes ídolos da juventude, bem antes de Roberto Carlos e da Jovem Guarda. Seu primeiro LP, intitulado “Demetrius Canta Com Amor e Mocidade”, foi lançado em 1961, pela Continental e obteve enorme sucesso. No ano seguinte foi a vez do álbum “Ídolo da Juventude”, que seguiu o mesmo ritmo do primeiro, sucesso em todas as rádios do Rio e de São Paulo. Mas foi com seu quarto LP, “O Ritmo da Chuva”, de 1964, que o artista explodiu em todo o Brasil, puxado pela faixa-título, versão do sucesso do grupo The Cascades, “Rhythm of The Rain”, de 63. A canção se tornou um hit nacional.

Com este álbum, Demétrius chegou a competir, em termos de sucesso e popularidade, com o prório Roberto Carlos, que acabara de lançar “É Proibido Fumar” e já era o maior ídolo jovem do momento.

Em 1965, com o surgimento de novos astros da música jovem, Demétrius, assim como muitos outros artistas da primeira fase do rock brasileiro, foi ofuscado pela nova onda de cabeludos e suas guitarras bárbaras. Mas seu retorno se daria três anos depois, quando lançou o álbum “O Ídolo Que Volta” (Continental, 1967), puxado pelo sucesso “Não presto, mas te amo”, composição de Roberto Carlos. (rstone)

Álbum 42 Demétrius

Álbum Nº 46

LP
“Marcos Roberto”
Marcos Roberto

(Continental – 1966)

Marcos Roberto começou sua carreira artística muito jovem, ainda no final dos anos 50, gravando no selo Young, de Miguel Vaccaro Neto. Com o advento da Jovem Guarda, o cantor paulistano, nascido em 1941, começou a participar de vários programas da época, além de lançar alguns compactos de relativo sucesso.

No final de 1966, lançou seu primeiro LP pela Continental, com o qual emplacou músicas como “Agora É tarde”, “Indiferença” e “Fim de Sonho”, mas o grande sucesso do disco foi o iê-iê-iê “Vá Embora Daqui”, composição dele em parceria com o grande amigo Dori Edson, aliás, ambos formaram uma das duplas de compositores mais importantes da época, autores de clássicos como, por exemplo, “O Tremendão”, gravada por Erasmo Carlos.

O sucesso do primeiro disco levou o cantor ao topo da fama, passando a se apresentar em vários programas da TV (Marcos Roberto era figura frequente no programa do Ronnie Von) e a fazer shows por todo o Brasil. Com o fim da Jovem Guarda, o artista mudou para um estilo mais popular, no qual fez até mais sucesso que antes. Entre a década de 70 e início dos 80, Marcos Roberto emplacou sucessos como “Amor, amor, amor” (1973) e “A Última Carta” (1980), músicas que se eternizaram no inconsciente coletivo do povo brasileiro.

Marcos Roberto morreu em São Paulo, no dia 21 de julho de 2012. Aos 71 anos, morreu pobre e praticamente esquecido pela mídia, porém, jamais pelos seus fãs verdadeiros, que até hoje colecionam os seus discos e ouvem suas canções com fervor, sejam da fase jovem guarda, sejam da fase mais popular. (rstone)

Álbum 41 Marcos Roberto

Álbum Nº 40

LP
“Os Brasas”
Os Brasas

(Musicolor/Continental – 1968)

Formado por Luiz Vagner (vocal e guitarra), Anyres Rodrigues (guitarra), Franco Scornavacca (baixo) e Eddy (bateria), Os Brasas, de Porto Alegre (RS), Foi uma das melhores bandas dos anos sessenta, embora nunca tenham alcançado grande popularidade em termos nacionais, talvez por ser uma banda de fora do eixo Rio-São Paulo.

Lançaram apenas um LP, intitulado “Os Brasas”, pela Musicolor/Continental, que chegou às lojas em junho de 1968, e apesar de ser um dos mais bem acabados lançamentos daquela década, inclusive com uma das capas mais modernas de sua época, além de um repertório de grande qualidade, pois a banda contava com ótimos instrumentistas, o disco foi um fracasso de vendas e de execução nas rádios.

“Os Brasas” abre com a balada “A Distância” uma ótima versão para ‘Oriental Sadness’, original dos Hollies. Segue com outras pérolas, como “Benzinho Não Aperte”, “Beija-me Agora” (também gravada por Márcio Greyck, no seu segundo LP solo), “Pancho Lopez” e a garageira “Não Vá Me Deixar”, uma das mais incríveis “guitar songs” dos anos 60.

Integram o restante do repertório do álbum, as geniais “Um Dia Falaremos de Amor”, “Quando o Amor Bater na Porta” (versão de um sucesso recente dos Monkees), “Meu Eterno Amor”, “Que Te Faz Sonhar Linda Garota”, “Ao Partir Encontrarei Meu Amor”, “Theme Without a Name” e “Sou Triste Por Te Amar”.

Todas estas canções evidenciavam a qualidade extraordinária do grupo gaúcho que, infelizmente não conseguiu desenvolver uma carreira mais sólida, encerrando suas atividades logo após o lançamento desta obra-prima do rock brasileiro. (rstone)

Álbum 40 Os Brasas 1

Álbum 40 Os Brasas 2

Álbum Nº 39

LP
“Raulzito e Os Panteras”
Raulzito e Os Panteras

(Odeon – 1967)

Para o garoto baiano Raul dos Santos Seixas, o surgimento do rock’n’roll foi como uma verdadeira explosão dos sentidos, na sua adolescência. Elvis Presley se tornou a primeira fixação do jovem soteropolitano, que cultuou o ídolo de todas as maneiras, criando inclusive, o primeiro fã-clube de Elvis no Brasil. Seus cadernos de escola eram revestidos por fotos e reportagens sobre o rei do rock. Aos 16 anos, Raul formou o seu primeiro grupo: os Relâmpagos do Rock, com os irmãos Délcio e Thildo Gama. Um ano depois, modificou a formação da banda e a intitulou de Os Panteras.

O primeiro e único álbum de Raulzito e os Panteras, lançado em novembro de 1967, pela gravadora Odeon, trazia uma capa ao estilo do álbum “With The Beatles” (1963), e um repertório jovem guardista tardio e desencontrado, principalmente nas letras, acima da média dos grupos do movimento. Mesclava uma sonoridade de garagem com as harmonias doces, ao estilo da época. Talvez por isso, soasse denso e até sombrio em alguns momentos, apesar da natureza romântica do repertório, quase todo autoral, com exceção de “Um minuto a mais” versão de “I Will”, do compositor Dick Glasser, gravada alguns anos antes com sucesso pelo cantor inglês Billy Fury, e “Você ainda pode sonhar”, versão de Raulzito para “Lucy in the Sky with Diamonds”, dos Beatles, em que o grupo manteve todo o clima lisérgico da original.

As ricas melodias de faixas como ““Por Quê? Pra Quê?”, “Brincadeira”, “Vera, Verinha”, “Triste Mundo” e “Menina de Amaralina” mostravam que essas canções poderiam ter se tornado grande hits do rádio, se o álbum tivesse sido lançado uns dois anos antes. É preciso frisar a importância dos outros Panteras para a sonoridade deste disco genial: o clima jovem guardista, o som garageiro e até o aspecto barroco do álbum, deve-se ao feeling instrumental de Mariano no baixo, Carlos Eládio na guitarra e Carleba na bateria.

E Raulzito ainda não era Raul Seixas, sequer pensava na Sociedade Alternativa. Os Panteras eram apenas garotos desesperadamente românticos, num disco que, aparentemente, falava apenas de amor e perda, apesar de já trazer embutida, uma pequena fagulha da mensagem filosófico-anárquica que Raul viria a desenvolver alguns anos mais tarde, nos discos da carreira solo (vide, por exemplo, as letras de “Você ainda pode sonhar”, “Trem 103”.) (rstone)

Álbum 39 Raulzito e os Panteras

Álbum Nº 38

LP
“Silvinha”
Silvinha Araújo

(Odeon – 1968)

O primeiro LP da cantora Silvinha, lançado em agosto de 1968, mostrou que a mineirinha da cidade de Mariana era a nova musa do rock. Silvinha (ou Sylvinha, como depois ficou grafado seu nome artístico) começou sua carreira em 1960, cantando em festinhas, depois na TV, em Belo Horizonte. Anos depois, foi “descoberta” por Carlos Imperial e lançada pelo Chacrinha, em seu programa de TV.

Em 1966, foi contratada pela TV Excelsior, onde passou a se apresentar no programa “O Bom”, de Eduardo Araújo (seu futuro marido), e pela gravadora Odeon, por onde lançou, em 1967, com acompanhamento dos Fevers, seu primeiro compacto, “Vou Botar Pra Quebrar”, composição de Carlos Imperial. A música emplacou nas rádios, e no final daquele Ano, Silvinha gravaria um compacto-duplo, cuja balada “Minha Primeira Desilusão”, faria grande sucesso.

Em 1968, foi a vez do primeiro LP, “Silvinha”, que tinha produção de Tony Campello, arranjos de orquestra do maestro Peruzzi e acompanhamento da banda da casa, The Fevers. O disco rendeu vários sucessos, como “Playboy”, “Não Posso Ser Feliz”, “Professor Particular” e “Minha Primeira Desilusão”, que já estava estourada nas paradas desde o lançamento da música em compacto, no final de 67. (rstone)

Álbum 38 Sylvinha 1

Álbum Nº 37

LP
“O Quente”
Reginaldo Rossi

(Chantecler – 1968)

Antes de de falar sobre este disco, gostaria de fazer um comentário inicial e que acho necessário, não para convencer os puristas da Jovem Guarda, é apenas para reflexão, tomando, por exemplo, os três álbuns gravados por Reginaldo Rossi na Chantecler, entre 1966 e 1968. São discos que falam de brotos e de festas, de namoricos no portão, todas as canções embaladas por guitarras, órgão, baixo e bateria e uma sonoridade típica do som jovem da época. Ao falarmos sobre discos como esses do Reginaldo Rossi, como poderemos inseri-los no contexto musical daquele momento? Se não são discos de jovem guarda, são de iê-iê-iê, o que dá na mesma, reflitam. É isso, agora, vamos à resenha:

O pernambucano Reginaldo Rossi começou sua carreira no início dos anos 60, como “crooner” do conjunto The Silver Jets, o primeiro grupo de rock do Recife. Os Silver Jets tocavam em festas e clubes da cidade. Numa dessas apresentações, Reginaldo foi “descoberto” pelo empresário Jocemar Ribeiro, que o levou à presença de Ademir Batista da Silva, representante da gravadora Chantecler, que o contratou de imediato. Em abril de 1966, lançou seu primeiro LP, “Reginaldo Rossi”, que trazia, entre outras, as canções “ “Os Anjos Cantam Assim”, e “O Pão”, esta última se tornaria um grande sucesso na época, tanto com Reginaldo Rossi como na regravação de Sérgio Murilo.

No ano seguinte foi a vez do LP “Festa dos Pães”, o segundo da carreira, e mais uma vez o artista colocou duas canções nas paradas: “Festa dos Pães” ( inspirada na “Festa de Arromba”, de Erasmo Carlos) e “Mexerico dos Quadrados” (“baseada” em “Mexerico da Candinha”, de Roberto Carlos).

Em 1968, Reginaldo lançaria seu terceiro LP pela Chantecler, intitulado “O Quente”, que contou com acompanhamento do grupo The Jet Black’s. No repertório, Reginaldo mesclou baladas românticas, como a belíssima “Pára de Chorar”, com iê-iê-iês retardatários, afinal a Jovem Guarda já estava chegando ao fim.

Após “O Quente”, Reginaldo se recolheria por dois anos, voltando somente em 1970, quando assinou com a CBS. Pela nova casa, Reginaldo mergulharia numa fase ultra romântica (que muitos chamam de “brega”), e entre 1970 e 1974, lançaria uma série de cinco álbuns de grande sucesso. (rstone)

Álbum 37 - Reginaldo Rossi 1

Álbum 37 - Reginaldo Rossi 2

Álbum Nº 36

LP
“A Festa do Bolinha”
Trio Esperança

(Odeon – 1966)

Formado no final de 1958, no Rio de Janeiro, pelos irmãos Correia ( Mario, Regina e Evinha), primos dos componentes do grupo Golden Boys (os irmãos Roberto, Renato e Ronaldo Correia), o Trio Esperança foi um dos mais importantes grupos vocais da Jovem Guarda.

O primeiro grande sucesso do trio aconteceu em 1963, quando gravaram “Filme Triste”, versão de Romeu Nunes para “Sad Movies”, sucesso da cantora Sue Thompson. Com essa canção conquistaram as paradas de todo o Brasil, e quando surgiu o programa “Jovem Guarda”, em agosto de 1965, o Trio Esperança foi uma das principais atrações do programa, apareciam com frequência.

Em fevereiro de 1966, após dois LPs de sucesso, lançam “A Festa do Bolinha”, o terceiro e mais bem sucedido álbum da carreira do trio. Com o acompanhamento refinado dos Fevers, o Trio Esperança concebeu um dos discos-síntese do movimento jovem guarda. Várias canções alcançaram as paradas de sucesso, a começar pela faixa-título. Outros sucessos do disco: “Eu Bem Dizia”, “Gasparzinho” e “Não me Abandone”. (rstone)

Álbum 36 Trio Esperança 1

Álbum 36 Trio Esperança 2

Álbum Nº 35

LP
“É Onda”
The Brazilian Bitles

(Polydor – 1967)

O grupo carioca The Brazilian Bitles surgiu por volta de 64/65, a partir do guitarrista/baixista Vitor Trucco e do cantor e guitarrista Jorge Eduardo, que formavam o núcleo da banda The Dangers.

Em sua formação original a banda contava com os músicos Vitor Trucco (guitarra solo e posteriormente baixo); Luiz Toth (bateria); Fábio Block (baixo e posteriormente guitarra); Jorge Eduardo de Almeida (voz e guitarra base) e Elizeu da Silva Barra, o Ely Barra (voz e teclados).

A banda estreou na boate “La Candelabre”, em Copacabana, com boa repercussão na mídia. O repertório do grupo misturava músicas dos Beatles, Rolling Stones, Chuck Berry, Little Richard e de grupos ainda desconhecidos do grande público brasileiro, como The Who, The Troggs, etc., além de músicas do cancioneiro romântico brasileiro.

Em 1966, o Brazilian Bitles foi contratado pela Polydor. O primeiro compacto pela nova gravadora trazia as músicas “Louco de amor”, “Rainha dos meus sonhos”, “Vem meu amor” e “Tudo começou com um olhar”, todas de autoria de Fábio Block.

Após alguns compactos e a participação na coletânea “Os Novos Reis do Iê-Iê -Iê”, lançaram seu primeiro álbum no início de 1967, “É Onda”, título que expressava bem o estilo de vida alucinante da época.

Nesse primeiro disco, os Brazilian Bitles traziam canções autorais e versões de músicas dos Beatles (“Qual A Razão (Day Tripper)” e “O Homem Só (Nowhere Man)”, ambas vertidas por Lilian Knapp), e dos Rolling Stones (“Não Tem Jeito (I Can’t Get no Satisfaction)”, versão de Rossini Pinto), além do sucesso “Cheveux Longs Et Idées Courtes”, gravado pelo ídolo francês Johnny Hallyday, que na versão de Fred Jorge ficou “Cabelos Longos, Ideias Curtas”.

“É Onda” é um dos grandes álbuns do rock de garagem brasileiro, e abriu caminho para uma carreira que durou até 1969, incluindo diversos compactos, mais dois LPs, e alguns sucessos radiofônicos. Até hoje, The Brazilian Bitles é lembrado (e cultuado) pela sua sonoridade peculiar, que misturava o som da Jovem Guarda com climas modernos, garageiros e psicodélicos. (rstone)

Álbum 35Álbum 35 2

Álbum Nº 34

LP
“Rainha da Juventude”
Meire Pavão

(Chantecler – 1965)

Com um estilo de cantar muito parecido com o de Celly Campello, Meire Pavão esteve por alguns anos, no topo da música jovem brasileira, ali, lado a lado com Wanderléa, em termos de popularidade.

Nascida na cidade de Taubaté, interior paulista, em 2 de junho de 1948, irmã de Albert Pavão, iniciou sua carreira ainda bem jovem cantando no conjunto feminino Alvorada, grupo organizado pelo seu pai, o professor de música Theotônio Pavão, o Conjunto Alvorada gravou seis compactos no período entre 1961 e 1963.

Em 1964, Meire lançou-se em carreira solo pela Chantecler, chegando rapidamente ao sucesso com a música “O que eu faço do latim?”, versão feita pelo seu pai de uma música italiana.

Em 1965, Meire grava a balada “Bem Bom”, versão do sucesso “Downtown”, da cantora inglesa Petula Clark, que também entra nas paradas, e seu LP, “Rainha da Juventude, emplaca vários sucessos nas paradas, como a citada “Bem Bom”, além de ”Tão Perto, Tão Longe”, entre outras belas canções.

Meire seguiu em carreira solo durante todo o período da Jovem Guarda, até que em 1969, largou a carreira artística para dedicar-se a outras atividades. Retornaria nos anos 70, quando gravou vários discos infantis, tendo o irmão Alberto e o papai Pavão como produtores.

Meire Pavão morreu no dia 31 de dezembro de 2008, aos 60 anos de idade, de uma insuficiência respiratória. Como artista, nunca ganhou a devida valorização, talvez pelo fato de ter alcançado seus maiores sucessos numa época de transição entre, a música de Celly Campello e a Jovem Guarda de Roberto, Erasmo e Wanderléa. Seus fãs jamais a esquecerão, além disso, Meire ficou eternizada na canção “Festa de Arromba”, de Erasmo Carlos. (rstone)

Álbum 34 - Meire Pavão

Álbum Nº 33

LP
“Coração de Papel”
Sérgio Reis

(Odeon – 1967)

Sérgio Bavini, paulistano do bairro de Santana, zona norte da capital paulista, nascido em 23 de junho de 1940, começou sua carreira artística ainda no final dos anos 50, cantando rock, com o pseudônimo de Johnny Johnson. Foram anos de batalha, até que em 1961, conseguiu seu primeiro contrato com uma gravadora, lançando pela Chantecler, um 78 rotações cujo lado A trazia o bolero “Enganadora”, do trio de compositores Umberto Silva , Luiz Mergulhão e Souza Lima; no lado B, o rock balada “Será”, de Waldemar Espinosa Garcia.

Fã do cantor Roy Orbison e tendo um alcance de voz quase igual ao do pioneiro do rock’n’roll, Sérgio Reis lançaria em 1962, uma belíssima versão de Carlos Alberto para o sucesso “Lana”, de Orbison, que infelizmente, não obteve sucesso por aqui.

Em 1963, Sérgio Reis deixou a Chantecler pela Continental, por onde lançou mais um 78 rotações, porém, o sucesso só viria em 1966, quando assinou com a gravadora Odeon. Após um primeiro compacto sem muita repercussão, Sérgio finalmente compôs a balada “Coração Papel”, que se tornaria o maior hit da sua carreira e um dos marcos absolutos do movimento jovem guarda.

O sucesso estrondoso da canção levou o cantor ao primeiro LP, que chegou às lojas em agosto de 1967 e trazia no título, o nome do seu grande sucesso. O álbum foi produzido por Tony Campello (que aliás, foi produtor dos discos de Sérgio Reis durante 28 anos, tanto na Odeon como também na RCA-Victor, quando o cantor, já em sua fase sertaneja, emplacou vários sucessos, como “Menino da gaita”, de 1972, entre outros).

“Coração de Papel” revelou um novo ídolo para o movimento jovem guarda. Cantor e compositor de grande talento (a maioria das canções do disco eram composições próprias), Sérgio Reis teve várias músicas gravadas por outros artistas da época, como Deny e Dino, José Roberto e outros. (rstone)

Álbum 33 - SR
Álbum 33

Álbum Nº 32

LP
“Os Jovens”
Os Jovens

(CBS – 1967)

Formada no final de 1964 pelos compositores João José e Francisco Fraga (Puruca), a dupla Os Jovens estreou na CBS em 1965, com o compacto duplo “Apresentando Os Jovens”, contendo as músicas “Quero Falar Com Você” (Francisco Fraga ”Puruca”), “Sofrendo Por Amor (I’ll Never Know)” ((Dave Clark / Denis Payton / Vrs. João José), “Louca Paixão (Hurting Inside)” (Dave Clark / Mike Smith / Vrs. João José) e “ Sinto-me Feliz” (Francisco Fraga ”Puruca”).

Tendo o acompanhamento do grupo Renato e Seus Blues Caps, em 1966 lançaram o compacto simples com as canções “Se Você Me Abandonar”, composição de Rossini Pinto, e “Eu Não Sei”, mais uma composição do “Jovem” Francisco Fraga, o Puruca. “Se Você Me Abandonar” fez enorme sucesso, e a dupla foi escalada para um LP, “Os Jovens”, disco lançado em abril de 1967, no qual a dupla lançava uma nova moda musical, chamada “Caverna”, um tipo de novo iê-iê-iê, altamente dançante.

A moda não pegou, mas o álbum trouxe muitas canções de sucesso, principalmente “Você Fala Demais” e “Deixe O Tempo Passar”, que chegariam aos primeiros lugares das paradas.

Destaque também para as belíssimas “Coração de Pedra”, faixa de abertrura que tem um fuzz guitar matador de Renato Barros; e as baladas “Como É Triste A Solidão” (Puruca), “Esquece-me” (Edson Ribeiro/Odilon Ennes), “Nunca Mais Quero Amar” (Genival Cassiano) e “Podia Me Dizer”, esta uma parceria de Puruca com o então “jovem-guardista” Luiz Ayrão, futuro sambista de sucesso, nos anos 70. (rstone)

Álbum 32 1

Álbum 32 2 - Os Jovens

Álbum Nº 31

LP
“Coruja”
Deny e Dino

(Odeon – 1966)

Uma das duplas mais importantes da Jovem Guarda, Deny e Dino já tinham estrada quando explodiram em 1966 com o hit “Coruja”. Provenientes da cidade de Santos, os jovens José Rodrigues da Silva (o Deny, nascido em 25/05/1944) e Décio Scarpelli (o Dino, 09/03/1945, falecido em 1994), se conheceram em 1956, e logo em seguida formaram o grupo Os Boas Pintas, apresentando-se em boates e estações de rádio de Santos e São Paulo.

Nos anos 60, foram convidados a participar dos programas de televisão de Hugo Santana, época em que adotaram os cognomes de Deny e Dino. Em seguida, assinaram contrato com a gravadora Odeon, e já no primeiro compacto, emplacaram um hit nacional, a belíssima balada “Coruja”, música recheada de belos vocais em falsete e guitarras cristalinas bem ao estilo da época. Dali para a gravação do primeiro LP foi um passo.

“Coruja” é um dos álbuns fundamentais da Jovem Guarda. As vozes em falsete, arranjos modernos, com orquestração do maestro Lyrio Panicali e acompanhamento dos Fevers, além do repertório bem selecionado, fazem do primeiro álbum de Deny e Dino, um clássico do pop nacional. (rstone)

Álbum 31 Coruja 1

Álbum 31 Coruja 2

Álbum Nº 30

LP

“Choque Que Queima”
Luizinho e Seus Dinamites

(RCA Victor – 1964)

Gravado em 1964, “Choque Que Queima” é o único álbum do grupo Luizinho & Seus Dinamites e também uma das maiores preciosidades do rock brasileiro. O disco passou quase despercebido na época, porém, no final dos anos 80, pesquisadores começaram a citá-lo como uma das joias perdidas dos anos 60, e o disco transformou-se num verdadeiro objeto de culto. Nos anos 90, foi relançado em CD pela Bruno Discos, na série Classic Collection, supervisionada pelo grande Albert Pavão.

O disco era basicamente composto de músicas de Cliff Richards & The Shadows, a faixa-título, “Choque Que Queima”, por exemplo, é uma versão de “Choppin’ and Changin'” e “Dinamite” é uma versão abrasileirada do hit “Dynamite”, de Richard. De repertório variado, “Choque Que Queima” tem canções de amor (“As Estações” e “Uma Voz na Solidão”), twists embalados em alta voltagem (“Eu Vou à Lua” e “Carango Twist”) e faixas instrumentais transistorizadas pelos solos flamejantes das guitarras de Euclides de Paula (“Ventures Twist” e “Guitar Twist”).

Liderados por Luizinho (Luiz de Castro), com seu timbre inconfundível nos vocais (e que além de músico era um especialista em fabricar guitarras), os Dinamites eram formados por Euclides (guitarra solo), Jair (guitarra base), José Antonio (baixo) e Carlinhos (bateria). Só que na gravação do LP, quem tocou bateria na maioria das faixas foi Gelson, dos Blue Caps. (rstone)

Álbum 30 - Luizinho e seu cj

Álbum 30

Álbum Nº 29

LP
“Rua Augusta”
Ronnie Cord

(RCA Victor – 1964)

Ronnie Cord iniciou a carreira em 1960, fazendo sucesso com o cover para “Itsie Bitsie Teenie Weenie Yellow Polkadot Bikini”, do cantor Bryan Hilland, que na versão do seu pai, o maestro Hervé Cordovil, virou “Biquini de Bolinha Amarelinha”.

Em 1963, o maestro compôs para o filho a canção “Rua Augusta”, que se tornaria um dos maiores “standards” do rock brasileiro, e a mais conhecida música de Ronnie Cord.

A letra era uma crônica perfeita daquela época, falava das obsessões da “juventude transviada”, das turmas e dos pegas de carro na maior metrópole brasileira. Clássico absoluto, “Rua Augusta” já ganhou covers dos Mutantes, Raul Seixas e Leno, entre outros.

Lançada em dezembro de 1963, em compacto, a canção virou um estrondoso sucesso nos primeiros meses de 1964 e deu título ao LP de Ronnie Cord, lançado em junho daquele ano, um disco recheado de baladas e de rock and roll, em que Ronnie resgatava inclusive, o sucesso “Biquini de Bolinha Amarelinha”, e dois hits recentes do pop internacional, em versões de Fred Jorge, “Blue Velvet” (“Veludo Azul), sucesso do cantor Bobby Vinton, e “Viva Las Vegas”, de Elvis Presley.

Com o advento da Jovem Guarda, Ronnie Cord juntou-se aos irmãos Norman e Junior, para formar o grupo The Cords, com quem gravou a belíssima versão para “All My Loving” (“Todo o Meu Amor”) (Lennon & McCartney), e alguns outros poucos compactos. Antes do término da Jovem Guarda, já tinha abandonado a carreira artística. (rstone)

Álbum 29 2

Álbum 29 Ronnie Cord 1

Álbum Nº 28

LP

“Top Top Top”
The Jet Black’s

(Chantecler – 1966)

Uma das melhores bandas de rock instrumental dos anos 60, eles surgiram em 1961 como The Vampires, sob influência dos ingleses The Shadows. Depois, mudaram o nome para The Jet Black’s, e em seguida, foram contratados pela Chantecler como uma resposta ao grupo The Jordans, que gravava pela Copacabana. O primeiro álbum da banda, “Twist”, de 1962, é um marco do rock brasileiro.

Em 1965, os Jet Black’s já tinham uma sólida carreira, que contava com cinco excelentes álbuns instrumentais, além de vários compactos, porém, para se adequar ao movimento da jovem guarda, era necessário mudar um pouco o estilo, gravando músicas cantadas. Respondendo ao apelo da nova onda, lançaram em 1966, o LP “Top Top Top”, disco que mesclava músicas vocais com os tradicionais surf rocks da banda.

“Top Top Top” foi o disco que de certa forma, “apresentou” os Jet Black’s ao recente público da Jovem Guarda. É também o primeiro álbum a estampar na capa a imagem da banda, que na época contava com a seguinte formação: José Paulo (baixo), Sérgio Vigilato (guitarra base), Gatto (guitarra solo) e Jurandir (bateria).

O lado rock’n’roll da banda está em regravações de clássicos instrumentais como “Dance On” (The Shadows), “Shazam” (Duane Eddy); o lado vocal conta com outras pérolas do pop da época, “Money” (baseada na versão do Beatles) e “Hippy Hippy Shake” (hit recente do grupo inglês Swinging Blue Jeans).

Outro destaque vai para as versões instrumentais de “Suspicion”, sucesso gravado por Elvis Presley, e “And I Love Her”, dos Beatles. E há ainda a belíssima balada “Viver Sem Você”, composição de Wilson Miranda e Baby Santiago, aqui cantada pelo guitarrista Gatto. Tudo isso faz deste disco, um álbum fundamental, não só da carreira dos Jet Black’s, mas da Jovem Guarda. (rstone)

Álbum 28 - Top top Jet Blacks

Álbum Nº 27

LP

“Bobby de Carlo”
Bobby de Carlo

(Mocambo – 1967)

O paulistano Roberto Caldeira dos Santos, começou sua carreira ainda na adolescência, em 1960, com apenas 15 anos de idade. Com o nome artístico Bobby de Carlo, gravou naquele ano, seu primeiro disco pela Odeon, o 78 rotações com a música “Oh Eliana”, versão de Sergio de Freitas para o sucesso “Dede Dinah”, gravada originalmente pelo cantor “teen idol” Frank Avalon.

Depois de mais dois compactos, Bobby de Carlo passou a fazer parte do grupo The Vampires, que em seguida mudaria o nome para The Jet Black’s. Bobby permaneceu como guitarrista dos Jet Black’s entre 1963 e 1964, no seu lugar entrou o guitarrista José Proverti (Gatto), também ele um dos fundadores do grupo , que havia saído e agora retornava.

Com a explosão do movimento Jovem Guarda, vários artistas que estavam com a carreira semiencerrada, retornaram à ativa, Bobby de Carlo foi um deles, e em 1966, assinou com a gravadora pernambucana Mocambo, por onde lançou um compacto com as músicas “Tijolinho”, composição de Wagner Tadeu Benatti (que nos anos 70 faria parte do grupo Pholhas), e ““Minha Tristeza” (outra composição de Benatti em parceria com Edmundo Arroyo).

“Tijolinho” estourou em todas as rádios no final de 66, o que levou o artista a gravar rapidamente seu primeiro LP, “Bobby de Carlo” que emplacou vários hits, como “Cuidado Para Não Derreter”, “Não Vou Me Entregar”, “A Boneca Que Diz Não” e novamente “Tijolinho”, também incluída no LP, continuou liderando os primeiros lugares das paradas de sucesso.

A febre da música “Tijolinho” era tão grande que nos shows ao vivo, as garotas costumavam presentear Bobby de Carlo com montes de tijolos e bilhetes contendo picantes propostas de amor.

No ano seguinte, já consagrado como mais um dos grandes ídolos do iê-iê-iê, Bobby de Carlo lançou seu segundo álbum, um belíssimo disco (que os fãs o chamam de “Passo de Gigante”, referindo-se à faixa de abertura), mas que infelizmente, não repetiu o mesmo sucesso do primeiro.

Ficou para a história, como num conto de fadas, a lenda de uma canção chamada “Tijolinho”, e um álbum antológico, um dos melhores da Jovem Guarda. (rstone)

Álbum 27 Bobby de Carlo

Álbum Nº 26

LP

“Os Sucessos na Voz de José Roberto Vol. II”
José Roberto

(CBS – 1968)

O cantor baiano José Roberto surgiu no início de 1967, quando estourou em todo o país com a canção “Deixa o meu cabelo em paz”, um iê-iê-iê avançado, composição de Oswaldo Nunes e Celso Castro, lançado no compacto simples CBS 33479, de abril de 1967.

O enorme sucesso dessa canção levou ao seu primeiro LP, “Os Sucessos na Voz de José Roberto”, lançado em maio daquele ano, que, além do mega suceso “Deixa meu cabelo em paz”, trazia também várias covers bem elaboradas de sucessos já lançados por artistas de outras gravadoras, como “Coração de papel”, sucesso de Sérgio Reis na Odeon, “Gatinha Manhosa”, hit de Erasmo Carlos, da RGE e “Não Presto Mas Eu te Amo”, mega-hit de Demétrius na RCA.

Mas José Roberto era um grande cantor. Jovem, bonito e talentoso, ele tinha um “feeling” especial na interpretações de canções que já estavam nas paradas com outros artistas. Na voz de José Roberto, essas canções ganhavam uma textura mais intimista, mais romântica talvez, era o bastante para atingir milhares de corações em todo o Brasil. Foi este carisma que levou o artista a desenvolver uma sólida trajetória na CBS, que durou oito anos, com uma série de 11 LPs de carreira, todos de grande sucesso, além de dezenas de compactos e várias coletâneas.

“Os Sucessos na Voz de José Roberto – Vol. II” é o seu segundo álbum, lançado em outubro de 1968, aqui José Roberto interpreta de maneira magistral, canções como “Resolvi Não Te Deixar” (Sérgio Reis); “Pra Nunca Mais Chorar” (sucesso de Vanusa, mas que muitos consideram a gravação de José Roberto superior); “Benzinho” (que no ano anterior fora sucesso na voz de Paulo Sérgio); “Tenho um amor melhor que o seu” (o primeiro sucesso de Antonio Marcos, esta é outra canção que muitos preferem a gravação de José Roberto), entre outras.

Apesar de gravado no último ano do movimento JG, este disco, regado a muitas guitarras e letras extremamente românticas, expressa todo o clima das jovens tardes de domingo. É um daqueles álbuns que têm a cara da Jovem Guarda, na sua forma mais genuína. (rstone)
Foto de Rubens Stone.
Foto de Rubens Stone.
Descurtir ·

Álbum 26 - JR

Álbum 26

Álbum Nº 25

LP

“Vanusa”
Vanusa

(RCA-Victor – 1968)

A paulista da cidade de Cruzeiro, interior de São Paulo, criada em Frutal. Minas Gerais, Vanusa Santos Flores, foi descoberta aos 16 anos, pelo empresário Sidney Carvalho, quando cantava com um conjunto da cidade de Frutal, o Golden Lions.

Levada para São Paulo no início de 1966, ganhou participação fixa no programa “O Bom”, apresentado por Eduardo Araújo na TV Excelsior . Na sequência, foi contratada pela gravadora RCA, numa estratégia de marketing bem elaborada, na qual a RCA pretendia apresentá-la à cena musical da época como mais uma rival para Wanderléa.

Lançou então seu primeiro disco, um compacto com a balada “Pra Nunca Mais Chorar”, composição de Carlos Imperial e Eduardo Araújo, e no lado B, “O Geghege”, versão da própria Vanusa para o sucesso da cantora italiana Rita Pavone.

“Pra Nunca Mais Chorar” estourou de norte a sul do país, tornando a nova cantora conhecida em todo o Brasil. Da noite para o dia, Vanusa se transformaria numa espécie de símbolo sexual da juventude.

Imediatamente, lançou seu primeiro LP homônimo (também conhecido como “Mundo Colorido”, devido o sucesso da faixa de abertura). Além de “Mundo Colorido”, outro grande sucesso do disco foi a regravação em ritmo de iê-iê-iê do samba-canção “Mensagem”, composição de Aldo Cabral e Cícero Nunes, gravado originalmente em 1946, por Isaura Garcia.

Lindíssima e bastante polivalente, ainda nos anos 60, Vanusa atuou também na televisão, integrando o elenco principal do programa “Adoráveis Trapalhões”, da TV Excelsior, ao lado do astro Wanderley Cardoso e do humorista Renato Aragão. Nos anos 70, continuaria na mídia, primeiro com a gravação do mega sucesso “Manhãs de Setembro” (1974) e depois, no programa de TV “Cinderela 77”, ao lado de Ronnie Von, na TV Tupi. (rstone)

Álbum 25 - Vanusa 1

Álbum 25 - Vanusa 2

Álbum Nº 24

LP

“Ronnie Von”
Ronnie Von

(Polydor – 1968)

Em 1968, no apagar das luzes da Jovem Guarda, Ronnie Von já havia dado um “drop out” (caído fora) no iê-iê-iê, ao enveredar por caminhos até então estranhos à música popular brasileira. Acabou descobrindo a gênese do que viria a ser o movimento tropicalista.

Desde o seu terceiro LP, de 67, ele já vinha experimentando novos sons, o álbum “Ronnie Von Nº 3” fora quase todo gravado com o acompanhamento dos Mutantes. E então, para o disco de 1968, Ronnie Von radicalizou. Mudou o corte de cabelo para o estilo “hippie” da época, juntou-se a o produtor e compositor Arnaldo Saccomani e ao maestro tropicalista Damiano Cozzela, autor, entre outros, do arranjo de cordas da estreia de Caetano, e juntos, conceberam um dos mais incríveis álbuns do rock brasileiro. “Esse álbum é fruto de um sentimento de medo e vingança. Foi um desabafo pessoal, eu estava de saco cheio daquilo tudo, era uma tentativa desesperada de fazer algo que me agradasse”, relembraria ele, anos mais tarde.

“Ronnie Von” era um álbum totalmente estranho para o gosto comum do público. Impressionava pela ousadia e liberdade artística. Foi o primeiro disco psicodélico feito por um artista brasileiro. Na capa, Ronnie aparecia com o torso nu, em pequena foto que quase se escondia em meio a um painel maluco de pinturas psicodélicas. No repertório, letras surreais e guitarras ferozes.

Abria agressivo e poético com “Meu Novo Cantar” e “Chega de Tudo”. Na sequência, a surrealista “Espelhos Quebrados” e “Silvia: 20 Horas, Domingo”, canção de guitarras distorcidas, numa levada de soul e hard rock. Em meio ao turbilhão de guitarras e arranjos orquestrais que antecipavam o rock progressivo no Brasil, entre uma faixa e outra, lá pelo meio do disco, diálogos, e um jingle fictício sobre um tal “Bar Íris”, e ampliando ainda mais o clima rebelde do álbum, havia a subversiva “Anarquia” (“Amanhã vamos pra rua fazer /uma tremenda anarquia / pintar as ruas de alegria / porque / quem manda hoje somos nós , mais ninguém / e não ligamos pra quem vai ou quem vem atrapalhar / a quem nos queira atrapalhar…”

Refinado e inteligente, e muito à frente de sua época, o disco foi um fracasso de vendas. Os fãs do artista, acostumados a tê-lo como o “pequeno príncipe” da Jovem Guarda, rejeitaram o álbum. A crítica da época sequer registrou o lançamento do disco. Hoje é um dos álbuns mais cultuados e prestigiados do rock brasileiro. (rstone)

Álbum 24 - Ronnie Von

Álbum Nº 23

LP

“O Bom Rapaz”
Wanderley Cardoso

(Copacabana – 1967)

Wanderley Cardoso foi um dos maiores ídolos juvenis dos anos 60. Ator, cantor e compositor, sua trajetória é longa, se perde no meio da história da música popular brasileira. Nascido no bairro de Belenzinho, em São Paulo, no dia 10 de março de 1945, ainda menino conseguiu seu primeiro sucesso em disco, com a gravação da música “A Canção do Jornaleiro” (composição de Heitor dos Prazeres), lançada no final de 1958, num 78 rotações para a RCA-Victor, produzido pelo Sanfoneiro Mário Zan, que completava o lado B com a valsa “Não Vou Brincar” (composição do próprio Mário Zan em parceria com Arlindo Pinto). Na época, Wanderley tinha apenas 13 anos.

O garoto-prodígio só voltaria ao disco seis anos depois, com o compacto “Preste Atenção”, versão de Paulo Queiroz para o sucesso francês “Fais Attention”, de Ginete Ravel. Começava então, uma das mais bem-sucedidas carreiras de um astro da Jovem Guarda, cujo ápice foi alcançado com o álbum “O Bom Rapaz”, de 1967, um dos discos campeões de vendas daquele ano.

Devido o estrondoso sucesso da faixa-título, belíssima composição do até então desconhecido Geraldo Nunes, Wanderley acabou ficando conhecido como “O bom rapaz”. Várias outras canções desse álbum soberbo entraram direto nas paradas de sucesso, dentre as quais, “O Pic Nic”, “Doce de Coco”, “Não Posso Controlar Meu Pensamento” e “Minhas Lágrimas”.

Após o fim da Jovem Guarda, Wanderley Cardoso seguiria gravando bons discos até meados dos anos 70 – os álbuns de 1972 e 1973, por exemplo, são grandes discos que mereceriam uma caprichada reedição em CD. (rstone)

Álbum 23 - WC

Álbum Nº 22

LP
“Renato e Seus Blue Caps”
Renato e Seus Blue Caps

(CBS – 1967)

As inúmeras versões de sucessos dos Beatles gravadas por Renato e Seus Blue Caps chegaram aos ouvidos da juventude brasileira bem antes das gravações originais do quarteto britânico, e isto ajudou a criar a ponte entre a Jovem Guarda e a Beatlemania que explodia no planeta.

Em 1967, acompanhando as mudanças que ocorriam na música estrangeira, o grupo gravou um dos álbuns mais importantes da sua carreira. Mesclando composições próprias com obscuras versões de bandas pouco conhecidas aqui no Brasil, o grupo trouxe para o cenário da Jovem Guarda o som de garagem de grupos como The Troggs (“I Can’t Control Myself’ e “With a Girl Like You”, que em suas respectivas versões ganharam os títulos de “Não Posso Me Controlar” e “Tem Que Ser Você”, ambas vertidas por Luiz Keller) e Manfred Mann (“Semi-Detached Suburban Mr. James”, que virou “Este Amor Me Faz sofrer”, também uma versão de Luiz Keller, a faixa que abre o disco).

Ainda sob a influência dos Beatles, a banda foi buscar no primeiro álbum do quarteto a balada “Anna”, original do cantor Arthur Alexander, e a versão dos Blues Caps acabou fazendo sucesso estrondoso em todo Brasil, cinco anos depois da gravação dos Beatles. Outros destaques do disco: “Vou Subir Bem Mais Alto Que Você”, outra versão de Luiz Keller para o sucesso “Reach Out I’ll Be There”, do grupo The Four Tops, “Menina Feia”, de Renato Barros, e “A Irmã do Meu Melhor Amigo”, composição de Leno.

A partir deste álbum de 1967, os Blue Caps deram início a uma significativa mudança na sonoridade da banda. Nos discos seguintes, o grupo de Renato Barros ampliaria seu universo musical, se afastando um pouco do iê-iê-iê para buscar novos horizontes no soul, no funk e num rock mais consistente, para isso, introduziriam em seu repertório novos compositores como o novato Cleo Galanth, o cantor e compositor Puruca (da dupla Os Jovens), e o novo produtor da CBS, um tal de Raulzito Seixas. (rstone)

Álbum 22 - RSBC

Álbum Nº 21

LP

“Os Vips”
Os Vips

(Continental – 1966)

A Jovem Guarda foi mais que um programa de TV, foi na verdade um movimento musical sem precedente na história do Brasil, que proporcionou o surgimento de grandes ídolos da música, não só na esfera individual, os artistas solo, mas também na formação de importantes grupos (os conjuntos musicais) , trios e duplas que foram preponderantes para o sucesso da música jovem dos anos 60. Das várias duplas que surgiram na esteira do sucesso da Jovem Guarda, uma que também marcou para sempre aquela geração, foi Os Vips.

Formada pelos irmãos Márcio e Ronald Antonucci, eles foram os pioneiros no quesito duplas da JG, abrindo caminho para o aparecimento de outras grandes duplas, como Leno & Lílian, Deny e Dino, Os Cords, Os Vikings, Os Jovens, Tony & Adans, etc.

A primeira gravação da dupla aconteceu em 1964, com ‘Tonight’, composição deles com letra em inglês, incluída no LP ‘Reino da juventude’, coletânea produzida e lançada pelo incansável Antonio Aguillar, com vários artistas que estavam surgindo na cena musical.

No início de 1965, a dupla lançou pela gravadora Continental o compacto que trazia a balada “Emoção”, composição de Roberto e Erasmo, que conquistou as paradas de sucesso. O próximo passo foi a gravação do primeiro LP, com acompanhamento do fantástico grupo The Jordans, na maioria das faixas. No ano seguinte, Os Vips gravaram seu segundo álbum, cuja faixa de abertura, “A Volta”, outra composição da dupla Roberto/Erasmo, estourou de forma avassaladora em todas as rádios do país.

Entre 1966 e 1967, auge da Jovem Guarda, a dupla lançou três álbuns pela gravadora Continental, sendo este segundo disco, o de maior sucesso de vendagens, muito por conta do mega-hit “A Volta”.

Com o fim do programa Jovem Guarda, o cenário musical brasileiro começa a mudar. É nessa, meados de 1968, que Os Vips assinam com a CBS, porém, não chegam a lançar um álbum inteiro sequer pela nova casa, restringindo sua participação à série As 14 Mais e ao lançamento de alguns compactos.

No início dos anos 70, a dupla encerra suas atividades, deixando para trás, um dos mais importantes legados da música jovem brasileira. Sem dúvida alguma, os irmãos Antonucci escreveram uma das mais belas páginas do pop brasileiro, hoje fazem parte da restrita galeria dos eternos ídolos da Jovem Guarda. (rstone)

Álbum 21 - Os Vips 1

Álbum 21 - Os Vips 2

Álbum Nº 20

LP

“Leno e Lilian”
Leno e Lilian

(CBS – 1966)

Uma das mais queridas duplas da Jovem Guarda, Leno e Lilian estrearam em disco em março de 1966, quando lançaram pela CBS, o compacto com “Pobre Menina” e “Devolva-me”. As duas músicas estouraram nas paradas de sucesso.

A repercussão deste compacto fabuloso fez o potiguar Gileno Osório e a carioca Silvia Lilian Knapp ganharem a chance de gravar seu primeiro LP, “Leno e Lilian”, que além das duas canções do compacto, trazia outros hits, como “Veja se me esquece “ (composição da prolífera dupla Marcos Roberto e Dori Edson) e “Eu não sabia que você existia” (de Renato Barros, dos Blue Caps, em parceria com Tony, esta música é o que se pode chamar de um iê-iê-iê genuíno, com sua sonoridade altamente dançante e uma letra ultra romântica).

O sucesso da dupla estava garantido, e já no início de 1967, lançaram o segundo álbum, “Não Acredito”, também recheado de grandes hits, porém, os desentendimentos entre os dois acabaram pondo fim à dupla.

Leno deu início a uma excelente carreira solo, Lilian continuou compondo e fazendo boas versões de sucessos internacionais. No início dos anos 70, retomariam a dupla, lançando dois álbuns pela CBS (em 1972 e 73), mas os tempos eram outros, e embora estes dois álbuns dos anos 70 sejam discos geniais, a dupla não conseguiu repetir o mesmo sucesso dos anos 60. (rstone)

Álbum 20 - Leno e Lilian 1

Álbum 20 - Leno e Lilian 2

Álbum Nº 19

LP
“Alguém na Multidão”
Golden Boys

(Odeon – 1966)

Um dos grupos vocais mais importantes da música brasileira, os Golden Boys surgiram em 1958, como uma versão nacional do grupo norte-americano The Platters, e tinham em sua formação os irmãos Roberto, Ronaldo e Renato Correia e o primo Valdir Anunciação, todos nascidos no Rio de Janeiro. Começaram num programa de calouros da rádio Mauá, e logo em seguida, gravaram o primeiro disco pela Copacabana, o 45 rotações que trazia a canção “Meu romance com Laura”, que fez relativo sucesso local.

No início dos anos 60, continuaram gravando compactos, mas o grupo só alcançou sucesso definitivo quando embarcou na onda da Jovem Guarda. O LP “The Golden Boys” (1965) emplacou os sucessos “Ai de Mim” (versão de Neusa de Souza para “All of Me”, clássico standard americano) e “Dançando O Surfin’”, esta uma versão de Roberto Nunes para o original “Your Baby’s Is Gone Surfin’”, do guitarrista Duane Eddy. Mas foi com o álbum “Alguém na Multidão”, de 1966, que os Golden Boys se consagraram como um dos principais grupos vocais do chamado iê-iê-iê. O álbum estourou em todo o país, a começar pela faixa-título, uma composição original de Rossini Pinto.

Outras canções como “Se Eu fosse você” (também de autoria do grande Rossini Pinto), “Mágoa” (versão de “Heartaches”, sucesso de Pat Boone), e “O Feiticeiro (“Love potion number nine”) tornaram-se grandes hits naquele ano. Após o fim da Jovem Guarda, o grupo enveredou pelo terreno da soul music, gravando nos anos 70, pelo menos dois clássicos do gênero, “Fumacê” e “O Cabeção”. (rstone)

Álbum 19 - GB

Álbum 19 2

Álbum Nº 18

LP

“Para Os Jovens Que Amam Os Beatles, Os Rolling Stones e… Os Incríveis”

Os Incríveis

(RCA – 1967)

Eles surgiram em 1963, como The Clevers, empresariados pelo grande apresentador e produtor Antonio Aguilar. Antonio Rosa Sanchez (Manito, sax), Waldemar Mozena (Risonho, guitarra solo), Domingos Orlando (mingo, guitarra base), Demerval de Souza (Neno, baixo), substituído depois por Lívio Benvenuti Júnior (Nenê, baixo) e Luiz Franco Thomaz (Netinho, bateria) escreveram uma das mais importantes páginas do rock brasileiro.

Começaram como grupo instrumental, aproveitando a onda do surf rock. Em 1966, desentenderam-se com seu empresário e mudaram o nome para Os Incríveis. Em 1967, Lançaram mais um álbum pela gravadora Continental, o fantástico “Os Incríveis Nesse Mundo Louco”, que também virou título de um filme, e em seguida assinaram com a RCA-Victor, por onde lançaram este “Para Os Jovens que Amam Os Beatles, Os Rolling Stones e..Os Incríveis”, considerado por muitos fãs o melhor álbum da carreira da banda.

Aqui está o clássico “Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones” (sucesso do italiano Gianni Morandi) e a regravação definitiva do hit instrumental “O Milionário”, além de pérolas como “Nosso Trato”, “Molambo” e “Perdi Você”. Até no título este disco é genial, tanto que, sempre que lembramos deste disco nos vem à memória aqueles três pontinhos que ligam os Beatles e os Rolling Stones aos Incríveis. São os três pontinhos mais malandros do rock brasileiro. (rstone)

Álbum 18 Incríveis 1

Álbum 18 Incríveis 2

Álbum Nº 17

LP

“Roberto Carlos”
– Roberto Carlos

(CBS – 1966)

Em dezembro de 1966, pelos mesmos dias em que era lançado o novo LP de Roberto Carlos, o ex-rei do rock Sérgio Murilo, que estava tentando retomar sua carreira no Brasil com seu recém-lançado LP, , demonstrava desespero em relação ao seu rival e sucessor no trono, RC, ao soltar o verbo em entrevista irada à revista Garotas : “Eu detesto Roberto Carlos e sei que ele não gosta de mim (…) Tudo começou no início de nossas carreiras, quando pertencíamos à mesma gravadora. Eu tinha mais cartaz do que ele, o que acontece até hoje, e meus discos eram bem mais trabalhados (…) Durante os dois anos que fiquei pelas Américas, ele conseguiu fazer um movimento que acabou, não sei como, em sucesso. Após minha chegada, fui convidado umas três vezes a cantar no Jovem Guarda. Não aceitei porque ele estava lá. Isso foi motivo para que Roberto recomeçasse com as fofocas (…) J´não aguento mais, mas não vou responder a esse rapaz que está embriagado pelo sucesso (…) O que falta a Roberto Carlos é ter um pouco de inteligência. Se ele tivesse aproveitado o dinheiro para estudar, como eu fiz, hoje não estaria com medo de cair do pedestal (…)”

As acusações de SM nem chegaram a fazer cócegas em Roberto Carlos, pelo contrário, só serviram para expor o desespero de Sérgio pela perda de terreno que vinha sofrendo cada vez mais dentro do cenário da nova música jovem.

Enquanto Sérgio Murilo se esperneava, o sexto LP de Roberto era lançado e imediatamente coroado de sucesso, era o disco mais recheado de hits e o mais bem trabalhado em termos de arranjos, até então. É o disco pós-estouro do programa “Jovem Guarda” e o que mais recebeu influências dos Beatles, a começar pela capa, mostrando um Roberto sério na solidão do escuro, copiada do álbum “With The Beatles” (1963), transformando em uma só as quatro cabeças da banda britânica.

Para este disco, Roberto teve o acompanhamento dos grupos The Fevers, Jet Blacks, The Youngsters e Renato e Seus Blue Caps, além do tecladista Lafayette. Todas as doze faixas viraram hits radiofônicos, é difícil destacar alguma, mas “Namoradinha de um Amigo Meu”, “Eu Te Darei o Céu”, “Nossa Canção”, “Negro Gato” e “Esqueça” entraram para a galeria de clássicos eternos do rei. (rstone)

Álbum 17 RC Inimitável 1

Álbum 17 RC Inimitável 2

Álbum Nº 16

LP

“Você Me Acende”
– Erasmo Carlos

(RGE – 1966)

Com o LP “Você Me Acende”, o segundo de sua carreira, lançado em junho de 1966, Erasmo Carlos assumiu o ônus de ser o personagem mais rebelde e mal comportado da Jovem Guarda. O perigo já se prenunciava na capa, em que numa justaposição de fotos, Erasmo aparecia de sorriso meigo olhando para outro Erasmo, que mordia sensualmente uma corrente envolta em seu pescoço. Era o retrato da bifurcação entre o “menino bom mocinho” e o jovem e rebelde roqueiro, terror da menininhas.

Acompanhado pelos Fevers, Erasmo preencheu seu segundo disco de hormônios sexuais em fúria, provando que a Jovem Guarda não era tão somente um movimento infanto-juvenil bobinho, e em sintonia com o som e a estética mais rock’n’roll da época, gravou canções incendiárias como, “O Carango” , ”Cuide Dela Direitinho”, “Peço a Palavra”, ‘É Duro Ser estátua”, “Deixa de Banca”, “Alô Benzinho” e a faixa-título, uma estimulante versão de “You Turn Me On”, do cantor britânico Ian Whitcomb. Para essa canção, Erasmo criou uma letra que era pura adrenalina sexual.

No campo das baladas doces para namoros no portão, havia dois clássicos instantâneos: “A Carta” (composição da dupla Raul Sampaio e Benil santos, diretores da gravadora RGE) e “Gatinha Manhosa” (Roberto e Erasmo), essa última havia sido gravada sem maiores repercussões um ano antes, pelo grupo Renato e Seus Blue Caps. A gravação de Erasmo virou um dos maiores hits radiofônicos de 1966.

“Você Me Acende” era iê-iê-iê, mas principalmente era uma aula do velho e bom rock and roll, trilha sonora ideal para azarar os brotos nas festinhas embaladas com cuba libre, de forma que, indiscutivelmente este é um dos melhores álbuns da Jovem Guarda. (rstone)

Álbum 16 - EC 2

Álbum 16 - EC

Álbum Nº 15

LP

“Ronnie Von”
– Ronnie Von

(Polydor – 1966)

É interessante como a melhor fase de Ronnie Von está nos três álbuns de temática psicodélica que gravou entre 1968 e 1970 – a saber, “Ronnie Von”(1968), “A Misteriosa Luta do reino de Parassempre…” (1969) e “A Máquina Voadora” (1970) -, mas sua estreia em LP, após o estrondoso sucesso do compacto “Meu Bem (Girl)”, causou frisson no reino da brotolândia.

Lançado em outubro de 1966, o disco trazia cinco versões de sucessos dos Beatles, fora duas cantadas no original (“In My Life” e “You´ve Got To Hide Your Love Away”), quatro composições de Tommy Standen (que faria grande sucesso nos anos 70 como Terry Winter), e uma versão de “As tears go by”, dos Rolling Stones.

Ou seja, era um álbum que não tinha nada de autoral, e talvez por isto Ronnie Von tenha odiado o disco. Mas o sucesso foi enorme, e logo passaram a chamá-lo de “O Pequeno Príncipe da Jovem Guarda”.

O estrondoso sucesso da balada “Meu Bem” o levou a TV Record, onde passou a apresentar o programa “O Pequeno Mundo de Ronnie Von”, que fazia uma espécie de contraponto ao “Jovem Guarda”, de Roberto Carlos, ao levar artistas como Os Mutantes e Gal Costa, que na época não tinham a menor chance de se apresentar no programa do Roberto.

No ano seguinte, Ronnie Von gravaria “A Praça”, de Carlos Imperial e emplacaria outro megassucesso, mas a esta altura, ele já estava pulando fora do reino da brotolândia e partindo para experiências bem mais interessantes, misturando Beatles com Orlando Silva, rock progressivo com música erudita, psicodelismo com hard rock, mas isso já é outra história. (rstone)

Álbum 15 Ronnie Von 1

Álbum 15 Ronnie Von 2

Álbum Nº 14

LP

“O Inimitável”
– Roberto Carlos

(CBS – 1968)

Lançado no final de 1968, quando o programa Jovem Guarda já havia sido encerrado, Roberto batizou seu novo LP de “O Inimitável” para neutralizar a profusão de imitadores, dos quais, o mais incômodo era Paulo Sérgio, que naquele ano lançara dois excelentes álbuns, ameaçando não exatamente o título do “rei do iê-iê-Iê”, mas principalmente a superioridade nas vendagens de discos.

Mas algo estava mudando na carreira de Roberto Carlos. Roberto continuava apostando no romantismo, porém de uma ótica mais “adulta”, o som estava mais para a Black Music do que para o iê-iê-iê ingênuo.

As levadas roqueiras ficavam com “Ciúme de você”, “Eu te amo, te amo, te amo” e “Nem mesmo você”. Influências da soul music se faziam presentes em “Não há dinheiro que pague”, “Se você pensa” e “As canções que você fez pra mim”.

As duas canções que abrem o disco, “E não vou mais deixar você tão só”, de Antonio Marcos, e “Ninguém vai tirar você de mim”, de Edson Ribeiro e Hélio Justo, estão entre as mais lindas canções de amor que Roberto já gravou. (rstone)

Álbum 14 RC 1

Álbum 14 RC 2

Álbum Nº 13

LP

“O Bom”
– Eduardo Araújo

(Odeon – 1967)

Naqueles primeiros anos da chegada do rock no Brasil, uma das coisas mais difíceis para os artistas que mergulharam no novo gênero, era conciliar as influências estrangeiras com os ritmos regionais, com as raízes da música brasileira.

O mineiro Eduardo Araújo foi um dos poucos que teve êxito nesta fusão de elementos tão distintos. Quem não se lembra de “Maringá” ou “De papo pro ar”, talvez as primeiras tentativas de conciliação do rock com a música brasileira?

Filho de fazendeiros mineiros, Eduardo começou sua carreira em 1960, ainda em Minas Gerais, cantando no programa “Volta ao Mundo”, de Rosana Tapajós. Dudu estreou no programa cantando “Rock Around The Clock”, porém teve um acesso de tosse em plena transmissão, devido ao primeiro cigarro fumado em sua vida.

Perseguindo a carreira de cantor, naquele mesmo ano de 1960, seguiu para o Rio de Janeiro, onde começou a cantar no programa Hoje é dia de Rock, de Jair de Taumaturgo, na TV Rio. Foi quando compôs sua primeira canção. “Deixe o rock”.

No início de 1961, gravou um compacto duplo, intitulado “O garoto do Rock”, porém o disco não aconteceu e Dudu retornou para a fazenda dos pais, em Minas.

Com a explosão do movimento Jovem Guarda, o lado roqueiro do garoto fazendeiro bateu mais forte e Eduardo Araújo partiu de volta para o Rio de Janeiro, desta vez levado pelas mãos do pai de todos os roqueiros brasileiros, o grande Carlos Imperial, que compôs para ele o mega-hit “O Bom”, música que alcançou os primeiros lugares das paradas no final de 66, e que serviu como titulo do seu primeiro LP, lançado em março de 1967.

O extraordinário sucesso do disco tornou o jovem cantor conhecido em todo o Brasil, levando-o também à televisão, onde passou a exibir, ao lado da futura esposa Silvinha, o programa “O Bom”, pela TV Excelsior de São Paulo. A esta altura, Eduardo Araújo já era um dos grandes ídolos da juventude, com suas roupas de cowboy e sua guitarra de rocker brabo. (rstone)

Álbum 13 - Eduardo A 2

Álbum 13 - Eduardo A

Álbum Nº 12

LP

“Vivendo Sem Você”
– Jerry Adriani

(CBS – 1967)

Jerry Adriani já era um dos grandes ídolos do iê-iê-iê, quando lançou no primeiro semestre de 1967, o LP “Vivendo Sem Você”, o quinto de sua carreira. É o segundo álbum da quadrilogia que o cantor lançou entre 1966 e 1968, conhecida como os discos “A você” (“Devo Tudo A Você” de 1966, “Vivendo Sem Você” e “Dedicado A Você” (ambos de 1967), e “Esperando Você”, de 1968).

Seguindo a mesma linha do anterior “Devo Tudo A Você”, neste novo trabalho, Jerry mostrou que, apesar do romantismo que impregnava seus sucessos, ele era do rock, principalmente em “Quem não quer”, versão de “Black is Black”, da banda de rock espanhola Los Bravos; na dançante “Calcei sapatos novos”, de Geraldo Figueiredo e Nazareno de Brito, e na agitada “Chorei a noite inteira”, versão lupiciniana de Rossini Pinto para “The night is over”, da dupla de compositores ingleses Roger Cook e Roger Greenaway.

Novamente acompanhado por Renato e Seus Blue Caps, Jerry emplacou vários hits nas paradas com este este álbum, como as já citadas “Quem não quer” e “Calcei sapatos novos”, e mais “Um novo amor”, a faixa título, e a belíssima “És meu amor”, versão do grande Rossini Pinto para “It’s For You”, música original de Freddy Garrity, do grupo Freddy And The Dreamers, aliás, essa canção no original não consta em nenhum álbum dos The Dreamers, portanto, até hoje não sei como o Rossini Pinto encontrou essa canção para versionar.

“Vivendo Sem Você” tocou praticamente inteiro nas rádios de todo o Brasil durante todo o ano de 1967. (rstone)

Álbum 12 JA - 2

Álbum 12 JA

Álbum Nº 11

LP

“É Tempo do Amor”
– Wanderléa

(CBS – 1965)

“É Tempo do Amor”, o terceiro LP de Wanderléa, chegou à praça em julho de 1965, um mês antes da estreia do programa Jovem Guarda, um belo título para aqueles tempos de exacerbado romantismo no pop brasileiro.

Este é o disco do megahit “Ternura”, versão de Rossini Pinto para a obscura “Somehow it got to be tomorrow”, gravação da cantora Pat Woodell.

Mais uma vez foi mantido o esquema de preencher quase todo o disco com versões de canções de ídolos estrangeiros, cujo material ia da musa francesa Françoise Hardy (“Le temps de l’amour”, que virou “É Tempo do Amor”, que deu título ao LP), passando pela veterana roqueira Brenda Lee (“É pena”, versão da balada “I’m Sorry”, do final dos anos 50), ao grupo de rock Manfred Mann (“Do wah diddy diddy”) e o elegante Serge Gainsbourg (“Poupée de cire, poupée de son”, que na versão de Neusa de Souza ficou “Boneca de cera, boneca de pano”).

Acompanhando Wanderléa no seu novo trabalho, em alternância, os grupos The Youngsters e Renato e Seus Blue Caps, que mandaram brasa na sonoridade moderninha do disco. (rstone)

Álbum 11 Wanderléa 1

Álbum 11 Wanderléa 2

Álbum Nº 10

LP

“Isto É Renato e Seus Blue Caps”
– Renato e Seus Blue Caps

(CBS – 1965)

Em meados de 1965, os Blue Caps, estavam abarrotados de trabalho, eles eram a banda fixa da CBS nas gravações de diversos outros artistas da casa. Mesmo com pouco tempo, conseguiram realizar, no segundo semestre daquele ano um dos discos mais curiosos da Jovem Guarda.

Pra começar, “Isto É Renato e Seus Blue Caps” foi o representante no Brasil da chamada invasão britânica ocorrida na América do Norte no ano anterior. Ali estavam várias versões de sucessos ingleses, só da dupla Lennon/McCartney haviam quatro, “Feche os olhos (All my loving)”, “Eu sei (I’ll be back)”, “Meu primeiro amor (You’re going to lose that girl)” e “Sou tão feliz (Love me do)”.

Outra curiosidade era a capa, que é a mesma do LP “Elgart au Go Go”, de Les & Larry Elgart, também lançado em 1965. A CBS já havia se aproveitado do seu “banco de dados” para ilustrar a capa do primeiro disco de Roberto Carlos, “Louco Por Você” (1961), que era a mesma de um LP do organista Ken Griffin, “To Each His Own”, lançado em 1946. Outro artista que teve capa “clonada” foi Sérgio Murilo, no LP “Baby” (1961), em que a CBS aproveitou outra capa de Ken Grifin, a do disco “Sweet and Lively” (1960).

Mas isso parecia não ter a menor importância na época, já que os próprios artistas não contestavam, é bem provável que sequer sabiam que as capas de seus discos não tinham nada de originais.

Voltando ao repertório de “Isto É Renato…”, não precisa dizer que quase todas as canções tornaram-se sucessos radiofônicos, com destaque para “O escândalo”, versão de “Shame and scandal in the family”, sucesso do cantor Shawn Elliott; “Espero sentado”, versão do sucesso “Keep searchin’, de Del Shannon, além, é claro, das célebres “Feche os olhos” e “Meu primeiro amor”, músicas que ajudaram a introduzir a beatlemania no Brasil. (rstone)

Álbum 10 RSBC 1

Álbum 10 RSBC 2

Álbum Nº 09

LP

“Roberto Carlos Canta Para A Juventude”
– Roberto Carlos

(CBS – 1965)

Até Frank Sinatra gravar o álbum “Songs For Young Lovers”, em 1955, ninguém havia assumido fazer músicas para jovens. A exemplo de Sinatra, Roberto foi direto falar com esse público, quando lançou, em abril de 1965, o LP “Roberto Carlos Canta Para A Juventude”.

Depois do espetacular “É Proibido Fumar”, o tempo para Roberto Carlos era de fertilidade. Shows por todos os lados, garotas por todos os quartos de hotéis, jornais e revistas corriam atrás do novo líder pop. Foi nesse ritmo alucinante que o seu quarto LP chegou às lojas do Brasil naquele início de ano, em cuja capa, lá estava um Roberto com ar de moço triste sobre um fundo azul-piscina, contrastando um pouco com um repertório alegre, feito para dançar.

Assim como seu antecessor, “Canta Para A Juventude” é basicamente um disco de surf-rock, com uma peculiaridade: agora, o órgão de igreja do tecladista Lafayette prevalecia sobre as guitarras flamejantes dos Youngsters e dos Blue Caps. Lafayette e seu Hammond B3 estavam presentes no disco todo, e apesar do tecladista ser uma descoberta do parceiro Erasmo, coube a Roberto a primazia de lançar para o Brasil a moda de rechear as canções de todos os artistas daquele tempo de órgãos estridentes.

Nos temas, Roberto mais uma vez reafirmava sua fé no amor, mas o álbum trazia também em sua embalagem pop juvenil, influências dos quadrinhos (“Brucutu”), do cinema (“Noite de terror”) , das gangs de rua (“Os sete cabeludos”), e mirava também, até de forma intimista, no futuro daquela juventude para a qual ele cantava (“Os velhinhos”).

E 1965 estava só começando, até o final daquele ano, toda a juventude do país seria arrebatada pela nova onda musical liderada por aquele rei menino, cheio de energia e de muito rock’n’roll. (rstone)

Álbum 9 RC Canta 2

Álbum 9 RC Canta p J 1

Álbum Nº 08

LP

“Paulo Sérgio – Vol. 1”
– Paulo Sérgio

(Caravelle – 1968)

Quando a pequena gravadora Caravelle, do carioca Adiel Macedo de Carvalho, contratou, em fins de 1967, o cantor capixaba Paulo Sérgio, ninguém imaginaria que dali a seis meses, o novo artista provocaria um dos mais históricos e conturbados rebuliços na cena musical jovem da época.

O abalo sísmico começou quando, no início de 1968, Paulo Sérgio lançou seu segundo compacto com a balada “Última Canção”, de autoria do compositor Carlos Roberto, Inicialmente sem maiores pretensões comerciais, mas o disquinho galgou rapidamente as paradas de sucesso e em três semanas já havia vendido 60 mil cópias.

Foi o bastante para o Brasil inteiro começar a cantar aquela música que anunciava o fim de um romance determinado por uma última canção. E a última se tornou a primeira, e Paulo Sérgio entrou em estúdio para seu primeiro long playing, como se dizia na época.

O sucesso foi instantâneo e esmagador, atingindo inclusive o “rei” da Jovem Guarda, que, na tentativa de neutralizar o novo “adversário”, que a imprensa chamava de “imitador” e “usurpador do trono”, intitulou seu novo disco de “O Inimitável”.

Por essa época, a Jovem Guarda já agonizava, o seu “rei” buscava novos rumos no universo da black music e das baladas açucaradas com o mel do romantismo exacerbado , portanto, o surgimento de Paulo Sérgio funcionou como um novo sopro nas cinzas do movimento.

A imprensa e a corte do “rei” não gostou, já o público simplesmente adorou aquele novo artista e o seu disco repleto de rocks românticos e baladas pra lá de sentimentais.

Músicas como “No dia em que parti”, “sorri, meu bem”, “Pro diabo os conselhos de vocês” (esta, composição de Carlos Imperial, também gravada por Erasmo Carlos na mesma época), e “Última canção”, tornaram-se clássicos instantâneos e abriram caminho para uma nova geração de cantores que estavam chegando, como Nelson Ned, Marcos Pitter e Odair José, entre outros. (rstone)

Álbum 8 Paulo Sérgio

Álbum Nº 07

LP

“A Pescaria”
– Erasmo Carlos

(RGE – 1965)

Lançado em maio de 1965, o primeiro LP de Erasmo Carlos trazia a canção que foi considerada o 2º hino oficial da Jovem Guarda, a música “Festa de Arromba”, na qual, Erasmo citava os principais artistas da cena musical da época, causando tremendo alvoroço em toda a juventude brasileira.

A longa espera pela realização do seu primeiro álbum solo, fez com que esse disco genial parecesse mais uma coletânea de sucessos do que um álbum fechado, pois ali estavam, além de várias canções inéditas, outras lançadas anteriormente em compactos de muito sucesso, como “ Terror dos namorados”, “Minha fama de mau” e a própria “Festa de arromba”.

E Erasmo chegava mostrando sua verve roqueira, já de cara desafiando o quarteto de Liverpool para um “duelo”, em “Beatlemania”; cantando a la Chuck Berry em “Dia de escola” (versão do clássico de Berry, “School Days”); mostrando malandragem juvenil na faixa-título, e brilhando em algumas pérolas romanticamente apropriadas ao movimento JG, através de baladas douradas como “Alguém que procuro”, “Sem teu carinho” (com seu ritmo de surf rock) e “Gamadinho por você”.(rstone)

Álbum 7 - Erasmo Pescaria 1

Álbum Nº 06

LP

“Roberto Carlos em Ritmo de Aventura”
– Roberto Carlos

(CBS – 1967)

Lançado originalmente em novembro de 1967, como trilha sonora do filme de mesmo nome, “Em Ritmo de Aventura” é o mais perfeito e o mais bem-sucedido álbum de RC, da sua fase Iê-iê-Iê, cuja moldura sonora era mais uma vez guiada e ampliada pelos sons de órgão Hammond do tecladista Lafayette e pelo maravilhoso acompanhamento dos Blue Caps e do RC-7. A interferência do grande Lafayette é tão importante que não se sabe como ele não requereu coautoria em algumas das faixas desse disco fantástico.

“Em Ritmo de Aventura” é um primor, do início ao fim, Roberto estava inspiradíssimo e abriu o leque para várias influências, que iam além do iê-iê-iê, sinalizando o início de uma mudança de estilo em seu repertório.

Em termos musicais, Roberto flertava com a Black music, o country e o rock mainstream dos anos 60. Clássicos como “Eu sou terrível”, “Por isso corro demais”, “Quando” e “Só vou gostar de quem gosta de mim”, e a ultra romântica “Como é grande o meu amor por você”, ajudaram a eternizar o álbum no inconsciente coletivo da juventude da época, por isso, “Em Ritmo de Aventura” seja talvez o álbum mais cultuado de Roberto até os dias atuais. (rstone)

Álbum 6 - RC em Ritmo de A

Álbum Nº 05

LP

“Wanderléa”

-Wanderléa

(CBS – 1967)

Lançado em abril de 1967, o quinto LP de Wanderléa foi puxado pelo sucesso envenenado de “Prova de fogo”, um iê-iê-iê original, composto pelo maninho Erasmo Carlos.

Acompanhada pelos Fevers e por seu grupo Os Wandecos, a “Ternurinha” alcançou o auge da sua carreira com este álbum super bem produzido.

O repertório, como de praxe na época da Jovem Guarda, era composto basicamente por versões, mesmo assim sobrou espaço para pérolas originais de Ed Wilson (“Acho que vou lhe esquecer” e “Vou lhe deixar”, esta em parceria com o irmão Paulo César), Carlos Imperial (“Horóscopo”) e Roberto Correa e Sylvio Son (“Te Amo”).

Álbum 5 - Wanderléa

Álbum Nº 04

LP

“Um Grande Amor”
– Jerry Adriani
(CBS – 1965)

Terceiro álbum da carreira de Jerry Adriani e o primeiro em português, “Um Grande Amor” traz em sua concepção, um traço fantástico do destino: não era pra ser um disco de Jerry adriani, mas sim do cantor de samba-canção Jorge Silva, que teve problemas com a voz, quando todo o repertório do disco já estava com suas bases concluídas pelo conjunto Renato e Seus Blue Caps, pelo tecladista Lafayette e pela orquestra de Alexandre Gnattali.

Jerry Adriani foi chamado para substituí-lo, colocando a voz sobre as bases pré-gravadas. Lançado em outubro de 1965, “Um Grande Amor” é um dos mais extraordinários álbuns da Jovem Guarda, seguindo inclusive a concepção inicial do movimento, quando a maioria dos discos dos artistas da época traziam um repertório feito quase todo de versões de sucessos internacionais.

Com sua voz poderosa, muitas vezes soando a la Elvis Presley, Jerry Adriani imprimiu uma autenticidade fora do comum nas versões do álbum, de forma que canções como “Querida (Do’nt let then move)”, “Deixe-me levá-la pra casa (Baby let me take you home)”, “Não quero mais amar (I’ve got sand in my shoes)” e “Um grande Amor”, mais parecem terem sido compostas única e exclusivamente para ele. Você certamente jamais trocaria qualquer uma dessas versões citadas por sua correspondente original. (rstone)

Álbum 4 - Jerry

Álbum Nº 03

LP

“É Proibido Fumar”
Roberto Carlos
(CBS – 1964)

Roberto Carlos já era ídolo consagrado da juventude quando lançou “É Proibido Fumar”, seu terceiro LP, em agosto de 1964. Este é o álbum mais “roqueiro” de toda sua carreira, e mais, é o primeiro disco genuinamente rock’n’roll do Brasil, gravado inteiramente por uma banda de rock, dispensando pela primeira vez na história da música juvenil brasileira, as orquestras de estúdio.

O negócio aqui era só guitarra, baixo, bateria e sax. As músicas traziam toda uma gama de interjeições pop do tipo “iau!”, “yeah”, “ié ié”, entre outros gritos de guerra do rock. Roberto acendia o estopim e o fogo que em breve se espalharia na juventude, nenhum corpo de bombeiros poderia, de fato, apagar. Detalhe para um Roberto novinho (e gordinho) na contracapa do LP. (rstone)

Álbum 3 RC Proibido 2

Álbum 3 RC Proibido Fumar 1

Álbum Nº 02

LP

“Um Embalo Com Renato e Seus Blue Caps”
– Renato e Seus Blue Caps

(CBS – 1966)

O quinto álbum de Renato e Seus Blue Caps consolidou de vez a banda como o maior grupo da Jovem Guarda.

“Um Embalo…” é um dos discos mais queridos pelos fãs da banda, e o segundo mais bem sucedido em termos de vendagens, só perdendo para o belíssimo LP de 1970.

Lançado no final de 1966, emplacou vários sucessos nas paradas, como “Meu bem não me quer”, “A primeira Lágrima”, “Não te esquecerei”, além de “Vivo só”, versão de “For your Love”, dos Yardbirds, e “Dona do meu coração”, versão de “Run for your life”, dos Beatles. Só tinha pérolas neste “Embalo…”.

Os Blue Caps foi talvez o grupo que melhor traduziu o som dos Beatles para esta terra brasilis. Este disco é um clássico absoluto da JG. (rstone)

Álbum 2 - RSBC

Álbum Nº 01

LP

“Jovem Guarda”
– Roberto Carlos

(CBS – 1965)

Lançado em novembro de 1965, três meses após a estreia do programa homônimo, o quinto LP da carreira de Roberto Carlos é o álbum-símbolo do movimento, o disco que ajudou a popularizar o jargão “jovem guarda”.

Na faixa de abertura, Roberto mandava tudo para o inferno, abalando as estruturas da moral cristã, enquanto arrebanhava milhões de corações jovens ávidos por música e coisas novas.

“Quero que vá tudo pro inferno” tornou-se um dos grandes clássicos do rock dos anos 60, uma canção que está no mesmo patamar de uma “Satisfaction”, dos Stones ou “Like a rolling stone”, de Bob Dylan, ambas lançadas no mesmo ano.

Entre letras ingênuas, baladas românticas e iê-iê-iês dançantes, outras canções tornaram-se clássicos da juventude, como “Sorrindo para mim”, da compositora Helena dos Santos; “Eu te adoro meu amor”, de Rossini Pinto; “Escreva uma carta meu amor”, de Pilombeta e Tito Silva; “Mexerico da candinha”, de Roberto e Erasmo; e “Lobo mau”, versão do sucesso internacional “The wanderer”, do cantor Dion & The Belmonts.

Por tudo isso, pode-se dizer que “Jovem Guarda” foi o álbum que deu início ao maior movimento musical do pop brasileiro dos anos 60. (rstone)

Álbum 1 - RC JG

Para maiores detalhes, comentários, fotos relacionadas, etc… visitem o grupo “Eterna Jovem Guarda” no Facebook. 😉

Jovem Guarda 50 anos

Os 50 Maiores Álbuns da Jovem Guarda – Parte Final – Os Álbuns-Bônus

Álbum Nº 54

LP
“O Último Trem”
The Sunshines

(CBS – 1967)

Renato Barros disse certa vez que o grupo carioca The Sunshines foi a única banda que poderia ter quebrado a hegemonia dos Blue Caps como melhor grupo da Jovem Guarda. Formado em 1964, pelos irmãos João Augusto Soares Brandão, o Guty (vocais), e Geraldo Brandão (guitarra base), ambos filhos do comediante Brandão Filho, juntamento com Walter D’Ávila Filho (guitarra solo), este filho do também comediante Walter D’Ávila, e mais o baixista Rakami e o baterista Dândalo, que no ano seguinte seria substituído por Sérgio, os Sunshines estreou em disco em 1966, quando lançou seu primeiro LP pelo selo independente Rio.

No início de 1967, a banda foi contratada pela CBS para o subselo EPIC, e sob a produção de Jairo Pires, lançou no segundo semestre daquele ano o magnífico LP “O Último Trem”, cuja faixa título era uma excelente versão de Leno para o sucesso recente dos Monkees, “Last Train to Clarksville”. A versão dos Sunshines estourou em todo o Brasil, atingindo os primeiros lugares das paradas de sucesso. Mas esta não era a única pérola deste álbum soberbo. Numa época em que as versões dominavam o som da Jovem Guarda, o grupo evitou o óbvio ao trazer para o repertório do disco o som de bandas britânicas menos conhecidas, como The Easybeats, Dave Clark Five, entre outros obscuros grupos ingleses. Além da faixa-título, a banda emplacou também nas paradas a balada “Palavra de Rapaz”, composição do então jovem guardista e futuro sambista Luiz Ayrão.

No ano seguinte, o grupo lançaria um compacto que faria enorme sucesso, graças à belíssima “Por Você Tudo Faria”, versão de Geraldo Brandão para “Friday on my mind”, dos Easybeats. No final daquele ano, o grupo encerraria suas atividades, deixando para trás, uma trajetória fantástica. Poucas bandas da Jovem Guarda foram tão talentosas como o The Sunshines. (rstone)

Álbum 54 - The Sunshines

Álbum Nº 53

LP
“Eu Te Amo Mesmo Assim”
Martinha

(Artistas Unidos-Rozemblit – 1967)

A mineira Martinha é o típico exemplo da garota que de tanto venerar seus ídolos, um belo dia viu-se entre eles, sendo uma deles, realizando assim, um belo conto de fadas. Nascida em Belo Horizonte, em 30 de junho de 1949, Martha Vieira Figueiredo Cunha era filha única. Reza a lenda que Sua mãe, dona Ruth, era a famosa Candinha, que assinava a coluna “Mexericos da Candinha”, na fase áurea da Revista do Rádio, editada pelo jornalista Anselmo Domingos.

Estudante de balé e piano desde a infância, Martinha jamais imaginou ser cantora, até que explodiu a Jovem Guarda, então ela quis tomar parte daquilo tudo. Os contatos que dona Ruth tinha no meio artístico foram acionados e numa bela noite de 1965, Roberto Carlos em pessoa bateu à sua porta. Não precisa dizer que aquela visita foi fundamental para a jovem mineirinha de apenas 17 anos, 1.50m de altura e dona de um talento excepcional, percebido pelo rei da Jovem Guarda, que a convidou para se apresentar no seu programa, em São Paulo.

No início de 1967, Martinha se preparava então para a gravação do seu primeiro compacto, mas a moça já tinha 16 canções prontas, todas verdadeiras pérolas românticas e ao estilo iê-iê-iê. Após o lançamento de dois compactos, chegou a vez do primeiro LP, intitulado “Eu Te Amo Mesmo Assim”, lançado em setembro de 1967, pela marca Artistas Unidos (AU)/Rozemblit. Das doze faixas do disco, sete eram de sua autoria, mostrando que Martinha, além de exímia pianista, era uma grande compositora. “Barra Limpa” era uma polaroide da época. “Não gosto mais de você” era uma bronquinha iê-iê-iê no namorado. O melhor do álbum está nas ultra românticas “Seja o que Deus quiser”, “Meu vestidinho”, e o faixa-título, “Eu te amo mesmo assim”, que virou um grande hit nas paradas.

Com este primeiro LP, Martinha se firmava como uma das grandes musas da Jovem Guarda, ao lado de Wanderléa, Rosemary e Waldirene. Até o final do movimento, lançaria mais dois belíssimos álbuns, e depois seguiria uma carreira sólida como uma das grandes cantoras e compositoras românticas da música brasileira. (rstone)

Álbum 53 Martinha

Uma observação sobre o início de carreira de Martinha:

Quando ainda não tinha iniciado carreira lá em Minas Gerais, Martinha e sua mãe, Dona Ruth, tentaram até finalmente conseguirem que Elmar Tocafundo, da CBS, e que tinha um programa de rádio em Belo Horizonte, conversasse com Roberto Carlos para que ele conhecesse sua filha, que era ouvinte de seu programa de rádio. Foi daí que através de Elmar Tocafundo que Martinha iniciou na Jovem Guarda. Foi Elmar quem levou Roberto na casa dela depois de um show, às 3h da manhã… e depois disso, já sabemos a história, ela tornou-se o “Queijinho de Minas” do programa Jovem Guarda.
Neste vídeo a Martinha reconhece que foi Elmar Tocafundo quem lhe estendeu a mão para que ela chegasse à Jovem Guarda:

Álbum Nº 52

LP
“Rossini Pinto”
Rossini Pinto
(com Renato e Seus Blue Caps)

(CBS – 1964)

Ele foi um dos mais importantes compositores e versionistas da histótia, ajudou a consagrar vários dos artistas do movimento jovem guarda, com composições próprias e versões em português do rock britânico, americano e até espanhol.

Rossini Pinto nasceu na pequena cidade de Itabapoana/ES em 24 de janeiro de 1937. Mudou-se para o Rio de Janeiro em meados da década de 1950. Em 1955, trabalhava como repórter do diário esportivo Jornal dos Sports e do matutino Correio da Manhã.

Começou sua carreira artística por acaso, em 1960, ao musicar o poema “Convite de Amor”, do então Presidente da República, Jânio Quadros. Desde então, passou a ser solicitado por gravadoras. Acabou assinando contrato com a Copacabana em 1961, por onde lançou seu primeiro compacto (single) com as canções “Rock Presidencial”, de sua autoria, e “Vamos Brincar de Amor?”, de Vadico e Herberto Sales.

Como intérprete, emplacou nas rádios sucessos como, “Voa Passarinho”, “Viu No Que Deu?” (ambas de sua autoria e de Fernando Costa), isso ainda no início dos anos 60, era pré-Jovem Guarda. Como compositor, ganhou prestígio quando Roberto Carlos passou a gravar várias de suas composições, destacando-se os sucessos “O Leão Está Solto Nas Ruas”, em 1964, “Parei…Olhei” e “Eu Te Adoro, Meu Amor”, em 1965, e “Só Vou Gostar de Quem Gosta de Mim”, de 1967. Teve também composições gravadas por Wanderléa, Golden Boys (o hino jovem guarda “Alguém na Multidão”, entre outras), The Fevers, e antes ainda, teve canções gravadas pelo pessoal da velha guarda, como Agostinho dos Santos e Emilinha Borba, que em 1962 gravou “Me Leva Pro Céu”.

Contratado da gravadora CBS, Rossini Pinto uniu-se aos Blue Caps para a gravação de seu primeiro LP homônimo, cujo lançamento ocorreu em outubro de 1964, disco que juntamente com outros lançamentos da época, ajudou a construir o movimento JG. O álbum rendeu dois grandes sucessos radiofônicos, “Ford de Bigode” (de Ivanildo Teixeira e Paulo Brunner), e “Amor e Desprezo” de sua autoria, música que já vinha galgando as paradas desde que fora lançada na série As 14 Mais Vol. 11, de 1963. “Amor e Desprezo” é uma de suas músicas mais tocadas até hoje.

Em 1967, Rossini Pinto transferiu-se para a Odeon, selo pelo qual lançou vários compactos de relativo sucesso. Nessa época, passou também a exercer a função de produtor fonográfico. Três anos depois, retornaria à CBS para exercer a função de produtor de novos artistas da casa, como Odair José, Núbia Lafayette, Luís Carlos Magno e Ari Cordovil.

Em 1972 teve a música “Mata-me Depressa”, gravada por Wanderléa. Em 1973 compôs, com Renato Barros, “Se Você Soubesse”, gravada no mesmo ano pelos Blue Caps. A música se tornou um dos maiores hits românticos daquele ano.

Em 1983, por problemas de saúde, Rossini se afastou da CBS, e em 25 de junho de 1985, veio a falecer, no Rio de Janeiro. Para a vida e para a arte, o tempo, no seu rito de passagem ocorre de maneira cruel. Rossini Pinto, um dos maiores artistas da música brasileira, está hoje totalmente esquecido da mídia e de boa parte do público, e até mesmo sua memória tem sido ultrajada. Há uns três anos atrás, seus restos mortais foram retirados do jazigo do cemitério Jardim da Saudade, Sulacap, no Rio de Janeiro, por falta de pagamento na manutenção do jazigo.

Rossini Pinto foi um dos maiores compositores da música brasileira, um gênio que se dedicou de corpo e alma à sua arte, no intento de legar a nós, amantes da música, um paraíso de pontos luminosos, no entanto, sua memória, assim como seus restos mortais, repousa em abismo desconhecido. Resta sua música, esta ficará para sempre entre nós. (rstone)

Álbum 52 Rossini Pinto

Álbum Nº 51

LP
“F-15 Espacial”
Célia Villela

(Musidisc – 1964)

“F-15 Espacial”, da cantora Célia Villela é um disco-irmão de “É Proibido Fumar”, de Roberto Carlos. Gravados nos mesmo ano, 1964, e com o mesmo acompanhamento,pelo grupo The Youngsters, os temas e a sonoridade de ambos são idênticos, com canções falando de brotos, pranchas de surf (que eles chamavam de jacarés), tudo isso entremeado de guitarras de surf rock e sopros juvenis, além das inusitadas interjeições pop do tipo “iau!”, “yeah!”, “iê-iê”, ou seja, toda a energia adolescente que se encontra em “É Proibido Fumar” de RC, se encontra na mesma proporção em “F-15 Espacial”, de Célia Villela.

Lançados para aquecer aquele inverno de 64, estes dois discos fizeram muito mais, mudaram o rock brasileiro para sempre, por serem os dois primeiros álbuns inteiramente irretocáveis da história do rock nacional, por utilizar pela primeira vez, somente os instrumentos básicos do rock, guitarra, baixo, bateria e sax, substituindo em definitivo a grandiloquência das orquestras de estúdio, até então usadas nas gravações de discos dos pioneiros do rock, como Sergio Murilo, Tony Campello e Carlos Gonzaga, por exemplo. Aqui o som era básico, era rock’n’roll genuíno.

Assim como no “É Proibido Fumar”, de RC, a genialidade de “F-15 Espacial” deve-se graças aos fabulosos The Youngsters, grupo instrumental carioca que até 1963, chamava-se The Angels, formado por Luiz Carlos(guitarra), Jonas(baixo), Ivan Conti(bateria) e os irmãos Sérgio(sax e flauta) e Carlos Becker(guitarrista, cantor e compositor).

“F-15 Espacial” abre com “Caidinha por você”, versão de Célia Villela para “Fallin’”, de Neil Sedaka, um bom-bom pop com seus sopros juvenis e solos curtos e cristalinos de guitarra surf rock, que aliás permeiam todas as faixas do disco, dando encanto e juventude à canções como “Desculpa”, “Lição de violão”, “Dançando Hully Gully”, entre outras. Erasmo Carlos, que já se destacava como um promissor compositor do novo ritmo, contribuiu com duas lindíssimas baladas, “O dia que não vem” e “Alguém na vida da gente”. Outros destaques são o twist-rock’n’’roll “Assim é o meu amor”, o twist de Chubby Checker “I could have danced all night”, cantado no original por Célia Villela, e a faixa-título, “F-15 Espacial”, um surf rock de arrepiar, que certamente mexeu com a pélvis de muito brotinho da época.

Célia da Conceição Villela, nascida em Belo Horizonte, em 24 de novembro de 1939, começou sua carreira artística ainda muito jovem, aos 13 anos de idade. Em 1950, foi eleita a “Rainha do Baião” de Minas Gerais. Quando o rock’n’roll explodiu no mundo inteiro, através do filme “Sementes da Violência (Blackboard Jungle)”, de 1955, Célia abraçou o novo ritmo, tornando-se uma das pioneiras do gênero no Brasil. Célia Villela faleceu no dia 1º de janeiro de 2005, aos 65 anos de idade.

Quando faleceu, já estava há muitos anos fora do mundo artístico. Em 1987, ela foi procurada pelo cantor, compositor e pesquisador Albert Pavão, a fim de conceder entrevista para falar sobre a participação dela no nascente rock and roll no Brasil, para o livro que ele estava escrevendo, “Rock brasileiro 1955-65 – Trajetória, Personagens e Discografia”, mas, apesar da insistência de Pavão, Célia recusou-se veementemente a dar seu depoimento. (rstone)

Álbum 52 Célia Villela

Nota: Conforme informou Luiz Carlos Siqueira (The Angels/The Youngsters), a banda The Angels/The Youngsters gravou os dois LPs inteiros, “É Proibido Fumar” e “Jovem Guarda”.
Também no LP da Wanderléa, “É tempo do Amor”, 07 faixas foram gravadas pelo The Youngster, incluindo “Ternura”, e 05 faixas por Renato e Seus Blue Caps.

“The Beatles” ou “Álbum Branco”, o décimo álbum oficial dos Beatles.

White Album

Lançado em 22 de novembro de 1968, o disco “The Beatles”, único álbum duplo lançado por eles, costuma ser chamado de “White Album” (Álbum Branco) por ter a capa toda branca, contendo apenas o nome da banda escrito em relevo.

Uma curiosidade: Quando o Álbum Branco completou 40 anos em 2008, o Jornal do Vaticano, L’Osservatore Romano, “absolveu” os Beatles em um longo artigo no qual elogiava o talento musical do grupo e comemoraram os 40 anos do lançamento do “White Album”.

O artigo iniciava recordando, em tom indulgente, a célebre e controvertida declaração de John Lennon de que “os Beatles são mais famosos que Jesus Cristo”.

“Foi uma frase que suscitou profunda indignação, mas que, hoje em dia, soa mais como uma mofa de um jovem da classe operária inglesa empolgado com o sucesso”, escreveu o Jornal do Vaticano.

Segundo o jornal da Santa Sé, o grupo realizou uma “revolução branca” com seu “White Album”, que classificaram como sendo uma “utopia musical, onde se encontra tudo ao contrário de tudo”.

“Era um conjunto de canções talvez discutíveis, mas reveladoras de toda uma época”, afirmaram. “Atualmente os produtos fonográficos são estereotipados, muito distantes da criatividade dos Beatles”, lamentou o jornal papal na ocasião.

Imaginarmos que um álbum dos Beatles que foi lançado há 46 anos e continua fluindo por aí, muito diversificado em suas faixas, sendo tão bom quanto o Sgt. Pepper, nos faz pensar o que teríamos tido ainda caso a banda não tivesse terminado dois anos depois do seu lançamento…

Foi composto em grande parte na Índia, e eles não tinham limite para compor.
John esteve muito presente com suas Yer Blues, Sexy Sadie, Julia, entre outras.

O disco era branco e o futuro negro

Por Nuno Galopim

“Chamava-se simplesmente ‘The Beatles’, mas acabou universalmente conhecido como o ‘White Album’ (o ‘álbum branco’). O disco duplo que marcou o princípio do fim dos Beatles foi editado a 22 de Novembro de 1968.
O mundo soube da notícia a 10 de Abril de 1970, uma semana antes da edição do primeiro álbum solo de Paul McCartney, que os Beatles tinham se separado. Foi ele quem oficializou a separação, mas desde Setembro de 1969 sabia-se que John Lennon se afastara… O fim dos Beatles, contudo, começou quase dois anos antes. Em Maio de 1968, depois de chegados de uma temporada na Índia (em meditação com o Maharishi Mahesh), reúnem-se em casa de George Harrison para trabalhar. Gravam 23 maquetes e definem o caminho para o que seria um novo disco. Acabaria por se chamar simplesmente The Beatles. Seria um álbum duplo, e um dos mais importantes da sua obra. Mas os quatro músicos sentiram, ao gravá-lo, que era o princípio do fim.
Como reação ao excesso de informação de Sgt. Peppers (de 1967), optaram por uma simples capa branca, aí nascendo o nome White Album (Álbum Branco) pelo qual ficou conhecido.

O disco revelava uns Beatles mais versáteis que nunca, num alinhamento de grandes canções (como Back in the USSR, Savoy Truffle ou Dear Prudence) que ia das mais discretas baladas ao mais intenso hard rock. Não faltavam motivos para aclamar, novamente, uma banda que escrevia a história…

Mas poucos imaginavam quão assombrado todo o projeto nascera. Com apenas uma canção de Lennon e McCartney verdadeiramente escrita a dois (apesar de todas serem co-assinadas), o disco revelava uma evidente separação de interesses. Paul cantando essencialmente o amor, John ensaiando um registro mais crítico e aguerrido. George e Ringo também presentes como autores.
Primeiro disco gravado depois da criação da Apple Corps, era um álbum feito por músicos que agora também eram empresários. A morte de Brian Epstein e a presença de Yoko Ono sublinharam um clima que acabou expresso num álbum fruto do seu tempo.
Um álbum de 1968, o ano em que o rock acordou depois do sonho psicodélico.”

Trecho do livro “1001 Discos para se ouvir antes de morrer”, onde 90 críticos de todo o mundo escolheram seus discos favoritos, incluindo sete dos Beatles, entre eles o Álbum Branco.

“Os Beatles se separaram oficialmente em 1970, mas os Fab Four já há alguns anos não funcionavam como uma banda de verdade. O processo começou em ‘Rubber Soul’ e foi detonado à medida que John, Paul, George e Ringo resolveram tomar diferentes rumos por discordâncias criativas, filosofias religiosas, drogas e, o motivo mais famoso, a presença de Yoko Ono. Em meio a essa disputa, os Beatles fizeram ‘The Beatles’, uma obra-prima épica que se equipara a ‘Sgt. Pepper`, ainda que a origem de seu sucesso esteja mais nos talentos e personalidades dos integrantes do grupo do que em sua colaboração.

O álbum começa com um rugido e o barulho de um avião decolando – é o rock de ‘Back in the USSR’, uma paródia da fórmula dos Beach Boys. O disco mistura baladas acústicas incomparáveis como ‘Dear Prudence’, e ‘Mother Nature’s Son’ e peças cômicas como ‘Ob-La-Di Ob-la-Da’ e ‘Rocky Raccoon’. Lennon e McCartney – uma dupla de compositores mais nos créditos do que na prática – produziram alguns de seus trabalhos mais duradouros com ‘Blackbird’ e ‘Revolution 1’, enquanto a surrealista ‘Happiness is a Warm Gun’, de Lennon, é uma minissuite. No entanto, a música que mais se destaca é “While My Guitar Gently Weeps’, de Harrison.

Apesar de ser um disco confuso, vendeu dois milhões de cópias apenas na primeira semana nos EUA.”

As músicas que compõe o álbum:

Disco 1
Lado A
“Back in the U.S.S.R.” – 2:43
“Dear Prudence” – 3:56
“Glass Onion” – 2:17
“Ob-La-Di, Ob-La-Da” – 3:08
“Wild Honey Pie” – 0:52
“The Continuing Story of Bungalow Bill” – 3:13
“While My Guitar Gently Weeps” (George Harrison) – 4:45
“Happiness Is a Warm Gun” – 2:43

Lado B
“Martha My Dear” – 2:28
“I’m So Tired” – 2:03
“Blackbird” – 2:18
“Piggies” (Harrison) – 2:04
“Rocky Raccoon” – 3:32
“Don’t Pass Me By” (Ringo Starr) – 3:50
“Why Don’t We Do It in the Road?” – 1:40
“I Will” – 1:45
“Julia” – 2:54

Disco 2
Lado A
“Birthday” – 2:42
“Yer Blues” – 4:00
“Mother Nature’s Son” – 2:47
“Everybody’s Got Something to Hide Except Me and My Monkey” – 2:24
“Sexy Sadie” – 3:15
“Helter Skelter” – 4:29
“Long, Long, Long” (Harrison) – 3:03

Lado B
“Revolution 1” – 4:15
“Honey Pie” – 2:40
“Savoy Truffle” (Harrison) – 2:54
“Cry Baby Cry” – 3:02
“Revolution 9” – 8:13
“Good Night” – 3:11

Tradução das letras, numa cortesia da comunidade do Orkut, Chá com a Beatlemania

Back In The U.S.S.R.
Oh, flew in from Miami Beach B.O.A.C.
Didn’t get to bed last night
On the way the paper bag was on my knee
Man I had a dreadful flight
I’m back in the U.S.S.R.
You don’t know how lucky you are boy
Back in the U.S.S.R. (Yeah)

Been away so long I hardly knew the place
Gee it’s good to be back home
Leave it till tomorrow to unpack my case
Honey disconnect the phone
I’m back in the U.S.S.R.
You don’t know how lucky you are boy
Back in the U.S.
Back in the U.S.
Back in the U.S.S.R.

Well the Ukraine girls really knock me out
They leave the West behind
And Moscow girls make me sing and shout
That Georgia’s always on my mind

Aw come on!
Ho yeah!
Ho yeah!
Ho ho yeah!
Yeah yeah!

Yeah I’m back in the U.S.S.R.
You don’t know how lucky you are boys
Back in the U.S.S.R.

Well the Ukraine girls really knock me out
They leave the West behind
And Moscow girls make me sing and shout
That Georgia’s always on my mind

Oh, show me around your snow-peaked mountains way down south
Take me to your daddy’s farm
Let me hear your balalaika’s ringing out
Come and keep your comrade warm
I’m back in the U.S.S.R.
Hey you don’t know how lucky you are boys
Back in the U.S.S.R.

Oh let me tell you, honey
Hey, I’m back!
I’m back in the U.S.S.R.
Yes, I’m free!
Yeah, back in the U.S.S.R.

Ha ha

De Volta a USSR

Voei de Miami Beach num avião da BOAC
Nem dormi ontem à noite
Todo o caminho o saco de vomito estava no meu joelho
Cara, eu tive um vôo horrível
Estou de volta a URSS
Você não sabe a sorte que você tem, cara
De volta a URSS
Estive tanto tempo fora que mal reconhecia o lugar
Mas é bom estar de volta ao lar
Deixo para desfazer as malas amanhã
Querida, desligue o telefone
Estou de volta a URSS
Você não sabe a sorte que você tem, cara
De volta a US
De volta a US
De volta a URSS
As garotas da Ucrânia realmente me derrubam (me deixam de queixo caído)
Deixam as do Ocidente para trás
E as garotas de Moscou me fazem cantar e gritar
As da Georgia estão sempre na minha cabeça
Oh, anime-se
Hu, Hey, Hu, Hey, Ah, Yeah
Yeah, Yeah, Yeah
Estou de volta a URSS
Você não sabe a sorte que você tem, cara
De volta a URSS
As garotas da Ucrânia realmente dão uma surra
Deixam as do Ocidente para trás
E as garotas de Moscou me fazem cantar e gritar
As da Georgia estão sempre na minha cabeça
Oh, mostre-me as montanhas cobertas de neve lá do sul
Leve-me para a fazenda de seu pai
Deixe-me ouvir sua balalaica tocando
Venha e aqueça o seu camarada
Estou de volta a URSS
Ei, Você não sabe a sorte que você tem, cara
De volta a URSS
Oh, deixe me contar para você querida
Ei, Estou de volta!
Estou de volta a URSS
Sim, estou livre
Yeah, de volta a URSS
Ha ha
(Nota: BOAC – British Overseas Airways Corporation – Atual British Airways)

Notas:
A música descreve um vôo ruim dos Estados Unidos à União Soviética a bordo de um avião BOAC e menciona a beleza das mulheres soviéticas, o som da balalaica e o prazer de estar de volta prá casa, para seu próprio país.

A música é uma paródia de “Back in the U.S.A.” de Chuck Berry e “California Girls” dos Beach Boys e também contém um trocadilho com a música “Georgia on My Mind” de Hoagy Carmichael. McCartney canta sobre a República Soviética da Georgia enquanto “Georgia on My Mind” é descrita como sendo sobre o estado nos Estados Unidos ou uma mulher chamada Georgia. McCartney teve a idéia da música quando ouviu os Beach Boys, pois a mesma soava como California, sendo assim, ele decidiu escrever uma música que “soasse” como a União Soviética. O título foi inspirado em parte na campanha iniciada pelo Primeiro Ministro Britânico, Harold Wilson cujo mote era “I’m Backing Britain” (Eu estou “apoiando” a Grã-Bretanha. Chegou-se a ser sugerido que McCartney transformou esse slogan em “I’m Back In (backin’) the U.S.S.R.”

Uma reação conservadora estadunidense contra a música rapidamente se seguiu, citando a música como evidência de propaganda comunista por parte dos Beatles. As recentes declarações de McCartney de ter usado LSD (combinadas com as afirmações distorcidas de Lennon, no sentido de que “eram maiores que Jesus”) transformaram os Beatles no alvo de uma nova campanha anti-rock.

Em sua entrevista à revista Playboy em 1984, McCartney disse:
“Eu escrevi essa música como um tipo de paródia dos Beach Boys. ‘Back in the USA’ era uma música de Chuck Berry, então a coisa meio que partiu daí. Eu simplesmente gostei da idéia de garotas da Georgia e de falar sobre lugares como a Ucrânia como se esses fossem na Califórnia, entende? Foi também um aperto de mão internacional, do qual eu tenho consciência. “Pois eles gostam de nós (Beatles) por lá, embora os dirigentes no Kremlin possam não gostar.

Os jovens gostam. “E isso para mim, é muito importante para o futuro da raça”.

Paul compôs essa canção para um documentário de TV sobre Twiggy, que acabou cancelado.
Era uma mistura do estilo dos ‘Beach Boys’ com um pouco de ‘Back in the USA’ de Chuck Berry. Paul tocou guitarra solo nessa faixa enquanto John e George ficaram no baixo.
Ringo estava ausente porque tinha saído do grupo por uns tempos, devido às discussões internas, principalmente as cobranças de Paul quanto a sua forma de tocar a bateria.
Paul também incorporou a bateria nessa faixa e John e George ajudaram!

Dear Prudence
Dear Prudence, won’t you come out to play.
Dear Prudence, greet the brand new day.
The sun is up, the sky is blue.
It’s beautiful and so are you.
Dear Prudence won’t you come out to play?
Dear Prudence open up your eyes.
Dear Prudence see the sunny skies.
The wind is low the birds will sing
That you are part of everything.
Dear Prudence won’t you open up your eyes?
Look around round
Look around round round
Look around.
Dear Prudence let me see you smile.
Dear Prudence like a little child.
The clouds will be a daisy chain.
So let me see you smile again.
Dear Prudence won’t you let me see you smile?

Dear Prudence
Querida Prudence, será que você não vai sair para
brincar?
Querida Prudence, brinde um novo dia.
O sol nasceu, o céu está azul
Ele é lindo como você.
Querida Prudence será que você não sair para
brincar?
Querida Prudence abra seus olhos.
Querida Prudence veja o amanhecer.
O vento está suave, os pássaros cantam
que você é parte de tudo isto.
Querida Prudence será que você vai abrir seus
olhos?
Olhe em sua volta
Olhe em sua volta
Olhe em sua volta.
Querida Prudence deixe-me vê-la sorrir.
Querida Prudence como uma pequena criança.
As nuvens formarão uma cadeia de margaridas
Então me deixe vê-la sorrir novamente.
Querida Prudence será que você não vai me deixar vê-la
você sorrir?

Nota:
Já sabemos que a música é sobre a irmã da atriz Mia Farrow, Prudence Farrow, que estava presente quando os Beatles visitaram o Maharishi Mahesh Yogi na Índia. Prudence que era focada nas meditações transcendentais, passou a maior parte do tempo trancada em seu quarto durante sua estada na India. Lennon, que estava preocupado que ela estivesse deprimida, escreveu essa música para ela, convidando-a para que “saísse para brincar”. Enquanto os Beatles deixaram o curso, Mia, Prudence, Mike Love, dos Beach Boys e outros, permaneceram e se tornaram professores de Meditação Transcendental. Prudence atualmente é professora primária junto com seu marido e os dois ainda praticam Meditação Transcendental bem como versões avançadas da mesma e ocasionalmente ainda ministram aulas sobre o assunto.
Tanto nesta música como na faixa anterior do White Álbum “Back in the U.S.S.R.”, é McCartney quem toca a bateria (apesar de John e George terem contribuído com algumas partes em “Back in the U.S.S.R.) ao invés de Ringo, que tinha recentemente saído da banda (segundo ele, “tirado férias” na Sardenha). Ringo retornou após a gravação dessa faixa e encontrou flores em sua bateria.
Lennon considerava Dear Prudence como sua música favorita nos Beatles, bem como seu filho Julian também segue o pai nessa preferência.

Em 1987, o manuscrito original dessa letra da letra foi vendido em leilão por US$19,500.

Glass Onion
I told you about strawberry fields
You know the place where nothing is real
Well here’s another place you can go
Where everything flows.
Looking through the bent backed tulips
To see how the other half live
Looking through a glass onion.
I told you about the walrus and me-man
You know that we’re as close as can be-man
Well here’s another clue for you all
The walrus was Paul.
Standing on the cast iron shore-yeah
Lady Madonna trying to make ends meet-yeah
Looking through a glass onion.

I told you about the fool on the hill
I tell you man he living there still
Well here’s another place you can be
Listen to me.
Fixing a hole in the ocean
Trying to make a dove-tail joint-yeah
Looking through a glass onion.

Glass Onion – tradução
Cebola De Vidro

Eu te falei sobre campos de morangos
Você sabe, o lugar onde nada é real
Bem, existe um outro lugar que você pode ir
Onde tudo flui
Olhando pela tulipa entortada pra trás
Para ver como a outra metade vive
Olhando através da cebola de vidro

Eu te falei sobre a morsa e eu – cara
Você sabe que somos tão próximos o quanto possível – cara
Bem aqui está uma dica para vocês todos
A morsa era Paul
De pé na praia moldada a ferro – yeah
Lady Madonna tentando pagar as contas – yeah
Olhando através da cebola de vidro

Oh yeah, oh yeah, oh yeah
Olhando através da cebola de vidro

Eu te falei sobre o tolo na colina
Te falo cara, ele ainda vive lá
Bem, aqui está outro lugar que você pode estar
Me ouça
Consertando um buraco no oceano
Tentando fazer um baseado rabo de pombo – yeah
Olhando através da cebola de vidro.

Notas:
Há duas versões para a expressão Cebola de Vidro:
1) é aquele pequeno visor na tampa de um caixão (alusão a Paul morto);
2) Paul disse ao John que os óculos dele pareciam duas cebolas de vidro. Aí John fez uma canção citando algumas coisas que ele enxerga “through a glass onion”, através da cebola de vidro.

As observações para esta canção seriam praticamente uma interpretação de texto. Lennon utiliza aqui um número muito grande de simbolismos e associações em uma letra que é essencialmente uma brincadeira dos Beatles com os fãs que procuram mensagens secretas em suas canções. As referências mais óbvias são as canções dos Beatles: “Strawberry Fields Forever”, “Fool On The Hill”, “Lady Madonna” e “Fixing A Hole.” Vale destacar que a referência à morsa é uma alusão não somente a canção “I Am The Walrus”, como também ao conto ‘The Walrus And The Carpenter’ de Lewis Carrol, que inspirou o título da canção dos Beatles. A saber:

Bent backed tulips – é uma referência a um restaurante luxuoso e extremamente caro de Londres cuja deocoração de mesa consistia em uma tulipa com as pétalas dobradas para trás.

The cast iron shore – Apelido dado aos habitantes de Liverpool para um setor particular do Rio Mercy na área de Dingle cuja praia é sensivelmente mais poluída do que as demais.

Dove-tail joint – um baseado sem filtro, típico no Brasil, porém prática incomum na Europa que normalmente fumam sua maconha misturada com tabaco utilizando seus filtros ou piteiras. Dizem que quem não tem o costume, geralmente baba o baseado todo.

Ob-La-Di Ob-La-Da
Desmond has a barrow in the marketplace
Molly is the singer in a band
Desmond say to Molly, girl I like you face
And Molly says this as she takes him by the hand

Obladi, oblada,
Life goes on, bra
La la how the life goes on
Obladi, oblada
Life goes on, bra
La la how the life goes on

Desmond take a trolley to the jewelers store
Buys a twenty carat golden ring, (rin-ring)
Takes it back to Molly waiting at the door
And as he gives it to her she begins to sing (sin-sing)

Obladi, obla-a
Life goes on, bra
La la how the life goes on
Obladi, oblada
Life goes on, bra
La la how the life goes on

Yeah, In a couple of years they
have built a home sweet home
With a couple of kids running in the yard
of Desmond and Molly Jones

Happy ever after in the market place
Desmond lets the children lend a hand
Molly stays at home and does her pretty face
And in the evening she’s a singer with the band

Obladi, oblada
Life goes on, bra
La la how the life goes on
Obladi, oblada
Life goes on, bra
La la how the life goes on

Happy ever after in the market place
Molly lets the children lend a hand
Desmond stays at home and does his pretty face
And in the evening she’s a singer with the band

Obladi, oblada

Ob-La-Di Ob-La-Da – Tradução
Desmond tem um carrinho-de-mão no supermercado
Molly é cantora em uma banda
Desmont diz a Molly, garota, gosto de seu rosto
E Molly diz isto, pegando-lhe na mão
Ob-la-di, ob-la-da, a vida continua
La la como continua a vida
Ob-la-di, Ob-la-da, a vida continua
La la como continua a vida, mano

Desmond pega um bonde-elétrico e vai à joalharia
E compra um anel de ouro de 20 quilates
Leva-o a Molly que espera à porta
E assim que ele dá-lhe o anel, e ela começa a cantar

Ob-la-di, Ob-la-da, a vida continua, mano
La la como continua a vida

Em dois anos construíram
Um lar, doce lar
Com duas crianças correndo pelo quintal
De Desmond e Molly Jones

Felizes para sempre no mercado
Molly deixa as crianças dar uma ajuda
Desmond fica em casa e trata do seu rosto bonito
E à noite ela é a cantora da banda

Ob-la-di, Ob-la-da, a vida continua
La la como continua a vida, mano

E se você quer divertir-se
Cante Ob-la-di, Bla-da

Nota:
*Bra= Brother (gíria jamaicana), aqui interpretada como “mano”

A canção foi uma homenagem consciente ao emergente movimento reggae (referência lírica: “Vida vai continua, bra (mano)”), talvez relacionado a crescente população jamaicana na Grã-Bretanha, embora ela seja fortemente combinada com elementos de ragtime. À parte da batida sincopada, a canção também empregou esquemas de metríca e artifícios não utilizados nos trabalhos anteriores dos Beatles e demonstrou a natureza altamente experimental do grupo no tempo de sua gravação.
McCartney originalmente pensou na melodia sendo executada em um ritmo muito mais lento. No entanto, John Lennon não estava satisfeito com a canção. Lennon a achou irritante e irrelevante. Diz-se que Lennon estava tendo suas experiências com LSD no momento em que McCartney mostrou-lhe canção e Lennon, para satirizar o esforço, propositalmente teria acelerado o ritmo da mesma. McCartney ficou surpreso com o resultado e decidiu ater-se com a versão mais rápida.
O personagem Desmond na canção é uma referência à falecida lenda do ska e reggae Desmond Dekker.

Há também a versão de que Paul se inspirou para essa canção no nome de uma banda de reggae: Jimmy Scott and his Obla Di Obla Da Band.

Paul conta que ‘Um chapa costumava perambular pelos clubes sempre dizendo essa expressão, “ob-la-di ob-la-da, life goes on”, e ele ficou incomodado quando eu fiz disso uma música, porque ele queria direitos autorais. Eu disse, “Vem cá Jimmy, isso é só uma expressão, se vc tivesse escrito a canção vc ganharia os direitos.”

Paul queria ela lançada em single, mas John e George votaram contra. John na verdade odiava esta música e criticava o desperdício de tempo para gravá-la.

Richard Lush, segundo engenheiro de som comentou que depois de 4 ou 5 noites de takes dessa música, John chegou na sessão meio alterado, e disse que queria fazer ‘Ob-la-di Ob-la-da’. Ele foi direto ao piano e começou a martelar as teclas e os outros entraram na onda. É claro, que essa foi a versão utilizada no álbum.

Wild Honey Pie
Torta de mel silvestre

Honey Pie…
Torta de Mel…
Honey Pie…
Torta de mel…
I love you, Honey Pie
Eu te amo, torta de mel

The Continuing Story of Bungallow Bill
Hey, Bungalow Bill
Ei, Bungalow Bill
What did you kill
O que foi que você matou
Bungalow Bill?
Bungalow Bill?

He went out tiger hunting with his elephant and gun
Ele saiu para caçar tigre com seu elefante e revólver
In case of accidents he always took his mom
Em caso de acidentes ele sempre levava sua mãe
He’s the all American bullet-headed saxon mother’s son.
Ele é o representante de todos os filhos de mãe anglo-saxônicas, que têm a mente ligada em balas
All the children sing
Todas as crianças cantam

Hey Bungalow Bill
Ei Bungalow Bill
What did you kill
O que foi que você matou
Bungalow Bill?
Bungalow Bill?

Deep in the jungle where the mighty tiger lies
No fundo da floresta onde o poderoso tigre descansa
Bill and his elephants were taken by surprise
Bill e seus elefantes foram tomados de surpresa
So Captain Marvel zapped him right between the eyes
Foi quando o Capitão Marvel atirou nele bem entre os olhos
All the children sing
Todas as crianças cantam

Hey, Bungalow Bill
Ei, Bungalow Bill
What did you kill
O que foi que você matou
Bungalow Bill?
Bangalow Bill?

The children asked him if to kill was not a sin
As crianças perguntaram a ele se matar não era pecado
But when he looked so fierce, his mummy butted in
Mas quando ele pareceu ser tão violento, sua mãe o ergueu pra cima
If looks could kill it would have been us instead of him
Se olhares pudessem matar teria sido nós e não ele
All the children sing
Todas as crianças cantam

Hey, Bungalow Bill
Ei, Bungalow Bill
What did you kill
O que você matou
Bungalow Bill?
Bungalow Bill?

While My Guitar Gently Weeps
Enquanto Minha Guitarra Gentilmente Chora

I look at the world and I notice its turning
Eu olho para o mundo e percebo que ele está mudando
While my guitar gently weeps
Enquanto minha guitarra gentilmente chora
With every mistake we must surely be learning
Com todos os erros nós devemos com certeza aprender
Still my guitar gently weeps
E ainda minha guitarra gentilmente chora
I dont know how you were diverted
Eu não sei como você foi se desviar
You were perverted too
Você era também pervertido
I dont know how you were inverted
Eu não sei como você foi desencaminhado
No one alerted you.
Ninguém alertou você.

I look at you all see the love there thats sleeping
Eu olho você por inteiro e vejo o amor que está adormecido
While my guitar gently weeps
Enquanto minha guitarra gentilmente chora
Look at you all . . .
Olho você por inteiro…
Still my guitar gently weeps.
E minha guitarra ainda gentilmente chora.

Happiness Is A Warm Gun
A felicidade é uma arma quente (com conotação sexual a tradução seria: a felicidade é estar com o pênis quente – logo após a ejaculação).

Obs: “gun” significa arma de fogo, pistola, e há uma corrente que atribui “gun” ao pênis e que, por isso, interpretam esta música como sendo uma exaltação ao sexo e, também, às drogas.

She’s not a girl who misses much
Ela é uma garota que sabe fazer as coisas
Do-do-do, oh yeah
É isso aí
She’s well acquainted
Ela é uma especialista
With the touch of a velvet hand
em tocar com mãos macias e suaves (talvez seja uma alusão à masturbação)
Like a lizard on a window pane
Tal qual uma lagartixa se ajusta a uma vidraça de uma janela

The man in the crowd
O homem no meio de uma torcida
With the multicoloured mirrors
carrega espelhos multicoloridos
On his hobnail boots
grudados à sua bota de taxinhas (sugere a artimanha que um fã de soccer usa para olhar por debaixo dos vestidos das meninas)
Lying with his eyes
Ele a ‘come’ com os olhos
While his hands are busy
enquanto suas mãos se ocupam
Working overtime
num servicinho extra (outra alusão á masturbação)
A soap impression of his wife Which he ate and donated to the National Trust.
Ele fez amor com sua esposa enquanto ela se ensaboava e depois a descartou

I need a fix cause I’m going down
Eu preciso de mais uma dose (de droga), porque tá passando o efeito,
Down to the bits that I left uptown.
até que eu atinja o ‘barato’ inicial.
I need a fix cause I’m going down.
Eu preciso de mais uma dose (de droga) porque tá passando o efeito
Mother Superior jumped the gun
A Madre Superior se precipitou ( a Madre Superior seria Yoko e haveria uma conotação sexual para ‘jumped the gun’ como se Yoko tivesse levado John ao orgasmo).
Happiness is a warm gun (Happiness bang, bang, shoot, shoot)
A felicidade é uma arma quente (a felicidade é o momento do orgasmo)
Nota: “ bang, bang, shoot, shoot” significa o momento do orgasmo)
Happiness is a warm gun, mama (Happiness bang, bang, shoot, shoot)
A felicidade é uma arma quente, tesouro (a felicidade é o momento do orgasmo)
When I hold you in my arms (Oo-oo oh yeah)
Quando eu a tomo vc em meus braços
And I feel my finger on your trigger (Oo-oo oh yeah)
e sinto o meu dedo no seu gatilho (haveria uma conotação sexual como se o gatilho fosse o clitóris)
I know no one can do me no harm (Oo-oo oh yeah)
Eu sei que ninguém pode me fazer mal algum

Because happiness is a warm gun, mama (Happiness bang, bang, shoot, shoot)
Porque a felicidade é uma arma quente, tesouro (a felicidade é o momento do orgasmo)
Happiness is a warm gun, yes it is (Happiness bang, bang, shoot, shoot)
A felicidade é uma arma quente, é sim (a felicidade é o momento do orgasmo)
Happiness is a warm gun, yes it is, gun (Happiness bang, bang, shoot, shoot)
A felicidade é uma arma quente, é sim (a felicidade é o momento do orgasmo)
Well, don’t you know happiness is a warm gun, mama? (Happiness is a warm gun, yeah)
Olha, vc não sabe que a felicidade é uma arma quente, tesouro? (a felicidade é uma arma quente, é isso aí)

Martha My Dear
Minha querida Marta
(Nota: Marta seria o nome da cadela de Paul a qual teria, na época, três anos de idade – acredita-se que o nome da cadela foi inspirado por sua paixão por uma musa que teria esse nome).

Martha my dear
Minha querida Marta
Though I spend my days in conversation, please
Embora eu não faça outra coisa a não ser ‘jogar conversa fora’, por favor
Remember me, Martha my love
Lembre-se de mim, Marta meu amor
Don’t forget me, Martha my dear
Não se esqueça de mim, Marta minha querida

Hold your head up, you silly girl
Levante a cabeça sua menina tola
Look what you’ve done
Veja a situação em que vc se colocou
When you find yourself in the thick of it
Quando você estiver em meio ao fogo cruzado
Help yourself to a bit of what is all around you, silly girl
Recorra, um bocadinho, ao que estiver à sua volta, menina tola

Take a good look around you
Preste bem atenção ao que existe à sua volta
Take a good look and you’re bound to see
Preste bastante atenção e você certamente perceberá
That you and me were meant to be for each other, silly girl
que fomos feitos um para o outro, menina tola

Hold your hand out, you silly girl
Estenda a sua mão, sua menina tola
See what you’ve done
Veja a situação em que vc se colocou
When you find yourself in the thick of it,
Quando você estiver em meio ao fogo cruzado
Help yourself to bit of what is all around you, silly girl
Recorra, um bocadinho, ao que estiver à sua volta, menina tola

Martha my dear, you have always been my inspiration, please
Marta minha querida você sempre foi minha inspiração, por favor
Be good to me, Martha my love
seja boazinha pra mim, Marta meu amor
Don’t forget me, Martha my dear
Não se esqueça de mim, Marta minha querida.

Nota: Martha My Dear
Embora Paul tenha usado para essa canção o nome de sua cadela Old English Sheepdog chamada Martha, a música não é – ao contrário do que muitos pensam – sobre um cachorro, e sim uma canção de amor inspirada numa mulher.

Paul comentou que a música serviu também como um exercício de piano, já que essas partes que ele criou são um pouco mais complexas que o normal.

I’m So Tired
Estou Tão Cansado

I’m so tired, I haven’t slept a wink
Estou tão cansado, não consegui dormir um instante
I’m so tired, my mind is on the blink
Estou tão cansado, não consigo raciocionar direito
I wonder should I get up and fix myself a drink
Fico pensando se devo me levantar e preparar uma bebida pra mim
No,no,no.
Não, não, não

I’m so tired I don’t know what to do
Estou tão cansado, não sei o que fazer
I’m so tired my mind is set on you
Estou tão cansado, minha mente tá focada em vc
I wonder should I call you but I know what you would do
Fico pensando se devo te telefonar mas eu sei o que vc ia dizer

You’d say I’m putting you on
Você ia dizer que estou de onda contigo
But it’s no joke, it’s doing me harm
Mas é sério, isto está me fazendo mal
You know I can’t sleep, I can’t stop my brain
Vc bem sabe que eu não consigo dormir, não consigo relaxar
You know it’s three weeks, I’m going insane
Vc bem sabe que eu tô nessa há três semanas, estou enlouquecendo
You know I’d give you everything I’ve got
Vc bem sabe que eu lhe daria tudo que tenho
for a little peace of mind
por um pouco de paz de espírito

I’m so tired, I’m feeling so upset
Estou tão cansado, estou me sentindo muito perturbado
Although I’m so tired I’ll have another cigarette
Embora eu esteja tão cansado Vou acender outro cigarro
And curse Sir Walter Raleigh
E mandar Sir Walter Raleigh pro inferno
He was such a stupid git.
Ele era um tremendo de um babaca imbecil

You’d say I’m putting you on
Você diria que estou de onda contigo
But it’s no joke, it’s doing me harm
Mas é sério, isto está me fazendo mal
You know I can’t sleep, I can’t stop my brain
Vc bem sabe que eu não consigo dormir, não consigo relaxar
You know it’s three weeks, I’m going insane
Vc bem sabe tô nessa há três semanas, estou enlouquecendo
You know I’d give you everything I’ve got
Vc bem sabe que eu lhe daria tudo que tenho
for a little peace of mind
por um pouco de paz de espírito

Blackbird
Melro (pássaro preto)

Nota: cogita-se que Paul escreveu esta canção para uma mulher negra que passava por problemas associados a direitos civis nos EUA. Paul está dizendo para esta mulher (ou qualquer outra mulher negra) para não perder a fé e a esperança.

Blackbird singing in the dead of night
Pássaro preto que canta na calada da noite
Take these broken wings and learn to fly
aceite essas asas quebradas e aprenda a voar
All your life
por toda a sua vida
You were only waiting for this moment to arise.
Este é o momento que vc estava esperando para alçar vôo

Blackbird singing in the dead of night
Pássaro preto que canta na calada da noite
Take these sunken eyes and learn to see
aceite estes olhos fundos e aprenda a enxergar
All your life
por toda a sua vida
You were only waiting for this moment to be free.
Este é o momento que vc estava esperando para se fazer livre

Blackbird fly Blackbird fly
Pássaro preto voe, pássaro preto voe
Into the light of the dark black night
em direção à luz da noite escura e tenebrosa
Blackbird fly Blackbird fly
Pássaro preto voe, pássaro preto voe
Into the light of the dark black night.
em direção à luz da noite escura e tenebrosa

Blackbird singing in the dead of night
Pássaro preto que canta na calada da noite
Take these broken wings and learn to fly
aceite essas asas quebradas e aprenda a voar
All your life
por toda a sua vida

You were only waiting for this moment to arise (4x)
Este é o momento que vc estava esperando para alçar vôo

Nota: Paul gravou essa em junho de 68 para o ‘White Album’. Ele além de cantar, tocar violão e percussão usou uma fita com pássaros cantando da coleção da EMI para efeitos sonoros.
Tres microfones foram usados na gravação, um para sua voz, outro para o violão e o terceiro para a marcação que Paul fez com o pé!

Paul comentou:”Ela foi de uma concepção simples, porque não conseguimos pensar em nada mais para colocar nessa canção. Talvez se fosse no ‘Pepper’, nós trabalharíamos nela até achar um jeito de colocar violinos ou trumpetes. Mas eu acho que ela não precisou disso.”

Era também a época dos ‘Panteras Negras’ e muitos consideraram uma canção política. Não muito típica de Paul naquele tempo.

Piggies
Porcos

Nota: talvez seja uma referência à polícia, aos ricos ou aos políticos.

Have you seen the little piggies
Você tem visto os porquinhos
Crawling in the dirt?
se arrastando na lama?
And for all the little piggies,
Para todos os que são porquinhos
Life is getting worse
a vida está ficando pior
Always having dirt to play around in
mas nunca deixam de se divertir com a sujeira

Have you seen the bigger piggies
Vc tem visto os porcos maiores
In their starched white shirts?
com suas camisas brancas engomadas?
You will find the bigger piggies
Você irá encontrar esses porcos
Stirring up the dirt
remexendo a sujeira
Always have clean shirts To play around in
e sempre se divertindo com suas camisas limpinhas

In their styes with all their backing,
Em seus chiqueiros contando com todo apoio que têm
They don’t care What goes on around.
eles não estão nem aí para o que acontece à sua volta
In their eyes there’s something lacking
No olhar deles existe alguma coisa faltando
What they need’s a damn good whacking
O que eles precisam é de umas boas palmadas

Everywhere there’s lots of piggies
Em toda parte há uma porção de porcos
Living piggy lives
Vivendo uma vida porca
You can see them out for dinner
Você pode encontrá-los jantando fora
With their piggy wives.
com suas esposas porcas
Clutching forks and knives to Eat their bacon.
pegando em garfos e facas para comerem o seu bacon

Rocky Raccoon
Now somewhere in the black mountain hills of Dakota
Bem, em algum lugar nas montanhas negras da Dakota
There lived a young boy named Rocky Raccoon
Vivia um rapazinho chamado Rocky Raccoon
And one day his woman ran off with another guy
E um dia sua mulher fugiu com outro cara
Hit young Rocky in the eye Rocky didn’t like that
Isso abalou o jovem Rocky como nunca havia ocorrido antes

He said I’m gonna get that boy
Ele disse: “eu vou pegar aquele cara”
So one day he walked into town
Assim, um dia ele andou pela cidade
Booked himself a room in the local saloon.
e reservou um quarto pra si numa taverna do lugar

Rocky Raccoon checked into his room
Rocky Raccoon revirou o seu quarto
Only to find Gideon’s bible
só pra ver se achava a bíblia de Gideão
Rocky had come equipped with a gun
Rocky veio equipado com uma arma
To shoot off the legs of his rival
para atirar nas pernas de seu rival

His rival it seems had broken his dreams
Parece que o seu rival acabou com os seus sonhos
By stealing the girl of his fancy
roubando a garota dos seus sonhos
Her name was Magil and she called herself Lil
O nome dela era Magil, e se auto denominava Lil
But everyone knew her as Nancy
Mas todos a conheciam como Nancy

Now she and her man who called himself Dan
Bem, ela e o seu amante que se auto denominava Dan
Were in the next room at the hoe down
estavam no quarto ao lado ‘curtindo uma boa’
Rocky burst in and grinning a grin
Rocky arrombou a porta e esboçando um sorriso
He said Danny boy this is a showdown
disse: “Danny, meu garoto, chegou a hora de botar as cartas na mesa”
But Daniel was hot-he drew first and shot
Mas Daniel estava esperto e atirou sacando primeiro
And Rocky collapsed in the corner.
E Rocky caiu pelos cantos
Now the doctor came in stinking of gin
Aí o médico entrou fedendo a gin
And proceeded to lie on the table
E resolveu botar panos quentes na situação
He said Rocky you met your match
Ele disse que Rocky havia encontrado alguém do mesmo quilate dele
And Rocky said, Doc it’s only a scratch
E Rocky respondeu: “Doutor é apenas um arranhão”
And I’ll be better I’ll be better doc as soon as I am able.
Eu vou melhorar, vou melhorar, doutor, tão logo possa”

Now Rocky Raccoon he fell back in his room
Rocky Raccoon retornou ao seu quarto
Only to find Gideon’s bible
só para ver se encontrava a Bíblia de Gideão
A Gideon checked out and he left it no doubt
Gideão pagou a hospedagem e não deixou nenhuma dúvida
To help with good Rocky’s revival.
que ia se empenhar na recuperação de Rocky

Nota sobre Rocky Raccoon:
Canção onde Paul imita um sotaque sulista, de ritmo country. Ela conta a história do jovem Rocky das colinas de Dakota, cuja namorada Lily McGill foge com um cara chamado Danny.

Ela foi escrita na India durante a estada deles com o Maharishi, e Paul teve a inspiração quando ele, John e Donovan tocavam violão na cobertura de um dos ashram. Donovan inclusive ensinou um dedilhado diferente no violão aos Beatles, que John viria a desenvolver muito bem.
A canção a princípio foi chamada de ‘Rocky Sassoon’. Paul teve alguma ajuda de John e Donovan, apesar de John ter comentado depois: “Paul a escreveu, vc não percebe? Eu não iria me meter com ‘Gideon’s Bible’ e todas essas coisas”.

Don’t Pass Me By
Não Me Ignore

I listen for your footsteps coming up the drive,
Eu ouço os seus passos em direção à garagem
Listen for your footsteps but they don’t arrive,
Eu ouço os seus passos mas não sinto vc chegando
Waiting for your knock dear on my old front door,
Fico esperando que vc, querida, bata na velha porta da frente
I don’t hear it,
Mas nada escuto
Does it mean you don’t love me anymore?
Isso significa que você não me ama mais?

I hear the clock a-ticking on the mantelshelf,
Eu ouço o relógio batendo em cima da prateleira
See the hands a-moving but I’m by myself,
Vejo os ponteiros andando mas estou sozinho
I wonder where you are tonight and why I’m by myself,
Eu fico pensando onde você está esta noite e o porquê de eu estar sozinho
I don’t see you
Eu não me encontro contigo
Does it mean you don’t love me anymore?
Isso significa que você não me ama mais?

Sorry that I doubted you I was so unfair,
Eu lamento ter duvidado de você, eu fui tão injusto
You were in a car crash and you lost your head,
Você sofreu um acidente de carro e se descontrolou
You said that you would be late an hour or two
Você disse que ia se atrasar uma ou duas horas
I said that’s all right I’m waiting here just waiting to hear from you.
Eu disse que estava tudo bem e que ia ficar esperando aqui só para saber de vc

Don’t pass me by, don’t make me cry, don’t make me blue,
Não me ignore, não me faça chorar, não me deixe triste
‘Cause you know darling I love only you,
Porque você sabe querida que eu só amo você
You’ll never know it hurt me so,
Você jamais saberá o quanto me dói
How I hate to see you go,
e o quanto eu detesto vê-la partir
Don’t pass me by, Don’t make me cry.
Não me ignore, não me faça chorar

Why don’t we do it in the road
Por que nós não fazemos isto na estrada?

Why don’t we do it in the road (4x)
Por que nós não fazemos isto na estrada?
No one will be watching us
Ninguém vai ficar olhando pra gente
Why don’t we do it in the road (5x..)
Por que nós não fazemos isto na estrada
No one will be watching us
Ninguém vai ficar olhando pra gente

Why Don’t We Do It On The Road?
Esta musica gerou muita controvérsia! Paul chamou Ringo num canto do estúdio e gravou este rock só com ele.
Anos depois, John ainda dizia o quanto ficou desapontado por Paul não tê-lo consultado nem a George sobre gravar juntos esta música. Ele disse, ‘Eu não posso falar por George, mas eu sempre fiquei magoado quando Paul fazia alguma coisa sem nos envolver.’

Em 1981 Paul comentou,’Houve apenas um incidente que eu lembre que John mencionou publicamente. Foi quando eu chamei Ringo e fiz “Why don’t We do it on the Road?”. Mas não tive intenção de magoá-lo. John e George estavam terminando alguma coisa, e eu e Ringo estávamos livres, só fazendo tempo, então eu chamei Ringo e disse “Vamos fazer essa aqui.”
‘Eu ouvi John algum tempo depois cantando essa canção, pelo jeito ele curtia ela e eu suponho que ele teria gostado de gravá-la comigo. Eu uma música bem estilo dele, por isso acho que ele gostou. Ela era muito John, escrevi como por tabela.’

‘De qualquer maneira ele fez “Revolution 9” do mesmo jeito. Ele foi lá e gravou sem mim. Mas ninguém fala disso, John ficou sendo o cara legal e eu o sacana.’

Noutra entrevista anos depois, recordando as canções dos Beatles, John comentou, ‘Esta é de Paul. Ele a gravou sozinho, quando nós chegamos no estúdio ele já estava gravando. É ele na bateria, ele no piano, ele cantando. Repito que fiquei magoado com isso, mas as coisas eram assim naquele tempo.’

A mágoa de John deve ter sido tão grande que durante as sessões do ‘Let It Be’ ele ainda brincava inserindo a frase ‘Why don’t you put it on the toast?’entre as gravações…

I Will
Eu vou

Who knows how long I’ve loved you,
Só Deus sabe há quanto tempo eu venho te amando
You know I love you still,
Saiba que eu te amo calado
Will I wait a lonely lifetime,
Terei que esperar a vida toda sozinho?
If you want me to I will
Se quiseres – eu vou esperar

For if I ever saw you,
Embora eu já tenha me encontrado contigo
I didn’t catch your name,
eu não peguei o seu nome
But it never really mattered,
Mas isto nunca fez muita diferença
I will always feel the same
Eu nunca mudarei em relação a vc

Love you forever and forever,
Eu te amarei por todo o sempre
Love you with all my heart
com toda a força do meu coração
Love you whenever we’re together,
Te amarei sempre que estivermos juntos
Love you when we’re apart.
E te amarei quando estivermos longe um do outro

And when at last I find you,
E quando finalmente eu a encontrar
Your song will fill the air,
Sua canção ocupará todos os espaços
Sing it loud so I can hear you,
Cante-a bem alto para que eu possa te ouvir
Make it easy to be near you,
Facilite-me ficar junto de você
For the things you do endear you to me,
Pois as coisas que você faz me deixam apaixonado por você
you know I will.
Ah, você sabe que eu vou, eu vou

Julia
Half of what I say is meaningless,
Metade do que eu digo não tem sentido
But I say it just to reach you, Julia.
Mas eu digo só para chegar até vc, Julia.

Julia, Julia, ocean child, calls me
Julia, Julia, criança do oceano, me chama
So I sing a song of love, Julia.
E então eu canto uma canção de amor, Julia.
Julia, seashell eyes, windy smile, calls me
Julia, olhos de concha do mar, sorriso ao vento, me chama
So I sing a song of love, Julia.
E então eu canto uma canção de amor, Julia.

Her hair of floating sky is shimmering,
Seus cabelos de um céu de um azul flutuante emitem uma luz trêmula
Glimmering, in the sun.
e reluzem suavemente ao sol.

Julia, Julia, morning moon, touch me
Julia, Julia, lua matutina, toque-me,
So I sing a song of love, Julia.
E assim eu canto uma canção de amor, Julia.

When I cannot sing my heart
Quando eu não posso cantar com o meu coração,
I can only speak my mind, Julia.
então eu só posso falar o que penso, Julia.

Julia, sleeping sand, silent cloud, touch me
Julia, areia adormecida, nuvem silenciosa, toque-me
So I sing a song of love, Julia.
E então eu canto uma canção de amor, Julia.
Hum hum hum hum… calls me
Hum hum hum hum… me chama
So I sing a song of love for Julia, Julia, Julia.
E então eu canto uma canção de amor para Julia, Julia, Julia.

Birthday
Aniversário

You say it’s your birthday
Você tá dizendo que está fazendo aniversário
It’s my birthday too, yea
é o meu aniversário também, sim
They say it’s your birthday
Estão dizendo que vc está fazendo aniversário
We’re gonna have a good time
Vamos nos divertir
I’m glad it’s your birthday
Eu estou contente pelo seu aniversário
Happy birthday to you
Feliz aniversário pra você

Yes we’re going to a party, party (3x)
Sim, nós estamos indo para uma festa, festa

I would like you to dance (Birthday)
Eu gostaria de vê-lo dançar (aniversário)
Take cha cha cha chance (Birthday)
aproveite a oportunidade (aniversário)
I would like you to dance (Birthday)
Eu gostaria de vê-lo dançar (aniversário)
Dance
Dançar

I would like you to dance (Birthday)
Eu gostaria de vê-lo dançar (aniversário)
Take cha cha cha chance (Birthday)
Aproveite a oprtunidade (aniversário)
I would like you to dance (Birthday)
Eu gostaria de vê-lo dançar (aniversário)

You say it’s your birthday
Você tá dizendo que está fazendo aniversário
It’s my birthday too, yea
e o meu aniversário também, sim
They say it’s your birthday
Estão dizendo que vc está fazendo aniversário
We’re gonna have a good time
Nós vamos nos divertir
I’m glad it’s your birthday
Eu estou contente pelo seu aniversário
Happy birthday to you
Feliz aniversário pra você

Yer Blues
Seus Blues
Nota: contam que se trata de uma sátira ao gênero blues, em geral

Yes I’m lonely, wanna die
Sim, eu estou sozinho, com vontade de morrer
If I ain’t dead already
Se eu ainda não estou morto…
Ooh girl you know the reason why.
Ohh,garota,você sabe por quê

In the morning wanna die
De manhã eu quero morrer.
In the evening wanna die
À noite eu quero morrer.
If I ain’t dead already
E se ainda não morri …
Ooh girl you know the reason why.
Ohh,garota,você sabe por quê

My mother was of the sky
Minha mãe tinha laços com o céu
My father was of the earth
E meu pai com a Terra
But I am of the universe
Mas eu tenho laços com o Universo
And you know what it’s worth
E você sabe o quanto isso vale

I’m lonely wanna die
Sim, eu estou sozinho, com vontade de morrer
If I ain’t dead already
Se eu ainda não estou morto…
Ooh girl you know the reason why.
Ohh,garota,você sabe por quê

The eagle picks my eye
A águia bica o meu olho.
The worm he licks my bones
O verme consome os meus ossos
I feel so suicidal
Eu me sinto tão suicida
Just like Dylan’s Mr. Jones
Tal qual o Senhor Jones, do Dylan. (alusão ao Bob Dylan)

Lonely wanna die
Sozinho,quero morrer.
If I ain’t dead already
Se já não estou morto…
Ooh girl you know the reason why
Ohh,garota,você sabe por que

Black cloud crossed my mind
Uma nuvem preta passou pela minha mente
Blue mist round my soul
Um nevoeiro sombrio ronda a minha alma
Feel so suicidal
Me sinto tão suicida
Even hate my rock and roll
Estou até com raiva do meu Rock’n Roll

Wanna die yeah wanna die
Quero morrer,sim,quero morrer.
If I ain’t dead already
Se eu ainda não estou morto…
Ooh girl you know the reason why.
Ohh,garota,você sabe por quê

Mother Nature’s Son
Filho da Mãe Natureza

Born a poor young country boy,
Um jovem menino caipira e pobre nasceu
Mother Nature’s son
Filho da mãe natureza
All day long I’m sitting singing songs
O dia todo me ponho a cantar canções
For everyone
para todo mundo

Sit beside a mountain stream
Sento ao lado de um córrego de uma montanha
See her waters rise.
e vejo as suas águas subirem
Listen to the pretty sound of music
Ouço o som bonito da música
As she flies.
ao viajar pelo ar

Doo doo doo doo dooh
Doo doo doo doo dooh
Dooh dooh dooh.

Find me in my field of grass,
Encontre-se comigo no meu campo gramado
Mother Nature’s son
Filho da mãe natureza
Swaying daisies sing a lazy song
Margaridas se agitam cantando uma canção lentinha
Beneath the sun.
sob o sol.

Doo doo doo doo dooh
Doo doo doo doo dooh
Dooh dooh dooh – yeah yeah.
Ah, Mother Nature’s son.
Ah, filho da mãe natureza.

Everybody’s got something to hide except me and my
Everybody’s got something to hide except me and my monkey

Todo mundo tem algo para esconder, exceto pra mim e meu macaco

Come on, come on. Come on, come on
Vamos lá, vamos lá, Vamos lá, vamos lá
Come on, it’s such a joy
Vamos lá, isso é que é alegria
Come on, it’s such a joy
Vamos lá, isso é que é alegria
Come on, let’s take it easy.
Vamos lá, vamos com calma
Come on, let’s take it easy.
Vamos lá, vamos com calma
Take it easy. Take it easy.
Vai com calma, vai com calma
Everybody’s got something to hide, except for me and my monkey.
Todo mundo tem algo para esconder, exceto pra mim e meu macaco

The deeper you go, the higher you fly
Quanto mais fundo você vai, mais alto você voa
The higher you fly, the deeper you go
Quanto mais alto você voa, mais fundo você vai

So, come on. Come on.
Então, vamos lá, vamos lá, Vamos lá
Come on, it’s such a joy.
Vamos lá, isso é que é alegria
Come on, it’s such a joy
Vamos lá, isso é que é alegria
Come on, let’s make it easy
Vamos lá, vamos tornar fácil as coisas
Come on, let’s make it easy
Vamos lá, vamos tornar fácil as coisas
Take it easy.Take it easy.
Vai com calma, vai com calma
Everybody’s got something to hide, except for me and my monkey.
Todo mundo tem algo para esconder, exceto pra mim e meu macaco

Your inside is out
Sua parte interna está para fora
and your outside is in.
e a sua parte externa está para dentro
Your outside is in
Sua parte externa está para dentro
and your inside is out.
e a sua parte interna está pra fora

So, come on. Come on. (repete…)

Sexy Sadie
Sexy Sadie what have you done
Sádica do sexo o que você fez
You made a fool of everyone
Você fez todo mundo de bobo
You made a fool of everyone
Você fez todo mundo de bobo
Sexy Sadie what have you done.
Sádica do sexo, o que você fez
Sexy Sadie you broke the rules
Sádica do seso você quebrou as regras
You layed it down for all to see
Você se mostrou para que todos vissem
You layed it down for all to see
Você se mostrou para que todos vissem
Sexy Sadie you broke the rules.
Sádica do sexo, você quebrou as regras

One sunny day the world was waiting for a lover
Um dia ensolarado esperava por um amante
She came along to turn on everyone
Ela apareceu para excitar todo mundo
Sexy Sadie the greatest of them all.
Sádica do sexo, a melhor dentre todas

Sexy Sadie how did you know
Sádica do sexo como você soube
The world was waiting just for you
O mundo esperava somente por você
The world was waiting just for you
O mundo esperava somente por você
Sexy Sadie how did you know.
Sádica do sexo, como você soube
Sexy Sadie you’ll get yours yet
Sádica do sexo, um dia você ainda terá a sua (vez?)
However big you think you are
Quão grande você pensa que é?
However big you think you are
Quão grande você pensa que é?
Sexy Sadie oooh you’ll get yours yet.
Sádica do sexo, um dia você ainda terá a sua (vez?)
We gave her everything we owned just to sit at her table
Nós demos tudo o que tínhamos somente para sentar nessa mesa
Just a smile would lighten everything
Apenas um sorriso iluminaria tudo
Sexy Sadie she’s the latest and the greatest of them all.
Sádica do sexo, você é a mais nova e a melhor dentre todas
She made a fool of everyone
Ela fez todo mundo de tolo
Sexy Sadie
Sádica do sexo
However big you think you are
Quão grande você pensa que é?
Sexy Sadie – Sádica do sexo

Helter Skelter
Tobogã

When I get to the bottom
Quando eu chego no final da descida
I go back to the top of the slide
Eu volto para o alto do tobogã
Where I stop and I turn
Onde eu me preparo
and then I go for a ride
para aí dar mais uma volta
Till I get to the bottom
esperando chegar no final da descida
and I see you again, yeh, yeh yeh
para me reencontrar contigo

Do you, don’t you want me to love you
Você quer ou não quer que eu te ame?
I’m coming down fast,
Eu estou descendo velozmente
but I’m miles above you
sabendo que estou milhas acima de você
Tell me, tell me tell me, c’mon tell me the answer
Responda-me, responda-me, vamos lá, responda-me o que te perguntei
Well you may be a lover but you ain’t no dancer
Como dançarina vc é uma boa amante
(nota: pode ser no sentido de que ela não entra no jogo dele demonstrando não estar a fim por não entrar no ritmo dele. Ele tem altos e baixos com ela, e se acha acima dela porque só a encontra ‘em baixo’, daí a relação com o tobogã – pode haver alguma conotação com ‘ela’ sendo a droga)

Helter Skelter, Helter Skelter, Helter Skelter, yeah, hu hu
Tobogã, tobogã, tobogã… é isso aí
Will you, won’t you want me to make you
Você vai ou não vai querer que eu te faça chegar lá?
I’m coming down fast, but don’t let me break you
Eu estou descendo velozmente mas não deixe que eu te atropele
Tell me, tell me, tell me the answer
Responda-me, responda-me, responda-me o que te perguntei
You may be a lover but you ain’t no dancer
Como dançarina vc é uma boa amante

Look out!
Se liga
Helter Skelter, Helter Skelter, Helter Skelter, oooh…
Tobogã… tobogã…tobogã…
Look out, ‘cause here she comes …
Se liga, por que é por aqui que ela ‘dá as caras’….

When I get to the bottom…….. (repete o início)

Helter Skelter
Tobogã
She’s coming down fast
ela está descendo rapidinho (pode estar se referindo ao efeito das drogas passando)
yes she is yes she is
sim ela está; sim, ela está
coming down fast
está descendo rapidinho

I got blisters on my fingers!!!
Fiquei com bolhas nos dedos (seria uma frase de Ringo mostrando os dedos feridos pelas baquetas)

Long Long Long (George Harrison) Primeira tradução
Por muito muito muito tempo

It’s been a long long long time,
Já se passou muito muito muito tempo,
How could I ever have lost you
Como eu pude em algum momento te perder
When I loved you.
Se eu te amava

It took a long long long time
Demorou muito muito muito tempo
Now I’m so happy I found you
Agora estou tão feliz por ter te encontrado
How I love you
Como eu te amo

So many tears I was searching,
Procurei lágrimas demais
So many tears I was wasting,
Gastei lágrimas demais,
Oh Oh
Now I can see you, be you
Agora eu te vejo, estou contigo
How can I ever misplace you
Como eu pude alguma vez te deixar de lado
How I want you
Como eu te quero
Oh I love you
Oh Eu te amo
Your know that I need you.
Sabes que preciso de ti
Ooh I love you.
Oh Eu te amo

Long long long – Segunda tradução, esta feita por Samuel Dutra), que explica em nota que a tradução dele difere muito pouco da minha acima, mas tem um outro enfoque, o religioso, imaginando que George fez a letra como se ele tivesse finalmente encontrado Deus.

Por muito muito muito tempo

It’s been a long long long time,
Lá se vai muito, muito, muito tempo
How could I ever have lost you, When I loved you
Como fui capaz de nunca ter te encontrado, se eu te amava?
It took a long long long time,
Demorou muito, muito, muito tempo
Now I’m so happy I found you,
Agora eu estou muito feliz por ter te encontrado
How I love you.
Como eu te amo
So many tears I was searching
Tantas foram as lágrimas quando eu estava te buscando
So many tears I was wasting,
Tantas foram as lágrimas que derramei desnecessariamente
Oh Oh now I can see you, be you,
Agora posso ver você, estar com você
How can I ever misplace you.
Como é que eu nunca pude estar a seu lado?
How I want you,
Como eu te quero
Oh I love you,
Ooh, eu te amo
You know that I need you,
Você sabe que eu preciso de você
Ooh I love you.
Eu te amo

Revolution 1
You say you want a Revolution
Você diz que quer uma revolução
Well you know, bem você sabe ( você deve saber)
We all want to change the world
Todos nós queremos mudar o mundo
You tell me that it´s evolution
Você me diz que isto é evolução
Well, you know, bem você sabe (você deve saber)
We all want to change the world
Todos nós queremos mudar omundo
But when you talk about destruction
Mas quando você fala sobre destruição
Don´t you know that you can come me out
Não conte comigo, (você não sabe disso?)
Don´t you know it´s going to be alright
Tudo vai ficar bem
Alright, alright vai ficar bem
You say you got a real solution
Você diz que tem uma solução
Well, you know, bem você sabe
We´d all love to see the plan
Nós adoraríamos ver o plano
You ask me for a contribution
Você me pergunta sobre uma contribuição
Well you know, bem você sabe
We´re all doing what we can
Nós fazemos o que podemos
But if you want money for people with minds that hate
Mas se você quer dinheiro para pessoas com ódio em suas mentes
All I can tell you is: brother you have to wait
Tudo o que eu posso te dizer é: irmão você vai ter que esperar
Don´t you know it´s going to be alright
Você não sabe que tudo vai ficar bem?
Alright,alright, vai ficar bem
You say you´ll change a constitution
Você diz que mudará a constituição
Well you know, bem você sabe
We want to change your head
Nós queremos mudar sua meneira de pensar
You tell me it´s the institution
Você me diz que é a instituição
Well, you know, bem você sabe
You better free your mind instead
Em vez disso é melhor você manter a sua mente livre
But if you go carrying pictures of Chairman Mao
Mas se você carregar retratos do Presidente Mao
You ain´t gonna make it with anyone somehow
Você não vai fazer isso com ninguem, de maneira nenhuma

Honey Pie
Nota: a letra fala do amor do autor por uma garota chamada Honey Pie

She was a working girl North of England way
Ela era uma operária do Norte da Inglaterra
Now she’s hit the big time In the U.S.A.
Agora ela está por cima fazendo sucesso nos EUA (virou uma artista de cinema)
And if she could only hear me This is what I’d say
Se ela pudesse pelo menos me ouvir eu diria isso pra ela

Honey Pie you are making me crazy I’m in love but I’m lazy
Honey Pie vc está me deixando louco, eu estou apaixonado mas sou preguiçoso
So won’t you please come home
Sendo assim, vc não vai fazer o favor de voltar pra casa?
Oh Honey Pie my position is tragic
Oh Honey Pie, minha situação chega a ser trágica
Come and show me the magic of your Hollywood song
Venha e me mostre a magia de sua música de Hollywood

You became a legend of the silver screen
Agora vc se tornou uma lenda nas telas dos cinemas
And now the thought of meeting you
E agora a idéia de me encontrar contigo
Makes me weak in the knee.
me faz ficar de perna bamba

Oh Honey Pie you are driving me frantic
Honey Pie vc está me deixando frenético
Sail across the Atlantic To be where you belong
Cruze o Atlântico para viver no lugar em que vc nasceu
Will the wind that blew her boat Across the sea
Será que o vento que conduziu o seu barco pelo mar
Kindly send her sailing back to me.
vai trazê-la generosamente de volta pra mim?

Honey Pie you are making me crazy I’m in love but I’m lazy
Honey Pie vc está me deixando louco, eu estou apaixonado mas sou preguiçoso
So won’t you please come home
Sendo assim, vc não vai fazer o favor de voltar pra casa?

Savoy Truffle
Caixa de Bombons Savoy Truffle

Cream tangerine and montelimar,
’Cream Tangerine’ e ‘Montelimar’
A ginger sling with a pineapple heart,
Um ‘Ginger Sling’ com um ‘Pineapple Treat’
A coffee dessert, yes you know it’s Good News
Um ‘Coffee Desert’, sim você sabe que é Good News

Nota: Good News era o nome de vários tipos de bombons fabricados pela firma inglesa chamada Rowntrees. Nesta canção são listados alguns tipos, incluindo ‘cream tangerine’, ‘montelimar’, ‘ginger sling’, ‘pineapple treat’ , ‘coffee dessert’ e ‘savoy truffle’. Outros nomes de guloseimas como ‘cherry cream’ e ‘coconut fudge’ foram inventados por George fazendo graça de Eric Clapton, doido por doces, que ficava com os dentes marcados de tanto comer chocolate.

But you’ll have to have them all pulled out after the savoy truffle.
Mas vai ter que tê-los todos arrancados após o Savoy Truffle

Nota: trata-se de George alertando que Eric Clapton ia ficar com os dentes estragados caso continuasse comendo tanto chocolate.

Cool cherry cream and nice apple tart,
Refrescante ‘Cherry Cream’ e um puro ‘Apple Tart’
I feel your taste all the time we’re apart,
Eu sinto o tempo todo, de longe, o seu sabor
Coconut fudge really blows down those blues,
’Coconut Fudge’ manda mesmo a tristeza embora
But you’ll have to have them all pulled out after the savoy truffle.
Mas vai ter que tê-los todos arrancados após o Savoy Truffle

You might not feel it now
Você pode não perceber agora
But when the pain cuts through you’re going to know, and how.
Mas quando a dor chegar aí vc vai ver, e como
The sweet is gonna fill your head,
O doce vai fazer a sua cabeça
When it becomes too much you’ll shout aloud,
Quando ele estiver saindo pelo ladrão aí vc vai dar um grande berro
But you’ll have to have them all pulled out after the savoy truffle.
Mas vai ter que tê-los todos arrancados após o Savoy Truffle
Know that what you eat you are,
Saiba que você é o que você come
But what is sweet now turns so sour
O que é doce agora pode se tornar muito amargo
We all know ob-la-di-bla-da,
Todos nós conhecemos Ob-la-di-bla-da
But can you show me where you are
Mas vc poderia me dizer em que mundo vc vive?

Cream tangerine and montelimar (repete…)

Cry Baby cry
Chora, criancinha, chora

Nota: dizem que, nesta canção, John baseou-se em histórias que ouvia quando era criança.

Cry baby cry
Chora, criancinha, chora
Make your mother sigh
Faça sua mãe sentir saudades
She’s old enough to know better
Ela tem idade pra isso

The king of Marigold was in the kitchen
O rei de Marigold estava na cozinha
Cooking breakfast for the queen
preparando o café da manhã para a rainha

The queen was in the parlour
A rainha estava na sala
Playing piano for the children of the king
tocando piano para os filhos do rei

Cry baby cry…… repete o refrão.

The king was in the garden
O rei estava no jardim
Picking flowers for a friend who came to play
colhendo flores para uma amiga que vinha se juntar a eles
The queen was in the playroom
A rainha estava num recinto de entretenimento
Painting pictures for the childrens holiday.
colorindo desenhos para a alegria das crianças

Cry baby cry
Chora, criancinha, chora
Make your mother sigh
Faça sua mãe sentir saudades
She’s old enough to know better.
Ela tem idade pra isso
So cry baby cry
Então chora, criancinha, chora

The duchess of Kircaldy always smiling
A duquesa de Kircaldy sempre sorridente
And arriving late for tea
chega atrasada para o chá
The duke was having problems
O duque estava com dificuldades de decifrar
With a message at the local bird and bee
uma mensagem gravada no Pub local (‘bar da esquina’)

Cry baby cry…. Repete refrão

At twelve o’clock a meeting round the table
As doze horas acontece uma reunião ao redor da mesa
For a seance in the dark
para uma sessão espírita no escuro
With voices out of nowhere
com vozes do além
Put on specially by the children for a lark
vozes que as crianças, de travessura, resolveram imitar

Cry baby cry… repete o refrão.

Good Night
Now it´s time to say good night
Agora é hora de dizer boa noite
good night sleep tight
boa boite durma profundamente ( durma bem)
Now the sun turns out his light
Agora o sol desliga as suas luzes
good night sleep tight
boa noite durma profundamente ( durma bem)
Dream sweet dreams for me- sonhe doces sonhos para mim
dream,swwet dreams for you – sonhe doces sonhos para você
Close your eyes and I´ll close your mine
Feche seus olhos e fecharei oe meus também
Good night sleep tight
boa noite durma profundamente ( durma bem)
Now the moon begins tho shine
Agora a lua começa a brilhar
Good night sleep tight
boa noite durma profundamente ( durma bem)
Dream sweet dreams for me – sonhe doces sonhos para mim
dream sweet dreams for you – sonhe doces sonhos para você
Now the sun turns out his light
Agora o sol apaga suas luzes
good night sleep tight – boa noite durma profundamente ( durma bem)
Dream sweet dreams for me – sonhe doces sonhos para mim
dream sweet dreams for you – sonhe doces sonhos para você

Good night good night everybody
Boa noite, boa noite a todos
everybody everywhwere
prá todos em todos os lugares
good night – boa noite

Revolution 9
Revolução 9

…Bottle of claret for you if I’d realized
..uma garrafa de vinho tinto pra vc caso eu tivesse me tocado
Well, do it next time
Bem, faça isso da próxima vez
I’d forgotten all about it George, I’m sorry,
Eu tinha me esquecido disso completamente, George, sinto muito
Will you forgive me?
Você me perdoa?
Mmm yes
Sim

Number nine, number nine, number nine, number nine….
Número 9 Número 9 Número 9 Número 9

…Then there’s this Welsh Rarebit wearing some brown underpants
… então há esse tal de Welsh Rarebit vestindo uma cueca marrom…
…About the shortage of grain in Hertfordshire
….sobre a escassez de grãos em Hertfordshire

Everyone of them knew that as time went by they’d get a little bit older and a little bit slower but…
todos sabiam que conforme o tempo passava, eles ficariam um pouco mais velhos e um pouco mais lentos, mas…

It’s all the same thing, in this case manufactured by someone who’s always umpteen (…)
É tudo a mesma coisa, neste caso, produzido por alguém que sempre…
Your father’s giving it diddly-i-dee / district was leaving…
Seu pai está dando uma ninharia por isso / do que saía da região….
Intended to die … Ottoman…
Destinado a morrer …. Otomano…
…..Long gone through…..
Há tempos passou…
I’ve got to say irritably and…
Tenho que te dizer irritado e …
(…) Floors, hard enough to put on (…) Per day’s md in our district
…preço mínimo, é difícil pra burro de imputar.… à diária do médico da nossa região
There was not really enough light to get down, and ultimately (…) Slumped down
Não havia mesmo uma boa idéia para fazer abaixar e, basicamente… os preços caíram
Suddenly…
De repente…
They may stop the funding…
Eles podem acabar com o financiamento…

Place your bets The original
Façam suas apostas A jamais feita
Afraid she’ll die (…)
Temo que ela expire
Great colours for the season
As grandes cores da estação….

Number nine, number nine
Número 9 Número 9

Who’s to know?
Quem deve saber?
Who was to know?
Quem devia saber?

Number nine, number nine, number nine, number nine….
Número 9 Número 9 Número 9 Número 9

I sustained nothing worse than (…)
Não me deparei com nada pior….

Also, for example
Também, por exemplo
Whatever you’re doing
O que quer que esteja fazendo
A business deal falls through
Uma negociata se concretiza…

I informed him on the third night, when fortune gives…
Eu o informei na terceira noite, quando a fortuna se apresenta….

People ride, people ride
As pessoas apostam, as pessoas apostam
Ride, ride, ride, ride
Apostam, apostam apostam

Number nine, number nine, number nine, number nine
Número 9 Número 9 Número 9 Número 9
Ri-i-i-i-ide
Apostem
Ri-i-i-i-i-i-i-i-ide
Apostem
Number nine, number nine, number nine, number nine
Número 9 Número 9, Número 9 Número 9
(…) I’ve missed all of that
…Eu deixei escapar essa
It makes me a few days late compared with, like, wow!
Comparado a isso só mesmo os últimos dias, uau!
And wierd stuff like that…
Coisas doidas como isso…

(…) Taking our sides sometimes
Do nosso ponto de vista, por vezes
(…) Floral bark
.. perfumaria

Rouge doctors have brought this specimen
Médicos de perfumaria compraram esta amostra
I have nobody’s short-cuts, aha…
Eu tenho os atalhos de ninguém, aha…

Nine, number nine
Número 9 Número….
(…) With the situation
Com a situação

They are standing still
Eles estão imobilizados
The plan, the telegram…
O plano, o telegrama
(Hubbbbba, hubbbbba, hubbbbbba, hubbbbba, hubbbbba
Number nine, number Hubbba)
Number 9, number

man without terrors from beard to false
Um homem sem medo terror de barba postiça
As the headmaster reported to my son
Como o diretor da escola relatou para o meu filho
He really can try, as they do, to find function…
Ele realmente pode tentar, como costumam fazer, para encontrar uma função…
Tell what he was saying, and his voice was low and his hive high,
Diga-me o que ele estava dizendo, sua voz estava baixa e os nervos à flor da pele
And his eyes were low…
e seus olhos baixos
Alright!
Tudo bem!

It was on fire and his glasses were the same
Estava pegando fogo e seus óculos estavam do mesmo jeito
This thing know if it was tinted,
Essa coisa sabe se foi tingida
But you know it isn’t
Mas você sabe que não foi
To me it is…
Para mim está..

Number nine, number nine, number nine, number nine
Número 9…

So the wife called me and we’d better go to see a surgeon
Então a esposa me chamou dizendo que era melhor irmos a um cirurgião
to price it (…)
para botar o preço…
Yellow underclothes
em roupas íntimas amarelas

So, any road, we went to see a dentist instead
Então, em vez disso, sem direção certa, rumamos para o dentista
That gave her a pair of teeth which wasn’t any good at all
que deu a ela um par de dentes que não prestava nem um pouco.
So I said I’d marry, join the fucking navy and went to sea
Então eu disse que me casaria, me juntei à maldita da Marinha e me lancei ao mar.

In my broken chair, my wings are broken and so is my hair
Na minha cadeira quebrada, minhas asas estão quebradas e o meu cabelo também
I’m not in the mood for whirling How?
Não estou com disposição para vomitar. Como?
Dogs for dogging, hands for clapping
Cães para agirem como cães, mãos para aplaudir
Bird’s for birding, and fish for fishing
Pássaros para serem pássaros, peixe para pescar
Them for themming and when for whimming
Eles para serem eles mesmos e quando for por capricho
…Only to find the night-watchman unaware of his presence in the building
… apenas para encontrar o vigia noturno sem noção de sua presença no prédio.

Number nine, number nine, number nine, number nine
Número 9 Número 9 Número 9…

Industry allows financial imbalance
A industria permite desequilíbrio financeiro
Thrusting it bewteen his shoulder blades
empurrando-o entre as lâminas dos seus ombros
The watusi,
O Watusi
the twist
o Twist
Eldorado
Eldorado

Take this, brother, may it serve you well
Tome isto irmão e que lhe sirva bem
Maybe it’s nothing
Talvez não seja nada
What, what oh…
O que? O que? Oh…
Maybe, even then, impervious in London
Talvez, desde então, impérvio em Londres
…Could be difficult thing…
Poderia ser uma coisa difícil…
It’s quick like rush for peace because it’s so much like being naked
É rápido como a busca pela paz é porque é tão parecido como estar nu

It’s alright,….
Tudo bem (nove vezes)

If, you’ve become naked
Se, você ficasse nu
Block that kick……
Bloqueia aquele chute!!

“Magical Mystery Tour”, o Nono Álbum Oficial dos Beatles.

Lançado pelo selo Parlophone / Capitol em 08 de dezembro de 1967 no Reino Unido e em 27 de novembro de 1967 nos Estados Unidos, o álbum foi produzido por George Martin.
Também teve lançamento em CD em 21 de Setembro 1987.

Magical mystery tour

Durante um voo para os Estados Unidos, em Abril de 1967, Paul McCartney teve a ideia de fazer um filme em que mostrasse os Beatles dentro de um ônibus viajando pelo interior da Inglaterra.
Como o grupo ainda estava envolto com as gravações de ‘Sgt Pepper’, a ideia foi arquivada até o 2º semestre do ano. Neste meio tempo os Beatles finalizaram o disco, colheram os frutos das boas críticas, conheceram o Maharishi e tiveram a pior notícia do ano: Brian Epstein havia morrido.

‘Magical Mystery Tour’ foi o primeiro projeto dos Beatles após a morte de Brian Epstein, e foi o primeiro trabalho do grupo a receber dolorosas críticas. Televisionado no natal de 1967, o público odiou o filme, muito pelo nonsense do roteiro e pela fraca direção e produção. Mas a trilha sonora é um caso à parte.

Apenas 6 novas músicas foram compostas para o filme: 4 de John e Paul, 1 de George, e pela primeira vez um instrumental composto a 4 mãos. Ringo desta vez não teria uma faixa para ele.

Lançado originalmente na Inglaterra como um EP duplo, nos Estados Unidos saiu como um LP, sendo que o lado A continha as músicas do filme, e o lado B outros singles de 1967. Tanto o EP e o LP continham um encarte colorido com 24 páginas que contava a história do filme, com desenhos, fotos e as letras das músicas. Só em 1987, com o lançamento da discografia em CD, ‘Magical Mystery Tour’ passou a ser incluído após ‘Sgt. Pepper’, como o 9º LP dos Beatles na Inglaterra.

O EP original chegou ao 2º lugar na parada dos singles em 03 de Janeiro de 68. Não alcançou o 1º lugar apenas porque não conseguiu desbancar o single que lá estava e que era ‘Hello Goodbye’, também dos Beatles. Em Contrapartida, o LP americano foi a maior vendagem inicial de um disco até aquela data e em 06 de Janeiro chegou ao 1º lugar, permanecendo por 8 semanas.

As músicas que compõem o álbum são:

Magical Mystery Tour
The fool on the hill
Flying
Blue Jay Way
Your mother should know
I am the Walrus
Hello Goodbye
Strawberry Fields Forever
Penny Lane
Baby you’re a rich man
All you need is love

As letras foram traduzidas por Samuel Dutra para a Comunidade Chá com a Beatlemania.

Magical Mystery Tour
A excursão enigmática e mágica

Roll up.
Embarca nessa
Roll up for the Mystery Tour
Embarca nessa, na da Excursão Enigmática
Roll up
Embarca nessa
Roll up for the Mystery Tour
Embarca nessa, na da Excursão Enigmática

Roll up.
Embarca nessa
And that’s an invitation
Isto é um convite
Roll up for the Mystery Tour
Embarca nessa, na da Excursão Enigmática
Roll up
Embarca nessa
To make a reservation
para fazer uma reserva
Roll up for the Mystery Tour
Embarca nessa, na da Excursão Enigmática

The Magical Mystery Tour
A excursão enigmática e mágica
Is waiting to take you away
está aguardando para te levar com ela
Waiting to take you away
aguardando para te levar com ela

Roll up
Embarca nessa
Roll up for the Mystery Tour
Embarca nessa, na da Excursão Enigmática
Roll up
Embarca nessa
Roll up for the Mystery Tour
Embarca nessa, na da Excursão Enigmática

Roll up
Embarca nessa
We got everything you need
Nós temos tudo que você precisa
Roll up for the Mystery Tour
Embarca nessa, na da Excursão Enigmática
Roll up
Embarca nessa
Satisfaction guaranteed
que a satisfação é garantida
Roll up for the Mystery Tour
Embarca nessa, na da Excursão Enigmática

The Magical Mystery Tour
A excursão enigmática e mágica
Is hoping to take you away.
Espera te levar com ela
Hoping to take you away.
Espera te levar com ela

(Mystery Tour..)
Ah.. The Magical Mystery Tour…
Ah… a turne magica e misteriosa…

Roll up.
Embarca nessa
And that’s an invitation
Isto é um convite
Roll up for the Mystery Tour
Embarca nessa, na da Excursão Enigmática
Roll up
Embarca nessa
To make a reservation
para vc fazer uma reserva
Roll up for the Mystery Tour
Embarca nessa, na da Excursão Enigmática

The Magical Mystery Tour
A excursão enigmática e mágica
Is coming to take you away
tá cheganod no pedaço para te levar com ela
Coming to take you away
tá chegando no pedaço para te levar com ela

The Magical Mystery Tour
A excursão enigmática e mágica
Is dying to take you away
não vê a hora de te levar com ela
Dying to take you away
não vê a hora de te levar com ela
Take you today
Te levar ainda hoje

The Fool On The Hill – O Bobo da Montanha
Day after day, alone on the hill,
Dia após dia, sozinho em uma montanha
The man with the foolish grin is keeping perfectly still
Um homem com um sorriso de idiota vive sem perturbar absolutamente ninguém
But nobody wants to know him, They can see that he’s just a fool,
E ninguém quer saber dele, sabem que ele não passa de um bobo
And he never gives an answer
E ele não está aí pra nada

But the fool on the hill sees the sun going down,
Mas o bobo da montanha vê o sol se pôr
And the eyes in his head see the world spinning round
E os seus olhos vêem que o mundo gira

Well on the way, his head in a cloud,
Bem a seu jeito, com a cabeça em outro mundo
The man of a thousand voices is talking perfectly loud
O homem de milhares de vozes é perfeitamente audível
But nobody ever hears him, Or the sound he appears to make,
Mas nunca ninguém o ouve e nem o barulho que ele parece fazer
And he never seems to notice
E ele dá a impressão que nunca se importa com isso

But the fool on the hill sees the sun going down,
Mas o bobo da montanha vê o sol se pôr
And the eyes in his head see the world spinning ‘round.
E os seus olhos vêem que o mundo gira

And nobody seems to like him
E ninguém parece que gosta dele
They can tell what he wants to do
Sabem o que ele gosta de fazer
And he never shows his feelings
sem nunca demonstrar seus sentimentos

But the fool on the hill sees the sun going down,
Mas o bobo da montanha vê o sol se pôr
And the eyes in his head see the world spinning ‘round.
E os seus olhos percebem que o mundo gira
woah ooh,

Round and round and round
Gira e gira e gira

He never listens to them
Ele nunca dá ouvido às pessoas
He knows that they’re the fool
ele entende que, bobo, elas é que são
They don’t like him
Elas não gostam dele
The fool on the hill
do bobo na montanha
Sees the sun going down,
que vê o sol se pôr
And the eyes in his head see the world spinning ‘round.
e que com os seus olhos vê que o mundo gira

A minha tradução para The Fool on The Hill
The fool on the Hill – O tolo da Colina

Day after day,
Dia após dia,
Alone on the hill,
Sozinho na colina
The man with the foolish grin is keeping perfectly still,
O homem com um sorriso ridículo ainda se mantém perfeito,
But nobody wants to know him,
Mas ninguém quer conhecê-lo
They can see that he’s just a fool,
Eles podem constatar que ele não passa de um tolo,
And he never gives an answer,
E ele nunca dá respostas,
But the fool on the hill
Mas o tolo da colina
Sees the sun going down,
Vê o sol se por,
And the eyes in his head,
E os olhos em sua cabeça,
See the world spinning ‘round.
Ve o mundo girar ao seu redor

Well on his way head in a cloud,

Bem em seu caminho entra numa nuvem
The man of a thousand voices is talking perfectly loud
O homem de mil vozes fala muito bem audível
But nobody ever hears him,
Mas ninguém nunca o ouve,
Or the sound he appears to make,
Ou não ouvem o som que ele parece fazer,
And he never seems to notice,
E ele nunca parece reparar,
But the fool on the hill
Mas o tolo da colina
Sees the sun going down,
Vê o sol se por,
And the eyes in his head,
E os olhos em sua cabeça
See the world spinning ‘round.
Vê o mundo girando ao seu redor.

And nobody seems to like him
E ninguém parece gostar dele
They can tell what he wants to do.
Eles podem dizer o que ele quer fazer.
And he never shows his feelings,
E ele nunca demonstra seus sentimentos,
But the fool on the hill
Mas o tolo da colina
Sees the sun going down,
Vê o sol se por,
And the eyes in his head,
E os olhos em sua cabeça,
See the world spinning ‘round.
Vê o mundo girando ao seu redor.

woah ooh,
Round and round and round.
Ao seu redor e ao redor e ao redor
He never listens to them,
Ele nunca escuta a eles,
He knows that they’re the fool
Ele sabe que eles é que são tolos
They don’t like him,
Eles não gostam dele,
The fool on the hill
O tolo da colina
Sees the sun going down,
Vê o sol se por,
And the eyes in his head,
E os olhos em sua cabeça,
See the world spinning ‘round.
Vê o mundo girar ao seu redor.

Flying

É instrumental.

Blue Jay Way
(trata-se de um nome de uma rua em Los Angeles onde George queria alugar uma casa).

There’s a fog upon L.A.
Los Angeles (L.A) está coberta por um nevoeiro
And my friends have lost their way
e meus amigos se perderam
We’ll be over soon they said
Logo logo vamos nos achar, disseram eles
Now they’ve lost themselves instead
Mas o fato é que eles estavam mesmo perdidos

Please don’t be long please don’t you be very long
Por favor, não demorem, por favor não demorem muito
Please don’t be long for I may be asleep
Por favor não demorem pois eu posso acabar dormindo

Well it only goes to show
Bem, era só uma questão de orientação
And I told them where to go
E eu lhes disse o que fazer
Ask a policeman on the street
Perguntem a um policial que estiver passando na rua
There’s so many there to meet
Há um bocado deles por aí

Please don’t be long please don’t you be very long
Por favor, não demorem, por favor não demorem muito
Please don’t be long for I may be asleep
Por favor não demorem pois eu posso acabar dormindo

Now it’s past my bed I know
Agora estou certo de que ir pra cama é coisa do passado
And I’d really like to go
E era pra ela que eu gostaria mesmo de ir
Soon will be the break of day
Em breve raiará o dia
Sitting here in Blue Jay Way
Aqui por essas bandas de Blue Jay Way

Please don’t be long please don’t you be very long
Por favor, não demorem, por favor não demorem muito
Please don’t be long for I may be asleep
Por favor não demorem pois eu posso acabar dormindo
Please don’t be long please don’t you be very long
Por favor, não demorem, por favor não demorem muito
Please don’t be long
Por favor, não demorem
Please don’t be long please don’t you be very long
Por favor, não demorem, por favor não demorem muito
Please don’t be long
Por favor, não demorem
Please don’t be long please don’t you be very long
Por favor, não demorem, por favor não demorem muito
Please don’t be long
Por favor, não demorem
Don’t be long (6 x)
Não demorem

Your mother should know
Sua mãe deve conhecer

Let’s all get up and dance to a song
Vamos nos evantar e dançar uma canção
That was a hit before your mother was born
Que fez sucesso antes de sua mãe ter vindo ao mundo
Though she was born a long, long time ago,
Posto que sua mãe nasceu há muito, há muito tempo atrás
Your mother should know. (Your mother should..) 2x
Sua mãe deve conhecer. (Sua mãe deve…)

Sing it again
Cante outra vez

Let’s all get up and dance to a song
Vamos nos levantar e dançar uma canção
That was a hit before your mother was born
Que fez sucesso antes de sua mãe ter vindo ao mundo
Though she was born a long, long time ago,
Posto que ela nasceu há muito, há muito tempo atrás
Your mother should know. (Your mother should..) 2x
Sua mãe deve conhecer. (Sua mãe deve…)

Lift up your hearts and sing me a song
Anime o seu coração e cante pra mim uma canção
That was a hit before your mother was born
Que fez sucesso antes de sua mãe ter vindo ao mundo
Though she was born a long, long time ago,
Posto que ela nasceu há muito, há muito tempo atrás
Your mother should know. (Your mother should..)
Sua mãe deve conhecer. (Sua mãe deve…)
Your mother should know. (Know..)
Sua mãe deve conhecer. (Conhecer…)
Your mother should know. (Your mother should..)
Sua mãe deve conhecer. (Sua mãe deve…)
Your mother should know. (Know..)
Sua mãe deve conhecer. (Conhecer…)

Sing it again.
Cante outra vez

Da, da, da, da, da, da, da, da, da, da
Da, da, da, da, da, da, da, da, da, da, da.

I am the Walrus – Eu Sou A Morsa
I am he As you are he As you are me And we are all together
Eu sou ele como você é ele como você sou eu e todos nós somos juntos
See how they run like pigs from a gun See how they fly
Veja como eles correm como porcos diante de uma arma, veja como eles fogem
I’m crying
Isso me dói

Sitting on a cornflake Waiting for the van to come
Sentado sobre flocos de milho, esperando o furgão chegar
Corporation tee shirt Stupid bloody Tuesday
Uma corporação dos que usam camisetas, estúpida terça-feira sangrenta
Man, you’ve been a naughty boy
Cara, você tem sido um menino errado
You let your face grow long
você deixa o seu descaramento ir longe

I am the eggman
Eu sou o homem-ovo
They are the eggmen
eles são os homens-ovo
I am the walrus
Eu sou a morsa
Goo goo g’joob

Mister city Policeman sitting
O Sr. Policial ali postado
pretty little Policemen in a row
e muitos guardinhas em fila um atrás do outro
See how they fly like lucy in the sky
Veja como eles passam voando tal qual Lucy lá no céu
See how they run
Veja como eles correm
I’m crying (4x)
Isso me dói

Yellow matter custard Dripping from a dead dog’s eye
Uma remela amarela escorre dos olhos de um cachorro
Crab a locker fishwife
Um caranguejo tapa a boca de uma mulher desbocada
Pornographic priestess, Boy, you’ve been a naughty girl
Sacerdotisas pornográficas.. Deus meu! você tem sido uma menina errada
You let your knickers down
que vive com as calcinhas arriadas
I am the eggman
Eu sou o homem-ovo
They are the eggmen
eles são os homens-ovo
I am the walrus
Eu sou a morsa
Goo goo g’joob

Sitting in an english garden, waiting for the sun
Postado num jardim inglês esperando o sol aparecer
If the sun don’t come you get a tan
Se o sol não aparece você fica bronzeado
From standing in the english rain
parado embaixo de uma chuva inglesa

I am the eggman
Eu sou o homem-ovo
They are the eggmen
eles são os homens-ovo
I am the walrus
Eu sou a morsa
Goo goo g’joob

Expert texperts choking smokers
Peritos qualificados, sufocantes fumantes
Don’t you think the joker laughts at you?
Você não imagina que um gozador ri de você?
See how they smile like pigs in a sty
Veja como eles sorriem como porcos num chiqueiro
See how they snide
Veja como eles são maliciosos
I’m crying
Isso me dói
Semolina pilchard
Uma sardinha à milanesa
Climbing up the eiffel tower
escala a Torre Eiffel
Elementary penguin Singin’ hare krishna
Um pingüim básico canta Hari Krishna
Man, you should have seen them Kicking Edgar Allan Poe
Cara, você devia ter visto eles chutando Edgar Allan Poe

I am the eggman
Eu sou o homem-ovo
They are the eggmen
eles são os homens-ovo
I am the walrus
Eu sou a morsa
Goo goo g’joob

Hello Goodbye – Olá, adeus!
You say Yes, I say No
Você diz sim, eu digo não
You say Stop but I Say Go, Go, Go
Você diz pare e eu digo ande,ande, ande

Oh No
Oh não
You Say Goodbye and I Say Hello
Você diz adeus, e eu digo olá

Hello, Hello
Olá, olá
I Don’t Know Why you Say Goodbye
Eu não sei por que você diz adeus
I Say Hello, hello hello
Eu digo olá, olá, olá
I don’t know why you say goodbye
Eu não sei por que você diz adeus
I say hello
Eu digo olá

I Say High, You Say Low
Eu digo pra cima, você pra baixo
You Say Why and I Say I Don’t Know
Você diz: por quê? e eu digo: eu não sei!

Oh No
Oh não
You say Goodbye and I say Hello
Você diz adeus e eu digo olá
(Hello, Goodbye, Hello, Goodbye)
(Olá, adeus! Olá, adeus!)
Hello, Hello
Olá, olá
(Hello, Goodbye)
(Olá, adeus)
I Don’t Know Why You Say Goodbye I say Hello
Eu não sei por que você diz adeus Eu digo olá
(Hello, Goodbye, Hello, Goodbye)
(Olá, adeus! Olá, adeus!)
Hello, Hello
Olá, olá
(Hello, Goodbye)
(Olá, adeus)
I Don’t Know Why You Say Goodbye I say Hello
Eu não sei por que você diz adeus, eu digo olá
(Hello, Goodbye)
(Olá, adeus)
(Why, Why, Why, Why, Why, Why Do you Say
(Por que, por que, por que, por que, por que ,por que você diz
Goodbye, Goodbye, Bye , Bye , Bye ,Bye, Bye)
adeus, adeus, tchau, tchau, tchau, tchau, tchau)

Oh No
Oh não
You Say Goodbye and I Say Hello
Você diz adeus e eu digo olá
Hello, Hello
Olá, olá
I Don’t Know Why you Say Goodbye
Eu não sei por que você diz adeus
I Say Hello, Hello, Hello
Eu digo olá, olá, olá
I don’t know why you say goodbye
Eu não sei por que você diz adeus
I say Hello
Eu digo olá

You Say Yes (I Say Yes)
Você diz sim (Eu digo sim)
I Say No (But I May Mean No, I can Stay Till It’s Time To Go)
Eu digo não (mas pode ser um não do tipo eu posso ficar até que seja a hora de ir)
You Say Stop And I Say Go Go Go
Você diz pare e eu digo ande,ande, ande

Oh No
Oh não
You Say Goodbye and I Say Hello
Você diz adeus e eu digo olá
Hello, Hello
Olá, olá
I Don’t Know Why you Say Goodbye
Eu não sei por que você diz adeus
I Say Hello, Hello, Hello
Eu digo olá, olá, olá
I don’t know why you say goodbye
Eu não sei por que você diz adeus
I say Hello, Hello, Hello
Eu digo olá, olá, olá
I don’t know why you say goodbye
Eu não sei por que você diz adeus
I Say Hello OOOO OOOO OOOO OOOO HellOOOO
Eu digo olá.. áááá …Oláááá

Hay La, Hey Hello-a… ,

Strawberry Fields Forever
Strawberry Fields (campos de morango) eternamente

Let me take you down ´Cause I´m going to Strawberry Fields
Me permita mexer com o seu emocional, porque eu estou me encaminhando para Strawberry Fields
Nothing is real
Lá nada é real
And nothing to get hung about
e lá nada há com o que incucar
Strawberry Fields forever
Strawberry Fields eternamente

Living is easy with eyes closed
É fácil viver de olhos fechados
Misunderstanding all you see
ignorando todas as coisas que os olhos vêem
It´s getting hard to be someone
Está ficando difícil ser um alguém
But it all works out
mas no fim tudo dá certo
It doesn’t matter much to me
Eu não me importo muito com isso

Let me take you down ´Cause I´m going to Strawberry Fields
Me permita mexer com o seu emocional, porque eu estou me encaminhando para Strawberry
Nothing is real
Lá nada é real
And nothing to get hung about
e lá nada há com o que incucar
Strawberry Fields forever
Strawberry Fields eternamente

No one I think is in my tree
Não imagino ninguém na mesma freqüência que a minha
I mean it must be high or low
que seja alta ou baixa, quero dizer
That is you can’t you know tune in
ou seja, quer saber? Vc não consegue entrar em sintonia
But it’s all right
Mas, tudo bem!
That is I think it’s not too bad
quer dizer, acho que isso não é tão mal assim

Let me take you down ´Cause I´m going to Strawberry Fields
Me permita mexer com o seu emocional, porque eu estou me encaminhando para Strawberry Nothing is real
Lá nada é real
And nothing to get hung about
e lá nada há com o que incucar
Strawberry Fields forever
Strawberry Fields eternamente

Always, no sometimes, I think it’s me
Sempre e não por vezes, acho que isso tem a ver comigo
But you know I know when it’s a dream
Mas, quer saber? Eu sei quando estou sonhando
I think I know I mean a yes
Eu acho, eu sei, que é um ‘sim’ que eu procuro
But it’s all so wrong
mas está tudo muito errado
That is I think I disagree
ou seja, acho que estou fora de freqüência

Let me take you down ´Cause I´m going to Strawberry Fields
Permita que eu te leve até um lugar para onde eu estou indo chamado Strawberry Fields
Nothing is real
Lá nada é real
And nothing to get hung about
e lá não há nada no que não se possa ser útil
Strawberry Fields forever
Strawberry Fields eternamente

Penny Lane (nome do lugar onde John Lennon morou em Liverpool)
In Penny Lane there is a barber showing photographs
Em Penny Lane há um barbeiro mostrando fotografias
Of every head he’s had the pleasure to know
das pessoas que ele teve o prazer de conhecer
And all the people that come and go Stop and say hello
E todas as pessoas que passam dão uma paradinha e dizem olá

On the corner is a banker with a motor car,
Na esquina vê-se um banqueiro em um automóvel
The little children laugh at him behind his back
e criancinhas rindo dele pelas costas
And the banker never wears a mack
O banqueiro nunca usa uma capa de chuva
In the pouring rain, very strange.
para se proteger da chuva, muito estranho

Penny Lane is in my ears and in my eyes
Eu ouço e vejo Penny Lane
There beneath the blue suburban skies
lá, sobre ela, paira o céu azul do subúrbio
I sit and meanwhile back
Enquanto me acomodo eu volto ao passado

In penny Lane there is a fireman with an hourglass
Em Penny Lane há um bombeiro portando uma ampulheta
And in his pocket is a portrait of the Queen.
e carregando no bolso um retrato da Rainha
He likes to keep his fire engine clean,
Ele gosta de manter o seu instrumento de trabalho impecável
It’s a clean machine.
que é mesmo impecável

Penny Lane is in my ears and in my eyes.
Eu ouço e vejo Penny Lane
Four of fish and finger pies in summer, meanwhile back
No verão, uma porção de peixe frito e garotas com as pernas de fora, enquanto isso eu volto ao passado

Behind the shelter in the middle of a roundabout
Encoberta por uma marquise e em meio a uma barulheira de vozes
The pretty nurse is selling poppies from a tray
Uma bela enfermeira vende papoulas num tabuleiro
And tho’ she feels as if she’s in a play
E embora ela sinta como se estivesse num local de divertimento
She is anyway
Ela está, de qualquer jeito

In Penny Lane the barber shaves another customer,
Em Penny Lane enquanto o barbeiro faz a barba de mais um cliente
We see the banker sitting waiting for a trim
a gente vê o banqueiro sentado aguardando a sua vez
And then the fireman rushes in
E nisso o bombeiro entra apressadamente
From the pouring rain, very strange.
Fugindo da chuva, muito estranho

Penny lane is in my ears and in my eyes.
Eu ouço e vejo Penny Lane
There beneath the blue suburban skies
lá, sobre ela, paira o céu azul do subúrbio
I sit and meanwhile back
Enquanto me acomodo eu volto ao passado

Penny lane is in my ears and in my eyes.
Eu ouço e vejo Penny Lane
There beneath the blue suburban skies,
lá, sobre ela, paira o céu azul do subúrbio

Penny Lane.

Baby, You’re A Rich Man
Meu querido, vc é um cara cheio da grana

How does it feel to be One of the beautiful people?
Como é se sentir ser uma das pessoas mais bonitas?
Now that you know who you are
Agora que vc já se descobriu
What do you want to be?
o que vc quer ser?
And have you travelled very far?
E você viajou pra muito longe?
Far as the eye can see
Pra tão longe de se ver

How does it feel to be One of the beautiful people?
Como é se sentir se uma das pessoas mais bonitas?
How often have you been there?
Quantas vezes vc esteve lá?
Often enough to know
Um número de vezes suficiente para se descobrir?
What did you see, when you were there?
O que você viu quando esteve lá?
Nothing that doesn’t show
Nada que não possa ser mostrado

Baby, you’re a rich man,
Meu querido, vc é um cara cheio da grana
Baby, you’re a rich man
Meu querido, vc é um cara cheio da grana
Baby, you’re a rich man too.
Meu querido, vc também é um cara cheio da grana

You keep all your money in a big brown bag, inside a zoo.
Você guarda todo o seu dinheiro numa mala marrom enorme,dentro de um zoológico.
What a thing to do!
Que atitude mais estranha!

Baby, you’re a rich man (repete o refrão…)

How does it feel to be One of the beautiful people?
Como é se sentir ser uma das pessoas mais bonitas?
Tuned to A natural E
afinado no Lá Maior com o baixo em Mi?
Nota: nas cifras, a letra A representa o Lá Maior e o E o Mi Maior
Happy to be that way
Vc é feliz por ser assim
Now that you’ve found another key
Agora que vc descobriu uma outra afinação
What are you going to play?
O que é que você vai tocar?

Baby, you’re a rich man (repete o refrão…)
Meu querido, vc é um cara cheio da grana

You keep all your money in a big brown bag, inside a zoo (repete..).

All You Need Is Love
O amor é tudo o que vc precisa

Love, love, love
Amor, amor, amor
Love, love, love
Amor, amor, amor
Love, love, love
Amor, amor, amor

There’s nothing you can do that can’t be done
Não há nada que você consiga fazer que não possa ser feito
Nothing you can sing that can’t be sung
Nada que você consiga cantar que não possa ser cantado
Nothing you can say but you can learn how the play the game
Nada que vc possa falar, mas vc pode aprender como seguir as regras do jogo
It’s easy
É fácil

Nothing you can make that can’t be made
Nada que você possa fazer que não se possa fazer
No one you can save that can’t be saved
Ninguém a quem você possa salvar que não possa ser salvo
Nothing you can do but you can learn how to be you in time
Nada que vc possa fazer, mas pode aprender como ser vc mesmo com o tempo
It’s easy
É fácil

All you need is love
O amor é tudo o que vc precisa
All you need is love
O amor é tudo o que vc precisa
All you need is love, love
O amor é tudo o que vc precisa, amor
Love is all you need
O amor é tudo o que vc precisa

Nothing you can know that isn’t known
Não há nada que você possa saber que não seja conhecido
Nothing you can see that isn’t shown
Nada que você possa ver que não tenha sido visto
Nowhere you can be that isn’t where you’re meant to be
Nenhum lugar onde você possa estar que não seja onde vc quer estar
It’s easy
É fácil

All you need is love (all together now)
O amor é tudo o que vc precisa (todos juntos agora)
All you need is love (everybody)
O amor é tudo o que vc precisa (todos)
All you need is love, love
O amor é tudo o que vc precisa, amor
Love is all you need (love is all you need)
O amor é tudo o que vc precisa (O amor é tudo o que vc precisa)

Love is all you need ( 6x)
O amor é tudo o que vc precisa
She loves you, yeah, yeah, yeah
Ela te ama, sim, sim, sim

Em Liverpool há um ônibus alusivo à música que dá título ao álbum e também ao filme, e a excursão leva aos lugares históricos da cidade, como Penny Lane, Arnold Grove, Strawberry Fields, Mendips, Forthlin Road, Woolton, Mathew Street, enfim, nos históricos lugares por onde passaram os Beatles…

Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, o Oitavo Álbum Oficial dos Beatles.

sgt_pepper

Vamos navegar de volta a 1967, quando os beatlemaníacos que haviam tentado achar o prumo com ‘Rubber Soul’ e ‘Revolver’ seriam recompensados com uma divertida fantasia musical.
O ‘Sgt. Pepper’ ficou 15 semanas no topo da parada da Billboard e ainda estava entre os cinco primeiros álbuns quando ‘Magical Mystery Tour’ chegou à liderança, seis meses depois.

Isso por que a ampliação de horizontes proposta pelo álbum vinha ancorada em composições brilhantes. Desde a abertura contagiante de McCartney ( que Jimi Hendrix tocou ao vivo dois dias depois de lançado o disco), passando pela caleidoscópica ‘Lucy in the Sky with Diamonds’, de Lennon, até a atordoante ‘A Day in the Life’, composta pela dupla, cada música é um tesouro.

Apesar da omissão de ‘Strawberry Fields Forever’, o single provocativo que fez a ponte entre ‘Revolver’ e ‘Sgt. Pepper’, o álbum contém elementos psicodélicos: filosofia oriental (‘Within You Without You’, de Harrison) e menção a drogas (embora Lennon tenha negado as referências ao LSD em ‘Lucy’, McCartney deixou tudo claro com ‘Fixing a Hole’).

O certificado de ‘Sgt. Pepper’ como uma obra da pop art foi conferido pela capa mais famosa da história do disco. O designer Pete Blake imaginou primeiro uma caixa de presente, mas acabou optando por juntar na capa uma série de recortes de cartolina (alguns rostos famosos – Jesus, Hitler, Gandhi – não sobreviveram à montagem final).

O álbum causou um impacto sem precedentes. As rádios o tocaram dias a fio. O crítico Kenneth Tynan, do The Times, o classificou como “um momento decisivo na história da civilização ocidental”. Essa hipérbole já não se aplica, mas ficou um pop perfeito, no qual a ousadia e a música se mesclaram para sempre.”

(Fonte: Livro “1001 Discos para se ouvir antes de morrer”)

Montagem feita por Alessandra Mota usando os rostos dos membros do grupo We Love the Beatles Forever.

Montagem feita por Alessandra Mota usando os rostos dos membros do grupo We Love the Beatles Forever.

As faixas do álbum lançado em 01 de junho de 1967

Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band
With a little help from my friends
Lucy in the sky with diamonds
Getting Better
Fixing a Hole
She’s leaving home
Being for the benefit of Mr. Kite!
Within you without you
When I’m sixty four
Lovely Rita
Good morning, good morning
Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band
A day in the life

Sergeant Pepper’s Lonely Hearts Club Band.
A Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta

It was twenty years ago today
Foi há 20 anos atrás
Sergeant Pepper taught the band to play,
Sgt. Pepper ensinou a banda tocar
They’ve been going in and out of style,
Ora eles entravam ora saiam da moda
But they’re guaranteed to raise a smile,
Mas com eles a alegria era garantida
So may I introduce to you,
Permita-me então apresentar a vocês
The act you’ve known for all these years,
A atração que vcs têm visto nestes últimos anos
Sergeant Pepper’s Lonely Hearts Club Band.
A Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta

We’re Sergeant Pepper’s Lonely Hearts Club Band,
Somos a Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta
We hope you will enjoy the show,
Esperamos que vcs gostem do show
Sergeant Pepper’s Lonely Hearts Club Band,
A Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta
Sit back and let the evening go.
Acomode-se e deixe a noite rolar
Sergeant Pepper’s Lonely
Solitários do Sargento Pimenta
Sergeant Pepper’s Lonely
Solitários do Sargento Pimenta
Sergeant Pepper’s Lonely Hearts Club Band
A Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta

It’s wonderful to be here,
É maravilhoso estar aqui
It’s certainly a thrill
É com certeza uma tremenda emoção
You’re such a lovely audience,
Que público adorável são vcs!
We’d like to take you home with us,
Gostaríamos de estar o tempo todo com vcs
we’d love to take you home.
adoraríamos estar com vcs o tempo todo
I don’t really want to stop the show,
Eu não quero de jeito nenhum interromper o show
But I thought you might like to know,
Mas acho que vocês gostariam de saber
That the singer’s going to sing a song
que o cantor vai entrar cantando
And he wants you all to sing along,
E ele quer que todos vocês cantem juntos com ele
So let me introduce to you
Permita-me então apresentar-lhes
The one and only Billy Shears
O inigualável Billy Shears
And Sergeant Pepper’s Lonely Hearts Club Band.
E rola aí, a Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta

With a little help from my friends
Com uma ajudinha dos meus amigos

What would you think if I sang out of tune?
O que vc faria se eu cantasse desafinado?
Would you stand up and walk out on me?
Ia se levantar e me deixar sozinho aqui?
Lend me your ears and I’ll sing you a song,
Me empreste o seu ouvido e eu vou cantar uma canção
And I’ll try not to sing out of key.
E eu vou tentar cantá-la sem sair do tom
I get by with a little help from my friends,
Eu vou vivendo com uma ajudinha dos meus amigos
I get high with a little help from my friends,
Eu fico numa boa com uma ajudinha dos meus amigos
Going to try with a little help from my friends.
Continuo tentando com uma ajudinha dos meus amigos
What do I do when my love is away?
Como devo me portar quando o meu amor estiver longe?
(does it worry you to be alone?)
(Te preocupa ficar sozinho?)
How do I feel by the end of the day?
Como é que eu vou estar no fim do dia?
(are you sad because you’re on your own?)
(Vc está triste porque está só?)
No I get by with a little help from my friends,
Não, eu vou vivendo com uma ajudinha dos meus amigos
I get high with a little help from my friends,
Eu fico numa boa com uma ajudinha dos meus amigos
Going to try with a little help from my friends.
Continuo tentando com uma ajudinha dos meus amigos
Do you need anybody?
Vc precisa de alguém?
I need somebody to love.
Eu preciso de alguém para amar
Could it be anybody?
Pode ser qualquer um ?
I want somebody to love.
Eu quero alguém para amar

Would you believe in a love at first sight?
Vc acredita em amor à primeira vista?
Yes I’m certain that it happens all the time.
Sim, estou certo de que isso acontece o tempo todo
What do you see when you turn out the light?
O que vc vê quando apaga a luz?
I can’t tell you, but I know it’s mine.
Eu não posso lhe dizer, mas eu sei que é algo meu
Oh I get by with a little help from my friends,
Oh Eu vou vivendo com uma ajudinha dos meus amigos
I get high with a little help from my friends,
Eu fico numa boa com uma ajuda dos meus amigos
Going to try with a little help from my friends.
Continuo tentando com uma ajudinha dos meus amigos

Do you need anybody?
Vc precisa de alguém?
I just need someone to love,
Eu só preciso de alguém para amar
Could it be anybody?
Pode ser qualquer um ?
I want somebody to love.
Eu quero alguém para amar

I get by with a little help from my friends
Eu vou vivendo com uma ajudinha dos meus amigos
Going to try with a little help from my friends.
Continuo tentando com uma ajudinha dos meus amigos
I get high with a little help from my friends,
Eu fico numa boa com uma ajuda dos meus amigos
Yes I get by with a little help from my friends,
Sim, Eu vou vivendo com uma ajudinha dos meus amigos
With a little help from my friends.
Com uma ajudinha dos meus amigos

Lucy In The Sky With Diamonds
Lúcia No Céu Com Diamantes

Picture yourself in a boat on a river,
Imagine-se dentro de um bote num rio
With tangerine trees and marmalade skies
em meio a pés de tangerina e céus de geléia de morango (pode ser as nuvens do céu em forma de)
Somebody calls you, you answer quite slowly,
Alguém o chama, você atende bem lentamente
A girl with kaleidoscope eyes.
É uma garota de olhar caleidoscópico

Cellophane flowers of yellow and green,
Flores parecendo celofane com um tom verde-amarelo
Towering over your head.
Pairavam no alto sobre a sua cabeça
Look for the girl with the sun in her eyes,
Vc procura pela garota que reflete a luz do sol nos seus olhos
And she’s gone.
e aí, ela já se foi

Lucy in the sky with diamonds.
Lúcia, no céu com diamantes

Follow her down to a bridge by a fountain
Você segue a garota até uma ponte próxima a uma nascente
Where rocking horse people eat marshmellow pies,
onde pessoas, que se divertem montadas em cavalinhos de brinquedo, comem tortas de marshmallow.
Everyone smiles as you drift past the flowers,
Todos sorriem quando vc passa no bote com as flores
That grow so incredibly high.
que florescem de uma forma incrívelmente inacreditável

Newspaper taxis appear on the shore,
Taxis forrados por fora com jornal chegam à margem do rio(esse táxi pode ser visto no clip do ‘Free as a Bird’)
Waiting to take you away.
e ficam à espera para levá-lo embora.
Climb in the back with your head in the clouds,
Você se senta no banco de trás com a cabeça fora deste mundo
And you’re gone.
E aí, lá se foi vc

Lucy in the sky with diamonds,
Lúcia, no céu com diamantes…
Picture yourself on a train in a station,
Imagine-se em um trem, numa estação
With plasticine porters with looking glass ties,
onde os carregadores de mala são feitos de massinha e usam gravatas espelhadas
Suddenly someone is there at the turnstyle,
De repente alguém aparece lá na roleta (ou borboleta/catraca)
The girl with the kaleidoscope eyes.
É a garota de olhar caleidoscópico.

Getting Better
Caminhando para melhor

It’s getting better all the time
As coisas estão caminhando para melhor o tempo todo
I used to get mad at my school
Eu costumava ir à loucura na escola
The teachers who taught me weren’t cool
Os meus professores não eram “legais”
They’re holding me down, turning me round
Mandavam em mim e tentavam me mudar
Filling me up with your rules.
Me entupindo com suas normas e regras

I’ve got to admit it’s getting better
Eu tenho que admitir que as coisas estão caminhando pra melhor
It’s a little better all the time
Não param de melhorar um pouquinho
I have to admit it’s getting better
Eu tenho que admitir que estão caminhando pra melhor
It’s getting better since you’ve been mine.
Estão caminhando pra melhor desde que você passou ser minha

Me used to be angry young man
Eu costumava ficar enfurecido quando jovem
Me hiding me head in the sand
E fechava os olhos para a realidade
You gave me the word
Você conversava comigo
I finally heard
E um dia acabei finalmente te ouvindo
I’m doing the best that I can.
E agora estou dando o melhor de mim

I admit it’s getting better
Eu admito que as coisas estão caminhando para melhor
It’s a little better all the time yes
Não param de melhorar um pouquinho, isso mesmo
I admit it’s getting better
Eu admito que estão caminhando para melhor
It’s getting better since you’ve been mine.
Estão caminhando pra melhor desde que você passou ser minha

I used to be cruel to my woman
Eu costumava ser cruel com a minha mulher
I beat her and kept her apart
Eu batia nela e a mantinha longe
From the things that she loved
das coisas que ela amava
Man I was mean but I’m changing my scene
Nossa! Eu era mau mas estou mudando de atitude
And I’m doing the best that I can
Fazendo o melhor que eu posso

I admit it’s getting better
Eu admito que as coisas estão caminhando para melhor
A little better all the time
Não param de melhorar um pouquinho
Yes I admit it’s getting better
Sim, eu admito que estão caminhando para melhor
It’s getting better since you’ve been mine.
Estão caminhando pra melhor desde que você passou ser minha
Getting so much better all the time.
Caminhando pra muito melhor, todo o tempo, sem parar

FIXING A HOLE
Tapando um Buraco

I’m fixing a hole where the rain gets in
Estou tapando um buraco por onde entra a chuva
And stops my mind from wandering
E que impede a minha mente de sair vagando por aí
Where it will go.
Onde ela vai parar?

I’m filling in the cracks that ran through the door
Estou tapando as frestas que se abriram de uma parte a outra da porta
And kept my mind from wandering
E que impediram a minha mente de sair vagando por aí
Where it will go.
Onde ela vai parar?

And it really doesn’t matter if I’m wrong I’m right
E não importa mesmo se estou certo ou errado
Where I belong I’m right Where I belong
Do lado em que estou, estou certo, do lado em que estou
See the people standing there who disagree and never win
Veja as pessoas que não se movem e que não entram num acordo e nunca se sentem satisfeitas
And wonder why they don’t get in my door.
E se perguntam por que razão eu não as acompanho

I’m painting the room in a colourful way
Estou pintando um quarto em várias cores
And when my mind is wandering
E quando a minha mente estiver vagando por aí
There I will go.
Com ela eu irei

And it doesn’t really matter if I’m wrong I’m right
E realmente não importa se estou certo ou errado
Where I belong I’m right Where I belong.
Do lado em que estou , estou certo, do lado em que estou
Silly people run around they worry me
As pessoas tolas que me rodeiam me irritam
And never ask me why they don’t get past my door.
E nunca vêm me perguntar por que razão eu não as acompanho

I’m taking the time for a number of things
Estou tirando um tempo para um monte de coisas
That weren’t important yesterday
Que ontem não eram importantes pra mim
And I still go.
E, ainda assim, eu não paro

I’m fixing a hole where the rain gets in
Estou tapando um buraco por onde entra a chuva
And stops my mind from wandering
E que impede a minha mente de sair vagando por aí
Where it will go.
Onde ela vai parar?

She’s Leaving Home
Ela está saindo de casa

Wednesday morning
Manhã de quarta-feira
at five o´clock as the day begins
Às cinco horas, começando o dia
Silently closing the bedroom door
Silenciosamente ela fecha a porta do quarto
Leaving the note that she hoped would say more
E deixa um bilhete sem conter tudo o que gostaria de escrever

She goes downstairs to the kitchen
Ela desce a escada em direção à cozinha
Clutching her handkerchief
Apertando um lenço nas mãos
Quietly turning the backdoor key
Sem fazer barulho e girando a chave da porta dos fundos
Stepping outside she´s free
Ela ganha a rua e fica livre

She (We gave her most of our lives)
Ela (dedicamos a ela a maior parte de nossas vidas)
Is leaving (Sacrified most of our lives)
Está saindo (sacrificamos a maior parte de nossas vidas)
Home ( We gave her everything money could buy)
De casa (demos a ela tudo o que o dinheiro é capaz de comprar)

She´s leaving home after living alone
Ela está saindo de casa por ter vivido sozinha
For so many years(Bye, bye)
Durante vários e vários anos (adeus, adeus)

Father snores as his wife gets into
O pai ronca enquanto a sua esposa
Her dressing gown
põe um vestido
Picks up the letter that´s lying there
Ela pega o bilhete que lá foi deixado
Standing alone at the top of the stairs
Só e parada no topo da escada
She breaks down and cries to her husband
Ela, desnorteada, grita para o marido
“daddy, our baby is gone”
”Pai, nossa filhota foi embora”

Why would she treat us so thoughtlessly?
O que levaria ela a agir assim tão impensadamente com a gente?
How could she do this to me?
Como é que ela pôde fazer isso comigo?
She (We never thought of ourselves)
Ela (nunca pensamos só na gente)
Is leaving (Never a thought of ourselves)
Está saindo (nunca em momento nenhumo pensamos só na gente)
Home (We struggled hard all our lives to get by)
De casa (lutamos muito na vida para conseguir alguma coisa)
She´s leaving home after living alone
Ela está saindo de casa por ter vivido sozinha
For so many years(Bye, bye)
Durante vários e vários anos (adeus)

Friday morning at nine o´clock she´s far away
Ás nove da manhã da sexta-feira ela já vai longe
Waiting to keep the appointment she made
Esperando cumprir o encontro que ela marcou
Meeting a man from the motor trade
com um rapaz que lida com comércio de automóveis

She (What did we do that was wrong?)
Ela (O que foi que fizemos de errado?)
Is having (We didn´t know it was wrong)
Está se sentindo(Nós não sabiamos que existia algo de errado)
Fun ( Fun is the one thing that money can´t buy)
Feliz ( a felicidade é a única coisa que o dinheiro não consegue comprar)

Something inside that was always denied
Algo no íntimo dela sempre lhe fora negado
For so many years
Por tantos e tantos anos
She´s leaving home, bye, bye
Ela está saindo de casa, adeus, adeus

Being For The Benefit Of Mr. Kite!
Em honra do Sr. Kite

For The Benefit Of Mr. Kite
Em honra do Sr. Kite
There will be a show tonight On trampoline.
Haverá hoje à noite um show de acrobacia

The Hendersons will all be there
Os Hendersons estarão todos lá
Later Pablo Fanques Fair
Depois chegará o pessoal do parque de diversões de Pablo Fanques
What a scene
Que irado!

Over men and horses, hoops and garders,
Saltando sobre homens e cavalos, arcos e argolas
Lastly, through a hogshead of real fire;
e, por último, atravessando uma barrica de fogo,
In this way Mr. K will challenge the world
deste modo o Sr. K. desafiará o mundo!

The celebrated Mr. K
O célebre Sr. K.
Performs his feat on Saturday
realizará a sua proeza no sábado
At Bishopgate.
em Bishopsgate.

The Hendersons will dance and sing
Os Hendersons irão dançar e cantar
As Mr. Kite flies through the ring
enquanto o Sr. Kite estiver se exibindo no picadeiro
Don’t be late!
Não se atrasem!

Misters K and H assure the public
Os Srs. K. e H. asseguram ao público
Their production will be second to none
que a exibição deles não fica a dever a nenhuma outra
And, of course, Henry the horse dances the waltz.
E é claro, Henry, o cavalo, dançará ao som da valsa

The band begins at ten to six
A banda de música começará a tocar às 10 para as 6
When Mr. K performs his tricks Without a sound
Ocasião em que o Sr. K. fará os seus truques com a platéia em absoluto silêncio

And Mr. H will demonstrate
E o Sr. H. demonstrará
Ten summersets he’ll undertake On solid ground.
dez saltos mortais em solo firme
They’ve been some days in preparation.
cujos preparativos duraram dias
A splendid time is guaranteed for all
Garantidamente, todos terão momentos esplêndidos
And tonight Mr. Kite is topping the bill.
E, esta noite, o Sr. Kite será o astro principal.

Within you Without you / Dentro de Você Sem Você (A vida flui em você e sem você)
(traduzido por mim)

We were talking-about the space between us all
Estávamos conversando- sobre a lacuna que existe entre todos nós
And the people-who hide themselves behind a wall of illusion
E sobre as pessoas- que se escondem atrás de um muro de ilusões
Never glimpse the truth-then it’s far too late-when they pass away.
Nunca vislumbram a verdade – e depois ela fica inatingível – quando eles morrem.
We were talking-about the love we all could share-when we find it
Estávamos conversando-sobre o amor que todos nós poderíamos compartilhar – quando o encontramos
To try our best to hold it there-with our love
E temos que fazer o melhor possível para mantê-lo lá – com nosso amor
With our love-we could save the world-if they only knew.
Com nosso amor – poderíamos salvar o mundo – se ao menos eles soubessem.
Try to realise it’s all within yourself
Tente imaginar está tudo dentro de você mesmo
No-one else can make you change
Ninguém mais pode fazer você mudar
And to see you’re really only very small,
E constatar que você é na verdade apenas um grãozinho,
And life flows ON within you and without you.
E a vida continua com você ou sem você.
We were talking-about the love that’s gone so cold and the people,
Estávamos conversando – sobre o amor que já passou tão friamente e as pessoas,
Who gain the world and lose their soul-
Que ganham o mundo mas perdem suas almas –
They don’t know-they can’t see-are you one of them?
Eles não sabem – eles não enxergam – seria você um deles?
When you’ve seen beyond yourself-then you may find, peace of mind,
Quando você conseguir ver além de você mesmo – então você poderá descobrir que a paz de espírito,
Is waiting there-
Está lá à espera –
And the time will come when you see
E a hora vai chegar quando você constatar
we’re all one, and life flows on within you and without you.
Que somos todos iguais, e a vida continua em você e sem você.

When I´m Sixty-Four! – Quando eu tiver 64 anos
(traduzido por mim)

When I get older losing my hair,
Quando eu ficar mais velho, estiver perdendo meu cabelo
Many years from now.
Daqui a muitos anos,
Will you still be sending me a valentine
Você ainda me enviará um cartão no Dia dos Namorados
Birthday greetings bottle of wine.
Me dará felicitações no aniversário, abrirá garrafa de vinho?
If I’d been out till quarter to three
Se eu ficar fora até as quinze para as três
Would you lock the door,
Você trancará a porta,
Will you still need me, will you still feed me,
Ainda precisará de mim, ainda me alimentará
When I´m sixty-four.
Quando eu tiver sessenta e quatro anos?
You’ll be older too,
Você também estará mais velha,
And if you say the word,
E se disser que sim,
I could stay with you.
Eu poderei permanecer com você.
I could be handy, mending a fuse
Poderia ser útil, consertar um fusível
When your lights have gone.
Quando sua luz se apagar
You can knit a sweater by the fireside
Você pode tricotar um casaco ao lado da lareira,
Sunday mornings go for a ride,
E nas manhãs de domingo sair a passeio,
Doing the garden, digging the weeds,
Cuidando do jardim, plantando as sementes,
Who could ask for more.
Quem poderia pedir mais?
Will you still need me, will you still feed me,
Ainda precisará de mim, ainda me alimentará,
When I’m sixty-four.
Quando eu tiver sessenta e quatro anos?
Every summer we can rent a cottage,
Todo verão poderemos alugar um chalé,
In the Isle of Wight, if it’s not too dear
Na Ilha de Wight, se não for muito caro, querida
We shall scrimp and save
Poderemos racionar e economizar
Grandchildren on your knee
Os netinhos em seu colo –
Vera chuck & dave
Vera, Chuck e Dave.
Send me a postcard, drop me a line,
Envie-me um cartão postal, escreva-me uma carta,
Stating point of view
Coloque seu ponto de vista
Indicate precisely what you mean to say
Informe exatamente o que você quer dizer
Yours sincerely, wasting away
Do seu para sempre, agora já debilitado
Give me your answer, fill in a form
Dê-me sua resposta, preencha um formulário
Mine for evermore
Minha para todo o sempre
Will you still need me, will you still feed me,
Ainda precisará de mim, ainda me alimentará,
When I’m sixty-four.
Quando eu tiver sessenta e quatro anos.

Lovely Rita – Adorável Rita
(Traduzida por mim e pelo Samuel Dutra)

Lovely Rita meter maid.
Adorável policial Rita
Lovely Rita meter maid.
Adorável policial Rita
Lovely Rita meter maid.
Adorável policial Rita
Nothing can come between us,
Nada pode nos separar
When it gets dark I tow your heart away.
Quando cai a noite eu fico à reboque do seu coração

Standing by a parking meter,
Foi parado ao lado de um parquímetro
When I caught a glimpse of Rita,
Que de repente eu vi a Rita
Filling in a ticket in her little white book.
Preenchendo uma inflação no seu bloquinho branco de multas

In a cap she looked much older,
De quepe ela parecia muito mais velha
And the bag across her shoulder
E a sacola em suas costas
Made her look like a military man.
Fazia ela parecer um homem fardado

Lovely Rita meter maid,
Adorável policial Rita
May I inquire discreetly,
Posso perguntar discretamente,
When are you free,
Quando vai estar livre
To take some tea with me.
Para tomar um chá comigo?

Took her out and tried to win her,
Saí com ela e tentei conquistá-la
Had a laugh and over dinner,
Demos gargalhadas e durante o jantar
Told her I would really like to see her again,
Disse-lhe que gostaria muito de vê-la novamente

Got the bill and Rita paid it
Veio a conta e Rita a pagou
Took her home and nearly made it
Levei-a para casa e ficamos juntinhos
Sitting on the sofa with a sister or two.
Sentados num sofá com uma ou duas irmãs

Oh, lovely Rita meter maid,
Oh, adorável policial Rita
Where would I be without you.
Onde mais eu poderia estar sem você?
Give us a wink and make me think of you.
Dê um tempo para nós dois e me faça sonhar contigo.

* Meter Maid: policial feminina de trânsito que multa infrações de estacionamento proibido.

Good morning, good morning – Bom dia, bom dia
Good morning, good morning
Bom dia, bom dia
Good morning ah
Bom dia, ah

Nothing to do to save his life call his wife in
Nada há o que fazer para salvar a vida dele, deixe a esposa dele a par disso
Nothing to say but what a day how’s your boy been
Nada há o que dizer a não ser sobre como é que o seu menino tem passado o dia
Nothing to do it’s up to you
Não há nada o que fazer, só depende de vc
I’ve got nothing to say but it’s OK
Eu não tenho nada o que dizer, a não ser que está tudo bem

Good morning, good morning
Bom dia, bom dia
Good morning ah
Bom dia, ah

Going to work don’t want to go feeling low down
Indo para o trabalho não pense em se sentir pra baixo
Heading for home you start to roam then you’re in town
Indo pra casa vc sai a passear pois vc está na cidade
Everybody knows there’s nothing doing
Todo mundo sabe que não tá rolando nada
Everything is closed it’s like a ruin
Tá todo mundo enclausurado e isso é uma droga
Everyone you see is half asleep
Todo mundo que vc vê tá meio sonolento
And you’re on your own you’re in the street
E vc tá sozinho na rua

After a while you start to smile now you feel cool
Não demora muito e vc começa a sorrir, agora vc está se sentindo numa boa
Then you decide to take a walk by the old school
E aí vc decide dar um passeio passando pela velha escola
Nothing is changed it’s still the same
E vc vê que nada mudou, tá tudo ainda a mesma coisa
I’ve got nothing to say but it’s OK
Eu não tenho nada a dizer, a não ser que está tudo bem

Good morning, good morning
Bom dia, bom dia
Good morning ah
Bom dia, ah

People running round it’s five o’clock
As pessoas andam à volta, são 5 horas
Everywhere in town is getting dark
Está escurecendo em toda parte da cidade
Everyone you see is full of life
Todo mundo que você vê está cheio de vida
It’s time for tea and meet the wife
Está na hora do chá e de se encontrar com a esposa
Somebody needs to know the time, glad that I’m here
Alguém precisa ficar de olho na hora, estou feliz por estar aqui
Watching the skirts you start to flirt now you’re in gear
Olhando as saias você sai a paquerar, agora vc entrou no esquema
Go to a show you hope she goes
Vai ao show esperando que ela vá
I’ve got nothing to say but it’s OK
Eu não tenho nada o que dizer, a não ser que está tudo bem

Good morning, good morning, good (10x)
Bom dia, bom dia, bom

Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band (reprise)
(traduzido por mim)

Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta (reprise)

We’re Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band
Nós somos a Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta
We hope you have enjoyed the show
Esperamos que vocês tenham se divertido com o show
Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band
Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta
We’re sorry but it’s time to go
Sentimos muito mas é hora de ir embora

Sgt. Pepper’s Lonely, Sgt. Pepper’s Lonely
Solitários do Sargento Pimenta, Solitários do Sgt. Pimenta
Sgt. Pepper’s Lonely, Sgt. Pepper’s Lonely
Solitários do Sargento Pimenta, Solitários do Sgt. Piomenta

Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band
Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta
We’d like to thank you once again
Gostaríamos de agradecer-lhes uma vez mais
Sgt. Pepper’s one and only Lonely Hearts Club Band
Banda do Clube dos Corações Solidários únicos e exclusivos do Sgt. Pimenta
It’s getting very near the end
Está chegando bem perto do fim
Sgt. Pepper’s Lonely, Sgt. Pepper’s Lonely
Solitários do Sargento Pimenta, Solitários do Sgt. Pimenta
Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band
Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta

A day in the life – Um dia na vida
(traduzida por mim)

I read the news today oh, boy
Eu li uma notícia hoje, oh, rapaz
About a lucky man who made the grade
sobre um homem de sorte que estava em boa situação
And though the news was rather sad
e embora a notícia fosse um tanto triste
Well, I just had to laugh
Bem, eu tive mesmo que rir
I saw the photograph
Eu vi a fotografia
He blew his mind out in a car
Deu um branco em sua cabeça dentro do carro
He didn’t notice that the lights had changed
E ele não percebeu que o semáforo tinha mudado,
A crowd of people stood and stared
Uma multidão parou e ficou olhando
They’d seen his face before
Eles tinham visto seu rosto antes
Nobody was really sure if he was from the house of lords
Ninguém tinha muita certeza se ele era da Casa dos Lordes
I saw a film today oh, boy
Eu vi um filme hoje, oh, rapaz
The english army had just won the war
O Exército Inglês tinha acabado de ganhar a guerra
A crowd of people turned away
Uma multidão virou e foi embora
But I just had to look
Mas eu precisava ver
Having read the book
Depois de ler o livro
I love to turn you on.
Eu gosto de deixar você ligada.

Woke up, got out of bed
Acordei, pulei da cama
Dragged a comb across my head
Mal passei o pente pela minha cabeça
Found my way downstairs and drank a cup
Me encaminhei para o andar de baixo e tomei uma xícara
And looking up, Inoticed I was late
e olhando para cima, percebi que estava atrasado
Found my coat and grabbed my hat
Encontrei meu paletó e agarrei meu chapéu
Made the bus in seconds flat
Estava no ônibus em exatos segundos
Found my way upstairs and had a smoke
Me encaminhei para o andar de cima e acendi um cigarro,
Somebody spoke and I went into a dream
Alguém falou e eu viajei num sonho
Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
I read the news today oh, boy
Eu li as notícias hoje, oh, rapaz
Four thousand holes in blackburn, lancashire
Quatro mil buracos em Blackburn, Lancashire
And though the holes were rather small
E apesar dos buracos serem bem pequenos
They had to count them all
Eles tiveram que contar todos
Now they know how many holes it takes to fill the Albert Hall
Agora eles sabem quantos buracos são necessaries para encher o Albert Hall
I’d love to turn you on
Eu gostaria de deixar você ligada

O LP foi lançado em 1967 e o CD lançado em 1987, 20 anos depois.

Apresentação: Caixa contendo uma capa para o porta CD e o encarte.

CD Sgt. Pepper